Prefeitos dizem que Pazuello anunciou início da vacinação em todo o país para o dia 20 de janeiro, com quase 120 milhões de doses até abril

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Após uma reunião com o Ministério da Saúde nesta quinta-feira (14), prefeitos disseram que, de acordo com o ministro Eduardo Pazuello, a vacinação contra a Covid-19 começará em todo o país na quarta-feira (20) da semana que vem.

As mensagens dos prefeitos foram postadas em redes sociais. Procurado pelo G1, o Ministério da Saúde ainda não confirmou a data.

“De acordo com @ministropazuelo, próxima segunda chegam as 2 milhões de doses da Astrazeneca para estados. Há também as 6 milhões da Coronavac. Anvisa liberando domingo, distribuem na terça para iniciar na quarta, dia 20. Ou seja: 8 milhões de doses para janeiro”, escreveu o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), em uma rede social.

As prefeituras de Campinas, de Cuiabá e de Maringá também saíram da reunião informando que o governo marcou a data do dia 20.

Pazuello recebeu mais de 130 prefeitos. A maioria participou virtualmente.

Doses

A Frente Nacional dos Prefeitos disse ainda que, na reunião, Pazuello apresentou a seguinte previsão de quantas doses de vacina o país terá nos próximos meses:

Janeiro: 8 milhões

Fevereiro: 30 milhões

Abril: 80 milhões

Equipamento

O presidente da frente, Jonas Donizete, ex-prefeito de Campinas, disse que a maioria das cidades tem quantidade suficiente de agulhas e seringas para iniciar a vacinação.

“A gente vai passar para o ministro uma ideia de como estão as cidades. E para isso eu fiz uma conversa antes com os prefeitos. A notícia boa para a população é que a maioria das cidades está preparada para a vacinação, com seringas, agulhas”, afirmou.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Severino Rocha disse:

    Eu sigo Bolsonaro. Não vou vacinar

  2. Japiense disse:

    Finalmente

  3. Santos disse:

    Amém!
    Deus seja louvado.🙏🙌

Covid-19: MP assina TAC com escolas privadas para redução de 20% do valor das mensalidades em Mossoró

Foto: Reprodução

Diante do cenário de isolamento social para  combater o contágio por coronavírus (Covid-19) em que as aulas escolares estão suspensas, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) buscou 27 colégios da rede privada de Mossoró para firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). Em consenso,  mediado pela 2ª Promotoria de Justiça da localidade, essas instituições de ensino particulares acordaram em reduzir em 20% o valor de tabela das mensalidades praticadas.

A medida valerá a partir deste mês de maio e enquanto durar a suspensão das aulas presenciais em decorrência da proibição sanitária por conta do novo coronavírus.  Ocorrendo o retorno presencial, haverá a cessação do mencionado desconto, retornando os valores às mensalidades praticadas nas condições anteriores à pandemia da Covid-19.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LEANDRO KLEBER disse:

    Concordo com citado anteriormente, trantando de colégios particulares, as universidades particulares também entraria nessa medida? precisamos que o MP aprove essa medida em Natal também, pois estamos estudando via aplicativo online e pagando as mensalidades cheias, nesse momento de pandemia os empregos estão ficando escassos, com todas medidas tomadas pelos nossos gonvernantes ainda estamos em situação difícil para poder sustentar uma mensalidade.

  2. Minha Opinião disse:

    Pq o MP num faz isso pra todo o estado ,principalmente para os municípios de Natal e Parnamirim , fica a dica é os pais dos alunos agradecem pois os serviços não estão sendo bem prestados e com isso evitaria de alguns pais não cancelarem os contratos com as escolas!

Projeto de deputada petista prevê mínimo de 20% de vagas em concursos públicos no RN para pessoas negras

Foto: ALRN

Tramita na Assembleia Legislativa uma proposta para que pelo menos 20% das vagas oferecidas em concursos públicos no Rio Grande do Norte sejam reservadas para pessoas negras. A mudança é objeto de Projeto de Lei de autoria da deputada estadual Isolda Dantas (PT) e contempla a administração pública direta e indireta de quaisquer dos poderes do Estado.

“As cotas étnico-raciais têm-se revelado uma alternativa eficaz para a redução dos impactos da desigualdade na sociedade. Essa propositura se ancora nos princípios fundamentais da República Federativa do Brasil relativos à dignidade da pessoa humana, à redução das desigualdades sociais e à promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem ou raça”, argumentou a parlamentar.

De acordo com a proposta, a reserva de vagas a candidatos negros deverá constar expressamente nos editais dos concursos públicos, que especificarão o total de vagas correspondentes à reserva para cada cargo ou emprego público oferecido. Ainda segundo o texto, os órgãos públicos poderão adotar critérios complementares à autodeclaração de cor ou raça do candidato.

Na justificativa do Projeto de Lei, Isolda utilizou dados do último censo do IBGE, segundo o qual a taxa de analfabetismo é duas vezes maior entre pessoas negras e sua renda é 40% menor que a dos brancos. Além disso, conforme os dados, apenas 32,5% dos entrevistados negros tinham emprego formal contra 66,3% declarados pelos entrevistados brancos.

A proposta está sendo analisada pelas comissões permanentes da Assembleia Legislativa, etapa da tramitação que antecede a deliberação pelo plenário. A deputada acredita na sua aprovação: “Políticas afirmativas devem urgentemente ser adotadas para corrigir tamanha injustiça”.

ALRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. #quemconfialevantaamão! disse:

    Mais um projeto para segregar a sociedade! Será que esse povo não consegue ter uma proposta útil de fato à sociedade? Ainda continuam nessa receita manjada de "dividir pra conquistar", como já vêm há tempo engodando a muitos?
    Isso é discriminar a sociedade como um todo!
    Gente negra é inteligente e capaz, talentosa e não precisa disso para se impor e demonstrar sua capacidade. Não há nenhuma comprovação de menos QI ou inteligência, muito pelo contrário!
    Não aceitem esmolas ou esse discurso de "coitadismo". Se valorizem! Vocês são capazes! Não deixem que esse discurso requentado lhes minimize!

  2. Joao disse:

    Gente, veja que espécie de inteligência quer ser prefeita de uma cidade do porte de Mossoró, pior que ainda tem gente pra votar nesta excrescência…
    Será que as comunidades quilombolas ir ao receber uma pessoa desta estirpe que quer taxar os negros de burros ?
    Será que as igrejas que que são contra a preconceitos humanos irá apoiar a atitude desta criatura mesquinha que é contra até dos barnabés?

    ACITDA MOSSORÓ[email protected]

  3. Joao Sem Braço disse:

    E os índios, os mamelucos, os judeus, nisseis, mulatos, sararás, galegos, até muitos brancos, e outras colorações e etnias, são todos privilegiados?

  4. Antônio disse:

    Se todos são iguais perante a Lei, o que essa Deputada está propondo é discriminação. Respeite os seres humanos! Tinha que ser do PT. Ô raça!

  5. PT só CANALHA S disse:

    Esse tipo de projeto classifica o negro como inferior, isso não existe. Todos somos iguais, basta oportunidades e esforço de cada um.

  6. Chicão disse:

    A filha de minha patroa é uma negra, ela vai adorar, ela e minha filha vão fazer concurso pra polícia civil. Se isso for aprovado, ela ficará com a vaga de minha filha. Acho que isso não é correto

  7. Ilcio disse:

    Que diabo tem o negro melhor que o branco, que o mulato, que o caboclo ?
    Vão estudar bando de vagabundos .

  8. Justiceiro disse:

    Se todos (brancos, pardos, amarelos, índios e pretos) tem as mesmas oportunidades, porque que, em que pese a maior quantidade de negros na sociedade (no Brasil), esses não tem essa mesma proeminência nos cargos? Quantos Deputados negros se conhece? Quantos médicos negros? Quantos engenheiros? Advogados? Empresários? O certo é que as oportunidades não são iguais. quantos negros estudam no Marista? No CEI? No Salesiano? Até mesma na UFRN que tem cotas? É importante e necessário, sim o projeto de Lei da Deputada. Ela tem sensibilidade, coisa que esses que dizem que não há discriminação racial nesse país, não tem!!!

  9. aof disse:

    Isso tambem não é racismo, não?

  10. Ceará-Mundão disse:

    Olha, não vou simular surpresa porque de petista só espero o que não presta. É a certeza que sempre tenho. Demagogia, populismo barato, RACISMO (de sinal trocado), essa porcaria será mais uma medida petista tendente a criar uma sub raça. E os pobres não negros, não mereceriam essa benesse? Sou contra esses artificialismos racistas. O que deveria ser feito essa corja não faz nem propõe: seria a melhoria do ensino público, notadamente do básico e fundamental, que melhoraria as oportunidades para os mais carentes DE QUALQUER COR. Mais uma palhaçada esquerdopatas. Petista, claro.

  11. Eduardo RR disse:

    Meu Deus do ceu! e te gente que ainda vota nesse partido de loucos! Negros tem a mesma capacidade que todos.
    So nao digo palavrão aqui pq nao pode! Ei PT Vai ….

  12. Ederson disse:

    A que ponto estamos chegando meu Deus

  13. REALISTA disse:

    Instrumento político-demagógico de pseudo inclusão/reparação social, o qual não resolve o problema que diz ser sua razão, pois não ataca sua verdadeira causa, e que ainda fere a autoestima do beneficiado que tem a verdadeira consciência social ao fazê-lo julgar-se incapaz de alcançar objetivos com sua própria capacidade, se caso tivesse oportunidades iguais a partir do ataque à real causa do problema, constituindo-se, portanto, com a sutil e indireta segregação que realmente representa, numa discriminação às avessas.

    • REALISTA disse:

      Eis o que transparece ser o verdadeiro significado de "COTAS" no nosso país.

  14. Paulo disse:

    BG.
    Só pode ser do pt. Para enrolar os OTARIOS que votam nelles.

  15. Idiota potiguar disse:

    Aí depois virá o alfabeto de minorias LGBTQI+…
    Caso esse povo quisesse inclusão, A cota seria econômica.
    Ou o filho de Pelé merece prioridade?

Por que é que a década de 20 só começa em 2021?

Foto: (Image Source/Getty Images)

A ideia de contar o tempo a partir do nascimento de Jesus é mais recente do que parece. Só começou 5 séculos após a crucificação. Se você voltasse no tempo para 400 d.C, por exemplo, e perguntasse para algum cidadão do Império Romano em que ano vocês estão, ele responderia: “ano 116”.

Nessa época, o cristianismo já era a religião oficial de Roma. A Igreja, porém, usava outro marco para estabelecer a contagem do tempo: o início do mandato de Diocleciano, imperador romano que, pelo calendário de hoje, governou entre 284 d.C. e 305 d.C.

Não era por amor a Diocleciano que a Igreja usava o início de seu reinado como marco zero. Muito pelo contrário. Diocleciano foi um grande perseguidor de cristãos. Depois que a religião se tornou oficial, em 380 d.C., a época de Diocleciano passou a ser chamada de “Era dos Mártires” – por conta dos cristãos que tinham morrido nas mãos do imperador. O início da Era dos Mártires, então, passou a marcar a contagem do tempo.

O marco era o início do governo de cada imperador; por essa contagem, Cristo nasceu no ano 14, o 14º do reinado de Tibério.

Antes disso, o marco era o início do governo de cada imperador; por essa contagem, Cristo nasceu no ano 14, o 14º do reinado de Tibério. Outra forma de contar o tempo era a partir da fundação de Roma, segundo a qual Jesus nasceu no ano 753, o ano do centésimo quinquagésimo terceiro aniversário da cidade. Essa data de fundação, 753 a.C., é lendária – não se sabe quando Roma surgiu, pelo menos não com essa precisão toda, mas essa é outra história.

O que importa aqui, de qualquer forma, é que o ano do nascimento de Jesus simplesmente não era usado pela Igreja.

Isso só começou a mudar no século 6, pelas mãos de um monge chamado Dionísio, o Exíguo (“exíguo” no sentido de “humilde”). Dionísio não era exatamente um homem humilde: era considerado o maior intelectual da cede da Igreja, em Roma. Por conta disso, o papa João I (470 d.C.–526 d.C.) encomendou a Dionísio um recálculo dos calendários, para determinar em qual dia de abril a Páscoa deveria ser celebrada nos anos seguintes (não havia um consenso sobre qual seria o dia exato para cada ano, como há hoje).

Dionísio, então, aproveitou para fazer uma mudança mais profunda. Além de calcular, de acordo com seus critérios, em quais dias a Páscoa deveria cair, ele fez um adendo: estipulou que aquele ano, o 241 da Era dos Mártires era, na verdade, o anno ab incarnatione Domini 525. Ou seja: o 525º ano após a “encarnação” do Senhor (“Domini”) em forma de ser humano. Com o passar dos séculos, essa forma de contar o tempo se universalizou – não que tenha sido da noite para o dia; Portugal só adotou o sistema no ano de 1400. A Rússia, em 1700.

A Igreja Ortodoxa seguiu usando outra contagem, uma derivação do calendário judaico cujo marco zero é a “origem do mundo”. Por esse sistema, Jesus teria nascido em 5500 a.M. (de anno Mundi).

Os próprios judeus, que escreveram o Velho Testamento, chegaram a outra conclusão. De acordo com sua interpretação dos textos sagrados, estamos hoje no ano 5780 – e a data que Dionísio estipulou para o nascimento de Cristo equivale ao ano 3760 do calendário deles.

Na Europa Ocidental, o uso da Era dos Mártires não foi substituído imediatamente pelo sistema de Dionísio. Com o esfacelamento do continente em diversos reinos, o normal voltou a ser usar a data de posse dos soberanos locais como marco zero.

O conceito de Dionísio só se popularizou mesmo na Europa a partir do século 8, por cortesia de Carlos Magno (742 d.C. – 814 d.C.) – além de conquistar boa parte do continente, ele apoiou os religiosos que defendiam a ideia de centralizar a contagem do tempo no nascimento de Jesus. E aí a ideia foi pegando, até se universalizar.

Muito bonito, a não ser por um detalhe: está tudo errado. Ninguém sabe quando Jesus nasceu.

O Novo Testamento não diz nada sobre. O que há são menções a personagens históricos cujas datas são conhecidas por outras fontes. O Evangelho de Lucas, por exemplo, diz que João Batista começou a pregar no ano 15 do reinado de Tibério. O de Mateus, diz que Jesus nasceu no tempo de Herodes, o Grande, rei judeu vassalo de Roma, e que morreu, sabe-se hoje, no ano 4 a.C. Lucas, por outro lado, diz que Jesus nasceu quando Quirino, um político romano, comandava a Síria. Seu governo, porém, começou apenas no ano 6 d.C.

Dada tamanha imprecisão dos evangelhos, simplesmente não dá para especificar a data do nascimento de Jesus – até o papa Bento 16 assumiu a existência desse problema, em 2012. Dionísio, porém, decidiu cravar o ano 14 do reinado de Tibério como “ano zero”.

Opa: Zero? Não… O número zero ainda não era usado na Europa – só viria bem depois, do Oriente. Não que os europeus não soubessem o que “zero” significa, mas as contagens, nos algarismos romanos da época, sempre começavam a partir do número I (um).

O que vem depois do ano 1 a.C., então, não é o ano 0 a.C. É o ano 1 a.C. Um erro grosseiro, já que bebês não nascem com um ano de idade. Mas é assim que ficou. Com esse pecado original na contagem, a segunda década da Era Cristã começou só no ano 11 d.C., sendo que o último ano da primeira década foi o ano 10 a.C. E o problema segue. O terceiro milênio só começou em 2001, não em 2000. E a década de 20 do século 21 só começa em 2021, não em 2020.

Mas, quer saber? Isso não tem importância. Só não houve um ano zero por uma gafe matemática, digamos assim. Se você sempre entendeu que os anos 20 de 100 anos atrás – o das dançarinas de cancã, da Semana de 22 e do crash da bolsa de NY – começou em 1920, não tem nada demais em considerar que os novos anos 20 começaram agora. Aproveite.

Super Interessante

 

Após primeiro bimestre de baixas, preço da gasolina em Natal aumenta em média R$ 0,20 às vésperas do Carnaval

FOTO: RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Após quedas sucessivas neste primeiro bimestre do ano, o preço do litro da gasolina em Natal voltou a subir, e para números que chegam a casa dos vinte centavos.

Em vários bairros da capital potiguar, o valor até o início desta semana que antes era cobrado na faixa de R$ 3,96 a R$ 3,99, subiu para R$ 4,19, em média.

No cenário atual, havia uma tendência de aumento pela variação de insumos no mercado internacional, mas o reajuste foi acima das expectativas do consumidor, às vésperas do carnaval.

Os donos de postos continuam a justificar o sobe e desce de valores por responsabilidade das distribuidoras. Outra possibilidade de alta é a aproximação do Carnaval, período em que a procura por combustíveis aumenta.

O aumento no valor da gasolina, especialmente, também foi sentido em outras capitais no país. Em Fortaleza, por exemplo, a situação é semelhante.

Uma reportagem de O Povo, ouviu o consultor econômico na área de Petróleo e Gás, Bruno Iughetti, que resumiu o impasse de valores e a consequente alta. “O aumento que a Petrobras anuncia diz respeito às distribuidoras que devem repassar isso aos revendedores, os postos. O que acontece é que no Brasil existe liberdade de preços, não existe regulação para congelar preços dos combustíveis, mas isso não enseja que se pratique aumentos acima da expectativa para uma época como a atual”, analisa.

No caso da capital cearense, o reajuste classificado como abusivo, em torno de 15%, resultou na abertura de investigação da OAB local.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JACKSON MÁRCIO disse:

    Qual a justificativa dos aumentos? Sinto-me abandonado pelo Poder Público.

  2. Agripino Oliveira disse:

    Esse MP só atua no que interessa, se formos esperar por alguma atitude deles esqueça viu

  3. paulor disse:

    só reabasteço na Ribeira ou alecrim /airton senna que os preços são melhores

  4. Aranha disse:

    Livre mercado, Minions

  5. Adriano disse:

    Lastimável que, até o presente momento, o Ministério Público, através de uma das suas 3 Promotorias que tratam do Direito do Consumidor (24ª, 29ª e 59ª Promotorias), ou mesmo o PROCON (seja na esfera municipal ou estadual) tenham se manifestado sobre o aumento sistematizado de quase todos os postos da capital, para um valor padrão (R$ 4,19), às vésperas do carnaval. Chega a ser triste termos que nos mantermos reféns de abusos como estes, mesmo tendo Órgãos públicos especializados e encarregados de atuarem em nossa defesa em situações como estas.

  6. Cândido Giovanne disse:

    Essa questão é antiga e NÃO TEM ÓRGÃO PÚBLICO que fiscalize, regule e faça valer os postos acompanharem as reduções oficiais dos combustíveis anunciadas.
    O preço subiu por mais uma desculpa qualquer, sim subiu e daí?
    Os postos assim determinaram e vai fica por isso mesmo, o consumidor que pague e ponto final.
    Teve anúncio de aumento do governo nos preços dos combustíveis?
    Se o dólar subiu, se o preço do barril subiu mas, o governo não autorizou o aumento de preços, qual o motivo real desse aumento nas bombas?
    Manda quem pode e enquanto a política de combustível no Brasil for fechada pela petrobrás, teremos sempre esse tipo de situação onde só 01 perde: O POVO!

  7. J. Fernandes disse:

    Alô, é do PROCON?!

Prefeitura de Extremoz divulga calendário do IPTU 2019 com desconto de 20% para cota única

A Prefeitura de Extremoz divulgou as datas de vencimento das parcelas do Imposto Sobre Propriedade Predial Territorial Urbano (IPTU) para o exercício de 2019. A publicação trouxe, também, o desconto de 20% para o pagamento do tributo em cota única que deverá ser pago até o dia 31 de janeiro de 2019. Só terão direito ao desconto de 20% (vinte por cento) do total do IPTU, os contribuintes que não possuam créditos tributários e/ou não tributários, vencidos ou parcelados.

Quem optar por parcelar o IPTU, deverá quitar a primeira parcela até o dia 31 de janeiro. O calendário se estende até agosto, quando vence a oitava parcela. O vencimento acontece sempre no último dia útil do mês.

Outra forma de conseguir o desconto é por meio da transferência de veículo automotor para o município de Extremoz, conforme Lei Complementar Nº 920, de 08 de novembro de 2017. De acordo com a Lei, “o desconto será concedido aos contribuintes, pessoas físicas ou jurídicas que sejam proprietários de veículos, e corresponderá a 40 % do valor recolhido a título de Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores – IPVA”. O benefício também estende-se ao cônjuge, aos ascendentes e descendentes que sejam responsáveis pelo pagamento do IPTU do imóvel locado em Extremoz, desde que transfira o veículo de sua propriedade para o município.

Os carnês estão sendo enviados pelos correios aos contribuintes e outra opção é solicitar via WhatsApp, no número (84) 98110-5186, ou na própria Secretaria de Tributação, no horário das 7h às 16h. O contribuinte também pode enviar um e-mail para [email protected] e pedir o carnê, informando o nome completo do titular do imóvel e CPF. Há ainda a opção de acessar o Portal do Contribuinte e clicar em “DAM do Exercício Atual”, onde vai gerar tanto o boleto com a cota única, como o boleto em parcelas, para que o titular possa pagar da forma como desejar.

Para maior comodidade, o contribuinte poderá pagar o IPTU em seu smartphone no aplicativo da Caixa Econômica Federal, nos Caixas Eletrônicos ou nas lotéricas. Mais informações: 3279-4902.