Política

230 deputados faltam a pelo menos 1/4 das votações nominais da Câmara no semestre

Ausências em votações nominais: média de deputados ausentes por dia nas 144 votações nominais da 56ª legislatura — Foto: Diana Yukari / G1

Em seis meses de atividades, 230 dos 527 deputados federais que assumiram o mandato em algum momento desta legislatura estiveram ausentes em pelo menos 1/4 das votações nominais da Câmara dos Deputados. É o que aponta um levantamento do G1 com dados de 1º de fevereiro a 12 de julho de 2019.

Isso significa que 44% dos deputados – quase a metade – faltaram, quando exerciam o mandato, a uma de cada quatro votações nominais no plenário da Câmara. As votações nominais são aquelas em que é identificado o posicionamento de cada parlamentar.

Foram 144 votações nominais no primeiro semestre de trabalhos na Casa, em que deputados se manifestaram quanto a projetos de lei, PECs, requerimentos, destaques, entre outros. O levantamento mostra que 85% das votações ocorreram na terça ou na quarta-feira, dias da semana considerados mais agitados na Câmara.

O dia com a maior média de ausentes foi 17 de junho deste ano. Naquele dia, foram votados dois requerimentos (um de retirada de pauta e outro de adiamento da votação por duas sessões). As duas votações nominais somaram 400 deputados ausentes. A média do dia foi de 200 faltantes.

Já as votações com a menores médias de ausentes foram registradas na semana que discutiu a reforma da Previdência no plenário da Câmara, em 10, 11 e 12 de julho deste ano. A votação do texto-base da reforma da Previdência, por exemplo, teve apenas 3 ausentes, em 10 de julho. Naquele dia, também houve outras 7 votações nominais.

‘Lógica corporativista’

O cientista político e pesquisador da FGV-SP Humberto Dantas diz que, mesmo considerando os casos de problemas de saúde e as missões oficiais dos deputados, os números de ausências são altos e indicam que alguns deputados adotam a estratégia de faltar as votações para “não se comprometer” ou para “não ficar de mal com nenhum lado”.

“Se o Parlamento é a casa da convicção e o parlamentar não sabe se ‘sim’ ou ‘não’, é estranho. O parlamentar tem que ser convicto. Faltar é uma estratégia calculada por muitos, mas não muito razoável do ponto de vista do que o eleitorado espera do seu representante. Por vezes é uma forma de fugir de alguma temática muito delicada para esse parlamentar”, diz.

Dantas afirma ainda que, como as justificativas de ausências são avaliadas pela Câmara, existe uma “lógica corporativista” para aceitar e abonar eventuais faltas dos deputados. “Se as sessões são terças, quartas e quintas, [o deputado] arruma alguma coisa para fazer nas segundas e nas sextas. Mas ele não pode sair fora na terças, quartas e quintas.”

O cientista político acrescenta ainda que os deputados podem se afastar temporariamente do cargo. Quando isso ocorre, é o suplente do partido ou da coligação que assume. Porém, caso o parlamentar apenas se ausente por determinado período, ele continua recebendo salário e ainda mantém a estrutura do gabinete e de funcionários.

Mais ausentes

Os cinco deputados que mais faltaram às votações nominais nesta legislatura foram Josias Gomes (PT-BA), Soraya Santos (PL-RJ), Luciano Bivar (PSL-PE), Bruna Furlan (PSDB-SP) e Vinicius Gurgel (PL-AP).

As votações nominais ocorrem, principalmente, quando é necessário quórum qualificado, como nas votações de PECs e de projetos de lei complementar, e também quando há um pedido de verificação de votação. Nesses casos, cada deputado registra o próprio posicionamento no sistema eletrônico de votos.

Nas demais situações, a votação costuma ser simbólica, sem identificar o posicionamento de cada deputado, e o líder partidário pode se manifestar pela bancada do partido. Normalmente, os processos legislativos são acordados pelos políticos nos bastidores.

Deputados mais ausentes em votações: mais faltosos estiveram ausentes em mais de 75% das votações nominais — Foto: Diana Yukari / G1

O deputado licenciado Josias Gomes (PT-BA) esteve ausente em todas as 21 votações nominais que ocorreram até ele se licenciar do mandato, em 13 de março deste ano. Gomes, que atualmente comanda a Secretaria de Desenvolvimento Rural do governo da Bahia, foi procurado pelo G1 e não se manifestou.

Já a deputada Soraya Santos (PL-RJ), integrante da Mesa Diretora como primeira-secretária, faltou a 116 das 144 votações nominais – 80,6% do total. Em nota, a assessoria de imprensa da deputada diz que Soraya Santos ocupa “o segundo cargo mais importante da Mesa Diretora” e que “tendo em vista o volume de demandas, a primeira-secretária fica dispensada” de registrar presença nas sessões da Câmara e também de participar das votações nominais.

O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), é o terceiro deputado com mais ausências em votações nominais. Bivar deixou de se posicionar em 115 das 144 votações nominais – 79,9% do total.

Em nota, a assessoria de imprensa de Bivar afirma que as “eventuais ausências nas votações ocorrem devido ao acúmulo de atribuições como integrante da Mesa Diretora” e que “muitas vezes ele tem de se ausentar do plenário para receber embaixadores, autoridades e parlamentares no gabinete da 2ª Vice-Presidência”. A nota acrescenta ainda que Bivar esteve presente em 66% das sessões plenárias da Câmara.

Eleita por São Paulo, a deputada Bruna Furlan (PSDB) também está entre os deputados que acumulam mais ausências em votações nominais. A deputada faltou a 112 das 144 votações nominais – 77,8% do total.

A assessoria de imprensa da deputada afirma que “todas as ausências foram justificadas com requerimentos por atividade parlamentar e por motivo de saúde (rompimento dos ligamentos do pé)”. A deputada também diz que parte das votações nominais em que esteve ausente abordava “procedimentos regimentais”.

“Estar ‘ausente’ durante algumas votações não significa que esteja fora do Congresso Nacional, e sim participando de reunião de frente parlamentar, audiências públicas, audiências em ministérios, concedendo entrevista, o que também faz parte do meu trabalho”, diz a nota.

O 5º deputado com mais ausências foi Vinicius Gurgel (PL-AP), que faltou a 109 das 144 votações nominais – 75,7% do total. O deputado diz que a atuação parlamentar dele está voltada para a liberação de recursos para o Amapá.

“Eu me dedico à liberação de recursos para obras de grande impacto para o estado, como aeroportos, duplicação de rodovias e outras obras estruturantes. Algumas vezes eu não consigo chegar a tempo da votação no plenário. A votação é em 5 minutos e se encerra muito rápido.”

Sessões no plenário

Um levantamento enviado pela Câmara por meio da Lei de Acesso à Informação mostra ainda dados da frequência de deputados em sessões plenárias durante esta legislatura.

Das 196 sessões plenárias realizadas nos seis meses de atividades, 86 foram nominais e, portanto, registraram a presença ou a ausência de cada deputado. As sessões plenárias nominais foram extraordinárias (57) e ordinárias (29).

Os deputados registraram, no total, 4.461 ausências nessas sessões, sendo que 66,9% das ausências foram justificadas. Os deputados que mais estiveram ausentes foram Paulo Freire Costa (PL-SP), com 48 ausências; Vinicius Gurgel (PL-AP), com 45 ausências; Assis Carvalho (PT-PI), Giacobo (PL-PR) e José Priante (MDB-PA), com 36 ausências.

Eles, porém, justificaram boa parte das faltas. Os principais motivos para as justificativas são “decisão da Mesa Diretora”, “licença para tratamento de saúde” e “missão oficial autorizada”.

Entre os deputados que mais faltaram a sessões e não justificaram a ausência estão José Priante (MDB-AP), Guilherme Mussi (PP-SP), Luciano Ducci (PSB-PR), Marcelo Aro (PP-MG), Elcione Barbalho (MDB-PA) e Sebastião Oliveira (PL-PE).

Desconto de salário

A Câmara dos Deputados informa que a ausência em sessões deliberativas – aquelas em que há votações – pode ter como consequência desconto no salário do deputado. A remuneração mensal bruta de um deputado é de R$ 33.763,00.

Porém, a redução do salário pode ser evitada caso o deputado justifique a ausência em até 30 dias ou a qualquer momento em caso de licença médica. Questionada, a Câmara não informa se algum deputado sofreu desconto de salário por ausência nesta legislatura.

O artigo 55 da Constituição Federal diz ainda que o deputado pode perder o mandato caso se ausente de, no mínimo, 1/3 das sessões ordinárias em cada sessão legislativa (um ano de atividades). Para o cálculo, porém, são desconsideradas licenças ou missões oficiais autorizadas pela Mesa Diretora.

Apenas dois deputados federais foram cassados por faltas na Câmara: Felipe Cheidde (SP) e Mário Bouchardet (MG), ambos filiados ao então PMDB. Na época, em 1989, foi noticiado que Cheidde compareceu a apenas três sessões, enquanto Bouchardet nunca registrou presença no plenário.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Se fizer uma pesquisa mais apurada, listando os itens maiores ausências nas votações e defesa e votação nos direitos da sociedade e da classe trabalhadora, esse número de parlamentares tende a aumentar muito mais.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

VÍDEO: Vigilantes terceirizados que trabalham no Cajueiro de Pirangi protestam por atraso de salário

Os vigilantes que trabalham no entorno do Cajueiro de Pirangi, no município de Parnamirim, estão em protesto na manhã desta sexta-feira (21) reivindicando o pagamento dos salários atrasados.

De acordo com os vídeos que chegaram ao BLOGDOBG, os funcionários bloquearam o trânsito e neste momento não passa ninguém.

No vídeo, é possível ouvir um dos manifestantes dizendo: “conversar não resolve mais, se é para chamar atenção, vamos chamar atenção. Basta de tanta injustiça. Não é justo que ninguém trabalhe sem ter seu salário em dia”.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Celebridades

VÍDEO: Jorge e Mateus se rendem ao São João de Mossoró e fazem muitos elogios

Vídeo: Divulgação

O “Mossoró Cidade Junina” 2024 viveu mais uma noite histórica com shows inesquecíveis em seu palco principal, no Polo Estação das Artes Poeta Elizeu Ventania. Apresentaram-se na noite desta quinta (20) e madrugada desta sexta-feira (21) atrações como Maycon Miller, Rey Vaqueiro, Jorge e Mateus e Ávine Vinny. Para a dupla Jorge e Mateus, que não participava do São João mais cultural do mundo desde 2015, o reencontro com o público formado por mossoroenses e turistas foi especial.

“Foi maravilhoso. Parabéns pela festa. Muito organizada. A gente foi recebido com muito carinho, o pessoal cantou tudo conosco, então realmente essa noite, para nós, foi mais que especial. A gente está começando no São João hoje e não podia começar de uma forma melhor, em uma cidade que a gente já esteve algumas vezes, mas há muito tempo não vínhamos. Então queremos agradecer a todo o público de Mossoró por esse carinho, pelo show que deram hoje”, afirmou Jorge.

“Uma cidade muito querida por nós. Como Jorge disse, foi uma noite especial. A gente viu muita criança, muita gente que com certeza não veio ao show na última vez que a gente esteve aqui, e essa renovação é muito bacana. Tomara que a gente esteja aqui (novamente) o mais breve possível”, complementou Mateus.

Também subiram ao palco da Estação das Artes Elizeu Ventania na noite de ontem Rey Vaqueiro, Ávine Vinny e Maycon Miller.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

“O que a Escola precisa Aprender antes de Ensinar” é o tema gerador da ExpoEduc 2024: maior evento educacional do Norte-nordeste, em Natal/RN

Foto: Divulgação

O congresso, já consolidado no calendário educacional nacional, acontecerá nos dias 25, 26 e 27 de julho, no Centro de Convenções de Natal/RN, na Via Costeira. Orgulhosamente, a edição de 2024 conta com mais de 120 palestrantes, dentre eles, grandes nomes da educação como Leo Fraiman, Rossandro Klinjey, Leandro Karnal, José Pacheco, Maria Helena Guimarães, dentre outros.

Durante os três dias de imersão, educadores, gestores escolares e demais profissionais ligados à área da educação vivenciarão uma experiência única para debater questões fundamentais que têm sido pauta em todo ecossistema educacional.

Com uma temática problematizadora, a ExpoEduc 2024 visa explorar as raízes de diversos questionamentos que permeiam o ambiente educacional atual, desde o papel da escola na formação integral dos estudantes, os desafios da inclusão até a importância do desenvolvimento de habilidades socioemocionais. A ideia é lançar luz sobre os desafios e as oportunidades enfrentadas pelas instituições de ensino.

O idealizador e CEO do evento, Crislan Viana, enfatiza que é fundamental refletirmos sobre os diversos desafios que a escola enfrenta em seu cotidiano e como isso impacta todo o processo educacional. “Antes de ensinarmos, precisamos entender que a sociedade vive em uma constante de mudança. Conceitos, processos, práticas e novas ferramentas devem ser implementadas para potencializar toda a organização educacional”, ressalta e destaca que a ExpoEduc é um espaço ideal para “aprender” e se conectar com pessoas e todo esse universo de oportunidades.

Com uma programação diversificada que inclui palestras, mesas temáticas e debates, a ExpoEduc 2024 buscará proporcionar um espaço para a troca de ideias, experiências e melhores práticas entre educadores, gestores, especialistas e demais interessados na educação. Sobre a estrutura grandiosa do evento, o Palco Max será dividido em 3 espaços, com palestras simultâneas, durante os três dias de evento e abordará, em diversas temáticas, três temas principais, altamente relevantes e atuais: Inclusão, Ensino-Aprendizagem e Saúde Mental na Escola.

Além deste palco, a ExpoEduc oferecerá dois espaços exclusivos voltados para a gestão: A Arena Sebrae para Gestores, com foco em assuntos relacionados à gestão privada e o Arena Coopedu Gestão Pública, direcionado para abordagens sobre a gestão pública.

Os espaços para intercâmbio de saberes ainda contam com a Arena Isaac, já conhecida por todos e aberta aos visitantes e congressistas, com palestras sobre os mais diversos assuntos educacionais. O público presente terá a oportunidade de conhecer os maiores players do mercado educacional, divididos em uma área com mais de 100 estandes, expondo os seus produtos e serviços (também aberta aos visitantes).

Para atender empresas que estão começando ou têm ideias embrionárias, a grande novidade deste ano é a Área SEBRAE de Startup. Uma oportunidade para pequenas e médias empresas apresentarem as suas ideias, produtos e serviços. A ExpoEduc 2024, reconhecida como o segundo maior evento de educação do país, promete, mais uma vez, ser um marco ao reafirmar o compromisso com a educação e contribuir, efetivamente, no ecossistema educacional.

Mais informações e inscrições: www.expoeduc.com.br

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ação cobra aumento de UTIs pediátricas no RN há 12 anos

Foto: Kleber Teixeira

Uma ação judicial aberta pelo Conselho Regional de Medicina (Cremern) há 12 anos cobra a abertura de mais leitos de UTI neonatal e pediátricos na rede pública do Rio Grande do Norte, de acordo com o crescimento da população. Segundo a entidade, a oferta do serviço no estado segue abaixo da demanda.

O estado conta atualmente com 43 leitos de terapia intensiva para crianças e 126 para recém-nascidos.

Outra ação mais recente, aberta pelo Ministério Público, quer que o Hospital Maria Alice Fernandes, em Natal, abra 10 novas UTIs em até 60 dias. Apesar disso, a unidade da rede estadual de saúde enfrenta risco de fechamento de leitos em julho por falta de profissionais para a escala.

A Secretaria de Saúde Pública do RN diz que não tem previsão de abertura de novos leitos infantis, atualmente.

No processo aberto na Justiça Federal, o Cremern pede a estruturação da assistência para bebês e crianças, em leitos críticos de terapia intensiva. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, no caso de UTIs neonatais, são necessários 4 leitos para cada mil crianças nascidas vivas. Em 2022, o estado teve pouco mais de 40 mil nascidos vivos, segundo o Datasus, do Ministério da Saúde.

“Essa ação civil pública que o Cremern tem contra o estado, com relação a leito de UTI, já tem 12 anos. As UTIs neonatal e pediátricas continuam deficitárias em relação às necessidades”, diz o presidente do conselho, o médico Marcos Jácome.

O presidente comentou sobre a dificuldade de os profissionais terem que recorrer a improvisos, como na semana passada, em que uma médica criou um respirador com embalagem de bolo em um bebê em Santa Cruz, enquanto o paciente esperava um leito de UTI.

“A obrigação de dar suporte de saúde à população é federal, estadual e municipal e é uma obrigação, não uma opção. É muito importante que sejam alocados recursos, que seja solucionado isso, que é muito grave”, disse.

Na ação do Ministério Público, a promotora de Justiça Iara Pinheiro destaca a situação do Hospital Maria Alice Fernandes. De acordo com a ação, o hospital tem espaço físico adequado e também equipamentos para abrir mais 10 leitos críticos.

Em um trecho do documento, a promotora destaca que o hospital realiza em média 25 internamentos por mês, chegando a um fluxo de mais de 40 internações em meses de pico. O setor de terapia intensiva da unidade assegurou assistência a 307 crianças em 2023.

O MP também pede que o governo do estado e a Secretaria de Saúde adotem medidas para até o final do mês de junho manter assegurado o funcionamento da escala.

“Hoje na nossa rede não há nenhum espaço aberto próprio que possa expandir leitos de UTI pediátrico. Não há nenhuma UTI construída esperando funcionar. Então é um cenário que a gente precisa mensurar as ações que podem ser realizadas, porque também há uma saturação da rede particular”, afirma Leidiane Queiroz, secretária adjunta de Saúde.

G1RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Celebridades

Latino cancela show no São João de Caruaru e cita “questões políticas”

Foto: Reprodução

Na última quarta-feira (19/6), Latino foi anunciado como atração surpresa no São João de Caruaru, com show no domingo (23/6). Menos de 24 horas depois, o artista cancelou a apresentação no evento alegando “questões políticas”.

Latino se apresentaria no Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, palco principal, mas a apresentação foi movida para o Polo Azulão. A mudança fez o cantor desistir de realizar o show e, nas redes sociais, ele disse que foi desrespeitado pela organização do São João de Caruaru.

“Eu não tenho nada contra o palco secundário, faria de boa, mas por questão de respeito, não vou conseguir estar lá. Eu acho que a gente tá vivendo uma polarização desenfreada, e as pessoas estão confundindo e colocando a nossa arte no meio dessa confusão toda. No dia que vocês acharem que eu estou preparado para estar no palco principal, eu estou à disposição”, afirmou.

A prefeitura de Caruaru lamentou a desistência do cantor. “A Prefeitura de Caruaru, por meio da Fundação de Cultura, lamenta a desistência do cantor Latino de se apresentar no São João de Caruaru. O cantor faria um show no Polo Azulão no domingo (23/6)”.

“Lembramos que o Maior e Melhor São João do Mundo segue normalmente, com uma programação multicultural em diversos polos, trazendo mais renda e gerando mais empregos para o nosso município, além de ressaltar a valorização da nossa cultura”, diz a nota.

Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. Tome! Acho é pouco.
    Em Pernambuco, no Nordeste cheio de bons artistas e a prefeitura contrata um que não tem tradição com a cultura local.

  2. Latino com sua falta de humildade prestou um grande serviço ao São João de Caruaru. Vamos respeitar nossa cultura, nossa tradição, São João com música junina.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Religião

Estudante pede ao Papa Francisco que pare de usar linguagem homofóbica

Foto: Reuters

Um estudante implorou ao Papa Francisco na quinta-feira (20) que parasse de usar linguagem ofensiva contra a comunidade LGBT+, criticando o pontífice de 87 anos pelos insultos homofóbicos que ele teria usado em reuniões privadas.

Francisco foi citado duas vezes pela mídia italiana no último mês como usando o termo italiano “frociaggine”, traduzido aproximadamente como “bicha” ou “bicha”, referindo-se aos padres e à atmosfera geral no Vaticano.

O Vaticano emitiu um raro pedido de desculpas após o primeiro relatório, mas o incidente provocou indignação e observadores do Vaticano disseram que isso prejudicou a imagem de Francisco como um papa reformador e amigo dos LGBT.

Jack Lorenz Acebedo Rivera dirigiu-se ao pontífice durante um painel de discussão sobre “Construindo Pontes na Ásia-Pacífico” entre estudantes universitários e o papa, que foi transmitido no YouTube.

“Parem de usar linguagem ofensiva contra a comunidade LGBTQIA+, isso leva a uma dor imensa”, disse Acebedo Rivera, que disse ser estudante de psicologia na Universidade Ateneo de Manila, nas Filipinas.

“Eu mesmo sou excluído e intimidado devido à minha bissexualidade, minha homossexualidade, minha identidade e por ser filho de uma mãe solteira”, disse ele.

Acebedo Rivera, que usava a faixa arco-íris que simboliza o movimento pelos direitos LGBT, também instou o pontífice a trabalhar para ajudar a facilitar o divórcio nas Filipinas.

Na sua resposta, o papa falou veementemente contra a discriminação, especialmente contra as mulheres, mas não abordou o apelo de Acebedo Rivera relativamente à sua alegada linguagem homofóbica.

Um porta-voz do Vaticano não respondeu a um pedido de comentário sobre o episódio.

CNN

Opinião dos leitores

  1. “Eu mesmo sou excluído e intimidado devido à minha bissexualidade, minha homossexualidade, minha identidade e por ser filho de uma mãe solteira”

    Pai ausente dá nisso.

    1. Via de regra os bolsonarista tem sexualidade frágil, no seu caso, além de sexualidade frágil, você é um tributo ambulante a idiotice e a imbecilidade.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Em noite histórica, Dep. Tomba e Drª Fernanda mostram sua força política

Foto: Divulgação

Em Santa Cruz pode-se dizer que a noite de 20 de Junho entrou para a história como a data de uma das maiores movimentações políticas dos últimos tempos. O evento marcou a volta de Doutora Fernanda ao
cenário político da cidade.

Abraçada pela multidão, ela contou da alegria que é estar de volta, em suas palavras “com todo gás”, enquanto comemorava o carinho que tem recebido dos Santa-cruzenses.Além do deputado estadual Tomba Farias, maior líder político de Santa Cruz, a noite contou com as presenças dos senadores Rogério Marinho e Styvenson Valentim, do deputado federal Robinson Faria, do prefeito Ivanildinho e dos vereadores da base.

As imagens e os vídeos deixam claro: Tomba continua sendo a maior liderança política do Trairi, e a pré candidatura de Doutora Fernanda, como favorita nas últimas pesquisas, só comprova ainda mais isso.

Opinião dos leitores

  1. A grande maioria são de cargos comissionados que tem por obrigação em levar seu marido ou esposa, a cobrança é feita, não pode faltar !

  2. Queria tanto passear no teleférico da santa, mas o q aconteceu com o projeto, com o dinheiro da obra?

  3. Ate admirava a Dra Fernanda, gente fina, agora se juntando a esse excremento do saco preto, perde e muito, Dra saia de perto desse verme imundo, isso é um atraso de vida pra quem ta perto

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Prefeitura de Parnamirim entrega de 496 apartamentos do empreendimento Ilhas do Caribe

Fotos: Divulgação

A Prefeitura de Parnamirim, por meio da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária (Seahf), realizou na tarde desta quinta-feira (20) a entrega das chaves dos apartamentos do empreendimento Ilhas do Caribe, localizado no bairro Liberdade. Foram 496 famílias beneficiadas com os apartamentos.

O prefeito Rosano Taveira destacou o compromisso da prefeitura em proporcionar habitação digna e qualidade de vida para os cidadãos de Parnamirim. “Com a entrega desses novos apartamentos, o município já soma um total de 1.300 beneficiados com o sonho da casa própria”, lembrou.

Além do prefeito, a cerimônia de entrega das chaves contou com a presença de autoridades municipais, representantes da Caixa Econômica Federal (CEF), parceira do projeto, e dos novos moradores, que comemoraram a conquista de suas novas residências.

É o caso de Maria Jouelda Barbosa de Oliveira, que ficou emocionado ao receber a chave da sua nova morada.

“Assim como eu, todos aqui estão realizando um sonho, esperado por muito tempo. Não consigo descrever o tamanho da minha emoção. Morei muitos anos de favor, por não poder pagar aluguel. Saber que agora vou ter meu próprio lar é uma sensação indescritível”, disse.

Secretário da Seharf, Rogério Santiago enfatizou o impacto positivo do empreendimento Ilhas do Caribe na vida das famílias beneficiadas. “A entrega destes apartamentos representa uma vitória coletiva, fruto de muito esforço e dedicação. Queremos que cada morador se sinta acolhido e valorizado em seu novo lar. Quero agradecer a todos os envolvidos nesse projeto, pelo trabalho e empenho. Estamos testemunhando sonhos se tornarem realidade”, comemorou.

O projeto Ilhas do Caribe faz parte do programa do Governo Federal, Minha Casa Minha Vida, em parceria com a Caixa Econômica Federal e reflete os esforços contínuos da administração municipal em desenvolver políticas habitacionais eficazes e inclusivas, beneficiando a população e fortalecendo a comunidade local.

Os apartamentos possuem 44 m² (metros quadrados), dois quartos, sala, cozinha, área de serviço e banheiro. O espaço do empreendimento é amplo, com infraestrutura completa e área de lazer. A realização do projeto representa um marco na vida de muitas famílias, que agora contam com um lar seguro e confortável, simbolizando a concretização de um sonho de longa data.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Lula quer ter alguém no Banco Central para controlar, diz ex-diretor do BC

Foto: Reprodução

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer ter o controle sobre o Banco Central (BC) a despeito da autonomia formal conquistada pela instituição.

A opinião é do ex-diretor do Banco Central e consultor da A.C. Pastore, Alexandre Schwartsman, entrevistado desse fim de semana do CNN Entrevistas.

“Lula quer ter alguém no BC para controlar de alguma forma. A gente vê uma tentativa permanente de influenciar os rumos de política monetária”, disse Schwartsman.

O ex-diretor do BC e ex-economista-chefe de grandes bancos, como ABN Amro e Santander, destaca o interesse do atual governo em influenciar os rumos dos juros, mas reconhece que essa é uma característica comum a muitos políticos.

“Ao longo dos anos, a gente vê uma tentativa permanente de influenciar rumos de política monetária”, disse, ao comentar que o mundo político não entendeu “como se lida” com o BC, especialmente em um período de autonomia.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Na verdade, ele quer que o PT controle o BC. Lula é só um fantoche do PT, quem manda mesmo no gov é o PT.

  2. A pergunta que não quer calar é: “A quem deve atender de forma primordial o Banco Central do País?” “Ao Interesse privado ou ao Interesse Público?”.
    Obs: Publique BG. Publicar somente comentários favoráveis e vetar, filtrando o que não concorda não é uma pratica jornalística muito ética.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Efeitos climáticos e dólar pressionam alimentos, que devem subir mais que o esperado

Foto: Rafaela Gama

Passada a trégua de 2023, quando os preços dos alimentos recuaram 0,52% (algo que não se via desde 2017), eles devem voltar a ser fator de pressão sobre a inflação. Uma combinação de eventos climáticos — com um El Niño mais forte, somado aos efeitos da tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul e a uma antecipação do La Niña — e a escalada do dólar levaram bancos, consultorias e corretoras a revisarem suas projeções para este ano.

Instituições que antes previam alta de 3,5% para estes itens esperam aumento de 4,5% a 7,5% no ano nos alimentos que fazem parte da cesta de compras das famílias.

Trata-se de aumento superior ao da inflação geral, que deve encerrar o ano em torno de 3,96%, segundo o Boletim Focus. Com isso, arroz, legumes, verduras e frutas não devem ceder significativamente no segundo semestre. E até carnes e leite, que ficaram mais baratos nos últimos 12 meses, podem voltar a subir.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Com as falas desastrosas do Nine, ontem o dólar bateu a 5,46 falta pouco pra bater 5, 49 quando explodiu a pandemia.
    Agora não tem tensão de guerras e nem pandemia, e tá nesse patamar aí ó.
    Se preparem, se não ouver um recuo, o preço dos produtos vão explodir também.
    Tudo é com base no dólar viu??
    Faz o L.
    Dá nisso botar um despreparado, mentiroso, ultrapassado pra conduzir um país.
    Lula ainda está no século passado.
    No tempo que ele enganava todo mundo, ainda não disseram a ele, que os tempos são outros.
    E viva a Internet!!!!

  2. FALTOU ACRESCENTAR O DESGOVERNO DE LULA, ALÉM DOS EFEITOS CLIMÁTICOS. GLOBO SEMPRE PASSANDO O PANO. SE CHEGA ATÉ EDITAR VÍDEO DE MONSTRO KKK

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *