Sócio de escritório de auditoria no BNDES foi testemunha de Lula na Lava Jato

Foto: Sérgio Lima/PODER 360

Responsável pela auditoria que prometia abrir a caixa-preta do BNDES, o escritório Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP teve um de seus sócios como testemunha do ex-presidente Lula na Lava Jato.

Juan Giraldez foi ouvido pelo então juiz Sergio Moro na ação penal sobre suposto recebimento de propina da Odebrecht.

Em 2017, Moro chegou a determinar que a defesa de Lula teria que custear tradução de Giraldez. Em 2010, o escritório foi contratado para dar consultoria à gestão de Luciano Coutinho no BNDES.

O Antagonista 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. mauricio disse:

    se a folha não noticiou eu não acredito, o globo, o estadão, então é mentira

  2. BC3331986GAC disse:

    A Quadrilha desse Meliante é Grande, ramificados , aparelharam as Instituições, esse Bandido, marginal um dia terá que pagar pelos danos causados ao Brasil e aos Brasileiros de Bem.

  3. Sebastião disse:

    Qualquer idiota no mundo sabe, emprestar dinheiro pra ditaduras como cubanas, Venezuelanas, Nicarágua e africanas, é calote na certa. Como uma auditoria não ver isso, a não ser que tenha sido contratado através de Corrupção, como parece ser o caso, em que teve um aditivo de 20 milhões. Aí é um cala boca pra todas as partes. MP poderia se debruçar sobre isso

  4. Bento disse:

    Aí jogam essa conta no espinhaco de JMB.
    É brincadeira ou maldade?

COMENTE AQUI