Toffoli diz que reajuste no STF é ‘justo e correto’

Foto: (Carlos Moura/SCO/STF/Divulgação)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, afirmou nesta quinta-feira (8), em uma reunião com presidentes de tribunais de Justiça (TJs), que o reajuste aos magistrados da Suprema Corte, aprovado no dia anterior pelo Senado, é “justo e correto”.

Nessa quarta (7), os senadores aprovaram um aumento nos vencimentos dos ministros do Supremo, que, se sancionado pelo presidente da República, elevará os subsídios mensais de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil, aumento de 16%.

Como os salários dos magistrados do STF são o teto do funcionalismo, o reajuste irá provocar um efeito cascata nos contracheques da magistratura. A estimativa é de que o aumento salarial gere, pelo menos, R$ 4 bilhões de despesas extras nas contas públicas.

Como esse limite será alargado, aumenta também o número de servidores que poderão receber um valor maior de gratificações e verbas extras que hoje ultrapassam o teto.

No encontro desta manhã com os presidentes de tribunais de Justiça (TJs) na sede da Suprema Corte, Toffoli disse ainda que o aumento recompõe perdas com a inflação de 2009 a 2014.

“Agradeço às senhoras e senhores, que sei que atuaram e envidaram esforços junto ao Congresso Nacional, no sentido de deixar claro o quão justo e correto era essa revisão, uma vez que, na verdade, se trata de uma recomposição de perdas inflacionárias de um período bastante antigo, de 2009 ao 2014”, disse Toffoli aos magistrados ao abrir o encontro desta quinta-feira.

Nesta quarta, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que esse não era o “momento” de se ampliar despesas da União. Bolsonaro disse que via o aumento de gastos “com preocupação”.

O presidente eleito chegou a se reunir com Toffoli nesta quarta na sede do Supremo, horas antes de o Senado aprovar o aumento salarial para os ministros do tribunal. Em pronunciamento à imprensa ao lado de Bolsonaro, o presidente do STF destacou que o país tem como um de seus atuais desafios o equilíbrio fiscal.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. justiceiro disse:

    Eu vejo num futuro próximo o povo reunido para manifestar publicamente repúdio e revolta contra esses hipócritas e raças de víboras que representa o Governo dessa nação. Que o Senhor Jesus tenha misericórdia de nós brasileiros. amém.

  2. Breno disse:

    Algum Minion sabe me dizer como votaram os políticos "comunistas" e os capitalista, inclusive aqueles q dao suporte pro Bozo?
    Coloquem o placar aqui.

    • Rosa disse:

      Conheço no congresso só corruptos flagrados e os não flagrados. Bolsonaro foi eleito só, sem apoio, com isso, vai ter que tentar governar com alguns, agora, com certeza, as práticas petralhas não irá existir, mesmo porque que o moro, o desbaratador da roubalheira generalizada petralhas, está montando um bunker contra a corrupção. Pela experiência terá sucesso.

    • Jorge disse:

      A lesma lerda, ou seja, são todos iguais. Quem votou contra aqui, vota a favor ali, e assim segue o enterro do país. Só tem bandido, vc quer esperar o que?

  3. Nilvan Rodrigues da Silva disse:

    Pelo fato de está de toga, não quer dizer que não seja pilantra. Esta atitude nos mostra ainda mais que vivemos tempos sombrios da ditadura de toga.

    Na verdade combater a corrupção é uma cortina de fumaça que encobre a festa da ELITE se apoderando do patrimônio público e das riquezas do país.

  4. Roberto disse:

    Quer dizer que concederam um habeas corpus pra crise, e acabou a crise, todo mundo no Brasil vai ter aumento e não precisa controlar os gastos. Obá, sabia que o dinheiro tava guardado no STF

  5. George disse:

    Cínico! Mimado!

    Pode ser justo como for, mas a questão é que não se tem o dinheiro pra pagar! O povo tá sofrido!

    O governo a todo momento vendendo a ideia de que a previdência é deficitária e o Brasil não suporta isso! E vem esses caras e colocam um custo a mais de bilhões nas costas do povo e com a CARA DE PAU de dizer que é 'Justo e correto'.

COMENTE AQUI