Carta do Zé agricultor para o Luis da cidade

O Blog copia esse artigo e, publica: Por Luciano Pizzato *

Luís,

Quanto tempo. Sou o Zé, seu colega de ginásio, que chegava sempre atrasado, pois a Kombi que eu pegava no ponto perto do sítio atrasava um pouco. Lembra, né? O Zé do sapato sujo. A professora nunca entendeu que eu tinha de caminhar 4 km até o ponto da Kombi, na ida e na volta, e o sapato sujava.

Lembra? Se não, sou o Zé com sono… hehe. A Kombi parava às onze da noite no ponto de volta, e com a caminhada, eu ia dormir lá pela uma, e o pai precisava de ajuda para ordenhar as vacas às 5h30, toda manhã. Dava um sono. Agora lembra, né, Luís?

Pois é. Tô pensando em mudar aí com você.

Não que seja ruim o sítio, aqui é uma maravilha. Muito mato, passarinho, ar bom. Só que acho que tô estragando a vida de você, Luís, e de teus amigos aí na cidade. Tô vendo todo mundo falar que nós, da agricultura, estamos destruindo o meio ambiente.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduardo disse:

    É muito legal falar em ecologia e meter pau no agronegocio. Se não for atravês do agronegocio, não haverá alimentos para todos, inclusive já não há. A plantação orgânica, não dá nem pro cheiro, e é muito cara. Abaixo a hipocrisia e vamos dar valor as pessoas que geram riqueza.

  2. targino disse:

    é muito bonito fazer caridade com o dinheiro alheio, os americanos destruiram tudo por lá e agora querem preservar o nosso. acho que devemos ter conciencia de nao destruirmos nossas matas e manancias, porém a vida humana deve sempre estar em primeiro lugar. vajamos; mata-se uma pessoa e se nao há flagrante, liberdade, mata-se um jacaré e prisao inafiançavel. é um grande contraste.