UFRN segue com campanha de vacinação contra Influenza

Foto: Luciana Eduardo

Dando continuidade à campanha de Vacinação contra Influenza, a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp) da UFRN vacina, até 22 de maio, pessoas com 60 anos ou mais de idade e profissionais da saúde. O atendimento ocorrerá a partir das 7h30, no auditório da Diretoria de Qualidade de Vida, Saúde e Segurança no Trabalho (DAS) ou pelo sistema drive thru, que permite a vacinação sem sair do carro.

De acordo com a DAS, o horário de atendimento pode sofrer variações em função da quantidade de vacinas recebidas diariamente da Secretaria Municipal de Saúde. Dessa forma, o atendimento está condicionado ao estoque de vacinas.

Com identidade, quem tem 60 anos ou mais deve se dirigir ao auditório da DAS, na entrada em frente à parada do circular na Praça Cívica do Campus Central. Já os profissionais da saúde devem ir à entrada principal da DAS, com comprovante de profissão. Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail [email protected]

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlúcio disse:

    Gostaria de parabenizar a Diretoria de Atenção a Saúde do Servidor por mais essa ação em prol do bem estar da população.

Teleatendimento Covid-19 da UFRN auxilia pessoas até fora do estado com qualquer sintoma e evita superlotação em unidades de saúde

Enfermeira Fernanda Lira é durante atendimento ao público – Foto: Cedida

Teve algum sintoma que lembra uma gripe e ficou em dúvida do que fazer? O Instituto de Medicina Tropical da (IMT/UFRN) disponibilizou um número de telefone (84) 3342-2300 para tirar esse tipo de dúvida e evitar que as pessoas superlotem ou se exponham nas unidades de saúde durante a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). O serviço, implantado com apoio da Superintendência de Informática da UFRN (Sinfo) e realizado com apoio de diversas unidades da UFRN, atendeu mais de 500 pessoas do RN e outras regiões do país só na primeira semana.

Durante as ligações, profissionais de saúde estão disponíveis para tirar dúvidas e fornecer orientações com o objetivo de diminuir a sobrecarga nos serviços de saúde e a consequente propagação do vírus na comunidade. O IMT explica que o serviço não vai oferecer consultas médicas, apenas tirar dúvidas básicas que incluem o direcionamento para a unidade de saúde adequada conforme os sintomas relatados, seguindo o plano de contingência do município de Natal.

A equipe de atendimento é formada por médicos e doutorandos de Medicina, além de enfermeiros do IMT, dos departamentos de Infectologia e Odontologia da UFRN e da Divisão de Atenção à Saúde do Servidor (DAS/UFRN). “Os nossos profissionais estão sempre se atualizando em relação às determinações federais, estaduais e municipais no que diz respeito aos fluxos e serviços disponíveis”, explica Fernanda Lira, enfermeira do IMT.

De acordo com ela, a equipe está atendendo a um público bem diversificado, formado por gente de várias idades: adultos jovens e idosos. “O trabalho está sendo bem positivo porque sentimos que as pessoas estão sanando dúvidas importantes, o que impacta diretamente na ida deles aos serviços de saúde. Escutamos as queixas ou dúvidas do cidadão, assim como fazemos investigação ativa de sintomas ou comorbidades para favorecer a resposta qualificada”, acrescentou.

As respostas mais frequentes, de acordo com a enfermeira, são relativas a orientações com o paciente sintomático respiratório dentro do domicílio e esclarecimento sobre os pacientes que têm indicação de coleta de amostras para teste de laboratório, incluindo a indicação dos locais de coleta. Também é feito o direcionamento correto, conforme plano de contingência, para os serviços de saúde, de acordo com a sintomatologia descrita e o histórico de saúde, se for o caso.

Fernanda avalia que educação em saúde é uma importante ferramenta no combate à pandemia, extensivo ao enfrentamento de outras doenças que atingem a nossa sociedade, especialmente respiratórias. “Estamos em um processo de digitalizar tudo o que foi documentado em cada atendimento para ter uma avaliação mais acurada sobre as principais inquietações da população do nosso estado”, finalizou.

Com informações da UFRN

Projeto da UFRN vai ajudar vacinação de idosos em condomínios de Natal durante a pandemia

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte, por meio do projeto de extensão “ESTRATÉGIAS DE APOIO À CAMPANHA DE VACINAÇÃO DE IDOSOS CONTRA INFLUENZA NO MUNICÍPIO DE NATAL/RN: uma ação complementar no combate a COVID-2019”, está contribuindo a Secretaria Municipal de Saúde de Natal na vacinação de idosos contra a influenza. A ação visa diminuir os riscos que esta população estaria exposta se aglomerada em espaços coletivos.

Nesse sentido, as unidades envolvidas no projeto de extensão (Departamentos de Enfermagem, Departamento de Saúde Coletiva, Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva, Diretoria de Atenção à Saúde do Servidor, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Instituto Envelhecer o e o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde – LAIS) disponibilizaram os números de telefone do Instituto Envelhecer para cadastramento dos condomínios através dos síndicos.

No entanto, em virtude do congestionamento das linhas telefônicas do Instituto Envelhecer, o grupo gestor do projeto está desenvolvendo uma plataforma que estará disponível no site do LAIS (https://lais.huol.ufrn.br/), a partir do dia 28/03/2020, para que os síndicos dos condomínios (e somente eles) acessem e cadastrem os idosos com 60 anos ou mais residentes, moradores dos respectivos condomínios, exclusivamente.

Para o cadastramento é necessário informar nome completo, idade, data de nascimento, e ainda se os idosos residentes já foram vacinados nesta campanha ou não.

Recomendamos que até que a plataforma esteja pronta, os síndicos iniciem a busca das informações que serão enviadas por meio da plataforma.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cabo Silva disse:

    Comece providenciando as vacinas!!!
    O LAIS é aquele enrolado na justiça com o programa da SIFILIS???

    • Ricardo Lúcido disse:

      Cabo Silva . Como autoridade militar de tão graduada patente , sugiro que se informe melhor sobre o que é o LAIS , e a importância desse serviço na inovação e gerenciamento médico em todo Brasil . Vovô me contava uma história muito engraçada . Soldado Totonho tinha 29 anos de PM , desses 28 servindo na mesma cidade , ao completar 29 anos e 11 meses foi promovido a cabo . Orgulhoso desfilava pela cidade com o novo uniforme devidamente normatizado com as insinuando de Cabo e o nome CB TOTONHO . Passsando pela farmácia foi cumprimentado por dona ZEFA , irmã do prefeito e senhora de destaque na sociedade local : “ PARABÉNS TOTONHO ! Agora já é cabo ! “ . Totonho parou , inchou o peito em posição de autoridade e respondeu . “ E EU DRUMO DONA ZEFA “ . Só para descontrair Silva .

UFRN adquire kits e começa a testagem para Covid-19

Foto: Anastácia Vaz

A UFRN começou a realizar nessa quarta-feira, 25, testes para detecção do Covid-19 em pacientes do estado. Foram adquiridos kits para realização de três mil exames com recursos próprios da instituição e do seu Instituto de Medicina Tropical (IMT). Seguindo o protocolo do Ministério da Saúde, todas as amostras estão sendo coletadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (LACEN/RN) e, em seguida, testadas no IMT e no Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas (DACT). Desde a semana passada, o DACT já estava atuando na identificação de arboviroses e outras infecções respiratórias para reduzir esta demanda do LACEN, que precisa concentrar sua força de trabalho nos exames de detecção do novo vírus.

De acordo com o chefe do DACT, Andre Ducati Luchessi, a força-tarefa com a realização de testes também na UFRN permite que a capacidade do Lacen possa ser aumentada. “Os três laboratórios estão processando três vezes o que o Lacen conseguiria processar em um único dia. Isso vai gerar um dinamismo muito grande”, conta. Para ele, a partir do momento que a UFRN chega com essa força-tarefa, ao lado do governo do Estado, por meio do Lacen, consegue ajudar a dar agilidade à situação. Ao demonstrar com rapidez os casos positivos e negativos, com números que se aproximam mais da realidade, os gestores têm maior condições de tomar as decisões, inclusive sobre a quarentena.

A diretora do IMT, médica Selma Jerônimo, chama atenção para a importância do esforço para acelerar o diagnóstico. Um paciente sem confirmação do novo coronavírus acaba ocupando leito no isolamento e ficando exposto ao risco de ser contaminado por quem realmente tem o vírus. “Esses testes são determinantes porque ajudam a distinguir os casos positivos de Covid-19. Com isso, temos condições de direcionar as pessoas acometidas para o tratamento adequado”, afirma Selma Jerônimo.

Francisco Paulo Freire Neto, farmacêutico-bioquímico do IMT, lembra que, o IMT também disponibilizou uma linha de teleatendimento para orientação das pessoas com sintomas respiratórios ou suspeita da Covid-19. O serviço está disponível das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, através do telefone 3342-2300. “O IMT foi pensado para responder a essas emergências e tem mostrado que, quando há uma necessidade, está pronto para atuar com apoio da comunidade universitária que tem conhecimento para atuar com qualidade”, finalizou.

Com UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. natalsofrida disse:

    BG, O IMT ARRASOU, PESSOAL MUITO EDUCADO E PRESTATIVO, FALEI COM O BRUNO QUE ME ATENDEU MUITÍSSIMO BEM, PASSOU TODAS AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS. MEU FILHO FICOU GRIPADO E TIVE QUE BUSCAR INFORMAÇÕES. PARABÉNS AO IMT E ESPECIALMENTE AO BRUNO QUE ME ATENDEU, SHOW DE BOLA.

Sem prazo para retorno de atividades, reitor publica Carta à comunidade da UFRN

Foto: Cícero Oliveira

O reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz, envia carta aberta à comunidade universitária sobre as ações de combate ao novo coronavírus (Covid-19). Confira o texto:

Natal, 22 de março de 2020.

Vivemos um momento particularmente difícil, com a chegada do novo coronavírus (Covid-19), que tem afetado a todos nós e a cada família brasileira, numa ocorrência que – por seu caráter de pandemia – verifica-se hoje em todos os lugares do mundo.

Na UFRN, bem no início da crise, criamos o Comitê Covid-19, formado por especialistas nesta área de conhecimento para nos assessorar nas decisões tomadas pela instituição. Atendendo sua recomendação, suspendemos por tempo indeterminado, as aulas, os eventos e, em seguida, todas as atividades presenciais não essenciais. Sabemos o quanto isso afeta as vidas de todos nós. Mas essa foi uma medida necessária para diminuir o convívio social enquanto durar o risco de transmissão do vírus.

A UFRN segue cumprindo sua missão institucional de compromisso com a sociedade, atuando em várias frentes para apoiar o enfrentamento dessa crise. Os nossos três hospitais universitários são parte do esforço conjunto em todo o estado, no combate ao novo coronavírus. O Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas está realizando exames de arboviroses para reduzir a demanda do Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte. Outro esforço, coordenado pelo Instituto de Medicina Tropical (IMT-UFRN), consiste na busca de aquisição de insumos necessários para iniciar testes do Covid-19. Além disso, uma linha de teleatendimento está sendo avaliada para implementação pelo IMT para informar e tirar dúvidas da população.

Estamos também buscando alternativas para a produção de álcool no Núcleo de Pesquisa em Alimentos e Medicamentos (Nuplam-UFRN) e no Departamento de Farmácia. Várias outras medidas podem ser tomadas, a exemplo da iniciativa do Departamento de Nutrição e do Programa de Pós-Graduação em Nutrição, que elaboraram uma cartilha nutricional de orientações de enfrentamento ao coronavírus. Ações como essas são muito importantes e exemplificam como a nossa diversidade de áreas de conhecimento permite contribuir de diferentes maneiras.

Não é possível ainda saber quando nossas atividades poderão ser retomadas. Por oportuno lembramos que ficar em casa e evitar contato físico com as pessoas é também uma maneira de ajudar e conter a disseminação do vírus. Portanto, pedimos a manutenção do diálogo pelos diversos canais de comunicação, em especial por meio dos nossos sistemas.

Por fim, queremos registrar os nossos sinceros agradecimentos aos servidores dedicados dos nossos hospitais, que estão e continuarão à frente deste enorme esforço de atendimento à população, bem como a todos os outros que mantêm as atividades essenciais.

Reiteramos a necessidade de ressaltar que o momento exige ainda mais solidariedade de cada um de nós. Estamos confiantes de que superaremos unidos este momento e que dele haveremos de sair mais fortes.

Agradecemos a compreensão de cada um e reforçamos que a UFRN continuará à disposição do nosso estado e do nosso país.

José Daniel Diniz Melo
Reitor

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Guilherme disse:

    Sair mais forte? O Brasil vai sair dessa destroçado. Os danos serão gigantes com milhões de desempregados à beira de passar fome.

    • Zuza disse:

      Sugira o que se deve fazer! Já está tão convicto do que vai acontecer…

    • George disse:

      Uma das soluções possíveis, é isolar apenas os idosos e pessoas do grupo de risco, o restante da população continuaria girando a economia.

      Mas teria de haver um cuidado grande com os idosos, eles parariam de abraçar os netos, ficariam em cômodos separados, quando fossem comer as embalagens deveriam ser limpas e etc.

      Soluções existem, mas a mais fácil e preguiçosa é dizer: Ninguém mais sai de casa!

      É a mesma coisa de proibir carros de transitarem pra parar com os acidentes de carro.

UFRN planeja produzir álcool para o Estado

Foto: Cícero Oliveira

O Núcleo de Pesquisa em Alimentos e Medicamentos (Nuplam/UFRN) deverá iniciar, nesta semana, a produção em cinco meses de 55 mil litros de álcool 70%, em uma ação de parceria com o governo do estado, durante a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). O Núcleo estima alcançar uma capacidade de produção e envasamento de 11 toneladas/mil litros do produto por mês, e está disponibilizando sua infraestrutura para executar a diluição e manipulação do álcool, eficaz na desinfecção das mãos e objetos.

Enquanto não se consegue agilizar a importação de polímero, matéria prima para a produção de álcool em gel, em falta no mercado nacional, o Nuplam começará a produzir o produto líquido. Os insumos necessários, álcool, embalagem, rotulagem, serão destinados através de doação ou por meio de compra direta partilhada entre a UFRN e o governo do Estado.

A direção do Nuplam, reforça que a unidade tem estrutura física, servidores qualificados e competência para atender a essa demanda, tendo em vista a escassez de produtos para a prevenção. “Estamos movimentando todos os esforços para assegurar essa produção com intenção de minimizar os efeitos dessa pandemia”, acrescenta a professora Lourena Mafra, vice-diretora do Nuplam.

Nesse domingo, 22, o reitor José Daniel Diniz, publicou uma carta aberta à comunidade explicando as ações e medidas tomadas pela UFRN durante essa crise internacional. Além desse trabalho do Nuplam, ele informou que os três hospitais universitários são parte do esforço conjunto em todo o estado no combate ao novo Coronavírus.

Disse ainda que o Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas está realizando exames de arboviroses para reduzir a demanda do Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte. Outro esforço, coordenado pelo Instituto de Medicina Tropical (IMT-UFRN), consiste na busca de aquisição de insumos necessários para iniciar testes do Covid-19.

Leia documento na íntegra neste link.

Com UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marieta disse:

    Onde podemos adquirir para o consumo familiar e qual o preço por litro?

  2. Eduardo Trindade disse:

    Protestar e fazer companha contra o governo federal eles nem pensam, realizam de imediato, mesmo que não exista causa, eles dificultam, e formam versão para o protesto e a crítica.
    Mas para fazer algo pela população e benefício do povo, precisa pensar, analisar, ponderar, ver, enfim, assim são aqueles que estão ideologicamente afetados por posição político partidária.
    É um sistema todo aparelhado para servir a uma causa política ideológica.

  3. Narcisio disse:

    Planejam????? Não acham que estão muito atrasados

  4. Antonio Turci disse:

    A UFRN fechou portas, janelas e portões. Seus muitos e bem remunerados "professores doutores" , como exigem set tratados, estou de folga. Agora fala em produzir álcool……

  5. George disse:

    Em 5 meses produzir 55 mil litros de alcool.

    Pra quê usar a universidade pra isso?
    E, se dependessemos da UFRN pra desinfetarmos as nossas mãos então já podemos contar com o alcool pra AGOSTO ou SETEMBRO, muito bom isso!

    • Renato disse:

      Aprenda a interpretar texto. Não é a partir de setembro, mas durante os próximos cinco meses…

  6. Severino disse:

    Não consigo entender como um estado tem várias usinas de açúcar e álcool, e está faltando, na verdade temos uma governadora fraca sem aptidão para o cargo, senão já teria se reunido com os dirigentes dessas usinas, pra garantir o produto nas prateleiras dos mercados. governadora, acorde vá trabalhar, estamos numa situação de guerra. Aví

    • Henrique mota disse:

      Não falta álcool falta o polímero para produzir o álcool em gel.

    • Severino disse:

      Pois aí é o pior, um ingrediente que representa pouco no produto final, e que o mercado interno é autosuficiente, porque o gestor não interfere no processo, e potencializa isso. Injustificável, mostra total inapetencia da governadora para o cargo.

UFRN decide suspender aulas por conta da pandemia de coronavírus

Após reunião do Comitê Covid-19 da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), na manhã desta terça-feira, 17, o grupo recomendou a suspensão das aulas presenciais. Dessa forma, o reitor José Daniel Diniz Melo acatou a orientação da comissão de especialista e as aulas de graduação e pós-graduação ficam suspensas por tempo indeterminado.

Seguindo a avaliação constante da situação nacional e internacional dos casos do novo coronavírus, a decisão do Comitê Covid-19 da UFRN levou em consideração a necessidade de maximizar as medidas preventivas, para reduzir a contaminação, e a grande preocupação que assola a comunidade universitária, inviabilizando as atividades.

Para o reitor Daniel Diniz, o Comitê Covid-19 foi criado devido à preocupação com a situação do novo coronavírus e com o intuito de manter a comunidade universitária segura. “Ficamos sob alerta e em contato constante com o Comitê para embasar nossas medidas. Hoje, nosso grupo de especialistas recomendou a suspensão e acatamos a orientação para preservar a saúde dos integrantes da UFRN”, explicou o professor.

A UFRN atualizará a comunidade universitária, conforme novas decisões.

Comitê Covid-19 da UFRN

O Comitê Covid-19 da UFRN foi criado pelo reitor Daniel Diniz para assessorar a gestão no monitoramento e na atualização das recomendações das autoridades sanitárias. O grupo é presidido pelo vice-reitor Henio Miranda, e conta com as participações do responsável pela Diretoria de Atenção à Saúde do Servidor (DAS), Benedito Baracho; do médico pneumologista, Renan dos Santos; do chefe do Departamento de Infectologia, Kleber Luz; da vice-diretora do Instituto de Medicina Tropical (IMT), Eliana do Nascimento; e do professor do Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Joselio de Araújo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mario disse:

    TODAS AS VIDAS IMPORTAM!

    Exigimos que todas as atividades acadêmicas e administrativas da UFRN, exercidas por técnicas e técnicos, terceirizadas e terceirizados, trabalhadores e trabalhadores da FUNPEC, estudantes-bolsistas, professoras e professores, sejam imediatamente suspensas, sem qualquer desconto em suas remunerações!

    O vice-reitor da UFRN externou na manhã do dia 17.03, em entrevista na FM Universitária, que as aulas presenciais da UFRN estão suspensas. Infelizmente, a posição mantém algumas atividades acadêmicas e TODAS as atividades administrativas! Estas últimas, realizadas principalmente por trabalhadoras e trabalhadores técnico-admnistrativos, pessoal terceirizado e bolsistas, não são mais importantes do que nossas saúdes e vidas. Casos específicos de trabalho que lidam com vidas ou serviços considerados inadiáveis devem ser tratados como exceção; não como regra.

    Exigimos que a Reitoria revise sua posição e pare de hierarquizar nossas vidas! A possibilidade de contágio é maior em salas de aulas, entre professores e estudantes, mas não é desprezível na aglomeração de trabalhadores nos demais setores da UFRN, bem como na exposição destes em suas rotinas e em transportes coletivos para acessar o local de trabalho. Além disso, a continuidade dessas atividades poderá estimular a procura por atendimento presencial por parte dos alunos e da sociedade. A suspensão deve seguir sendo reavaliada, à medida que a pandemia for avançando e sendo controlada. A suspensão não trará prejuízos irrecuperáveis para a UFRN, mas pode ser fatal para as pessoas.

    Demandamos que a reitoria receba a representação das servidoras e servidores técnico-administrativo o mais rápido possível e que o Sintest, sindicato que representa a referida categoria da UFRN, exija nessa reunião que técnicos, terceirizados, fundacionais, bolsistas, professores-gestores sejam liberados de suas atividades administrativas imediatamente.

    Pedimos ao DCE, a ADURN e a toda comunidade que se junte a essa luta não apenas pelas categorias que representam, mas por todas e todos nós, na certeza de que todas as vidas importam!

    #TodasAsVidasImportamUFRN

    COLETIVO LUTA EDUCADORA – UFRN

  2. Riva disse:

    Testei positivo pra ódio do Bolsonaro e de todos os bolsominions que colocaram o país nas mãos desse incapaz.

    • Getúlio disse:

      Tá com saudades dos larápios petralhas? Não faz nem um ano que eles não roubam o dinheiro da nação. Chora não.

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Parabéns UFRN! Temos que fechar a porta antes do ladrao entrar. Até agora só não vi nada com relação as audiências do TRT/RN, onde no saguão de espera das audiências é um verdadeiro perigo para proliferação do coronavírus.

  4. Corona disse:

    Agora a galera está do jeito que gosta, sem aulas, podem fumar e beber o dia todo e no final do mês o salário dos servidores e professores na conta.

    • Uthred disse:

      Sempre tem um idiota para fazer um comentário idiota

    • Pedro disse:

      É por causa de jumentos como tu que o vírus está se espalhando.

    • Amauri disse:

      Voce pode bater no peito hoje e dizer bem alto: EU SOU UM CONVERSADOR DE BOXTA! cada idiota que vem comentar aqui….

  5. Pedro disse:

    Sábia decisão…são cerca de 25 mil alunos circulando no Campus diariamente e não há um só leito de UTI disponível no Estado.

UFRN segue com atividades e publica portaria com orientações sobre o coronavírus

Reitores da UFRN, UFERSA e IFRN discutem medidas sobre o coronavírus – Foto: Cícero Oliveira

Acompanhando a situação do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil e tomando como base as orientações de especialistas, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) publica, nesta segunda-feira, 16, a Portaria Covid-19. Com vigência de 60 dias e condicionada à manutenção da situação de Emergência de Saúde Pública, o documento contém orientações sobre as atividades acadêmicas e administrativas da comunidade universitária.

Durante reunião com os diretores de centro, instituto e unidade acadêmica especializada da UFRN, o reitor José Daniel Diniz Melo explicou que a Portaria foi elaborada sob a orientação do Comitê Covid-19 da UFRN. Para este momento, a instituição mantém as atividades universitárias, porém estabelece medidas e orientações, que podem sofrer alterações conforme a avaliação do grupo de especialistas em saúde.

A Portaria lista medidas preventivas para os grupos de risco e aborda sobre a autorização, em caráter excepcional, da realização de ensino a distância ou exercício domiciliar em turmas de componentes curriculares presenciais. Outro ponto destacado no documento é a autorização do teletrabalho para os servidores do grupo de risco, além do incentivo do atendimento não presencial a aposentados, pensionistas e para outros casos específicos.

A publicação trata ainda sobre a suspensão das autorizações de afastamento de servidores para viagens interestaduais ou internacionais e orienta que os integrantes da comunidade universitária que retornarem de viagem internacional fiquem afastados por 14 dias, em regime domiciliar, a contar da data de retorno ao país. Fica suspenso qualquer apoio à participação de estudantes em atividades que impliquem viagens interestaduais ou internacionais.

No intuito de evitar aglomerações de pessoas, os gestores de unidades acadêmicas e administrativas devem reavaliar a realização de eventos de grande porte, no âmbito das suas unidades. Fica recomendada também que as bancas com participação de examinadores externos ocorra por meio de videoconferência.

Confira a Portaria na íntegra: Portaria Covid-19

Comitê Covid-19 da UFRN

O Comitê Covid-19 da UFRN foi criado pelo reitor Daniel Diniz para assessorar a gestão no monitoramento e na atualização das recomendações das autoridades sanitárias. O grupo é presidido pelo vice-reitor Henio Miranda, e conta com as participações do responsável pela Diretoria de Atenção à Saúde do Servidor (DAS), Benedito Baracho; do médico pneumologista, Renan dos Santos; do chefe do Departamento de Infectologia, Kleber Luz; da vice-diretora do Instituto de Medicina Tropical (IMT), Eliana do Nascimento; e do professor do Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Joselio de Araújo.

Confira aqui outras notícias sobre o coronavírus do Portal da UFRN.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ROBSON disse:

    É absurdo e irresponsável a tomada dessa decisão da ufrn, precisam lembrar que em cada sala de aula tem no mínimo 30 estudantes e um professor em local fechado e com ar condicionado, nesse caso basta apenas um aluno infectado para infectar vários colegas.

  2. Pedro disse:

    Bando de imbecis, por se acharem doutores, acham que podem tudo, inclusive expor funcionários e alunos a uma situação de risco. Certamente os que tomaram essa decisão infame, não pisam nas salas de aulas, vivem confinados nos gabinetes inacessíveis. Pulhas sem cabeça.

    • Bruno Alves disse:

      E nao pisam mais na sala de aula mesmo! Nao sabem nem mais o q é um quadro!
      #Vergonha

    • Priscila Vasconcelos disse:

      Essa decisao é ridícula! A populacao desaprova essa conduta dos reitores!!!!!!!! E acredito que os próprios funcionários e alunos tb!

  3. joao carlos disse:

    irresponsaveis! quando eh pra trabalhar fazem greve direto. agpra quando tem uma razao para parar nao querem!

  4. Marlene disse:

    Estão esperando a bomba explodir!

  5. Cabo Silva disse:

    É um total despreparo! Não há orientações preventivas pelos departamentos, deixando a critério da consciência de cada um. Aulas com portas e janelas abertas, num calor escaldante. Não há alcool em gel nos corredores e nem banheiros. Não orientam os alunos a sentarem com distância mínima de 1,5m entre um e outro…!

    • liandra disse:

      Pois é…
      Não pediram a opinião dos servidores para tomar essas decisões, ne?
      Com certeza na sala deles, tem álcool gel à vontade, já nos outros setores…

      Entao quando a bomba explodir, VOCÊS serão responsabilizados!

UFRN ajuda população a declarar Imposto de Renda 2020

Foto: Divulgação/UFRN

O curso de Ciências Contábeis da UFRN realiza, até o dia 29 de abril, a ação de extensão Imposto de Renda – Pessoa Física 2020, que tem o objetivo de ajudar a população da grande Natal na declaração imposto. O atendimento é aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 10h40 às 17h, em dois setores: no Núcleo de Prática Contábil (NPC) – em frente ao Setor de Aulas 1 – e na Empresa Júnior de Ciências Contábeis (Acont) – sala A3 do Setor de aulas 5.

O atendimento no NPC é voltado para pessoas com renda bruta anual de até R$ 100 mil. Para ter acesso ao serviço, os contribuintes com renda de até R$ 30 mil devem realizar a doação de 1 pacote de leite em pó; os com renda entre R$ 30 e R$40 mil, devem doar 2 pacotes de leite; aqueles com renda entre R$ 40 e R$ 50 mil, 3 pacotes; entre R$ R$ 50 e R$ 75 mil, 1 pacote de fraldas geriátricas; e entre R$ 75 e R$ 100 mil, 2 pacotes de fraldas geriátricas.

Já a empresa Acont atende pessoas sem limite de rendimentos com as seguintes exigências: para aqueles com rendimentos de até R$ 50 mil, o serviço terá custo mínimo de 4 pacotes de leite em pó mais uma taxa de R$ 20; para as pessoas com rendimentos entre R$ 50 e 100 mil, será necessária a doação de 4 pacotes de leite em pó e uma taxa de R$ 30; já para quem teve rendimentos entre de R$ 100 e 150 mil, é cobrada a doação de 2 pacotes de fraldas geriátricas mais a taxa de R$ 30; e para aqueles com renda acima de R$ 150 mil, é exigida doação de 4 pacotes de fraldas geriátricas mais R$ 40.

Os servidores da UFRN também serão atendidos pela Acont. Para isso, é solicitada a doação de um kit de higiene pessoal composto por shampoo, condicionador, sabonete, pasta de dente, escova de dente e desodorante, além de uma taxa de R$ 30.

Para realizar a declaração, é necessário que o contribuinte compareça a um dos locais de atendimento com os seguintes documentos: comprovante de rendimentos de 2019, de despesas com saúde, educação, registros ou carnês de financiamentos, dados de bens (carros e casas, por exemplo), além de movimentação de poupanças e contas correntes.

O projeto envolve alunos do curso Ciências Contábeis da UFRN, entre voluntários e trainees da Acont, que passaram por treinamentos específico para os sistemas de Receita Federal no final do mês de fevereiro deste ano e estarão escalados nos horários da manhã e tarde.

A ação de extensão é realizada desde 2006 e, no ano passado, foram feitas mais de 900 declarações, arrecadando mais de um tonelada de alimentos, 234 pacotes de fraldas geriátricas e 95 kits de higiene, que foram distribuídos em 7 instituições filantrópicas da grande Natal e 5 famílias carentes.

A coordenação do projeto aconselha a população a buscar o atendimento nos primeiros dias, como forma de evitar grandes filas de espera. Outras informações podem ser consultadas no Instagram da Acont ou através do e-mail [email protected].

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Selma Maria de Freitas Holder disse:

    Como retirar o extrato para imposto de renda da UFRN

UFRN incentiva medidas de prevenção ao coronavírus

Foto: Wallacy Medeiros

Atento aos casos de coronavírus (Covid-19) que estão sendo registrados no Brasil e no mundo, o reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, reuniu-se na tarde dessa terça-feira, 10, com representantes da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp) e do Centro de Ciências da Saúde (CCS), para discutir as principais medidas preventivas que devem ser adotadas na instituição, como o estímulo à lavagem regular das mãos e o uso do álcool em gel.

Cumprindo com sua missão social, a UFRN participou da elaboração do Protocolo Clínico para Manejo de Pacientes do estado e promoveu aula aberta para comunidade universitária, no início de fevereiro. Já na reunião dessa terça, o reitor Daniel Diniz explicou que o objetivo foi analisar os procedimentos internos para evitar o coronavírus.

Nessa perspectiva, o perito médico da UFRN e pneumologista, Renan Laurindo Dantas dos Santos, tranquilizou a gestão universitária explicando que, neste momento, não há necessidade de isolamento de pessoas que não apresentem sintomas. “A vida deve seguir normal, tomando cuidados preventivos básicos, como a higiene regular das mãos”, esclareceu o médico.

Outra medida preventiva sugerida foi que os membros da comunidade acadêmica posterguem as viagens para as zonas de risco, como a China, Itália e Coreia do Sul, que são os países com maior número de casos confirmados, segundo o site do Ministério da Saúde (MS). Clique aqui para conferir os números de casos registrados no Brasil e no mundo.

O pneumologista Renan dos Santos apresentou ainda o Fluxograma de Atendimento Médico para os Casos Suspeitos de Coronavírus no Pronto Atendimento da Diretoria de Atenção à Saúde do Servidor (DAS), o qual traz orientações para a triagem de casos suspeitos. Participaram também do encontro o vice-reitor Henio Miranda, a pró-reitora de Gestão de Pessoas, Mirian Dantas, o diretor da DAS, Benedito Braz Baracho, e o diretor do CCS, Antônio de Lisboa Lopes Costa.

Coronavírus: sintomas e prevenção

O coronavírus é um vírus que causa infecções respiratórias e teve seu novo agente descoberto em 31 de dezembro de 2019, após casos registrados na China, quando passou a ser denominado de Covid-19. Segundo o Ministério da Saúde, as investigações sobre as formas de transmissão da doença ainda estão em andamento. Contudo, neste momento, sabe-se que a disseminação ocorre de pessoa para pessoa pelo ar ou por contato com as secreções contaminadas (saliva, espirro, tosse, catarro). Os principais sintomas são semelhantes a um resfriado, podendo causar infecção do trato respiratório, como as pneumonias – febre, tosse, dificuldade para respirar.

Os casos graves da doença devem ser encaminhados aos hospitais de referência. No RN, as unidades hospitalares são o Hospital Giselda Trigueiro (Natal), Hospital Maria Alice Fernandes (Natal) e o Hospital Rafael Fernandes (Mossoró). Já os casos suspeitos leves podem não necessitar de hospitalização, sendo acompanhados pela Atenção Primária e instituídas medidas de precaução domiciliar, conforme avaliação médica.

A prevenção é baseada em cuidados básicos como:

– Lavar bem as mãos frequentemente com água e sabonete ou usar desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Ficar em casa quando estiver doente;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Com UFRN

 

Laboratório de Sismologia da UFRN registra tremores no Oceano Atlântico


Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) registrou um tremor de terra de aproximadamente 5.0 de magnitude na escala Richter, a 1.715 quilômetros de Natal, na manhã desta terça-feira (10), mais precisamente às 4h20. No mapa, o tremor é indicado pela estrela vermelha.

No domingo (8), já havia sido registrado um outro tremor, a 1.440 Km ao Norte da capital potiguar, às 19h49. Assim como o primeiro, este também registrou intensidade 5 na escala Richter.

O epicentro do tremor desta terça foi localizado em região oceânica, próximo também ao arquipélago de São Paulo e São Pedro, Recife e Fernando de Noronha, indicado na imagem por uma estrela vermelha.

No final de fevereiro, outros dois tremores foram registrados pelo Labsis. Os eventos, no entanto, aconteceram mais distantes, a mais de 2,7 mil km de distância e a Sudeste de Natal.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Interessante é ter gente que acha que as desgraças não ocorrem consigo nem com ninguém conhecido ou parente. Aliás, as desgraças só ocorrem com os outros. Sei não viu.

  2. Ítalo Vasconcelos disse:

    Meu Deus do céu, o que é que eu tenho a ver com isso, Homi pelas caridade o que é que isso muda na minha vida, isso é coisa pra quem não tem juízo.

  3. Zuza disse:

    A tsunami pode chegar.

  4. Junior Mendonça disse:

    Esse laboratório da UFRN é uma comédia.
    Erram e se precipitam demais, parecem pardais em busca de alimento. Erraram diversas vezes em Caraúbas no interior, onde em vez de tremores, era apenas uma pedreira que existe na cidade, já neste caso da matéria é apenas os movimentos da placas tectônicas. Kkk

Estudo da UFRN mostra a riqueza dos resíduos do solo potiguar para a construção civil

Foto: Reprodução/UFRN

A utilização de água em larga escala somada ao descarte inadequado de substâncias tóxicas por parte da indústria de construção civil motivou pesquisadores do Centro de Tecnologia da UFRN (CT) a buscar novos materiais que impactem cada vez menos o meio ambiente. O estudo tem como objetivo reaproveitar e valorizar resíduos como a manipueira, scheelita e o pó de pedra, resíduos próprios do território potiguar, de modo a desenvolver materiais sustentáveis ideais para as condições climáticas da região, gerando menos gastos e menos danos ao meio ambiente.

Inicialmente, o grupo — coordenado pelos professores Wilson Acchar, do Departamento de Física Teórica e Experimental da UFRN, Vamberto Monteiro, do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), e alunos do mestrado em Materiais e Processos Construtivos — estudou o planejamento da base estrutural da parede, na busca por um tipo de tijolo mais sustentável, e em seguida explorou a possibilidade de utilizar esses resíduos nas argamassas. Além disso, foram resgatadas técnicas antigas de construção, como as edificações de adobe, propondo uma adaptação mais moderna nessa retomada. O estudo obteve resultados bem promissores com essa adaptação. “No processo, percebemos propriedades bem melhores em todos os aspectos, como resistência e absorção”, afirma o mestrando Rayanderson Saraiva, um dos integrantes da pesquisa.

Planta do projeto e amostras dos recursos utilizados. Foto: Hogla Geovanna

Um dos resíduos utilizados, a manipueira, um líquido proveniente da produção de mandioca que oferece riscos aos lençóis freáticos, muitas vezes é mal descartado por casas de produção de farinha, como destacou um dos pesquisadores, Jonathan Macedo. Isso acontece no momento em que se prensa a macaxeira: um líquido nocivo ao meio ambiente é expelido, contendo elevada carga de materiais orgânicos danosos e ácido cianídrico que atingem o lençol freático.

A manipueira é, de fato, significativamente danosa, porém o cianeto contido nela é extremamente volátil, então, quando exposta ao ambiente em qualquer temperatura na faixa dos 20°C, já é suficiente para que evapore. Se o cianeto for exposto por um período de 24 horas, por exemplo, a meia-vida do seu teor cianídrico cai pela metade, depois de 48 horas cai por um quarto e assim sucessivamente. Além do mais, a manipueira extraída no Rio Grande do Norte é mais suave, pois a mandioca, conhecida como mansa, que é trabalhada no litoral, não contém tanto ácido cianídrico.

Outra característica crucial para o projeto é o fato da manipueira poder substituir a água potável no processo de hidratação do cimento, de acordo com Jonathan. “Vimos que foi bastante viável, atendeu a todas as normas, obtendo até resultados melhores do que com tijolo convencional”, afirma. O tijolo de manipueira apresenta apenas um pouco de porosidade externa. Contudo, em termos técnicos, esse tijolo tem mais resistência que o convencional. Não obstante, devido a presença do cianeto e do enxofre, a manipueira também serve para combater pragas, como formigas e insetos.

Outro material pesquisado, a scheelita, é encontrado em grande proporção na Mina Brejuí, em Currais Novos. O mineral, quando unido ao pó de pedra e à manipueira, promove um melhor empacotamento das partículas nos tijolos, tornado o material resultante mais maleável e de fácil manuseio. O tijolo convencional tem várias consequências negativas ao meio ambiente, por causa dos impactos provenientes de sua fabricação: a produção dos tijolos de resíduos evita a liberação de gases tóxicos, que acontece no processo de queima tradicional.

É assim que a produção de tijolo de solo-cimento passa a ser o objeto de pesquisa das construções inovadoras. O pesquisador Ricardo Ramos afirma que o tijolo feito de solo, cimento e manipueira foi alvo de “testes obtendo a combinação de resíduos, de forma que a união proporcione melhoria nas propriedades”.

Casas ecológicas e a problemática das zonas bioclimáticas

(mais…)

FOTOS: Artista plástico e professor da UFRN será homenageado com a maior honraria do Corpo de Bombeiros de São Paulo

Fotos: cedidas

O artista plástico e professor do Departamento de Artes, do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da (CCHLA/UFRN), Marcos Alberto Andruchak, será agraciado com a “Medalha Comemorativa do Centenário do Corpo de Bombeiros de São Paulo”, maior honraria da instituição que é destinada a pessoas com relevantes serviços prestados ao Corpo de Bombeiros e a sociedade paulista.

“Esta honraria provavelmente nos está sendo concedida por conta do Projeto de Extensão Arte Brasil, do Departamento de Artes da UFRN, onde vimos trabalhando Arte e Design Urbano desde 2009 e através do qual já produzimos mais de 100 murais no Brasil e também no exterior. Em São Paulo fizemos em 2016 um grande mural no Centro de Memória dos Bombeiros. Posteriormente fizemos outros trabalhos, um no Comando central e outro na ESB – Escola Superior de Bombeiros, além dos murais monumentos na USP, no IFSP, no Comando da ROTA da Polícia Militar e na UNITAU -Universidade de Taubaté”, destacou o professor Andruchack.

A solenidade da entrega da Medalha Comemorativa estava marcada para esta quarta-feira, 11, porém devido aos recentes desastres naturais com as chuvas em São Paulo que vitimaram várias pessoas, incluindo dois bombeiros, uma nova data será marcada.

Mesmo assim, o professor estará na capital paulista para ministrar no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), em parceria com profissionais da arte e design do mercado brasileiro, palestra sobre “Como a arte se relaciona ao design, à indústria criativa e aos negócios?”, no Colóquio “Arte, Design e Mercado”, na quinta-feira, 12, no IFSP.

PERFIL

Marcos Andruchack, é natural do Paraná, artista plástico e professor da área de Arte e Arte Digital na UFRN. É doutor em Artes pela Universidade de São Paulo (USP) e trabalha com design gráfico animado, arte e novas tecnologias. É referência na pintura de painéis em grandes dimensões onde utiliza tintas acrílicas, relevos e o estilo geometricista. Suas obras estão espalhadas em várias partes do Brasil e no mundo.

Na UFRN é possível contemplar a arte do professor Andruchack em vários pontos como o painel da Biblioteca Central Zila Mamede, na fachada do CCHLA e no DEART.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Franco disse:

    Parabéns ao artista.
    Por falar em UFRN, tem gente se destacando em outras áreas também:
    https://olhardigital.com.br/ciencia-e-espaco/noticia/projeto-melhora-em-100-vezes-visao-de-cacador-de-exoplanetas/97122

Departamento de Psicologia da UFRN oferece tratamento para Transtorno de Insônia

Foto: Ilustrativa

O Grupo de Neurociências Aplicadas, Processos Básicos e Cronobiologia (GPNaPbC), do Departamento de Psicologia (Depsi/UFRN), junto ao Laboratório de Especificação e Teste de Software, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), desenvolveu um aplicativo para tratamento de transtorno de insônia e oferece atendimento gratuito aos voluntários.

O tratamento ocorrerá sob a fase de coleta de dados para o aplicativo. O público-alvo são pessoas entre 18 e 45 anos, residentes do estado do RN, que acham que possuem ou foram diagnosticadas com transtorno de insônia, mas que não estão em tratamento no momento. Para agendar uma avaliação, os voluntários precisam entrar em contato pelo e-mail [email protected].

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aldenira Oliveira disse:

    Também, concordo com você Lusiene espero que á faixa etária seja revista.

  2. Lusiene Araújo disse:

    Bom dia!!!! Gostei muito da iniciativa e parabenizo e desejo sucessos para toda a equipe. Mas, porque essa limitação de idade? Acho que a f sua etária que mais tem problemas com sono ficou de fora. Ou vocês pretendem incluí-los em outra pesquisa. Já agradecendo, aguardo retorno, porque me interessa muito.

MPF arquiva notícia de fraude de cota racial para ingresso em Medicina na UFRN

Foto: Oscar Cowley – Ascom PR/RN

O Ministério Público Federal (MPF) arquivou representação criminal contra candidata que ingressou no curso de Medicina da UFRN alegando ser parda. Visualmente, a partir de imagens de redes sociais, a pele da candidata aparenta ser branca.

Segundo Kleber Martins, procurador da República responsável pelo caso, concluir que a candidata cometeu o crime de falsidade ideológica tendo por base apenas o documento em que se declara como parda e a visualização de sua pele é praticamente inviável. Há uma contradição entre a lei criminal (art. 299 do Código Penal) e a lei que prevê o critério étnico-racial (Lei nº 12.711/2012).

Enquanto aquela exige que o criminoso tenha certeza absoluta que está mentindo na declaração, esta permite que o candidato se autodeclare como pertencente à etnia merecedora da cota, deixando ampla margem para a subjetividade. “É nesse espaço de subjetividade que há lugar tanto para a mentira (configuradora do crime) quanto para o erro ou o mero descompromisso no preenchimento do documento (não configuradores do crime, mas capazes de levar à desclassificação do candidato)”, explicou.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

UFRN parabeniza pesquisador por conquista de financiamento de R$ 1 milhão

Foto: Reprodução

O reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, recebeu nesta quarta-feira, 4, o professor Rafael Chaves, do Instituto de Física (IIF/UFRN), que conquistou recentemente o financiamento de R$ 1 milhão do Instituto Serrapilheira. O apoio financeiro subsidiará as pesquisas desenvolvidas na UFRN na área da informação quântica, que estuda como sistemas microscópicos — átomos, elétrons, fótons, entre outros  — podem ser usados para processar informação.

Dentro desse campo do conhecimento, Rafael Chaves trabalha especificamente com o uso da teoria matemática da causalidade para entender os fenômenos quânticos. A partir dessa abordagem, é possível, por exemplo, garantir a segurança da informação por meio das próprias leis da física, com base nos protocolos de criptografia quântica. O professor explica que sua pesquisa explora a ciência básica, na qual é comum encontrar a possibilidade de aplicações até então inesperadas, tais como o uso da física quântica na área da medicina.

“Com o financiamento, teremos uma liberdade maior para estudar perguntas mais amplas e gerais, sem a pressão de gerar resultados rápidos”, destaca. Para os próximos três anos, o grupo de pesquisa terá como foco as linhas de estudo em técnicas de inteligência artificial, na aplicação em outras áreas do conhecimento e no entendimento das características físicas, estatísticas e computacionais da rede quântica de comunicação, para guiar o desenvolvimento da internet quântica — uma nova proposta de conexão entre computadores que tem as vantagens de ser fundamentalmente segura e proporcionar economia na quantidade de informação enviada.

Daniel Diniz parabenizou o professor pelo financiamento e reconheceu o mérito do grupo para o desenvolvimento do trabalho. “A UFRN apresenta constante fortalecimento em termos de pesquisa e reconhecimento internacional. Nesse sentido, a gestão tem o papel de criar as condições necessárias para garantir o prosseguimento da pesquisa”, assegurou o reitor, que recebeu demandas para resolução. Também participaram da reunião a pró-reitora adjunta de Pesquisa da UFRN, Elaine Cristina Gavioli, e o diretor e vice-diretor do IIF, Álvaro Ferraz e Sylvio Quezado, respectivamente.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Clara disse:

    Jesus amado…Que saudades do tempo em que recalque era algo a se esconder… Parabéns ao jovem professor e à gloriosa UFRN que segue fazendo seu trabalho a despeito das pedradas.

    • Herculano disse:

      Pois eh. Um investimento desta envergadura em pesquisa na atual conjuntura, eh algo a se comemorar! Sem contar no nível da pesquisa em si! Mas há algo que não tem preço: a ignorância de muitos!!!

  2. Cigano Lulu disse:

    Novidade zero. Esse povo da Uferrenê sempre foi doido por dinheiro. Ainda que não confesse, por ele faz tudo e um pouco mais.