Economia

Após primeiro bimestre de baixas, preço da gasolina em Natal aumenta em média R$ 0,20 às vésperas do Carnaval

FOTO: RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Após quedas sucessivas neste primeiro bimestre do ano, o preço do litro da gasolina em Natal voltou a subir, e para números que chegam a casa dos vinte centavos.

Em vários bairros da capital potiguar, o valor até o início desta semana que antes era cobrado na faixa de R$ 3,96 a R$ 3,99, subiu para R$ 4,19, em média.

No cenário atual, havia uma tendência de aumento pela variação de insumos no mercado internacional, mas o reajuste foi acima das expectativas do consumidor, às vésperas do carnaval.

Os donos de postos continuam a justificar o sobe e desce de valores por responsabilidade das distribuidoras. Outra possibilidade de alta é a aproximação do Carnaval, período em que a procura por combustíveis aumenta.

O aumento no valor da gasolina, especialmente, também foi sentido em outras capitais no país. Em Fortaleza, por exemplo, a situação é semelhante.

Uma reportagem de O Povo, ouviu o consultor econômico na área de Petróleo e Gás, Bruno Iughetti, que resumiu o impasse de valores e a consequente alta. “O aumento que a Petrobras anuncia diz respeito às distribuidoras que devem repassar isso aos revendedores, os postos. O que acontece é que no Brasil existe liberdade de preços, não existe regulação para congelar preços dos combustíveis, mas isso não enseja que se pratique aumentos acima da expectativa para uma época como a atual”, analisa.

No caso da capital cearense, o reajuste classificado como abusivo, em torno de 15%, resultou na abertura de investigação da OAB local.

Opinião dos leitores

  1. Esse MP só atua no que interessa, se formos esperar por alguma atitude deles esqueça viu

  2. Lastimável que, até o presente momento, o Ministério Público, através de uma das suas 3 Promotorias que tratam do Direito do Consumidor (24ª, 29ª e 59ª Promotorias), ou mesmo o PROCON (seja na esfera municipal ou estadual) tenham se manifestado sobre o aumento sistematizado de quase todos os postos da capital, para um valor padrão (R$ 4,19), às vésperas do carnaval. Chega a ser triste termos que nos mantermos reféns de abusos como estes, mesmo tendo Órgãos públicos especializados e encarregados de atuarem em nossa defesa em situações como estas.

  3. Essa questão é antiga e NÃO TEM ÓRGÃO PÚBLICO que fiscalize, regule e faça valer os postos acompanharem as reduções oficiais dos combustíveis anunciadas.
    O preço subiu por mais uma desculpa qualquer, sim subiu e daí?
    Os postos assim determinaram e vai fica por isso mesmo, o consumidor que pague e ponto final.
    Teve anúncio de aumento do governo nos preços dos combustíveis?
    Se o dólar subiu, se o preço do barril subiu mas, o governo não autorizou o aumento de preços, qual o motivo real desse aumento nas bombas?
    Manda quem pode e enquanto a política de combustível no Brasil for fechada pela petrobrás, teremos sempre esse tipo de situação onde só 01 perde: O POVO!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *