STF irá colocar em votação o fim do auxílio-moradia a juízes em março

Presidente do STF, Cármen Lúcia avisou a dirigentes de associações de magistrados que vai colocar em votação, no início de março, a ação que pode acabar com o auxílio-moradia. O sinal agravou a troca de acusações nos bastidores das mais diversas instâncias do Judiciário. Juízes federais acusam os estaduais de criticarem o benefício, mas embolsarem outros penduricalhos. O Supremo tentará achar um caminho que moralize todos os pagamentos –inclusive os de outros Poderes.

Integrantes de diversas associações ameaçam declarar guerra ao STF numa tentativa de fazer Cármen Lúcia recuar. O auxílio-moradia é pago desde 2014 a todos os juízes, inclusive aos que têm imóvel e residem na cidade em que atuam, com base em uma liminar do ministro Luiz Fux.

Os mais exaltados alertam que ministros do Supremo podem ser pressionados pelas categorias a apresentarem seus ganhos no magistério e em palestras. Citam ainda o caso de Gilmar Mendes, que é sócio de um instituto de ensino.

Só a Justiça do Trabalho prevê consumir R$ 197,7 milhões com o pagamento de auxílio-moradia neste ano.

As associações que representam juízes estaduais e federais querem levar 300 magistrados para um ato no Congresso, dia 1º de fevereiro, contra a reforma da Previdência. Cerca de 200 procuradores e promotores também devem comparecer.

PAINEL – FOLHA SP

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roseane disse:

    Quem paga auxilio moradia a quem ganha so o salario minimo pra manter a familia?.Hein?.

  2. Ferreira disse:

    E Bolsonaro também recebe Auxílio Moradia há vários mandatos sem precisar?

  3. Henrique disse:

    Vai aumentar a bandidagem no DF

  4. Silas disse:

    A que ponto chegou o Brasil meu Deus!!! milhares de Juízes, quase todos com casa própria, indo a Brasília lutar pelo famigerado auxílio moradia. Deviam ter vergonha. Mas vai cair, tenho fé em Deus.

  5. Rodriguinho disse:

    Além de todas as regalias, tem um bocado de juiz de interior conhecidos como TQQ, porque so aparecem para trabalhar na terca, quarta e quinta-feira, que deviam sewr denunciados pela população, pois ganham muito bem e ainda nao querem trabalhar, mais de mamata nao abrem mao.

  6. Pedro Jorge disse:

    Essa turma precisa sere questionada em público, para sentir a repulsa dos cidadãos!
    É muita cara de pau!!!

  7. Lucia disse:

    e tem muito mais coisa pra se ajustar: fim de férias de 60 dias, fim de recesso, fim de licenca premio, fim de regalias gerais…

  8. José Carlos disse:

    Essa turma é bem bestinha, por isso seguem a risca o ditado: "farinha pouca, meu pirão primeiro".
    Só tem juiz e promotor vocacionado rapaz… kkkkkk

  9. Fabio disse:

    Já foi proposta uma súmula para dizer que as vantagens não previstas na Loman não são válidas, mas também não andou.
    O conceito de subsídio tem por propósito precisamente que não existam penduricalhos. Portanto, acho que os juízes devem ser bem remunerados, porque isso é uma garantia, mas com absoluta transparência. A sociedade precisa saber quanto paga aos juízes e promotores.
    Outra coisa, tem que acabar essa coisa de efeito cascata do STF, a começar pelos juízes, desembargadores e ministros de outros tribunais superiores,impedindo que também peçam reajuste, isso termina de lascar estados pobres como o RN e só aumenta a desigualdade, pois a elite no nosso estado é apenas juiz e promotor.

  10. Fatima disse:

    Já foi levantado que 90% dos magistrados no âmbito federal e 77% nos tribunais estaduais ganham acima do limite, o agrava ainda mais a situação das contas estaduais e municipais.
    É absurdo e imoral a série de ganhos, como auxílio-creche, auxílio-moradia, auxílio-livro, aparelho de telefone celular funcional com conta paga pelo estado e pior iPhone de última geração e com memória grande, viu?!…
    Isso tem que acaba….

  11. Daniel disse:

    A regra constitucional é “esvaziada” pelos penduricalhos — como vantagens e indenizações — criados como forma de inflar os subsídios dessa turma:
    Quando se criou o subsídio foi para não se ter outras parcelas. Subsídio é parcela única, não deveria haver essa distorção. Muito menos rotulando certas parcelas como indenizatórias para fugir do teto. Até porque, pela regularidade e natureza, vemos que essas parcelas são remuneratórias.
    O próprio ministro Gilmar Mendes defendeu que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presidido pela ministra Cármen Lúcia, aja para proibir os pagamentos acima do teto no Judiciário, classificando-os de “loucura”.
    Por resoluções que editou ou pela falta de fiscalização, o CNJ permitiu que se criasse o caos e agora precisa agir para voltarmos à normalidade..

  12. Carlos disse:

    Trem da alegria chegando ao fim finalmente…. hehheehe
    Os juizes e promotores nessa brincadeira ja embolsaram mais de 1milhão com esse imoral auxilio moradia, agora deviam devolver com juros e correção…

  13. Bernardo disse:

    Um mói de sisudo que quer parecer mais honesto que os outros, mas que pra suas vantagens absurdas se faz de cego!

  14. Bruno disse:

    Vamos ver os falsos moralistas de cara murcha, quer ver quem ainda vai dar apoio a essa pouca vergonha!

  15. Antonio disse:

    Viva, viva , viva!!!
    Ainda bem que estou vivo para ler essa notícia dessa imoralidade legalizada!

  16. Cidadão disse:

    Deviam, além de extinguir, mandar devolver essa verba imoral!

  17. Tomaz disse:

    Imoralidade!

  18. Marcelo disse:

    Vamos que vamos. Uma coisa de cada vez. Os privilégios absurdos têm que ser extirpados. Os servidores públicos tem que ter, além de tudo, vocação.

  19. Marcos disse:

    Será que também farão greve? Salvo engano, assim como as polícias, juízes também não podem fazer greves. E se fizerem, quem julgará ilegal?

  20. Eliane Patrício disse:

    Com certeza eles vão vota para continuar recebendo estes valores imoral.

  21. Paladino disse:

    25 mil tá bom pra cada um.

COMENTE AQUI