Advogado escreve “receita de pamonha” para provar que juiz não lê os autos

FOTO ILUSTRATIVA: Guia da Cozinha

Um advogado que pediu para não ter seu nome identificado divulgou uma petição que ele teria redigito para uma de suas causas, a intenção dele seria provar que juiz não lê jurisprudências.

“Nossas petições nunca são lidas com a atenção necessária. A maior prova disso será demonstrada agora, pois se somos tratados como pamonhas, nada mais justo do que trazer aos autos a receita desta tão famosa iguaria. Rale as espigas ou corte-as rente ao sabugo e passe no liquidificador”, diz um trecho da petição do advogado que não quis se identificar.

Leia a íntegra do que foi escrito na petição clicando aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eraldo Cordeiro de Lima disse:

    Se nas capitais e cidades de grande porte os juízes sequer lêem as peças dos autos, nas comarcas do interior, em cidades pequenas, eles comparecem ao foro duas vezes por semana, onde permanecem duas ou três horas.
    Esse é um dos maiores motivos do acúmulo de processos mas ninguém fala.

  2. Mariana disse:

    Faltou só a matéria informar que isso aconteceu em 2014 no TJ de São Paulo, conforme simples leitura da autenticação que conta na lateral da página.

  3. Rodolfo disse:

    A magistratura do judiciário brasileiro é a personificação do feudalismo na contemporaneidade. Tratam o país como uma colônia, abusam de benefícios… td legalizado, sob a conformidade de uma corregedoria de faz de contas, e um sistema político acuado. Atualmente O PIOR PODER DO BRASIL.

  4. Chico disse:

    São deuses caídos com suas regalias exorbitantes… mais o povo que precisa de uma justiça eficaz… pena e chora!
    Acéfalos em seu mundo surreal.

  5. Jcosta disse:

    É verdade, justiça morosa e ineficiente, não tem cabimento de uma causa demorar cinco anos, no mínimo, quando seria razoável uns seis meses. Quando o interessado vai lá para saber, é tratado com desprezo e os atedentes dizem que o juiz está soberbo de serviços, serviços esses que são o dever de quem estar lá para executar bem e de forma célere, seria extranho o contrario, isto é, se não houvesse trabalho , se houvesse um órgão que realmente fiscalizasse, quem sabe, um dia teríamos uma justiça que atendesse os anseios da população, principalmente das mais necessitadas.

  6. Marcos disse:

    Pura verdade!
    Um exemplo disso é quando uma das partes muda de endereço. Faço uma petição simples com letras em negrito e sublinhado informando o ocorrido e solicito a alteração no PJe.
    Ninguém ler.
    E a intimação seguinte vai para o antigo endereço depois de 2 ou 3 meses que se pede para parte ser intimada.
    Mas, o pior da justiça potiguar é a morosidade e a ineficiência total da maioria das varas cíveis de Natal. Ali, sim, precisaria privatizar ou acabar com elas. Não funcionam mesmo e não adianta reclamar, fica pior. Tem mesmo é que destruir aquelas varas e começa tudo de novo.

  7. Brasil disse:

    Pura verdade, os casos da pje na maioria das vezes não são lidos, isso é uma vergonha. Tá na hora do ministério público fazer alguma coisa. Os próprios servidores sabem que essas aberrações acontecem lá dentro, isso não existe.

  8. #Vergonha nacional disse:

    OAB há tudo assiste calada , única profissão no MUNDO com 60 dias de férias , fora as férias forense e todos os feriados prensados , OAB ..parabéns

  9. Realidade disse:

    A notícia é válida, EMBORA NÃO MOSTRE NENHUMA NOVIDADE.
    Os magistrados PRECISAM TER uma TIME DE ASSESSORES em seus gabinetes para que apareça sua produtividade.
    São AGRACIADOS com direito a 02 FÉRIAS por ANO, além do RECESSO no final do ano.
    Talvez seja a categoria com MAIOR REMUNERAÇÃO no serviço público, detentores de MUITAS REGALIAS, e nos contra cheques TEM UMA INFINIDADE DE AUXÍLIOS.
    Nenhuma colocação é fantasiosa, TODAS são de conhecimento público, mas vale lembrar, pois o povo brasileiro tem memória curta
    Enquanto isso, as demais categorias… Se vira povo…

COMENTE AQUI