Centro de Tecnologia da UFRN consegue nota máxima do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes(Enade) em quatro cursos

Foto: Divulgação

O Centro de Tecnologia da UFRN conseguiu o conceito 5, nota máxima no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) em quatro cursos: Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, Engenharia de Produção e Engenharia Elétrica. Foi o melhor resultado obtido pelo Centro desde a criação desta modalidade de avaliação.

O diretor do Centro, o professor Luiz Alessandro Pinheiro da Câmara de Queiroz, avalia que o bom resultado se deve ao ensino de excelência do setor, assim como a um interesse coletivo em apoiar os alunos antes e durante o período avaliativo. Assim, as edições anteriores da prova foram analisadas e se tornaram pauta de discussões de planejamento e reuniões com alunos.

Nesta preparação o Centro convidou palestrantes para discutir metodologias ativas com o corpo docente, criando em seguida o Ciclo Enade 2019, que foi uma série de palestras motivacionais e com revisão de conteúdos para apoiar os alunos que iriam prestar o exame. “Paralelamente os coordenadores fizeram suas ações por curso, trabalhando ainda mais próximos dos alunos, alguns inclusive compareceram no local da prova no dia da aplicação como forma de apoio os estudantes”, lembra Alessandro.

O resultado veio com a elevação do conceito nos cursos de Engenharia Civil, Engenharia de Produção e Engenharia Elétrica, que alcançaram a nota máxima. O curso de Arquitetura e Urbanismo recebeu o conceito 5 pela quarta vez, figurando como um dos melhores do país.

A graduação em Engenharia Elétrica recebeu o conceito máximo pela primeira vez, graças, em parte, ao apoio oferecido pela coordenação do curso e a um projeto de conscientização e mobilização dos alunos. Professores ofereceram aulões e o PETee (Programa de Ensino Tutorial de Engenharia Elétrica) promoveu vídeo aulas com a resolução de provas dos anos anteriores pelo canal do YouTube. O apoio pedagógico foi criado com o intuito de ajudar alunos com certas dificuldades acadêmicas.

“Gostaria de ressaltar que foi um trabalho coletivo: alunos, docentes, técnicos, bolsistas, coordenadores e chefes, assessoria acadêmica e direção do centro. Todos empenhados em melhorar a qualidade do ensino. A elevação do conceito foi uma decorrência desta melhoria”, afirma Alessandro.

Enade

Seguindo as orientações do MEC, o Enade deve avaliar o rendimento dos alunos concluintes da graduação em relação aos conteúdos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, e o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial. A inscrição é obrigatória para estudantes ingressantes e concluintes de cursos de bacharelado e superiores de tecnologia vinculados às áreas de avaliação.

A avaliação integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), composto também pela Avaliação de cursos de graduação e pela Avaliação institucional. Juntos eles formam o tripé avaliativo que permite conhecer a qualidade dos cursos e instituições de educação superior brasileiras. Os resultados do Enade, aliados às respostas do Questionário do Estudante, são insumos para o cálculo dos Indicadores de Qualidade da Educação Superior.

Com UFRN