ÁREA AMBIENTAL: Bolsonaro promete “diálogo com diferentes interlocutores para desfazer opiniões distorcidas sobre o Brasil”

Fotos: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (2), na cúpula virtual do Mercosul, que entre as principais ações futuras de sua administração está a de desmentir informações negativas que têm sido divulgadas sobre a atuação do governo na área ambiental.

“Nosso governo dará prosseguimento ao diálogo com diferentes interlocutores para desfazer opiniões distorcidas sobre o Brasil e expor as ações que temos tomado em favor da proteção da floresta amazônica e do bem estar das populações indígenas”, declarou.

Além desse objetivo, Bolsonaro também afirmou que o Brasil está disposto a avançar em outras parcerias internacionais. “Queremos levar adiante as negociações abertas com Canadá, a Coreia, Cingapura e o Líbano, expandir os acordos vigentes com Israel e a Índia e abrir novas frentes na Ásia, e temos todo interesse em buscar tratativas com os países da América Central.”

Segundo Bolsonaro, o “Mercosul é nosso principal veículo para nossa inserção [nas negociações mundiais]”.

A 56ª reunião de cúpula de chefes de Estado do Mercosul, bloco formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, foi a primeira realizada de modo virutal

A presidência da cúpula estava a cargo do presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez. Nesta quinta ele passar o comando rotativo do bloco para o presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou.

Bolsonaro disse ainda que espera que a Venezuela “retome o caminnho da liberdade” e pediu para os demais chefes de Estado para tentarem finalizar os detalhes do acordo com a União Europeia ainda neste semestre.

“Apelo a todos os presidentes para que, como eu mesmo fiz, instruam seus negociadores a fecharem os textos. Atuemos com o firme propósito de deixá-los prontos para assinatura neste semestre”, pediu Bolsonaro.

O presidente brasileiro lembrou a aprovação das mudanças na Previdência do país, em 2019, e disse que o objetivo de seu governo agora é aprovar novas leis que ajudem a atrair investimentos ao país e estimulem a atividade econômica.

“Os objetivos dessa agenda é tornar o Estado mais eficiente e a economia mais dinâmica sempre com vistas de mais oportunidades para os brasileiros”, comentou.

Antes de Bolsonaro, o presidente do Paraguai afirmou que, apesar da pandemia, os negócios envolvendo o Mercosul foram essenciais para garantir parte das negociações de seu país.

O presidente argentino, Alberto Fernández, defendeu a unidade do bloco na “maior crise econômica dos últimos tempos”. “As diferença que podem surgir devem ficar em segundo plano”, disse.

Fernández diz esperar que logo o mundo supere a pandemia, mas o desafio é sair dela pensando em um planeta mais igualitário. “Como podemos pôr fim à desigualdade que lastima dia a dia a América Latina? Estou certo que podemos fazê-lo. Tenho respeito a todos os líderes do mundo, mesmo sabendo que não penso igual a muitos deles, mas estou aqui para que trabalhemos mais juntos que nunca, para que entendamos a oportunidade que nos está dando a história.”

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Pelo menos ainda não foi preso e condenado, acredito ser uma Vitória; Falar muito e roubar não vale, disso todos nós deveriamos estar cheios, reclamar por falar besteira deveria nos remeter a dilmanta, essa sim braba e burra.

  2. Manoel disse:

    Mas vejam só, o zebu amançou…
    Efeito queiroz na veia!!!

  3. Lucas disse:

    Tá mufino, hein? #beijosQueiroz

COMENTE AQUI