Turnê de tributo ao Queen chega ao Teatro Riachuelo no próximo sábado

image014Crédito: Javier Férnandes

A Opus Promoções e a PontoUno Produções, trazem mais uma grande atração para o Teatro Riachuelo: o tributo God Save The Queen, com seu novo espetáculo The Show Must Go On.

Na apresentação são usados vestuários, instrumentos e cenografias semelhantes aos que animaram multidões com o Queen na década de 80. O show ainda reúne os melhores sucessos da banda como Bohemian Rhapsody, Radio Gaga, We Will Rock You e We Are The Champions, interpretados ao vivo por uma banda liderada pelo argentino Pablo Padín que impressiona pela semelhança física e vocal com Freddie Mercury.

O grupo, eleito em 2011 pela revista Rolling Stone como o melhor tributo de todos os tributos do mundo, apresenta ao vivo músicas de todas as épocas sem recursos de playback, respeitando minuciosamente os arranjos originais das canções. O espetáculo já passou pelo Rio de Janeiro, Novo Hamburgo e Porto Alegre e esta semana chega a São Paulo (dia 20, no Teatro Bradesco), Fortaleza (dia 22, no Teatro RioMar Fortaleza), Natal (dia 23, no Teatro Riachuelo) e Recife (dia 24, no Teatro RioMar Recife).

BIOGRAFIA GOD SAVE THE QUEEN

Nascido em 1998 na cidade de Rosário, na Argentina, God Save The Queen (originalmente Diós Salve a la Reina, em espanhol), converteu-se na melhor e mais elogiada banda tributo ao Queen do mundo após turnês consecutivas por todo o planeta. A banda consegue despertar no público a sensação de estar vendo e ouvindo o Queen ao vivo. Seus integrantes ocupam o mesmo espaço e a mesma formação em cena, exatamente como o grupo inglês apresentava-se nos palcos do mundo, na década de 80, com todos instrumentos originais, vestuários e cenografias que copiam todos os detalhes da famosa banda de Freddie Mercury.

Durante o ano de 2003, God Save The Queen ganhou o Cavern Rock Festival de Buenos Aires, sendo eleita a melhor banda latino-americana de rock. Como prêmio, o grupo viajou à Inglaterra para realizar duas apresentações no prestigiado pub onde nasceram The Beatles, o The Cavern Club de Liverpool. Tamanho foi o sucesso desses shows que o tributo voltou a Liverpool consecutivamente em 2005, 2007, 2008 e 2009. A banda também foi eleita como a mais importante do Mathew Street Festival, encerrando o maior festival tributo do mundo em um show para mais de 30 mil ingleses e visitantes.

A semelhança física de seus integrantes com os originais do Queen, especialmente na figura de Pablo Padín, vocalista e pianista do God Save the Queen interpretando Freddie Mercury, distinguem a banda de qualquer outro tributo. Pablo foi elogiado por Ray Johnson, organizador do festival como “a cópia idêntica de Freddie Mercury. É um showman por natureza”.

Durante 2004, God Save the Queen conquistou também a convenção de Queen mais importante da América Latina, o Queens Day Brasil, em São Paulo. Durante o ano de 2005, além de participarem pela segunda vez do Mathew Street Festival de Liverpool, tiveram a oportunidade de conhecer o produtor das turnês do Queen que se impactou com a performance fazendo o seguinte comentário: “Incrível, são tão bons quanto os originais!”. No mês de Julho deste mesmo ano, apresentaram-se em Buenos Aires no teatro Gran Rex, a sala mais importante da Argentina com 3,9 mil poltronas, em duas sessões completamente lotadas, tendo a venda de ingressos se esgotado uma semana antes dos espetáculos.

A banda ainda foi convidada a comparecer ao Freddie Mercury Memorial Day de Montreux, na Suíça. Os organizadores Norbert Muller e Rita Balestri ficaram tão impressionados que os convidaram no ano seguinte para participar do mesmo evento. A banda também realizou apresentações na América Latina, Escócia e Espanha com sucesso absoluto.

No início de 2006 foram eleitos pelo Fã Clube Internacional do Queen como a banda tributo mais importante do mundo. Quando foram convidados a participar da famosa Convenção Anual celebrada em Gales, também fizeram uma extensa turnê sul-americana que incluiu Uruguai, Brasil, Chile, Peru, Equador, Venezuela e Colômbia. E, apresentando-se pela primeira vez no Luna Park, mostraram uma réplica do show que o Queen fez em Buenos Aires, 25 anos antes, diante de uma plateia de mais de 10 mil pessoas. Foram também convidados pela cadeia de rádios espanhola SER, onde apresentaram-se nas festas de Pilar, Zaragoza, para mais de 250 mil pessoas.

Em 2007 estrearam um novo show, continuando suas turnês, e também realizaram sua primeira turnê massiva na Espanha, com mais de 20 apresentações em todo o país europeu, em cidades como Barcelona, Santiago de Compostela, Valladolid, Bilbao e Madrid para mais de 300 mil pessoas. Apresentaram-se também em inúmeros programas de televisão, filmes e documentários na Argentina, Inglaterra, Portugal e Espanha.

God Save The Queen também participou em julho de 2007 do Montreux Jazz Festival, que, pela primeira vez em sua longa história, recebeu um grupo tributo, por considerar God Save the Queen um caso único, fora de qualquer parâmetro. O British Council considerou-o como “o melhor tributo jamais realizado”, motivo pelo qual convidou-os a participarem das celebrações de 2008, ocasião em que Liverpool foi decretada como Capital da Cultura Europeia.

ibfresso