Celso de Mello dá prazo de cinco dias para PF interrogar Moro sobre acusações contra Bolsonaro

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira que a Polícia Federal tome o depoimento de Sergio Moro no prazo de cinco dias. O interrogatório vai instruir o inquérito que investiga o teor do discurso de Moro ao se despedir do Ministério da Justiça, na última sexta-feira. Na ocasião, Moro acusou Bolsonaro de tentar interferir indevidamente nas atividades da Polícia Federal. A pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), o ex-ministro deverá apresentar “manifestação detalhada sobre os termos do pronunciamento, com a exibição de documentação idônea que eventualmente possua acerca dos eventos em questão”.

Na segunda-feira, quando abriu o inquérito sobre o assunto, Celso de Mello deu prazo de até 60 dias para a realização das diligências. A diminuição do prazo foi determinada a pedido de três parlamentares: o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e os deputados Tabata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES).

“A gravidade das acusações dirigidas ao presidente da República, em nosso entendimento, somada à grave crise política pela qual atravessa o país, leva a crer que o prazo de 60 dias para a realização da diligência em tele pode se demonstrar excessivo”, argumentaram ao STF.

O GLOBO

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Naldinho disse:

    Agora lascou geral. Se Moro é mentiríeis, Lula é inocente. Se Moro fala a verdade, Bolsonaro é corrupto. E agora?

    • Lobo disse:

      E lula e os petralhas são ladrões

    • Zé Ninguém disse:

      Naldinho não faça pergunta difícil de responder. Você fazendo uma pergunta como essa, vai deixar a turma numa sinuca de bico. Pode ser que provoque algum constrangimento ou até alguma reação agressiva. O contraditório nos tempos do "OS MEUS ACIMA DE TUDO", torna a pessoa uma possível vítima de milícias virtuais ou reais.

COMENTE AQUI