Cooperativa Médica do RN prestou em 2018 mais de 70 mil plantões

A Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte, Coopmed-RN, está entre as maiores cooperativas médicas de trabalho do Brasil, possui em seus quadros mais de 2 mil médicos cooperados, abrange 36 especialidades médicas e presta serviços principalmente na rede pública (estadual e municipal), e também exerce suas atividades na rede privada.

Atualmente, os profissionais atuam em mais de 30 instituições de saúde distribuídas em todo o estado do RN, tendo grande atuação em Natal e Região Metropolitana. No interior, atua em Caicó, Currais Novos, Paus dos Ferros, Assu e João Câmara. Em 2018 foram realizados mais de 70 mil plantões de 12 horas em todas as unidades parceiras.

A Coopmed-RN atende à população realizando mais de 51 mil procedimentos complexos anuais, que variam de partos a cirurgias gerais, por meio de convênios firmados com o poder público. Além disso, destacam-se os procedimentos ortopédicos, com mais de 48 mil atendimentos, o SAMU com o número de 46,5 mil chamados de urgências e transferências, a Clínica Médica com 38 mil consultas, a Pediatria com mais de 33 mil atendimentos e a Neonatologia superando as 20 mil assistências. Esses dados correspondem aos atendimentos realizados em todo o RN no ano de 2018.

Adicionalmente, os procedimentos cobertos pelo SUS, são realizados em parcerias com os hospitais privados e filantrópicos, realizando cirurgias e procedimentos de alta e média complexidade nas áreas da Cardiologia Intervencionista, Cirurgia para marca-passo, Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia Geral, Cirurgia Obstétrica, Oncologia Clínica e Cirúrgica, Ortopedia, Neurologia, Neurocirurgia e Mastologia, que somaram só no ano de 2018 mais de 27.000 intervenções para salvar vidas.

A observação dos princípios cooperativistas, o compromisso com a vida e a qualidade dos serviços prestados são as marcas registradas da Coopmed, que também investe na qualificação dos profissionais, oferecendo continuamente cursos de alto nível para seus Cooperados.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. realmadriddepiumgenerico disse:

    Esses recursos poderiam estar sendo investidos no SUS, contratando e pagando um salário justo aos profissionais.

Cooperativa Médica do RN paralisa suas atividades nesta quarta-feira

Serão 12 especialidades em 17 unidades hospitalares que estarão paralisadas a partir das 19h do dia 1 de fevereiro

A Cooperativa Médica do Estado do Rio Grande do Norte – Coopmed-RN, notificou através de ofício os gestores do município do Natal, sobre a paralisação dos médicos cooperados a partir das 19h, desta quarta-feira,01 de fevereiro de 2017.

A paralisação ocorre nas modalidades de clínicas médicas, cirúrgicas e intervencionistas, bem como prestações de assistência em regime de plantões e cirurgias de Alta/Média complexidade nas diversas especialidades médicas denominadas: Cardiologia, Hemodinâmica e Arritmia Cardíaca; Cirurgia Cardiovascular; Cirurgia de Cabeça de Pescoço; Cirurgia Oncológica; Cirurgia Pediátrica; Cirurgia Plástica Reparadora; Cirurgia Torácica; Cirurgia Vascular; Cirurgia Geral; Neurocirurgia e Ortopedia.

Os atendimentos médicos serão suspensos nas unidades: UPA Cidade da Esperança; UPA Pajuçara; UPA Potengi; Maternidade Leide Morais; Unidade Mista Mãe Luiza; Hospital Municipal do Natal; Maternidade Araken Pinto; Hospital Coronel Germano “Hospital da Polícia”; SAMU Natal; Unidade Mista Cidade Satélite; Hospital Infantil Varela Santiago; LIGA Norteriograndense contra o Câncer; Hospital Memorial; Instituto do Coração de Natal; Hospital do Coração; Prontoclínica da Criança de Natal; Natal Hospital Center; Instituto do Coração de Natal e Maternidade Felipe Camarão.

De acordo com o presidente da Cooperativa, Dr. Marcelo Cascudo, um dos motivos da paralisação é o descumprimento da Ação Civil, acerca do repasse obrigatório dos honorários médicos para o pagamento da Alta/Média Complexidade. O Termo de Ajuste de Conduta –TAC foi firmado em setembro de 2016, por meio do desembargador Gilson Barbosa, no Tribunal de Justiça, com os gestores do Município e Estado, além do Ministério Público para o cumprimento do pagamento dos honorários médicos de cooperados da referida especialidade.

Outro motivo é a redução dos números de plantões, redução do valor dos serviços oferecidos e número de profissionais da saúde nas unidades acima citadas, o que para a Cooperativa representa a diminuição da qualidade nos atendimentos aos usuários do Sistema Único de Saúde – SUS, uma vez, que a Secretaria de Saúde propõe essa redução sem critério claro e objetivo.

A Cooperativa Médica inicia a paralisação respeitando o período de 72h, após a notificação e aguarda uma proposta dos gestores para a solução deste impasse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nerivan disse:

    É não Senhor é falta de pagamento por parte dos gestores que deviam serem responsabilizados e punidos, estamos falando de vidas o MP e a Justiça tem que tomar as providências e não deixarem que isso aconteça, quem está com Câncer não dá tempo esperar!

  2. BONECO DE OLIMDA disse:

    Parece que FRASQUEIRINO é um desse eleitores FANTASMA do Boneco do Olinda. De acordo com o presidente da Cooperativa o motivo são "o descumprimento da Ação Civil, acerca do repasse obrigatório dos honorários médicos para o pagamento", "a redução dos números de plantões", "redução do valor dos serviços oferecidos e número de profissionais", o que irá acarreta com qualidade na atendimento. Infelizmente a preocupação do prefeito de Natal há é com o CARNAVAL. Onde faz valer a política do PÃO E CIRCO com a população que depende dos serviços públicos de saúde. Que comece os mi mi mi por parte dos defensores do BONECO DE OLINDA.

  3. FRASQUEIRINO disse:

    Vejam bem: um dos motivos da paralisação é a "redução dos numeros de plantões". A Coopmed quer estabelecer o numero de plantões nss unidades de saúde? Que absurdo é esse???