Isaac Galvão aproveita show em Natal para denunciar seguranças da prefeitura por homofobia contra seu companheiro

O cantor Isaac Galvão utilizou parte de seu show no largo do Atheneu nesta terça-feira, em Natal, para protesta contra o que chamou de ato de homofobia.

Ao microfone, contou que seu companheiro iria fazer uma homenagem pelo seu aniversário, mas foi detido e espancado pelos seguranças da prefeitura.

Ao cantar a última música, Isaac saiu do palco bradando “abaixo a homofobia no Brasil”.

Foi aplaudido e vaiado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fábio disse:

    Isac Galvão é um dos poucos artistas do nosso RN, que é completo. Canta, atua, dança e interpreta. Além de tudo é super profissional, já se apresentou em diversos programas com alcance nacional. Todos os shows dele são excelentes, "sem exceção" tanto faz uma platéia grande como pequena. Força Isaque, você é maior do que esses comentários maldosos. #tmj

  2. Isaque Galvão disse:

    Não foi homofobia.. nem foi a equipe da prefeitura.. foi um segurança do muitos carnavais que se alterou e usou de violência excessiva… não secretira ninguém daquela forma de um.palco.. e se fosse um fã?

  3. Marcelo disse:

    Esse "rabisco de cantor" fez uma apresentação em Pirangi sábado que sinceramente ……. A Xaranga do Frevo ontem no Praia Shopping deu de 10×0 !!!!!!
    Eu até tinha uma admiração por ele, mesmo ser ver cantar. Mais depois de sábado e de ontem, zero pra Isaac Galvão

    • Isaque Galvão disse:

      o senhor não tem obrigação de gostar.. Garanto que muita gente também te detesta.. é natural…

  4. José disse:

    Também estava lá. Acho que faltou profissionalismo da parte do artista. Poderia ter feito seu protesto, como fez, e continuado o show para o qual foi pago e com o qual o público contava. O resto, que fosse resolvido na polícia ou Justiça.

    • Isaque Galvão disse:

      no momento do ocorrido a produção da prefeitura ja havia dado a ordem para encerrar meu show.. A cantora Nacional havia chegado.. e mais.. não fui pago pela prefeitura.. meu show foi contratado pelo muitos carnavais que é um bloco privado…

  5. Alex Xavier disse:

    Estava lá e qualquer explicação e comentário superficial não esclarece o ocorrido. Nem pode ser pré julgado. Pois no momento nem o público sabia o que estava ocorrendo. Como também não vimos o que aconteceu nos fundos. Conceito prévio é Pre-conceito. Preconceito. Uma coisa foi clara: as vaias não foram para Isac Galvão e sim para produção.

  6. Alexandre Magno disse:

    Eita se o Brasil tivesse menos mínimi sairiamos da crise mais rapido e mais felizes . Oh povo pra gostar de besteira pra não dizer outra coisa

    • Isaque Galvão disse:

      Mata Leão no pescoço dos outros é besteira.. se fosse com seu filho queria ver.. pra não dizer outra coisa…

  7. Henrique disse:

    Publiquem coisas interessantes e não mimimi, o rapaz quer só publicidade.

    • Isaque Galvão disse:

      como se eu precisasse disso pra aparecer.. meu gogó me faz aparecer..

  8. Washington luiz disse:

    Gosto muito do Issac pra mim ele é um dos cincos artista do estado que eu esculto no meu carro mais tem coisa que é muita purpurina pra nada mais mesmo assim força issac

    • Isaque Galvão disse:

      Obrigado Washington.. sou muito grato às centenas e centenas de pessoas que estão do meu lado…

  9. Gutierres disse:

    Teatro pra falar de homofobia, tudo planejado!

    • Isaque Galvão disse:

      Não me julgue sem.me conhecer senhor.. Nao preciso desse tipo de divulgação..
      Eu fui apenas constrangido publicamente.. e como ja falei.. Não.foi homofobia e sim despreparo de um segurança particular do muitos carnavais.

  10. Chico disse:

    Isso é literalmente frescuras.

  11. Lutemberg disse:

    Tem que se averiguar os dois lados da moeda. Duvido muito que os seguranças tenham espancado o sujeito pelo simples fato de querer homenagear o "namorado". Apurem melhor, que certamente encontrarão caroço no angu.

    • Isaque Galvão disse:

      um unico segurança bateu boca com meu amigo barrando sua subida no palco (ele estava com a pulseira de acesso) e perdeu a cabeça…sufocando ele com um mata Leão.. despreparo psicológico..

  12. ANTONIO FELIX NETO disse:

    NÃO ACREDITO.

  13. Flavio HBM disse:

    Eu assisti o episódio . Vi seguranças barrando uma pessoa que invadiu o palco. Se espancaram , erraram. Mas para variar, muito mimimi que o cantor fantasiou e deturpou o acontecido. Sempre os homoafetados querendo olofotes.

    • Isaque Galvão disse:

      Realmente me escedi ao pronunciar a palavra homofobia.. o correto é violência gratuita.. abuso de autoridade de um segurança particular do muitos carnavais.

  14. Sérgio Nogueira disse:

    Gays e seus vitimismos… juram por tudo que são seres especiais e contra quem nada pode ser feito. São senhores do certo e errado.
    No Maranhão dois gays se sentiram no direito de ir para a praça da alimentação de um shopping apenas de toalha, porque as borboletas do arco íris entenderam estarem fantasiadas de "banhistas".
    Gays não querem direitos, isso eles têm. Eles querem privilégios.
    Privilégio de fazer o que quiser sem ser incomodado. Mas é bom saberem que o o eles chamam de homofobia muitas vezes é civilidade o nome certo.

    • Fernando Queiroz disse:

      Falou tudo. Prefeito.

    • Isaque Galvão disse:

      Civilidade que não vimos por parte do segurança que agride um membro.da ewuipe do show por pura falta de humanidade e preparo psicológico..
      como já falei, não se tratou de homofobia.. foi um equívoco..

  15. Luiz Fernando disse:

    Deveria entender que é um artista e que estava alí contratado para animar o público, o que o fez bem feito, até querer transformar num evento particular.

    • Isaque Galvão disse:

      O meu show era para um evento particular. Muitos carnavais. meu cachê que inclusive só fa pra pagar a banda.. vai ser pago por uma empresa privada.. por isso tinha outra equipe de seguranças lá além dos da prefeitura..

  16. Jose Ribamar disse:

    E Isaac é Gay?? Nem parece….

  17. Damião Rocha disse:

    Utilizar de um palco pago com dinheiro público pra falar de companheiro?! As pessoas tem que saber separar, pois ali esse cidadão estava pra prestar serviços. Garanto que não foi cantar de cortesia. Sobre o assunto, o cantor deveria ter buscado a autoridade policial numa delegacia de polícia, não a exposição pública. Bem empregadas as vaias.

    • Isaque Galvão disse:

      Não era dinheiro público.. meu show foi contratado por um evento privado: Muitos carnavais. Não cantei de cortesia, mas também não vou ganhar quase nada.. só pago minha banda e sobra o do lanche.. E só pra constar.. quem foi vaiado foi o locutor que tentou justificar que a violência ocorrida era coisa normal..

  18. Elvys disse:

    Escoooo

  19. Folião disse:

    Foi muito mais vaiado, falta de profissionalismo e atesto de grande amadorismo desse potiguar q se dizia uma promessa. Ele encurtou o show dele em 40 min, deixando todos a ver navios… Descontrolou-se no palco!

    • Isaque Galvão disse:

      Você nao sabe o que está falando. 5 minutos antes do ocorrido a produção da prefeitura já havia me dado a ordem para parar pois a artista Nacional tinha chegado.. me mandou cantar só mais 2 músicas.. na metade de uma delas aconteceu a agressão. Eu nunca me achei uma promessa.. mas jamais deixei meu público a ver navios.. aqui em Natal quamdo o artista Nacional chega o local tem que sair imediatamente.. sabia não? pois fique sabendo.. de toda forma eu teria que encerrar naquele momento.. à contra gosto.

  20. Francisco Dantas Gomes disse:

    E muita frescura,pelo amor de Deus….depois que enveantaram esse nome Homofobia é só mi mi mi

    • Isaque Galvão disse:

      Realmente não se tratou de homofobia.. foi violência excessiva por parte de um segurança particular do muitos carnavais. só.

Acusado de homofobia, show da Universal com Super-Homem gay é cancelado

Alex-Winter-e-Keanu-Reeves-como-BillTedCredito-ReproducaoAcusado de promover homofobia, um show especial de Halloween que acontece anualmente no parque da Universal, em Los Angeles, foi cancelado. A apresentação tem como destaque os personagens Bill e Ted, interpretados por Alex Winter e Keanu Reeves no filme “Bill e Ted: Uma aventura fantástica” (1989).

A Aliança de Gays e Lésbicas Contra a Difamação (GLAAD, na sigla em inglês) criticaram o programa por mostrar um Super-Homem que “vira gay” após ser atingido por um pó mágico. O editor da “Vice”, Jamie Lee Curtis Taete, explicou em uma análise por que considerou a história homofóbica:

“Depois de virar gay, a voz e o jeito do Super-Homem mudam. Seus lábios se contraem, os dedões dos pés ficam apontados para dentro, os pulsos ficam flácidos. A nova voz dele lembra um tio homofóbico imitando o Richard Simmons (ator americano que ensina a entrar em forma em programas sobre exercícios), e ele frequentemente usa a palavra ‘Faaaaaaabuloso!'”.

Curtis detalha que a trama do show aborda uma viagem de Bill e Ted, cheia de referências à cultura pop, até a Terra de Oz. Eles só podem voltar para casa se matarem quatro bruxas. O Super-Homem se junta à dupla nessa missão, até que uma bruxa acidentalmente derruba um pó mágico no herói.

A GLAAD, que classificou o show de “antigay”, elogiou a decisão da Universal: “A NBCUniversal tomou uma atitude forte e rápida em relação ao assunto, e também iniciou um diálogo produtivo sobre a programação de ‘Bill & Ted’ para assegurar que todos os visitantes do parque possam ter uma experiência boa”, declarou o representante do grupo, Wilson Cruz.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fina Ironia disse:

    Já não se fazem super-heróis como antigamente…

Senado vai acelerar tramitação de projeto que criminaliza homofobia

O Senado vai acelerar a tramitação do projeto que criminaliza a homofobia. O presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta terça-feira que vai “priorizar” a sua análise, mesmo sem acordo entre religiosos e defensores da causa gay sobre o mérito da proposta.

“O processo legislativo caminha mais facilmente pelo acordo, pelo consenso, pelo entendimento. Quando isso não acontece, tem que submeter à votação, à apreciação. É o que vai acontecer em relação ao projeto da homofobia”, disse Renan.

O senador se reuniu hoje com a ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) e prometeu incluir na pauta do Senado propostas da agenda de direitos humanos, entre elas o projeto de lei 122/06, que criminaliza a homofobia.

O PLC 122 tramita desde 2001 no Congresso. Em abril deste ano, o governo apresentou nova proposta de redação do projeto, elaborada em conjunto com o Conselho LGBT, órgão que integra a estrutura da SDH (Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República), pasta comandada por Rosário.

A proposta apresentada pelo governo, com o apoio do conselho, estabelece uma lei própria contra crimes de ódio e intolerância praticados “por discriminação ou preconceito de identidade de gênero, orientação sexual, idade, deficiência ou motivo assemelhado”. O projeto está, atualmente, na Comissão de Direitos Humanos do Senado, sob relatoria do senador Paulo Paim (PT-RS).

Segundo o texto, constitui crime de intolerância “impedir ou restringir a expressão e a manifestação de afetividade, identidade de gênero ou orientação sexual em espaços públicos ou privados de uso coletivo, exceto em templos de qualquer culto, quando estas expressões e manifestações sejam permitidas às demais pessoas”. Ainda de acordo com o projeto, a pena varia de dois a sete anos de prisão.

“Assumi com a ministra Maria do Rosário o compromisso de priorizarmos apreciação de alguns projetos dessa agenda. Considero fundamental que ela vá adiante nesse propósito de aproximação do Senado com a sociedade brasileira”, disse o senador.

A proposta recebe críticas de religiosos, em especial da bancada evangélica do Senado, que vêm articulando sucessivas manobras para retardar sua tramitação.

À frente da secretaria, a ministra já se manifestou de forma favorável à criminalização da homofobia, mas a nova redação do projeto foi o gesto mais forte neste sentido.

Hoje à tarde, acontece a 6ª Marcha Nacional da Cidadania Pela Vida, capitaneada por grupos católicos, que pretende reunir 30 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios. Eles irão marchar contra o aborto e a união gay.

O pastor evangélico Silas Malafaia também convocou seus seguidores a protestar contra o casamento gay, o aborto e o projeto numa manifestação marcada para a próxima quarta-feira (5) na capital federal. Os religiosos temem que a proposta barre críticas a homossexuais nos templos e igrejas, embora esse item tenha sido flexibilizado na proposta para facilitar a tramitação do texto.

Da Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo Silva disse:

    Eudes você diz isso porque não tem um filho gay, eu tenho um e sei quanto ele sofre com o preconceito, já tive muito preconceito até o momento que me deparei com um caso desse na minha casa, hoje consigo enxergar com meu filho sofreu e sofre mais hoje ele tem todo meu apoio, esta lei tem que sair o mais rápido possível, estas pessoasque nascem gays são humilhadoseexcluidos é muito sofrimento para eles e para as famílias!!!!

  2. sandoval disse:

    PORQUE ENTÃO NÃO APROVAR PRA BOTAR NA CADEIA E JOGAR A CHAVE FORA ESSES BANDIDOS COM MENOS DE 18 ANOS?

  3. Eudes disse:

    Agora é que os boyolas vão deitar e rolarr (mesmo que isso eles gostam muito kkkk), se chamar alguém de viado vai para o xilindró, donde já se viu isto, como titia dizia: ISTO É O FIM DO MUNDO AMIGOS KKKKKKK

Após declarações homofóbicas, produção do filme de Joelma é cancelada

Joelma (Divulgação)

Joelma (Divulgação)

As coisas realmente não andam bem para Joelma e Chimbinha. Depois das desastradas declarações homofóbicas de Joelma para a revista Época, e a revolta dos fãs e de artistas que colocaram a “boca no mundo” – ou nas redes sociais – indignados com o que a líder da banda disse, agora é o filme sobre a história deles que não vai mais acontecer.

Por conta da repercussão negativa em torno das declarações de Joelma, nenhuma grande empresa quer se envolver com a produção do filme. Segundo o jornal carioca Extra, já estava difícil para a produção encontrar patrocinadores, agora a coisa está ainda mais complicada.

A atriz Deborah Secco, que foi escalada para viver Joelma no cinema, não recebeu uma informação oficial sobre o que vai acontecer com o longa. Até segunda ordem, a produção está cancelada.

Portal PS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joao maria disse:

    Tantas pessoas maia significativas e com mais obras e com historias de vida bem mais bela que a de Joelma do calypso(nada contra) historias de vida e de superacao como a de Jose de alencar, Oscar Niemayer dentre outros braseiros vitoriosos. Se o fato for fazer filme de algum musico pq nao do Rei Roberto carlos? É meu Brasil como sempre a podridao lhe rudeia, nao me espantaria nada o prox filme a ser produzido o da mulher melancia ou ate mesmo o de Neymar

  2. Sergio Nogueira disse:

    Ela agora vai entender que vivemos um tempo em que não podemos ter a opinião que venha a conflitar com os interesses do arco-íris sob pena de sermos chamados de homofóbicos.
    Apenas por informação: vegetariano seria uma pessoa com viés de carnofobia e por isso deve ser censurada?

Homofóbicos podem ser gays enrustidos

Recentemente, alguns psicólogos americanos resolveram revisitar a teoria da relação entre a homofobia e a homossexualidade com novos estudos. E a conclusão foi exatamente a mesma: homofóbicos parecem sentir um desejo reprimido por pessoas do mesmo sexo.

O artigo descreve seis estudos com 784 estudantes universitários americanos e alemães. A primeira missão dos participantes foi classificar a própria orientação sexual numa escala de 1 a 10 (1 aos extremamente gays; 10 para os heterossexuais inquestionáveis). Na sequência, assistiram a uma exibição de fotos e palavras (tipo imagens de casais homossexuais ou palavras relacionadas a cada um dos dois grupos) e, na medida em que eram mostradas, precisavam encaixá-las o mais rápido possível na categoria apropriada (héteros ou gays).

Acontece que, antes de cada slide, aparecia na tela a palavra “eu” ou “outro”, por apenas 35 milissegundos (ou 0,035 segundos).Segundo os autores do estudo (eles escreveram um artigo para o New York Times), esse tempo foi suficiente para que os participantes conseguissem ver a palavra subliminarmente, mas curto demais para que pudessem vê-la conscientemente.

Aí entra a teoria (conhecida como associação semântica): se a palavra “eu” preceder imagens ou outras palavras que refletem a sua orientação sexual (um beijo entre homem e mulher, por exemplo, se você for hétero), fica mais fácil encaixá-la na categoria correta. Mas se você forgay e passar por essa mesma situação (foto de casal hetéro se amando + palavra “eu”), sua cabeça vai precisar de mais tempo para associá-la ao grupo correto.

E então as máscaras caíram. Mais de 20% daqueles que se descreveram como “muito macho”, com nota 10, tiveram resultados incoerentes. Ou seja, eles precisaram de mais tempo para classificar as figuras do mundo gay quando a palavra subliminar era “outro”. E eram eles também os mais ativos na luta contra a igualdade dos direitos homossexuais e com fortepreconceito contra gays. É como se eles descontassem nos homossexuais toda a dor que sentem pelos desejos reprimidos, por não conseguirem sair do armário.E disso aí surge a homofobia.

*Com informações da Super

 

Norma do Ministério da Saúde proíbe homens gays de doar sangue

Motivado por uma campanha da empresa onde trabalha, em Belo Horizonte, o produtor cultural Danilo França, de 24 anos, decidiu doar sangue pela primeira vez. Junto com um grupo de colegas, seguiu as etapas previstas: preencheu a ficha de inscrição e foi para a entrevista com o médico do hemocentro. Na momento da conversa, França descobriu que não poderia doar sangue porque mantém um relacionamento homossexual. “Fiquei atordoado, sem graça. Fiquei chateado e me senti discriminado”, disse França.

Uma norma nacional considera inapto à doação qualquer homem que tenha se relacionado sexualmente com outro homem no período de 12 meses. O mesmo vale para heterossexuais que, no mesmo período, se relacionaram sexualmente com várias parceiras.

Entidades de defesa dos direitos dos homossexuais reclamam da restrição e querem reacender o debate sobre o tema. “A cada fato novo, a gente tem que abrir a discussão. Se a pessoa usa preservativo e não tem comportamento de risco, não pode ser impedida de doar”, argumenta Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).

A regra do Ministério da Saúde, que vigora há mais de sete anos e vale para todos os hemocentros, foi baseada em estudos internacionais que apontam que o risco de contágio pelo vírus da aids (HIV) é 18 vezes maior nas relações entre homossexuais masculinos, na comparação com relações entre pessoas heterossexuais. O motivo é a prática do sexo anal, que aumenta o risco de contaminação por doenças sexualmente transmissíveis (DST). Foi essa determinação que fez com que a Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais (Hemominas) negasse ao produtor cultural a possibilidade de doar sangue.

Em junho de 2011, o ministério baixou uma portaria que proíbe os hemocentros de usar a orientação sexual (heterossexualidade, bissexualidade, homossexualidade) como critério para seleção de doadores de sangue. “Não deverá haver, no processo de triagem e coleta de sangue, manifestação de preconceito e discriminação por orientação sexual e identidade de gênero, hábitos de vida, atividade profissional, condição socioeconômica, raça, cor e etnia”. Mas, na prática, os homossexuais masculinos ativos sexualmente seguem impedidos de doar sangue. Para as lésbicas, não há restrições.

O coordenador de Sangue e Hemoderivados do ministério, Guilherme Genovez, alega que a norma brasileira é avançada quando comparada à legislação de outros países. Nos Estados Unidos, por exemplo, um homem que tenha tido, no mínimo, uma relação sexual com outro homem fica proibido de doar sangue pelo resto da vida. “Acima de tudo, está o direito de um paciente receber sangue seguro”, alega o coordenador, lembrando que os testes não identificam imediatamente a presença de vírus em uma bolsa de sangue.

Desde o ano passado, o governo federal está implantando o NAT, sigla em inglês para teste de ácido nucleico, para tornar mais segura a análise do sangue colhido pelos hemocentros. O exame reduz a chamada janela imunológica, que é o período de tempo entre a contaminação e a detecção da doença por testes laboratoriais. Com o NAT, o intervalo de detecção do vírus HIV cai de 21 para dez dias. Até agora, 59% do sangue doado no país passam pelo NAT. A previsão é que a tecnologia chegue a todos os hemocentros até julho.

Fonte: Agência Brasil

Escola proíbe gay de usar camiseta antipreconceito

Um estudante declaradamente gey da escola Waynesville, que fica em Ohio, nos Estados Unidos processou a instituição em que cursa o ensino médio, acusando-a de discriminação.

De acordo com o processo, ele foi proibido arbitrariamente pela escola de usar uma camiseta com a frase “Jesus não era homofóbico”. Ainda não se tem muitos detalhes sobre o caso e a direçãop da escola não quis se pronunciar sobre o ocorrido.

O mundo passando por mudanças, mas a principal mudança deve ser na cabeça de algumas pessoas. Mas a gente tem que se lembrar que mexer com religião é sempre um problema. Ainda mais que a Igreja é contra a relação homoafetiva.

Homossexual potiguar agredido em Aeroporto do Rio de Janeiro vira notícia na imprensa nacional

Um casal homossexual foi agredido no aeroporto Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão-Antonio Carlos Jobim, Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, 13, após recusar utilizar um serviço de táxi clandestino.

O casal e mais um sobrinho desembarcaram de Natal e um deles, Dário Concentino, é potiguar.

Tudo começou logo após o desembarque do casal e do sobrinho, quando os três foram abordados ainda dentro do saguão do aeroporto por um homem que oferecia um serviço irregular de táxi.

Mesmo recusando serviço, os três foram seguidos até a parte do fora do aeroporto onde começou a agressão.

Cristiano foi o mais ferido.

Levou um chute no rosto e bateu a cabeça no chão. Dario tem hematomas no rosto e escoriações pelo corpo.

As imagens gravadas pelas câmeras de segurança do aeroporto mostram Dario sendo agredido por um homem de blusa branca.

Em seguida, a câmera mostra o sobrinho de um dos rapazes, de camiseta preta, brigando com outro homem de blusa azul.

Veja matéria veiculada no Jornal da Globo

http://www.youtube.com/watch?v=YaI5uqAPDRU&feature=player_detailpage

(mais…)

Homem é morto ao defender homossexual na Paraíba

Folha.com

Um homem heterossexual de 25 anos foi morto ao tentar defender um homossexual que sofria ofensas de dois homens. O crime ocorreu na madrugada desta segunda-feira (8) em frente a um bar localizado na praia do Jacaré, em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa.

De acordo com a polícia, a vítima, identificada como Marx Nunes Xavier, discutiu com dois homens, que pouco antes gritaram e fizeram comentários homofóbicos contra um homossexual que dançava no local com duas amigas.

“Testemunhas disseram que ele tentou argumentar com os homens para que eles não fizessem isso, que era homofobia”, diz o delegado Erilberto Antônio, responsável pelas investigações.

(mais…)

"ChuUuuupa Viadada"

Vereador na cidade do Rio, Carlos Bolsonaro (PP), filho de Jair Bolsonaro (PP-RJ), festejou no twitter o arquivamento do processo contra o pai, na Câmara.

Bolsonarinho anotou: “CHuUuuupa Viadada. Bolsonaro absolvido!!!! Viva a Liberdade de Expressão. Parabéns Brasil!”

O processo em que Bolsonaro-pai era acusado de propagar o preconceito contra negros e gays foi arquivado no Conselho de Ética da Câmara.

Daí a alegria festiva de Bolsonaro-filho. Diante da reação adversa que sua primeira nota despertou, Bolsonarinho repisou no microblog:

“Disse e repito: “ChuuuuUUUupa Viadada. A ditadura gay não representa a maioria do Brasil! A luta continua!!!!”.

Jactou-se: “Tenho orgulho de ser igual ao meu pai em todos os sentidos e um deles é colocar sua competência acima de sua sexualidade”.

Vangloriou-se: É “o início da queda da ditadura do homossexualismo. Podem me ameaçar e me xingar, nada do que vocês têm a oferecer me interessa”.

Espicaçou: “Desejar minha morte é o menor dos elogios que tenho lido no twitter. Rs! Pregam a liberdade de expressão, só a deles, a minha não. Ditadura gay!”

Avisou: “Atenção boiolas, para infelicidade de vocês, eu sou hétero!”

Grande coisa, poder-se-ia dizer. O homem foi criado no sexto dia. Antes dele, vieram as baratas, os mosquitos, os carrapatos…

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. okra disse:

    Ser gay!
    Isso quer dizer o que? alguem que quer assumir uma opção sexual.
    Pois não pode deixar de ser homem!

    Só existe Homens e mulheres,e direitos são dados aos dois pela constituição.
    quem tem um comportamento diferente seja inerente ao genero sexual ou não,tem direitos iquais.
    Eu não gostaria de vre pornografia em area publica independente de quem seja.
    por isso respeito os homens e mulheres gay,mas cada um dentro do seu limite.
    não tem como enfiar em nossas crianças um comportamento sexual deturbado,fora do normal,como opção.
    Gays ainda bem que seus pais eram normais,ai vcs nasceram!

  2. Getúlio Soares definiu maravilhosamente essa chatíssima discussão: "Não vou mais ser gay. É muito chato ser maioria." kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Senador renuncia o mandato se a lei que oficializa a Homofobia for aprovada

O senador Magno Malta (PR-ES) disse que abandonará o Legislativo se for aprovada a proposta que criminaliza a homofobia.

“Se o projeto de lei 122, que excita a criação de um terceiro sexo, for aprovado, com dignidade de cristão, renuncio do mandato de senador”, disse.

Presidente da ‘Frente Parlamentar em Defesa da Família Brasileira’, Malta pendurou a promessa de renúncia em sua página na internet.

A proposta que desgosta Malta foi apresentada na legislatura passada pela ex-senadora Fátima Cleide (PT-RR). Sem apoio, desceu ao arquivo.

Ao chegar no Senado, Marta Suplicy (PT-SP) reapresentou o projeto, para desassossego de Malta e de toda a bancada evangélica e católica.

Deve-se a valentia do senador à certeza nutrida por ele de que a iniciativa de Marta é natimorta: “A proposta já voltou morta e sepultada”, diz.

Antes da promessa de renúncia de Magno Malta havia muitas razões para os congressistas aprovarem o tal projeto. Agora, há mais um motivo.

Informações de Josias de Souza