Três servidores aposentados no DF receberam em março mais de R$ 1,6 milhão como pecúnia

O governador do DF, Ibaneis Rocha, que doa todos os meses o próprio salário, talvez não saiba, mas três aposentados embolsaram em março R$531 mil (um defensor público), R$543 mil (tenente coronel da Polícia Militar) e R$545 mil (coronel da PM). A bolada saiu a título da infame pecúnia, na “venda” de licenças-prêmio de servidor público que se aposenta. Só DF e Acre obrigam o pagador de impostos a sustentar a pecúnia. Outros 117 servidores embolsaram mais de R$100 mil/mês.

No DF e Acre servidor ganha férias de 3 meses a cada 5 anos, e opta por receber isso em dinheiro, ao se aposentar. Já no setor privado…

O governador ganha R$24 mil, que é o teto do funcionalismo público no DF, mas mais de 1.000 servidores furam o teto e ganham mais.

Para cada 1 real que entra nos cofres do DF, 82 centavos vão para o bolso dos servidores. Em março, a folha totalizou R$1,7 bilhão.

CLÁUDIO HUMBERTO

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    Trocando em miúdos:
    FGTS é igual a PECÚNIA.
    Os servidores públicos não têm FGTS. Portanto, nada mais justo quando se aposentarem receber esse dinheiro.

  2. Daniel disse:

    Esse absurdo de licença prêmio nao é privilégio do DF, pois a farra aqui no RN é a mesma, alias juizes, promotores e procuradores da república gozam essa regalia e procedem da mesma forma, convertem em dinheiro sem pagar nada de imposto renda.
    Isso tem que acabar urgentemente!

COMENTE AQUI