Serras do Agreste Potiguar crescem como opção de destino turístico

Fotos: João Vital

Um novo destino turístico se fortaleceu no Rio Grande do Norte desde o ano passado. São as Serras do Agreste Potiguar, em Passa e Fica, Serra de São Bento e Monte das Gameleiras, que com suas belezas naturais e clima frio têm atraído turistas e mudado o cenário econômico local. Só em Serra de São Bento, o número hóspedes mais do que triplicou em 2018 e os leitos, que antes eram 150, subiram para 250 no total. O faturamento da rede de pousadas saiu de R$ 2 milhões para R$ 5 milhões, enquanto os visitantes cresceram de 30 mil para 80 mil.

Os resultados em Serra de São Bento também são vistos no número de agentes de viagens: antes eram 15, agora são mais de 50. Em Passa e Fica, Janine Ramos foi a primeira a abrir uma agência. Por meio do projeto de dinamização do turismo, realizado pelo Governo do Estado nas três cidades, ela pôde se capacitar e hoje é dona do próprio negócio. “Aproveitei todos os cursos que estavam abertos na área de turismo, me formalizei e hoje vivo da minha agência de viagens, que é a primeira da cidade”, diz, orgulhosa.

O projeto foi realizado por meio do Governo Cidadão, Secretaria de Turismo e Banco Mundial, e teve duração de 18 meses. Incluiu a contratação de uma consultoria, o IABS, que elaborou um estudo sobre os potenciais das serras, realizou oficinas, capacitações, concurso cultural, com o objetivo de enraizar na comunidade a importância do turismo. Nessa quarta-feira (10), uma equipe do Banco junto ao secretário de Gestão de Projetos Fernando Mineiro, secretária de Turismo Ana Maria Costa e demais técnicos pôde conhecer os resultados in loco.

O investimento na região também envolveu a capacitação de 180 pessoas em cursos de elaboração de roteiros, técnica de guiamento em geoturismo, qualidade em serviços turísticos, boas práticas na manipulação de alimentos, controles gerenciais para a hotelaria, turismo de aventura e inglês. A rede de agricultura familiar também se fortaleceu, com a criação da Central de Comercialização e do selo “Se é da terra, tem valor”, distribuído aos bares, restaurantes e pousadas que compram produtos dessa natureza.

A visita dessa quarta-feira incluiu passagem por empreendimentos turísticos em Passa e Fica e Serra de São Bento, além da Casa do Artesão. Ao final, dois grupos folclóricos de Passa e Fica fizeram uma apresentação para a comitiva, que também contou com a participação do representante da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), Kazuaki Komazawa.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo disse:

    Vem pra Serra. Tudo na Serra é bom.