Educação

UFRN vai oferecer bônus na nota a candidatos de medicina que estudaram em escolas do RN

Foto: Cícero Oliveira / UFRN

Os estudantes que pretendem fazer medicina na UFRN e que cursaram todo o ensino médio no Rio Grande do Norte terão um bônus de 10% na média final obtida no Sisu, de efeito classificatório.

A ação afirmativa foi aprovada nesta terça-feira (19) pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da instituição e tem o objetivo de fortalecer a fixação de médicos no estado.

A medida acontece após um estudo realizado pela Pró-Reitoria de Graduação da UFRN (Prograd) que analisou a quantidade de alunos da instituição vindos de outros estados e os cursos em que esse quantitativo ultrapassa a média da UFRN.

Foi identificado que, entre 2017 e 2020, o número de alunos da UFRN oriundos de outros estados no curso de medicina é de 15%. Em outros cursos essa média se aproxima de 5%.

A bonificação apresenta-se como alternativa diante de evidências científicas sobre a maior probabilidade de fixação de médicos distantes dos grandes centros urbanos, quando apresentam identificação com a região, aliadas a dados demográficos que apresentam razão de médicos por mil habitantes no Rio Grande do Norte inferior à média nacional.

“Dentro da perspectiva atual, não é nenhum absurdo pensarmos num futuro próximo com uma possível escassez de médicos no Estado, principalmente aqueles formados pela UFRN, cuja tradição de ensino de qualidade é sabida pela sociedade. Desse modo, a bonificação é pensada objetivando assistir a sociedade potiguar, continuamente, de atendimento médico, abrangendo as localidades mais desfavorecidas desse serviço e oportunizando o provimento de médicos para atuação na atenção primária à saúde nos municípios do interior”, explicou a relatora do Consepe e pró-reitora de Graduação da UFRN, Maria das Vitórias Vieira.

A nova ação afirmativa será implantada a partir da próxima edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e não altera as vagas reservadas pela lei de cotas, apenas as destinadas à ampla concorrência. Possíveis beneficiários que também possam optar pela reserva de vagas definidas na lei de cotas, ou por qualquer outra ação implementada na UFRN, devem optar apenas por uma das ações afirmativas, sem a possibilidade de aplicação cumulativa.

Os concluintes do ensino médio por meio de exames supletivos, Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA) e equivalentes não terão direito ao bônus.

G1 RN

Opinião dos leitores

  1. Queria ver se o ITA, uma instituição FEDERAL, inventasse algo pra prejudicar quem é de fora de São Paulo! A grita ia ser grande!!! Principalmente no nosso vizinho Ceará! É um absurdo essa medida!

  2. A lei manda destinar 50% das vagas pra escola pública,em todos o cursos.
    Inclusive Medicina.
    É a LEI Nº 12.711, DE 29 DE AGOSTO DE 2012.

  3. Eu acho que essa decisão da UFRN é inconstitucional. Afinal é uma Universidade Pública Federal. Vivemos no República Federativa do Brasil. Vamos aguardar o que diz o Ministério Público Federal.

    1. É não! Isso já existe em várias universidades. Inclusive no campus de Caicó já há bônus para quem fez o ensino médio nas escolas do Seridó!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

UFRN inicia matrículas para 2021.2

Foto: Cícero Oliveira

Nesta quinta-feira, 30, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) inicia as matrículas para os componentes curriculares do semestre 2021.2. Para realizar a matrícula no período letivo atual, o aluno regular deve acessar o Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa). O prazo para as solicitações está aberto até a próxima quinta-feira, 7 de outubro.

Isso é válido para os discentes veteranos, cujos resultados do processamento das matrículas serão disponibilizados nos dias 14 e 15 de outubro. Já no caso dos estudantes ingressantes em 2021.2, as matrículas das disciplinas do primeiro período serão processadas automaticamente, até o dia 8 de outubro, no Sigaa.

Para os alunos ingressantes, é válido lembrar que, mesmo com a matrícula confirmada, é necessário a validação do vínculo com a coordenação de curso. Tal confirmação é uma forma de validar a matrícula, caso não seja realizada, o estudante perde o vínculo com a Universidade.

A rematrícula, período extra para realização de novas matrículas nos componentes curriculares disponíveis na grade, acontece entre 18 e 19 de outubro. Com isso, de acordo com o Calendário Acadêmico de 2021 da UFRN, aprovado no final de 2020 pelo Consepe, as aulas do semestre começam no dia 18 de outubro e finalizam no dia 19 de fevereiro de 2022.

Opinião dos leitores

  1. Desde os anos 90 que sugeri aos políticos do Rn com assento em Brasília para apresentar um projeto tentando garantir todas as profissões nas cidades do Brasil, por menor que seja a cidade.
    COMO ? Todo aluno das Universidades Federais no primeiro dia de aula assinam um documento se comprometendo a trabalhar durante um ano, para onde for designado, ganhando uma bolsa do Governo Federal e as condições de moradia dado pelas Prefeituras. Assim sendo não faltaria médico dentista e etc em lugar nenhum do Brasil.
    Até hoje nenhum Senador ou Deputado Federal se interessou.
    Faço justiça apenas ao médico e Ex-senador Paulo Davim que se interessou pelo menos pela carreira de médico.

    1. Concordo plenamente. Melhorar também o piso de dentista. Um dentista aqui no interior do RN ganha menos de 2 mil reais e ainda arca com transporte diário, comida, roupa….até os jalecos trazem pra lavar em casa. A maioria mora na capital e vão de ônibus todo dia de madrugada e voltam no fim do dia chegando a noite em casa. Fora que os consultórios nos PS estão caindo aos pedaços. E a maioria das prefeituras estão terceirizando o contrato com uma única empresa de Recife. Alôooooooo Ministério Público!!!!!!!
      Eles só aceitam porque não tem outra saída.

    2. Caro Lair, analise bem os formandos de medicina e odonto. São pessoas em sua vasta maioria bem quistas e abastadas, nunca que elas iriam aceitar isso.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

FOTO: Projeto da UFRN lança foguetes caseiros nesta sexta-feira

Foto: Divulgação

Um projeto de extensão da UFRN chamado Inserção de meninas no setor tecnológico espacial decidiu investir na formação de meninas da rede pública de ensino através de experimentos criativos como a construção de foguetes usando para isso materiais caseiros como corda de rede, tubo de mangueira, garrafas PET etc.

O experimento acontece nesta sexta-feira, 01 de outubro, das 8h30 às 10h30, no campo de futebol da UFRN, onde serão lançados os protótipos. A intenção é registrar a altura e distância percorrida após os lançamentos e também testar a eficiência dos pequenos paraquedas.

As treze meninas têm idades entre 15 e 18 anos, e são alunas das seguintes escolas: Escola Agrícola de Jundiaí, em Macaíba; Escola Tristão de Barros, em Currais Novos, Escola João XXIII, em Natal; e Escola Barão Geraldo, em Caiçara do Rio do Vento.

A coordenadora da iniciativa, a professora Mariana Almeida, diz que os experimentos conseguem encantar e atrair a atenção das meninas desses municípios para as disciplinas tecnológicas. “Algumas nunca tinham ouvido falar em experimentos assim e hoje já sonham em desenvolver projetos mais avançados”, diz Mariana.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

UFRN tem 22 cientistas entre os mais influentes dos Brics

Foto: Anastacia Vaz

O AD Scientific acaba de publicar o ranking dos 10 mil principais cientistas do grupo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Desses, 22 são da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que ocupa a posição 94 entre as 1.033 Instituições de Ensino Superior (IES) pesquisadas nos cinco países do grupo e em 15ª no Brasil. Os pesquisadores indicados estão espalhados por diversas áreas, sendo cinco do Instituto do Cérebro (ICe), cinco do Centro de Biologia (CB), cinco do Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET), três do Centro de Ciências da Saúde (CCS) e os outros quatro, Instituto de Química (IQ), Instituto Metrópole Digital (IMD), Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) e Centro de Educação (CE).

De acordo com o realizador, o AD Scientific Index é um sistema de classificação e análise com base no desempenho científico e no valor agregado da produtividade científica dos cientistas. Além disso, fornece classificações de instituições com base nas características científicas dos cientistas afiliados. O novo índice usa o total e os valores dos últimos cinco anos do índice i10 (número de publicações com, no mínimo, 10 citações), índice h (resultado do equilíbrio entre o número de publicações e o número de citações) e pontuações de citação no Google Scholar. Além disso, a proporção do valor dos últimos cinco anos corresponde ao valor total dos índices acima mencionados.

“É importante e deve-se comemorar as colocações da UFRN nesta lista, ainda mais, quando enfrentamos um cenário de desinvestimento nas universidades e negacionismo dos estudos científicos. Por outro lado, também devemos lamentar a pouca quantidade de brasileiros nessa classificação. Somos um país grande, com excelentes pesquisadores e poderíamos ter uma maior representatividade”, afirma o professor e pesquisador do Departamento de Física Teórica e Experimental, José Dias do Nascimento.

Usando um total de nove parâmetros, o Índice Científico AD mostra a classificação de um cientista individual por 12 assuntos (Agricultura e Silvicultura, Artes, Design e Arquitetura, Negócios e Gestão, Economia e Econometria, Educação, Engenharia e Tecnologia, História, Filosofia, Teologia, Direito, Direito e Estudos Jurídicos, Medicina e Ciências da Saúde, Ciências Naturais, Ciências Sociais e Outros). Assim, cientistas e universidades podem obter suas classificações acadêmicas e monitorar a evolução da classificação ao longo do tempo.

Veja lista de cientistas citados pela ordem da AD Scientific

1. Martín Cammarota – ICe

2. Eduardo Silva – IMD

3. Carlos Martinez Huitle – IQ

4. Selma Jerônimo – CB e IMT

5. Sidarta Ribeiro – ICe

6. Kenio Costa de Lima – DOD/CCS

7. Lia Bevilaqua – ICe

8. Farinaldo Queiroz – DFTE/CCET

9. Adriano Tort – ICe

10. Hugo Roch – DBQ/CB

11. Fredy Enrique Gonzalez – DPEC/CE

12. Gandhimohan Viswanathan – DFTE/CCET

13. Eudenilson Albuquerque – DBF/CB

14. Sandro José de Souza – ICe

15. Benjamin Bedrega – DIMAp/CCET

16. Francisco Hilario Bezerra – GEO/CCET

17. Iris do Céu Clara Costa – DOD/CCS

18. Carlos Roberto Fonseca – ECL/CB

19. Janine Inês Rossato – DFS/CB

20. Leila Batista de Souza – DOD/CCS

21. Oswaldo Hajime Yamamoto – DEPSI/CCHLA

22. José Dias do Nascimento – DFTE/CCET

Com UFRN

 

Opinião dos leitores

  1. Irônico que com tantos cientistas renomados, a UFRN passe dois anos fechada sem conseguir por os alunos de volta na sala de aula de maneira segura.

  2. O salário de um médico em Cuba é de 250 reais.
    Quanto ganha um pesquisador na capital do império bolivariano?
    Que direitos os trabalhadores têm em Cuba?

  3. O ministério da educação (Universidades) têm 200 mil funcionários.
    Abrir Universidade é fácil.
    Difícil é manter.
    Nos Estados Unidos universidades são privadas e caras.
    Na Alemanha a maioria da população não faz universidade.

    1. E vc defende isto? Faculdades privadas?
      Tem fezes na cabeça????

  4. Após a assunção do cargo de Presidente da República do Sr Jair Bolsonaro, as UFs, voltaram a ser sinônimo de formadores de Profissionais e não de Militantes e bauburdeiros.
    Parabéns Presidente Bolsonaro, Ministro da Educação, Ministro da Ciência e Tecnologia Marcos Pontes, ao quadro docente decente e aos pesquisadores e cientistas.

    1. Deixe de falar merda! Tá pensando que o povo é gado, Calígula!?

    2. Magicamente as pesquisas surgiram em mil dias, realmente fezeslígula conhece bastante, vai lá no DCA ver se tem militância…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) oferece cursos gratuitos de TI com 35 vagas para público externo

Foto: Divulgação/IMD

Criado para oferecer formação complementar em Tecnologia da Informação (TI), o Programa de Estudos Secundários (PES), do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), abriu inscrições para novas turmas. Ao todo, são oferecidas 35 vagas, distribuídas entre sete especialidades diferentes para pessoas não matriculadas na UFRN.

As inscrições podem ser feitas até o dia 25 deste mês por meio do link (buscar por “estudos secundários”). São oferecidas cinco vagas para cada um dos cursos – Bioinformática, Ciência de Dados, Inovação e Empreendedorismo, Informática Educacional, Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Jogos Digitais.

O programa não permite o cadastramento em mais de uma especialidade. Apesar disso, os cursos são gratuitos e podem se inscrever profissionais que tenham cursado qualquer graduação oferecida por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Alunos da UFRN podem se matricular por meio do SIGAA.

Processo seletivo

O ingresso no PES é concedido mediante processo seletivo, que consiste em prova de conhecimentos específicos. É cobrada uma taxa de R$ 70 para a inscrição e o exame acontecerá no dia 10 de outubro.

Aplicado on-line, por meio sistema Multiprova, o teste é composto por 30 questões objetivas, que versam sobre temas relacionados às bases teóricas e práticas de cada especialidade. O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 14 de outubro e as aulas começarão no dia 18 do mesmo mês.

Mais informações sobre a seleção estão disponíveis no Edital nº 001/20201.

Estudos Secundários

O Programa de Estudos Secundários do IMD é uma iniciativa que oferece formação complementar em diferentes áreas da TI. A ideia é, pelo caráter transdisciplinar da tecnologia, agregar novas habilidades e ferramentas à atuação profissional nos mais variados campos.

Mesmo discentes que tenham “trancado” o curso podem participar do programa e, uma vez aprovados, os alunos do PES recebem matrícula na UFRN, ainda que não tenham feito graduação na Universidade. O prazo máximo para obtenção do certificado é de 24 meses.

Mais informações sobre o PES estão disponíveis no link.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Cientistas da UFRN recebem do INPI o patenteamento de nova tecnologia inovadora que promete ser mais uma alternativa para o diagnóstico do câncer e de doenças inflamatórias crônicas

 Fotos: Cícero Oliveira – Agecom/UFRN

Um grupo de seis cientistas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebeu, na quarta-feira passada, dia 8, do Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI), o patenteamento de uma nova tecnologia inovadora que promete ser mais uma alternativa para o diagnóstico do câncer e de doenças inflamatórias crônicas. O dispositivo que recebeu o registro consiste em utilizar anticorpos altamente específicos direcionados para alguns elementos celulares, chamados de “marcadores”. Essas substâncias são então combinadas com uma molécula fluorescente, situação que permite a visualização das células cancerígenas em um microscópio de fluorescência, por exemplo.

“Esse marcador pode ser uma proteína pró-inflamatória, uma proteína de superfície celular que permita identificar determinada célula, e pode ser alguma proteína específica produzida por esta célula em contextos diversos. São inúmeras as possibilidades. No estudo do câncer, por exemplo, a técnica nos permite identificar quais células estão envolvidas tanto no combate, como também na progressão do tumor, identificar a origem de tumores metastizados, bem como a forma com que essas células atuam, além de nos permitir visualizar algumas das mudanças que as mutações do câncer geram nas células”, pontua Vinícius Barreto Garcia.

Aluno de doutorado do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (PPgCSa), ele idealizou, executou os experimentos e escreveu o pedido de patente. No estudo, os pesquisadores usam a técnica da imunofluorescência, ferramenta valiosa para se compreender como as nossas células e órgãos se comportam durante determinada doença e como ambos respondem a tratamentos. O uso do termo valioso não é à toa: como técnica de ponta, a imunofluorescência depende de reagentes caros – especificamente nesse caso, os anticorpos associados ao fluoróforo, partícula fluorescente.

Vinícius explica que a técnica utilizada é também resultado da procura por uma alternativa mais barata, que pode ser produzida pelo próprio laboratório na UFRN, e cujos resultados sejam equivalentes à técnica padrão já consolidada. “Pesquisadores no Brasil frequentemente são expostos a situações em que eles têm que ‘fazer mais com menos’, e nossa invenção é um retrato disso”, frisa o estudante. Na pesquisa, o grupo substituiu o anticorpo associado ao fluoróforo por nanopartículas de ouro. A partir daí, desenvolveram dois protocolos para viabilizar a execução da técnica não só em período padrão (de em torno de 35 horas), como também num protocolo mais curto, de 16 horas. As nanopartículas de ouro possuem propriedades físico-químicas únicas, permitindo a sua interação com membranas e, consequentemente, as suas aplicações biomédicas.

Barateamento e rapidez

“O nosso invento torna a técnica de imunofluorescência mais barata e rápida. Isso é bastante interessante, tanto para a pesquisa acadêmica, como para o diagnóstico. Na época em que estávamos desenvolvendo esses protocolos, a imunofluorescência padrão para 100 amostras nos custava em torno de 6 mil reais e demandava um tempo de 35 horas, enquanto os protocolos com nanopartículas de ouro nos custavam em torno de 2 mil reais e podemos utilizá-las mesmo em protocolos mais curtos, de 16 horas”, explica Raimundo Fernandes de Araújo Júnior.

Atualmente desenvolvendo atividades acadêmicas na Holanda, o professor Raimundo Araújo coordenou os experimentos, cujos resultados pavimentaram parcerias com equipes da Europa e da América do Sul. O docente realça que a patente é fruto de um esforço conjunto entre o Laboratório de Investigação do Câncer e Inflamação (LAICI), que conta com professores do Departamento de Morfologia (DMOR), de Farmacologia (DBF) e do Instituto de Química. Dentro do grupo de inventores envolvidos, estão Ana Luíza Cabral de Sá Leitão Oliveira, Luiz Henrique da Silva Gasparotto, Heloiza Fernanda Oliveira da Silva e Aurigena Antunes de Araújo.

O LAICI, há menos de três anos, ampliou os testes da nanopartícula de ouro aplicada à imunofluorescência em tecidos parafinizados, o que resultou na publicação de um paper. No trabalho, além dos protocolos reivindicados na patente, foi criado mais um protocolo que consiste já na utilização do anticorpo com fluoróforo em conjunto com as nanopartículas. Como consequência, as nanopartículas mostraram-se como potencializadores da fluorescência emitida pelo fluoróforo do anticorpo, permitindo, assim, que o anticorpo fosse utilizado em uma diluição bem maior quando associado às nanopartículas de ouro.

“Consideramos que a tecnologia já está plenamente desenvolvida, pois foi toda pensada para se adequar à realidade do nosso próprio laboratório. Assim, para as nossas pesquisas, ela já é plenamente executável, e também pode ser para qualquer laboratório que utilize imunofluorescência em seus estudos. Mas, sem dúvidas, sempre há espaço para aprimoramentos. Tudo vai depender do tipo de aplicação a que essa tecnologia será destinada”, explica Raimundo.

“A necessidade é a mãe das invenções”

Da monitoria do componente Histologia, no segundo semestre da graduação, a biomédico formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, mestre em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (2017), aluno de doutorado do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde e aprovado recentemente em concurso para docência, são menos de dez anos. O relativo pouco espaço temporal não impediu Vinícius Barreto Garcia de enxergar a ciência como instrumento de produção aplicada de conhecimento voltado para necessidades coletivas.

“No ensino médio eu tinha um professor que dizia que ‘a necessidade é a mãe das invenções’. Elaborar uma patente me permitiu vivenciar essa verdade. É um processo que te apresenta um problema que milhares de outros pesquisadores já conhecem, mas te obriga a pensar numa solução que nenhum deles pensou. Assim, ao ser um cientista-inventor, eu acabo tornando mais palpáveis algumas descobertas científicas que pareceriam um tanto abstratas para um leigo. Uma coisa é você dizer que descobriu um novo gene que está envolvido no processo de metástase. Outra é você apresentar para um paciente com câncer um medicamento inovador que pode frear esse processo, ou até curá-lo. Por isso, os programas de pós-graduação deveriam incentivar mais dos seus alunos a produção de patentes. Nos torna cientistas mais completos e diferenciados”, coloca o doutorando.

Refletindo, Vinícius vai um pouco além. Destaca o processo de patenteamento como item agregador, pois contribui para a relevância da Universidade diante a sociedade, sem falar da relevância para o aprimoramento das pesquisas e dos métodos diagnósticos. “Falando como estudante de doutorado, o processo instiga no aluno pesquisador o seu lado criativo e inventivo, além de ser um diferencial na nossa carreira. Todo aluno de doutorado deve produzir, pelo menos, um paper. Assim, ter artigos publicados é o mínimo que se espera de nós. Uns produzem mais, outros menos. Uns publicam em revistas com mais relevância que outros, mas, embora o esforço para publicar um artigo científico exercite muito o lado investigativo e questionador do pesquisador, esse é apenas um aspecto do valor que um cientista tem para a sociedade. O outro aspecto é a capacidade dele de resolver problemas, e foi isso que conseguimos com essa nossa patente”, finaliza.

Com UFRN

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Instituto Ágora, vinculado ao Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFRN, abre inscrições para cursos de idiomas 2021.2

O Instituto Ágora, vinculado ao Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFRN, abre inscrições para os cursos de idiomas em Inglês, Espanhol, Francês, Alemão e Libras. As aulas vão de 4 de outubro a 18 de dezembro.

Para alunos atendidos pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PROAE) as inscrições iniciam na terça-feira, 14. Já o público em geral, poderá se inscrever a partir da quarta-feira, 15, por meio do Sigaa ou pelo link.

As vagas, em sua maioria, são destinadas a alunos e servidores da UFRN, mas o público externo poderá inscrever-se para o curso de Libras. O curso tem o investimento de R$ 250 por semestre, que será inteiramente remoto, com aulas síncronas e assíncronas ministradas três vezes por semana.

Com UFRN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Pesquisadores da UFRN observam ameaças dos parques eólicos à conservação da caatinga

Foto: Mauro Pichorim

Em análise publicada no site O Eco, na última quarta-feira, 1º, um grupo de pesquisadores encabeçado por alunos, ex-alunos e professores da pós-graduação em Ecologia da UFRN levanta preocupações com a rápida expansão dos projetos de energia eólica no Rio Grande do Norte, em detrimento das áreas prioritárias para a conservação da caatinga presentes no estado.

O texto leva em consideração o impacto ambiental que tais empreendimentos têm sobre a região e o aparente descaso com a fauna e flora protegidas por decreto federal, colocando em risco a biodiversidade local. Destaca ainda que a perda, degradação e fragmentação dos habitats naturais já é uma realidade que afeta especialmente as áreas mais conservadas.

A abertura de novas estradas para acesso aos parques eólicos pode provocar um aumento da caça, do desmatamento e do tráfico, afetando negativamente as populações de espécies já ameaçadas e raras, para as quais o bioma da caatinga é um refúgio. Animais voadores, por exemplo, “podem colidir com os aerogeradores, e morcegos morrem ainda por barotrauma, causado pela mudança repentina na pressão do ar”, enquanto os terrestres sofrem risco de atropelamento.

Apesar dos alertas emitidos como parte da análise, os pesquisadores que a assinam enfatizam que não condenam a energia eólica como alternativa energética. Eles apenas propõem um debate sobre o “melhor caminho para que a expansão do uso das fontes de energias renováveis aconteça de forma realmente sustentável”, de modo a respeitar os ecossistemas, a biodiversidade e as comunidades locais.

Para isso, o texto sugere “maior rigor na avaliação dos empreendimentos e de seus potenciais impactos”, indicando uma transparência e abertura de diálogo entre as empresas, órgãos ambientais, especialistas e a sociedade como um todo. Além disso, há também a destinação de recursos de compensação previstos nos estudos e avaliações de impacto ambiental, para a “criação e manutenção de áreas protegidas nas zonas impactadas pelos empreendimentos”.

A análise é assinada por Paulo Marinho e Juan Carlos Vargas Mena, doutorandos em Ecologia na UFRN; Damião Oliveira e Virgínia Paixão, mestres em Ecologia pela UFRN; Marina Antongiovanni da Fonseca, doutora em Ecologia pela UFRN; e pelos professores Eduardo Martins Venticinque e Mauro Pichorim, ornitólogo.

Com UFRN

Opinião dos leitores

  1. Esse gente é sócia do atraso, inacreditável como nosso destino é ser pobre e miserável, os tais “estudiosos” amantes da “ciência” na verdade odeiam investimentos, emprego, riqueza.

  2. Por favor avisem a estes ecoxiitas de gabinete quem sem fonte de renda alternativa, no caso eólicas, o Sertanejo vai desmatar a Caatinga para vender lenha, vai caçar para por comida na mesa da família, vai migrar para a periferia dos grandes centros. Tudo tem prós e contras, o que temos que fazer é por na balança e ver para que lado ela pende. No caso das energias renováveis elas vieram como uma benção para a Caatinga pois vão viabilizar economicamente a preservação deste importante bioma, porém um pouco terá que ser sacrificado para salvar a maior parte.

  3. A solução mais rápida e econômica e sem destruição do meio ambiente chama-se ENERGIA SOLAR. Agora tenho o sol trabalhando pra mim sem pagar nada, ECONOMIZEI mais de 95 %; da minha conta de energia, meu arrependimento é não ter colocado mais cedo. Fiz com a ENGCIL, o pessoal Foi rápido, prático e muito técnico, em menos de uma semana acabou meu problema com conta de energia da cosern.

  4. Eita Brasil velho fudido, essas pessoas devem ser da esquerda, pois um calango para eles é muito mais importante do que centenas de empregos e arrecadação de tributos para o Estado e Municípios, eita cambada de ambientalistas cegos e tapados.

    1. Desse jeito, não que o calango não seja importantíssimo, mais a auto-suficiência de um sistema, exige alguns sacrifícios e é imprescindível para a sua preservação. Já que esse povo é do contra, deveria apontar uma outra alternativa melhor e menos impactante para tornar o sertão viável economicamente.

    1. Bolsa esmola , são PTralhas, querem o comunismo , a ex líder desses vagabundos queria engarrafar VENTO , a satisfacao desses estudiosos és miséria

  5. Precisamos da Caatinga, mas devemos entender que o Brasil necessita de energia elétrica. Medidas mitigadoras e compensatórias devem ser postas em prática de modo a atender a pauta ambiental e a socioeconômica.

  6. Era só o que faltava! Vão arrumar o que fazer, e não arrumar ou afugentar investidores no que já é a salvação em energia limpa.

  7. Melhor mesmo o sertanejo morrer de fome e sede, sem emprego, do que acabar com a catinga ao invés de acabar com a pobreza

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

UFRN anuncia processo seletivo com remuneração até R $ 6.728,99

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) abre na próxima quarta-feira, 1º de setembro, inscrições de processo seletivo simplificado para contratação de tradutores intérpretes em linguagem de sinais de nível superior, a serem lotados na Secretaria de Inclusão e Acessibilidade ( SIA). Serão disponibilizadas quatro vagas para contratação imediata e formação de cadastro de reserva. A carga horária é de 40h semanais.

Os interessados ​​devem realizar a inscrição até o dia 10 de setembro, no Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH), na aba Concursos> Concursos Abertos, na qual encontra-se disponível o formulário de inscrição. O candidato deve efetuar o pagamento da taxa de inscrição, sem valor de R $ 50, até 15 de setembro e, caso deseje solicitar a isenção do pagamento, deve fazê-lo até o dia 9 de setembro.

Para concorrer, é necessário que o candidato seja obrigatoriamente ouvinte e possua uma das seguintes formações: graduação em Letras Libras (bacharelado) ou graduação em Letras Libras (licenciatura) com certificado de Curso de Formação de Tradutores / Intérpretes Libras ou graduação em Letras e especialização em Tradução e Interpretação da Libras / Língua Portuguesa ou graduação com especialização em Libras ou em Tradução e Interpretação da Libras / Língua Portuguesa e experiência comprovada na área de tradução e interpretação em nível superior.

O processo seletivo será realizado de forma remota (videoconferência) – no período de 6 a 8 de outubro – e consistirá de uma única etapa, a saber, prova de tradução. O edital e o programa da seleção escolhido-se disponível na página eletrônica do sistema SIGRH (www.sigrh.ufrn.br> Menu Concursos> Concursos Abertos).

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

UFRN publica resultado preliminar de concurso para técnico-administrativo

O Núcleo Permanente de Cursos (Comperve) publicou nessa quinta-feira, 26, o resultado final preliminar do edital nº 011/2021. Os cargos estão divididos em nível de classificação E e D. Além disso, também há vagas destinadas para pessoas negras e com deficiência. O resultado pode ser visualizado neste link.

Os cargos da classificação E são: Odontólogo, Enfermeiro, Médico da área da Psiquiatria, Médico da área Ortopédica, Médico da área Pediátrica, Médico da área Anestesiologia, Médico da área de Cirurgia Geral, Contador e Pedagogo. Já os da classificação D são: Técnico em Contabilidade, Técnico de Laboratório da área Biotério, Técnico de Laboratório da área Química, Técnico em Tecnologia da Informação, Assistente em Administração, Técnico em Enfermagem.

A posse nos cargos fica condicionada ao atendimento das condições constitucionais e legais, bem como à aprovação em inspeção médica a ser realizada pela Perícia Oficial em Saúde da UFRN/SIASS ou de outro órgão público federal, momento em que deverão ser apresentados pelo candidato os seguintes exames e documentos: tipo sanguíneo + Fator RH; FTA-ABS (IGM); glicemia em jejum; atestado médico de sanidade mental (emitido por um Psiquiatra); exame oftalmológico completo (acuidade visual, fundoscopia, tonometria, biomicroscopia, campimetria); hemograma completo com contagem de plaquetas, colesterol total e triglicerídeos; dosagem de TGO e TGP; GAMA GT; Uréia e creatinina sanguínea; sumário de urina.

Já perante a Diretoria de Administração de Pessoal da UFRN será condicionada à apresentação destes documentos: laudo médico, emitido pela Perícia Oficial em Saúde da UFRN/SIASS ou de outro órgão público federal, atestando aptidão física e mental do candidato; uma foto 3×4 (recente); carteira de identidade (cópia e original); cadastro de pessoas físicas – CPF (cópia e original); título de eleitor (cópia e original) e certidão de quitação eleitoral; certificado de reservista, quando do sexo masculino (cópia e original); certificado de escolaridade devidamente registrado no órgão competente (cópia e original); certidão de nascimento ou casamento (cópia e original), e, se for o caso, certidão de nascimento dos dependentes (cópia e original); cartão de inscrição PIS/PASEP, caso tenha (cópia e original); registro no conselho ou órgão fiscalizador do exercício profissional se for o caso (cópia e original); declaração de bens e valores (a ser preenchida na Diretoria de Administração de Pessoal – DAP); declaração de acumulação de cargos (a ser preenchida na DAP); e comprovação dos pré-requisitos exigidos no Edital de Abertura de Inscrições.

Confira todas as informações sobre este edital aqui.

Com UFRN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

UFRN abre inscrições para processos seletivos de licenciatura EaD

Foto: Cícero Oliveira

 Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aprovou, em sessão extraordinária, realizada nesta terça-feira, 24, a publicação de dois editais que preveem vagas para os cursos de graduação EaD na instituição. Os editais já estão disponíveis na página do Núcleo Permanente de Concursos (Comperve), responsável pelos processos seletivos, e as inscrições serão iniciadas nesta quarta-feira, 25.

Ao todo, serão disponibilizadas 220 vagas, sendo 110, exclusivas, para professores das redes públicas de ensino e 110 destinadas à chamada demanda social, para aqueles que comprovarem, por meio de certificado, terem concluído o ensino médio ou curso equivalente. Nesse último caso, a classificação dos candidatos será realizada com base nas notas obtidas pelos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2018, 2019 ou 2020.

O valor da taxa de inscrição para os dois processos seletivos é o mesmo: R$ 30,00 (trinta reais). Os interessados têm até o dia 12 de setembro de 2021 para se inscrever. O Edital n.º 01/2021 (que prevê vagas professores) e o Edital n.º 02/2021 (que trata das vagas de demanda social) podem ser acessados na aba Educação Superior a Distância, no site da Comperve.

As vagas serão distribuídas para dois cursos de licenciatura a distância, Ciências Biológicas e História, em três Polos de Apoio Presencial: Jundiaí, na Grande Natal, Nova Cruz e Currais Novos. Os aprovados nos dois editais deverão iniciar seus estudos no segundo semestre letivo de 2021. Mais uma vez, a Educação a Distância da UFRN cumpre o papel social de aproximar os que vivem distantes dos grandes centros urbanos da realização do sonho do diploma de curso superior.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Processo seletivo da UFRN com 302 vagas residuais para o período 2021.2 encerra dia 22

Foto: Cícero Oliveira

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Núcleo Permanente de Concursos (Comperve), segue em aberto com processo seletivo para Reocupação de Vagas Residuais com ingresso nos cursos de graduação no período letivo de 2021.2, para os Campi de Natal, Caicó, Currais Novos e Santa Cruz. São disponibilizadas 302 vagas. As inscrições iniciadas em 6 de agosto podem ser realizadas na página da Comperve, até as 23h59 do dia 22 de agosto. A taxa de inscrição é de R$ 30.

O processo seletivo se destina a candidatos que têm ou tiveram vínculo com curso de graduação em Instituição de Ensino Superior. As vagas residuais são geradas por cancelamentos de curso, conforme o Regulamento dos Cursos Regulares de Graduação da UFRN. As vagas ofertadas são para os cursos nas áreas de Ciências da Vida e da Saúde – Campus Natal e Multicampi (Caicó, Currais Novos e Santa Cruz), e de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e de Ciências Exatas e Tecnológicas – para o Campus Natal.

A seleção dos candidatos será realizada em duas etapas: Avaliação do Resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de caráter eliminatório e classificatório, sendo os candidatos classificados de acordo com as notas obtidas no Exame; e Avaliação Institucional e Acadêmica, de caráter classificatório, sendo atribuída aos candidatos pontuação, de acordo com o Anexo II do Edital (tabela de pontuação – avaliação institucional e acadêmica).

Podem participar do processo seletivo para reocupação de vagas residuais os candidatos com vínculo ativo em curso de graduação: na UFRN – em curso distinto daquele que tenha vínculo ativo (atual); em outra Instituição de Ensino Superior – para o mesmo curso daquele que o candidato tem vínculo ativo (vínculo atual); candidatos portadores de diploma de curso de graduação – desde que a inscrição seja para curso distinto do que o candidato tenha concluído; estudantes de graduação da UFRN que tiveram seu curso cancelado –  por abandono de curso, por decurso de prazo máximo ou por insuficiência de desempenho acadêmico – nos períodos de 2016.1 a 2020.2.

Todas as informações sobre o processo seletivo de reocupação de vagas residuais da UFRN podem ser consultadas no edital. O resultado final deve ser divulgado no dia 24 de setembro, na página da Comperve.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Locais de prova do Enade podem ser alterados até 31 de agosto; 42 cursos de graduação da UFRN irão participar do Exame

Foto: Cícero Oliveira

Os locais de prova para os estudantes que farão o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) podem ser alterados até o dia 31 de agosto. A alteração deve ser feita pelos coordenadores dos cursos no Sistema Enade. Em 2021, 42 cursos de graduação da UFRN, nas modalidades presencial e ensino a distância, irão participar do Exame. A prova vai acontecer no dia 14 de novembro.

As inscrições dos estudantes habilitados a participarem do Exame estão sendo feitas pelos coordenadores até 29 de agosto e, após a inscrição, os estudantes concluintes habilitados para o Enade 2021 também devem preencher o cadastro e o Questionário do Estudante até o dia 13 de novembro.

No caso deles estarem em outra cidade e não tiverem como fazer o Enade no local onde acontece a graduação, poderão solicitar a alteração do local de prova, que é feita no Sistema pelo coordenador do curso. Para isso, precisam entrar em contato com as coordenações e comunicar a impossibilidade de realizar a prova no  município de funcionamento do curso ou do polo de apoio presencial.

Os estudantes precisam ficar atentos também ao prazo caso necessitem de atendimento especializado e/ ou tratamento pelo nome social. A solicitação poderá ser feita entre 30 de agosto e 3 de setembro, no Sistema Enade. Todas as orientações sobre o Exame estão disponíveis no Edital, publicado pelo  Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Os cursos participantes do Enade na UFRN são: Ciências Biológicas (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); Ciência da Computação (Bacharelado); Física (Licenciatura e Licenciatura EaD); Matemática (Licenciatura e Licenciatura EaD); Química (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); Pedagogia (Licenciatura e Licenciatura EaD); Artes Visuais (Licenciatura); Ciências Sociais (Bacharelado e Licenciatura); Design (Bacharelado); Filosofia (Bacharelado e Filosofia); Geografia (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); História (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); Letras – Inglês (Licenciatura); Letras – Português (Licenciatura e Licenciatura EaD); Educação Física (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Tecnológico – EAJ); Música (Licenciatura); Geografia (Bacharelado e Licenciatura – Ceres); História (Bacharelado e Licenciatura – Ceres), Matemática (Licenciatura – Ceres); Pedagogia (Licenciatura – Ceres); Sistemas de Informação (Ceres); Letras – Português e Inglês (Felcs); Letras – Português (Felcs).

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, bem como o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial. Saiba mais sobre o Enade neste link.

Com UFRN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

OPORTUNIDADE: UFRN lança edital com 302 vagas residuais para o período 2021.2

Foto: Cícero Oliveira

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Núcleo Permanente de Concursos (Comperve), lançou edital do processo seletivo para Reocupação de Vagas Residuais com ingresso nos cursos de graduação no período letivo de 2021.2, para os Campi de Natal, Caicó, Currais Novos e Santa Cruz. São disponibilizadas 302 vagas. As inscrições acontecem na página da Comperve, a partir das 8h do dia 6 de agosto até as 23h59 do dia 22 de agosto. A taxa de inscrição é de R$ 30.

O processo seletivo se destina a candidatos que têm ou tiveram vínculo com curso de graduação em Instituição de Ensino Superior. As vagas residuais são geradas por cancelamentos de curso, conforme o Regulamento dos Cursos Regulares de Graduação da UFRN. As vagas ofertadas são para os cursos nas áreas de Ciências da Vida e da Saúde – Campus Natal e Multicampi (Caicó, Currais Novos e Santa Cruz), e de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e de Ciências Exatas e Tecnológicas – para o Campus Natal.

A seleção dos candidatos será realizada em duas etapas: Avaliação do Resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de caráter eliminatório e classificatório, sendo os candidatos classificados de acordo com as notas obtidas no Exame; e Avaliação Institucional e Acadêmica, de caráter classificatório, sendo atribuída aos candidatos pontuação, de acordo com o Anexo II do Edital (tabela de pontuação – avaliação institucional e acadêmica).

Podem participar do processo seletivo para reocupação de vagas residuais os candidatos com vínculo ativo em curso de graduação: na UFRN – em curso distinto daquele que tenha vínculo ativo (atual); em outra Instituição de Ensino Superior – para o mesmo curso daquele que o candidato tem vínculo ativo (vínculo atual); candidatos portadores de diploma de curso de graduação – desde que a inscrição seja para curso distinto do que o candidato tenha concluído; estudantes de graduação da UFRN que tiveram seu curso cancelado –  por abandono de curso, por decurso de prazo máximo ou por insuficiência de desempenho acadêmico – nos períodos de 2016.1 a 2020.2.

Todas as informações sobre o processo seletivo de reocupação de vagas residuais da UFRN podem ser consultadas no edital. O resultado final deve ser divulgado no dia 24 de setembro, na página da Comperve.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

UFRN terá 42 cursos participando do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2021

Em 2021, o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) terá a participação de 42 cursos de graduação da UFRN, nas modalidades presencial e ensino a distância. A prova vai acontecer no dia 14 de novembro. As inscrições dos estudantes habilitados a participar do Exame serão feitas pelos coordenadores dos cursos no Sistema Enade até o dia 8 de agosto.

Após a inscrição, os estudantes concluintes habilitados para o Enade 2021 também devem preencher o cadastro e o Questionário do Estudante até o dia 13 de novembro. O estudante que precisar de atendimento especializado e/ou tratamento pelo nome social pode solicitar entre os dias 30 de agosto e 3 de setembro, no Sistema Enade.

As principais datas, diretrizes e os procedimentos do Enade foram anunciados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), por meio do Edital n.º 36/2021, publicado no dia 13 de julho, no Diário Oficial da União.

Os cursos participantes do Enade na UFRN são: Ciências Biológicas (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); Ciência da Computação (Bacharelado); Física (Licenciatura e Licenciatura EaD); Matemática (Licenciatura e Licenciatura EaD); Química (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); Pedagogia (Licenciatura e Licenciatura EaD); Artes Visuais (Licenciatura); Ciências Sociais (Bacharelado e Licenciatura); Design (Bacharelado); Filosofia (Bacharelado e Filosofia); Geografia (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); História (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); Letras – Inglês (Licenciatura); Letras – Português (Licenciatura e Licenciatura EaD); Educação Física (Bacharelado, Licenciatura e Licenciatura EaD); Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Tecnológico – EAJ); Música (Licenciatura); Geografia (Bacharelado e Licenciatura – Ceres); História (Bacharelado e Licenciatura – Ceres), Matemática (Licenciatura – Ceres); Pedagogia (Licenciatura – Ceres); Sistemas de Informação (Ceres); Letras – Português e Inglês (Felcs); Letras – Português (Felcs).

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, bem como o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial. Saiba mais sobre o Enade neste link.

Com UFRN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Núcleo de Educação da Infância(NEI-UFRN) retorna às aulas no modelo híbrido no dia 26 de julho

Foto: Wallacy Medeiros

O Núcleo de Educação da Infância da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (NEI/UFRN) se prepara para retomar as atividades escolares no modelo híbrido no dia 26 de julho. O retorno será feito de forma gradual e escalonada, de acordo com as orientações do Conselho Nacional de Educação (CNE) e do Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

De início, voltarão as turmas dos 4º e 5º anos do Ensino Fundamental — Anos Iniciais e uma turma da Educação Infantil, mas o plano é de acrescentar gradualmente mais turmas com a melhora das condições sanitárias. Caberá às famílias optarem pela participação das crianças nas atividades presenciais, de maneira híbrida ou exclusivamente remota até que a pandemia da covid-19 esteja controlada.

A escola garante o funcionamento de um protocolo de biossegurança para retorno das atividades em formato híbrido. Foram realizadas adequações e reformas físicas necessárias, além do treinamento dos funcionários. Entre as normas de segurança, está o uso obrigatório de máscara por todas as crianças e adultos que estiverem nas dependência do NEI, aferição de temperatura, higienização das mãos, distanciamento dentro e fora das salas de aula e priorização dos ambientes ao ar livre para atividades pedagógicas.

Esta não é a primeira vez que o NEI experiencia o retorno. Foram duas vivências híbridas desde o início da pandemia. Em 2020 e em 2021, com as turmas dos 5º anos, foram realizadas atividades pedagógicas com o propósito de vivenciar o protocolo e ajustar condutas para retornar oficialmente agora.

A diretora do Núcleo, Maristela Mosca, comenta sobre o empenho da gestão para que o retorno aconteça e a parceria com o Centro de Educação (CE), com a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp) e com a Reitoria. “É um trabalho coletivo que busca trazer as condições necessárias para este momento de retorno, desde o acolhimento pessoal e emocional dos nossos servidores, das crianças e das famílias até a organização dos espaços e tempos, das atividades pedagógicas, a preparação e distribuição da merenda, o treinamento e fiscalização da limpeza e higienização. Nossas expectativas centram-se na resposta a todos esses cuidados, no nosso papel de referência na educação no estado e na confiança de toda a comunidade escolar”, pontua.

Com UFRN

Opinião dos leitores

  1. Apenas a título de informação, o modelo de ensino que todos chamam de HÍBRIDO na verdade é modelo misto, pois o híbrido é quando parte da carga horária de determinado curso ou disciplina é ministrada presencial e a parte restante é ministrada no formato EAD. No caso do sistema que as escolas adotaram nesse período de pandemia, o formato é misto, pois o que acontece é que todos estão participando das aulas com o conteúdo sendo todo repassado (para a turma), de forma on-line (alguns alunos na sala de aula presencial e o restante da turma no formato remoto). Isso é sistema misto.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *