Audiência pública irá discutir atraso de salários dos servidores do Estado

Foto: Eduardo Maia

O pagamento dos salários atrasados dos servidores públicos do Rio Grande do Norte tem sido assunto frequente no cenário potiguar. Nesse sentido, o deputado Sandro Pimentel (PSOL) propôs audiência pública para debater o tema “Os servidores públicos do RN: regularização salarial e perspectivas”. O evento ocorre nesta quarta-feira (27), às 14h, no auditório Deputado Cortez Pereira, na Assembleia Legislativa.

De acordo com o parlamentar, desde 2017, os servidores sofrem com a inconstância nos pagamentos. “A audiência vai reunir diversas categorias do funcionalismo público e representantes do executivo estadual para tentar construir saídas e soluções para a situação dos trabalhadores no curto, médio e longo prazo”, explicou. Além do décimo terceiro de 2017, estão em atraso os salários de novembro, dezembro e décimo terceiro de 2018 dos servidores ativos e aposentados.

Entre as entidades convidadas para a audiência, estão os sindicatos que representam os trabalhadores da educação, segurança, saúde e administração pública direta e indireta. A governadora Fátima Bezerra (PT) e o chefe da Casa Civil, Raimundo Alves, também foram convidados para representar o Governo do Estado na audiência.

ALRN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    Algumas sugestões: vender CAERN e Potigás, privatizar o Centro de Convenções, livrar-se da UERN (não é obrigação dos estados prover educação superior, muito menos a um estado "falido"), extinguir certos órgãos desnecessários, que só servem como cabides de empregos (lembrei da tal Fundação José Augusto), repactuar os duodécimos aos demais Poderes (com a devolução das sobras orçamentárias, como ocorre no âmbito federal), tentar rever os pagamentos da nefasta Arena das Dunas (só serviu prá roubalheira), rever a questão do pagamentos dos inativos (cada Poder deve pagar os seus), cobrar os grandes devedores do estado (e permitir a securitização de dívidas), extinguir benefícios fiscais, diminuir a quantidade de secretarias e cargos comissionados (mais como exemplo, já que a economia será pequena), melhorar a máquina de arrecadação de tributos (não é aumentar a carga tributária), rever contratos de prestação de serviços e de aluguéis… Tem muita coisa que pode ser feita e sem sacrificar o funcionalismo. Apenas racionalizando o uso da máquina pública e direcionando os parcos recursos para onde são realmente necessários, para aquilo que é obrigação do estado. A questão é só haver vontade política para fazer o que precisa. E não precisa massacrar o funcionalismo, volto a dizer.

  2. Saul disse:

    A solução é fazer plano de cargos, aumentar aumentar o anuênio para 3% por ano trabalhado, aumentar licença-prêmio em 2 anos para cada 5 anos trabalhados e por fim, equiparação de todos os fucionários com o salário de Procurador da Assembléia.

  3. Wilson disse:

    Sandro faz o seguinte: vai lá no Alecrim e compra uma máquina de imprimir dinheiro,

  4. JUCA disse:

    NAO RESOLVE NADA ESSA TAL DE AUDIENCIA PÚBLICA….!!!!!!

  5. Ivan disse:

    Enquanto não atacar com seriedade a questão da folha super dimensionada para um estado pequeno e pobre como o RN, nenhuma medida será eficaz…O problema tende a aumentar devido ao crescimento vegetativo…Matemática simples.

  6. Luiz disse:

    Kkkkkkk. Só encheção de linguiça. Muito simples de resolver, é só retirar as mordomias dos políticos, juízes, desembargadores, promotores e demais vidas boas que existem neste estado.

COMENTE AQUI