Comissão do Senado aprova projeto que eleva vaquejada a patrimônio

A Comissão de Educação aprovou nesta terça-feira, 1º, um projeto que eleva a vaquejada e o rodeio à condição de manifestação cultural nacional. Na prática, a proposta não legaliza os eventos, mas foi entendida pelos senadores como um primeiro passo para reverter a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que tornou a vaquejada ilegal por considerar que a prática causa sofrimento animal.

1478015437399Foto: Tatiana Azeviche/Divulgação

O projeto já passou pela Câmara e segue agora para o plenário do Senado.

Mesmo com a véspera do feriado, a comissão contou com a presença de vários senadores, de diferentes partidos, que fizeram questão de manifestar o apoio à vaquejada e a posição contrária à decisão do Supremo.

Os parlamentares também aprovaram um requerimento de urgência, para que o projeto tramite com mais rapidez no plenário do Senado.

Além dessa proposta, ainda tramitam no Senado outros três projetos de lei com o mesmo intuito, sendo um deles uma proposta de emenda à Constituição (PEC). Os parlamentares alegam que a vaquejada faz parte da cultura local e também argumentam que é possível manter a prática com atenuação do sofrimento animal.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anderson disse:

    Ótima notícia para todos os brasileiros, sobretudo nos Nordestinos, com isso a nossa cultura será preservada e milhares de empregos mantidos.
    Cabe agora aos organizadores e praticantes de vaquejadas tornarem elas mais atraentes para os olhos de toda a população.

  2. José disse:

    Parabéns o stf quer fazer o papel q não lhe cabe. deste jeito vale a pena ir votar. agora votar para o stf decidir o que não lhe compete…aí é brincadeira!

    • Paulo disse:

      Não lhe cabe é ser covarde inútil, precisa e assinaria quantas folhas fosse pra inibir essa pratica de covardia com animais Sem chance de se defender por ser puros e sem maldade. Conseguem ser inergumenos, sem senso de sensibilidade verdadeiros parasitas

  3. Curioso disse:

    Chifre agora é oficial… na moral…