Taxa de desemprego fica em 12,3% e atinge 13 milhões de pessoas, diz IBGE

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 12,3% no trimestre encerrado em maio, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta sexta-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado veio igual à mediana calculada pelo Projeções Broadcast a partir do intervalo de estimativas do mercado financeiro que iam de uma taxa de desemprego de 12,1% a 12,5%.

Em igual período de 2018, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 12,7%. No trimestre até abril, a taxa foi de 12,5%.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.289 no trimestre encerrado em maio, segundo o IBGE. O resultado representa queda de 0,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 207,499 bilhões no trimestre até maio, alta de 2,4% ante igual período do ano anterior.

Estadão Conteúdo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    O desemprego foi herdado dos (des) governos do PT. Está diminuindo, embora em ritmo aquém do necessário. Vejam que todo mês é anunciada a criação de vagas de trabalho.

    • Ceará-Mundão disse:

      Em maio, segundo o CAGED, foram criados 32 mil empregos. E isso vem se repetindo mês a mês. Pouco, é verdade. Convençam os parlamentares e o STF a não boicotarem os projetos do governo Bolsonaro.

    • Ceará-Mundão disse:

      A propósito, no sentido OPOSTO ao Brasil, o RN não obteve saldo positivo na criação de empregos em NENHUM mês deste ano. O Brasil obteve em todos. CaPTou?

    • Helio disse:

      Lula tá preso, temer vem fazendo a linha liberal desde que assumiu, pare de olhar para o retrovisor, nem Olavo ou Carluxo olham tanto quanto você.

  2. PAULO disse:

    Mas o nosso querido Rogério Marinho num disse que seriam gerados milhões de empregos com a reforma trabalhista??!! Estamos esperando, pq até agora …

COMENTE AQUI