Acusado de homofobia, show da Universal com Super-Homem gay é cancelado

Alex-Winter-e-Keanu-Reeves-como-BillTedCredito-ReproducaoAcusado de promover homofobia, um show especial de Halloween que acontece anualmente no parque da Universal, em Los Angeles, foi cancelado. A apresentação tem como destaque os personagens Bill e Ted, interpretados por Alex Winter e Keanu Reeves no filme “Bill e Ted: Uma aventura fantástica” (1989).

A Aliança de Gays e Lésbicas Contra a Difamação (GLAAD, na sigla em inglês) criticaram o programa por mostrar um Super-Homem que “vira gay” após ser atingido por um pó mágico. O editor da “Vice”, Jamie Lee Curtis Taete, explicou em uma análise por que considerou a história homofóbica:

“Depois de virar gay, a voz e o jeito do Super-Homem mudam. Seus lábios se contraem, os dedões dos pés ficam apontados para dentro, os pulsos ficam flácidos. A nova voz dele lembra um tio homofóbico imitando o Richard Simmons (ator americano que ensina a entrar em forma em programas sobre exercícios), e ele frequentemente usa a palavra ‘Faaaaaaabuloso!'”.

Curtis detalha que a trama do show aborda uma viagem de Bill e Ted, cheia de referências à cultura pop, até a Terra de Oz. Eles só podem voltar para casa se matarem quatro bruxas. O Super-Homem se junta à dupla nessa missão, até que uma bruxa acidentalmente derruba um pó mágico no herói.

A GLAAD, que classificou o show de “antigay”, elogiou a decisão da Universal: “A NBCUniversal tomou uma atitude forte e rápida em relação ao assunto, e também iniciou um diálogo produtivo sobre a programação de ‘Bill & Ted’ para assegurar que todos os visitantes do parque possam ter uma experiência boa”, declarou o representante do grupo, Wilson Cruz.

O Globo