Período de colações de grau coletiva na UFRN tem início nesta sexta-feira e segue até 15 de março

A realização das sessões coletivas de colação de grau dos concluintes do período letivo 2018.2 tem início nesta sexta-feira, 11, e segue até o dia 15 de março. O prazo está previsto no calendário acadêmico da Instituição, estabelecido na Resolução 063/2017 do Conselho de Administração (Consad).

Com formato recente, a colação de grau coletiva é um ato protocolar para conclusão dos cursos, no qual os alunos recebem o diploma de graduação no momento do evento. Contudo, seguem o protocolo com as normas da Universidade, embora com uma dinâmica diferenciada, haja vista que não há uma mesa de honra e os alunos entram em cortejo com os outros colegas da turma e seu respectivo padrinho ou madrinha, por exemplo. O novo modelo visa o uso racional dos recursos públicos, a padronização das cerimônias e a garantia de uma solenidade mais democrática.

Com informações da UFRN

Cursinho do DCE da UFRN oferece bolsas para estudantes da rede pública; inscrições até o dia 18

O cursinho preparatório para o Enem do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRN vai realizar uma nova seleção de bolsistas a partir da segunda-feira, dia 14. As inscrições acontecem das 9 às 15h, e seguem até o dia 18. Estão sendo oferecidas vagas para as turmas de fevereiro. A oportunidade é voltada para estudantes socioeconomicamente carentes, que concluíram ou estão concluindo o ensino médio na rede pública de ensino.

Os interessados em participar do processo seletivo devem se dirigir à sede do Cursinho do DCE, localizada no Setor 1 da UFRN, portando documentos para comprovar a renda do núcleo familiar – como contracheque, Carteira de Trabalho ou declaração do Imposto de Renda. Também é necessário levar uma cópia do histórico acadêmico do ensino médio e uma carta escrita à mão justificando o interesse na bolsa.

Vale lembrar também que, além de ter finalizado ou estar finalizando o ensino médio em escolas municipais e/ou estaduais, os interessados não podem ter sido alunos em nenhum curso técnico, profissionalizante, de graduação ou pós-graduação.

Confira o edital clicando neste link: EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTAS

Você pode acessar nossa postagem ensinando quais tópicos podem ser interessantes para colocar na sua carta. Acesse: Como fazer uma carta para o processo seletivo de bolsistas?

Com acréscimo de informações do G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joab lima de sousa disse:

    Como eu faço pra me escrever estou tentando mas não estou conseguindo

UFRN publica nomeação de 58 novos servidores para cargos de técnico-administrativos e quadro permanente de professores

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, 2, duas portarias com a nomeação de candidatos habilitados em concurso público para servidor. Foram nomeadas 58 pessoas para cargos técnico-administrativos e nove para o quadro permanente de professores, dentre estes cinco do magistério superior e quatro do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. Os candidatos têm 30 dias para tomar posse, conforme o disposto na lei nº 8.112/90.

As nomeações contemplam os cargos de analista de tecnologia da informação; arquiteto e urbanista; bibliotecário documentalista; enfermeiro; engenheiro; farmacêutico, jornalista; médico; psicólogo; técnico em assuntos educacionais; tecnólogo formação secretariado; tecnólogo formação marketing; zootecnista; assistente em administração; desenhista técnico; técnico em contabilidade; técnico em enfermagem; tradutor e intérprete de Linguagem de Sinais; assistente de aluno e operador de luz.

As portarias estão disponíveis nos links: https://bit.ly/2GQEfl5 (técnico-administrativos) e https://bit.ly/2VwBhWa (professores).

Com informações da UFRN

Instituto Ágora, da UFRN, publica edital atualizado para cursos de idiomas

O Instituto Ágora, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), publicou edital retificado para o processo referente aos cursos de idiomas oferecidos para o primeiro semestre de 2019. O documento atualizado possui apenas alterações nos horários de algumas turmas.

São oferecidas aulas de alemão, espanhol, francês, inglês, libras, hebraico, grego clássico e latim, destinadas a estudantes da UFRN, servidores e público externo, além de português exclusivamente para estrangeiros. As inscrições abrem no dia 4 de fevereiro de 2019.

O período para o processo de inscrição no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa) varia, dependendo do tipo de vaga solicitada e se o ingressante está inserido na categoria de bolsista ou de contribuinte. As inscrições devem ser efetuadas pelo portal público do Sigaa, seguindo os passos: Processos Seletivos > Formação Complementar.

Os cursos são oferecidos em três modalidades: básico, leitura para fins acadêmicos e conversação. Para os interessados em ingressar no curso em algum nível mais avançado que o inicial, é necessário realizar o teste de nivelamento no dia 13 de fevereiro, aplicado para todos os idiomas, exceto o inglês, que acontece no dia 14 de fevereiro.

O edital atualizado e com detalhes sobre as inscrições pode ser acessado neste link.

Com informações da UFRN

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) aprova criação de novos cursos de pós-graduação da UFRN

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) aprovou a criação de duas novas opções de pós-graduação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Os resultados foram divulgados na última quarta-feira, 20, durante a 182ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES), realizada no período de 12 a 14 de dezembro, em Brasília.

Os cursos aprovados são o mestrado acadêmico em Engenharia Aeroespacial em Rede, uma parceria com as Universidades Federais do Maranhão (UFMA) e de Pernambuco (UFPE), vinculado à Escola de Ciência e Tecnologia (ECT-UFRN); e o mestrado acadêmico em Geografia, do Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres-UFRN), que é o segundo dessa modalidade vinculado a uma unidade do interior.

De acordo com o pró-reitor de Pós-Graduação (PPG), Rubens Maribondo, o mestrado em Geografia do Ceres-UFRN é mais uma ação da UFRN em prol da interiorização do ensino público e de qualidade. Dessa forma, com a aprovação desses novos cursos, a Universidade passa a ter 125 pós-graduações Stricto Sensu em funcionamento, sendo  48 doutorados, 47 mestrados acadêmicos e 30 mestrados profissionais.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Miro disse:

    É a burocracia que não para de crescer, devorando tudo de dinheiro que tem pela frente. Ainda bem q criaram a PEC do Teto. O Brasil fudido e vcs criando pós graduação em Geografia. Pqp

    • Wfc disse:

      É por não pensar geograficamente o espaço que o cerca que os brasileiros estão nessa encrenca. Logo se percebe seu analfabetismo no assunto.

    • Marcos Aurélio disse:

      Incrível, como aparece cada comentário… Tem analista no blog que entende de jogo de biloca até lançamento de foguete. É brincadeira…
      Gente, pós graduação seja em qual área for, traz mais conhecimento e desenvolvimento, ainda mais para uma micro região tão importante como o Seridó. Parabéns à UFRN pela conquista.

Comperve divulga resultado do processo seletivo para 446 vagas residuais na UFRN em diversos cursos de graduação

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Núcleo Permanente de Concursos (Comperve), divulgou, na última sexta-feira, 14, os resultados do processo seletivo de vagas residuais com entrada em 2019.1. Foram oferecidas 446 vagas em diversos cursos de graduação da UFRN, nos campi de Natal, Macaíba, Caicó, Currais Novos e Santa Cruz.

Na lista de aprovados, que pode ser conferida no site da Comperve, constam o resultado final, as respostas aos recursos contra a pontuação da prova de títulos, as respostas aos recursos contra a pontuação da prova de redação, o resultado dos títulos após análise de recursos e o resultado da redação após análise de recursos.

O cadastramento dos candidatos aprovados, independentemente da cidade sede do curso no qual o candidato obteve aprovação, será realizado no Anfiteatro D da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) da UFRN, localizada no Campus Central da UFRN, na Av. Senador Salgado Filho, 3000, em Natal/RN, conforme quadro disposto no edital de cadastramento e matrícula.

Com informações da UFRN

UFRN oferece mais de 50 vagas em concurso público para professores; remunerações variam de R$ 2.236 a R$ 10.058

A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), abre, a partir do dia 26 de dezembro, as inscrições para concurso público destinado ao provimento de cargos para professores do magistério superior nas classes adjunto e auxiliar.

Estão sendo oferecidas 52 vagas, sendo 11 reservadas para pessoas com deficiência. As vagas são distribuídas por unidade de lotação, área, cargo/classe/padrão, regime de trabalho e requisitos para investidura no cargo, conforme o quadro de distribuição anexado no edital.

Os profissionais que assumirem estas funções devem atuar em jornadas de 20 ou 40 horas semanais ou em regime de dedicação exclusiva. As remunerações variam de R$ 2.236 a R$ 10.058 ao mês.

As inscrições ficam abertas até dia 24 de Janeiro de 2019, pelo portal do Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH), no menu Concursos, onde se encontram disponíveis o edital e o formulário de inscrição. A taxa de inscrição varia de R$ 50 a R$ 220, dependendo do cargo. Os candidatos que desejam pedir isenção devem se inscrever até 18 de janeiro de 2019.

As avaliações consistem em: prova didática, avaliação de títulos e produção intelectual, as quais têm aplicação prevista para acontecer a partir do dia 28 de abril de 2019. O cronograma completo com as demais datas pode ser consultado no edital.

As informações são da UFRN

Reunião do movimento Marcha da Maconha acontece nesta terça na UFRN

Reprodução: Facebook

A Marcha da Maconha é um movimento político e social que acontece há mais de dez anos no Brasil e luta pela legalização da maconha. Na capital potiguar, interage com seus seguidores através da rede social Facebook sobre atividades durante o ano.

Neste fim de ano, nesta terça-feira(11), a partir das 18h, o movimento Marcha da Maconha Natal se reúne no Departamento de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte com as pautas: extrato de atividades 2018 e planejamento 2018.

Um resumo do movimento em escala nacional

Trata-se de um dia de luta e manifestações favoráveis a mudanças nas leis relacionadas a maconha, em favor da legalização da cannabis para fins de medicinais, regulamentação de comércio e uso.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cristiano disse:

    Porque a imprensa não noticia isso nacionalmente pra da mais conotação política a esta Universidade?

  2. LULADRÃO disse:

    É o retrato da UFRN após o desgoverno petista. Aquela instituição virou uma casa de mãe Joana. É um antro de homossexualidade e libertinagem em todos os sentidos.

  3. paulo martins disse:

    Ora, se a Uferrenê precisa fazer marcha da maconha. Aquilo ali já é um paraíso jamaicano.

  4. Pedro Ernesto Guanabara disse:

    Não me espanto pelo local escolhido.
    A lenda reinante diz que o setor II e um local onde a maconha foi liberada e o foi sob olhos complacentes de quem deveria combater isso.
    Será?

  5. lampejao disse:

    Estudar que é bom esses Vagabundos nao querem!!!

  6. Brasil! disse:

    A UFRN já era!

  7. Teixeira disse:

    Que nível se tornou os profissionais formados pelas universidades do pais, profissionais escravos de substâncias ilícitas e delirantes, ? Deus acuda a humanidade?

  8. Igo disse:

    Pega um cigarro de maconha e enfia no c.. desses manés. Vão estudar bando fariseu.

  9. Silvio disse:

    Pau nesses vagabundos. Uma lavagem de roupa seria um bom começo pra esses maconheiros.

  10. Tina disse:

    Patrocinado pelo sindicato ou do pcc? Tem que investir nesses petralhas, vai que luladrão é inocentado.

  11. Anderson disse:

    Chibata no lombo desses marinheiros.

    • Marcelo disse:

      Porque marinheiro?
      Somos de uma classe de muito trabalho, honestidade e princípios éticos e morais. Pense bem antes de falar ou julgar alguém!

    • Sérgio Nogueira disse:

      kkkkkkkkkkkkkkkkk, desculpe, não tive como me conter.

  12. FRANCISCO DAS C A COSTA disse:

    olha o fumaçe aí gente. O PAÍS COM TANTOS PROBLEMAS DEIXADOS PELOS QUE QUERIAM UM FUMAÇE MUITO MAIOR , PODENDO AJUDAR A DIMINUIR A POLUIÇÃO TAO QUERENDO É AUMENTAR. POLITICA DA BOA.

  13. Anderson disse:

    Ai lilo

  14. Anderson disse:

    Se é um "movimento político e social", por que usar a máquina pública como escritório e palco de "planejamento"?

Inscrições para cursos técnicos em Agroindústria e Agropecuária da Escola Agrícola de Jundiaí(EAJ), na Grande Natal, encerram dia 30

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) está com inscrições abertas até sexta-feira, 30 de novembro, para o Processo Seletivo dos cursos técnicos em Agroindústria e Agropecuária.

Para se inscrever, o interessado deve ter concluído o Ensino Médio ou concluí-lo até dezembro deste ano. A ficha para inscrição está disponível no site da EAJ www.eaj.ufrn.br (aqui) e deve ser preenchida e enviada para o email [email protected] ou deixada na Sala da Assessoria de Políticas Acadêmicas, no prédio da Direção, juntamente com um documento que comprove a conclusão do Ensino Médio.

A prova será aplicada no dia 9 de dezembro de 2018, das 14 às 17 horas, no Setor de aulas da Graduação na EAJ, em Macaíba. Serão vinte questões objetivas contextualizadas nas Ciências Agrárias e na Matemática, além de uma redação. Os candidatos que obtiverem pelo menos 30% de acerto nas questões objetivas terão a redação corrigida.

São 30 vagas para Agroindústria e 30 para Agropecuária com ingresso no primeiro semestre de 2019. Metade das vagas são reservadas para quem cursou todo o Ensino Médio em escolas públicas, desse percentual, 50% serão direcionados para quem tem renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio. Também há cotas para autodeclarados pretos, pardos e indígenas.

A EAJ dispõe de auxílios residência, alimentação, transporte e moradia para os alunos regularmente matriculados em cursos técnicos presenciais como forma de apoio à inclusão, permanência e êxito dos estudantes.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jessica disse:

    Onde vejo a homologação do curso subsequente?

FOTOS: Estudante de mestrado em Engenharia Civil da UFRN desenvolve estrutura inovadora em madeira

Uma estrutura inovadora com estética contemporânea. Assim é a Gridshell Dunas, uma construção desenvolvida no Laboratório de Estudos da Madeira (Labem), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que utiliza a madeira pinus e parafusos rosqueados em seu método construtivo. Gridshell Dunas é considerada a primeira iniciativa do modelo para pesquisa no Nordeste brasileiro.

Desenvolvida no mestrado da estudante Isabela Souza, no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil com foco em Materiais e Processos Construtivos, o projeto tem orientação da professora Edna Moura Pinto e co-orientação do professor Alfredo Manuel Dias (Universidade de Coimbra/Portugal).

Montada no estacionamento do Núcleo Tecnológico da UFRN, ao lado do Labem, a Gridshell Dunas segue o modelo de casca reticulada, comumente utilizada na Itália e na Espanha. “Essas estruturas podem ser projetadas em diferentes materiais, e aqui escolhemos a madeira. As principais características do método dizem respeito à ausência de necessidade do uso de pilares intermediários e o baixo consumo de material em relação à superfície de cobertura da estrutura. Por esse motivo, o método se adequa satisfatoriamente à construção de ambientes de convivência, como pavilhões de feiras”, explica a professora Edna Moura Pinto.

“A materialização dessa pesquisa envolveu o apoio de diferentes agentes e a participação de alunos da pós-graduação da Engenharia Civil, graduação em Arquitetura, Centro de Tecnologia, Superintendência de Infraestrutura, Laboratório de Estudos da Madeira/ UFRN, a Escola Agrícola de Jundiaí, bem como o envolvimento da iniciativa privada e do terceiro setor, parceiros como o Estúdio Oito Engenharia e o Instituto de Inovação e Sustentabilidade”, comenta a mestranda Isabela Souza.

A Gridshell Dunas vem sendo planejada desde 2017. Foram feitas pesquisas, desenvolvimento de estrutura virtual em autocad e maquete até chegar à etapa de construção da grid, que cobre uma área de 20 metros quadrados.

O coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PEC), Fagner Alexandre Nunes de França, destaca o quanto o trabalho desenvolvido representa inovação. “É muito pertinente e interessante o trabalho desenvolvido com a Gridshell no PEC. É algo inexistente em Natal, que poderia ser muito bem aplicado em restaurantes da cidade sem muito custo para o investidor”.

Para o professor João Inácio da Silva Filho, vice-diretor interino da Escola Agrícola de Jundiaí, é motivo de muita felicidade colaborar com o projeto. “É muito bom ver a Universidade desenvolvendo projetos inovadores para o Estado, juntando o terceiro setor e a academia. Temos vários departamentos unidos no desenvolvimento deste projeto, que é o primeiro do Nordeste. Esta inovação deve ser valorizada e incentivada para sua ampliação”, aponta o João Inácio.

Em nova etapa do projeto, a estrutura montada na UFRN receberá uma fundação com eucalipto para ser construída uma área de convivência, que vai contar com jardineiras. Será também uma área de visitação para outras universidades, que tenham interesse em pesquisar o método.

Com informações da UFRN

 

MPF recomenda anulação de parte de concurso da UFRN

Entre outras irregularidades, uma das etapas da seleção para professor da área de Teoria Sociológica ocorreu antes do fim do prazo para recursos da etapa anterior

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) a anulação de parte do Concurso Público de Professor da Carreira do Magistério Superior, Classe Adjunto A (Edital n.º 35/2017). O pedido se refere especificamente à área de Teoria Sociológica e o MPF requer o cancelamento imediato de todos os atos relacionados a essa área, inclusive a eventual nomeação de candidatos.

De acordo com a recomendação, as provas didáticas do concurso tiveram o resultado publicado no dia 7 de abril deste ano. Como o prazo para recursos era de 24 horas e cairia em um domingo, por previsão do próprio edital deveria ser estendido para 9 de abril, uma segunda-feira. Contudo, a etapa seguinte do concurso (Prova de MPAP – Apresentação de Memorial e Projeto de Atuação Profissional) acabou sendo realizada antes, em 8 de abril.

Devido a essa e outras irregularidades, o Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da universidade chegou a anular por unanimidade – em 26 de junho – essa parte do concurso (tendo determinado a realização de nova seleção a partir da prova escrita), mas no final de julho mudou de posição e homologou os resultados. Essa mudança desrespeitou até mesmo o Regimento Geral da UFRN, que não prevê recursos em casos de decisões unânimes do Consepe.

Irregularidades – Somado à questão do prazo que foi desrespeitado, a recomendação do MPF, de autoria do procurador da República Ronaldo Sérgio Chaves Fernandes, aponta que a resposta dada a alguns recursos interpostos contra a prova didática – e que foram negados – também não esclareceram os motivos da negativa, pois não “indicam os fatos e fundamentos da decisão”, limitando-se a descrever que a nota seria mantida.

Ainda em relação a essas provas didáticas, não foi registrado o tempo de apresentação de cada candidato (muitos dos quais questionaram a gestão desse tempo através de recursos). Essa omissão é relevante, tendo em vista que ultrapassar o limite da prova poderia acarretar desclassificação automática do concorrente.

O inquérito também aponta que, nessa mesma etapa, embora uma candidata não tenha incluído em seu plano de aulas alguns itens (referências bibliográficas, recursos didáticos e procedimentos metodológicos), alcançou nota máxima nesses quesitos. Para o MPF, o fato demonstra “incoerência no sistema avaliativo”.

Quando da primeira decisão, pela anulação, o Consepe verificou mais alguns problemas, como “desproporcionalidade na atribuição de notas aos planos de aula de determinados candidatos e ausência de isonomia nas razões adotadas para a determinação das notas nessa fase”; “extrapolação da área objeto do concurso do Memorial” apresentado por um dos candidatos; além de equívocos na atribuição de pontos na fase de títulos.

“Todas essas considerações também revelam graves irregularidades na condução do referido certame”, acrescenta o procurador. Para o MPF, a “revalidação” do concurso público na área de Teoria Sociológica “viola frontalmente os princípios da legalidade, da isonomia e da transparência”. A Reitoria da UFRN tem um prazo de 10 dias, a partir do recebimento da recomendação, para informar quais providências foram adotadas.

http://www.mpf.mp.br/rn/sala-de-imprensa/noticias-rn/mpf-recomenda-anulacao-de-parte-de-concurso-da-ufrn

UFRN divulga demanda parcial de concurso técnico-administrativo

O Núcleo Permanente de Concursos (Comperve) publicou no site a demanda parcial e a validação de inscrições do concurso para provimento de cargo Técnico-Administrativo em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O concurso possui dois editais, o de número 016/2018, é referente aos cargos de Analista de Tecnologia da Informação, Arquiteto e Urbanista, Bibliotecário-Documentalista, Enfermeiro, Engenharia Civil, Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecatrônica, Farmacêutico, Jornalista, Médico/Endoscopia Peroral, Médico/Oftalmologia, Médico/Psiquiatria, Psicólogo Escolar, Técnico em Assuntos Educacionais, Tecnólogo/Formação Secretariado, Tecnólogo/Formação Marketing, Zootecnista, Assistente em Administração, Técnico em Contabilidade, Técnico em Enfermagem e Assistente de Aluno.

Já o edital de número 017/2018 é referente aos cargos de Desenhista Técnico/Área Comunicação Visual, Desenhista Técnico/Área Webdesigner, Técnico em Artes Gráficas, Técnico em Eletromecânica, Tradutor e Intérprete de Linguagem de Sinais e Operador de Luz.

As provas estão previstas para o dia 30 de setembro.

Com informações da UFRN

UFRN com inscrições abertas para o processo seletivo de reocupação de 446 vagas residuais

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) está com inscrições abertas, até o dia 17 setembro, para o processo seletivo de reocupação de vagas residuais para o período letivo 2019.1.

Podem participar da seleção pessoas com vínculo ativo na Universidade, portadores de diploma de graduação e candidatos que são ex-alunos de graduação da UFRN e que tiveram seu programa cancelado nos períodos de 2014.1 a 2018.2.

A inscrição deve ser feita no site do Núcleo Permanente de Concursos (Comperve) da UFRN. A seleção será constituída pelas seguintes provas: prova objetiva, sobre conteúdos específicos de Língua Portuguesa e Matemática, redação e prova de títulos.

O processo seletivo é destinado para reocupação de vagas nos Campi de Natal, Macaíba, Caicó, Currais Novos e Santa Cruz. A taxa de inscrição será no valor de R$ 30.

EDITAL AQUI

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marxluladrãosilva disse:

    A disciplina de lula tbm ou tão retaliando pq ele tá na frente das pesquisas junto com Hadad. Kkkkkk

UFRN forma centésima turma de Medicina na noite desta segunda

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza a Colação de Grau da centésima turma do curso de Medicina da instituição de ensino, com um total de 48 formandos, nesta segunda-feira, 23, às 20h, no Boulevard Recepções e Eventos, localizado em Nova Parnamirim.

A turma denominada de “Dr. Emerson Arcoverde Nunes” terá como patrono Robinson Dias de Medeiros e como paraninfo Alexandre Henrique Bezerra Gomes, além de prestar homenagem a cerca de 20 professores.

Atualmente, a UFRN oferta o curso de Medicina em Natal e na Escola Multicampi de Ciências Médicas (EMCM), que ocorre de forma presencial, com um total de 737 alunos ativos e 326 docentes vinculados ao curso.

60 anos

Completando 60 anos de criação, a UFRN tem o curso de Medicina como um dos pioneiros, juntamente com outras faculdades e escolas de nível superior, como a de Farmácia, Odontologia, Direito, Filosofia e Serviço Social, que integraram os primeiros cursos oferecidos pela universidade.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aldair Paiva disse:

    Parabéns a UFRN, formandos , e em especial ao Prof. Dr. Emerson Arcoverde, pela sua dedicação constante de transmissão de boas práticas pelo exemplo.

Laboratório do Comportamento Humano da UFRN recruta voluntários

O Laboratório de Evolução do Comportamento Humano (LECH), vinculado ao Centro de Biociências (CB), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) está recrutando voluntários para participarem da pesquisa Estratégias sexuais e escolha de parceiros em pessoas transgêneras, desenvolvida pelo mestrando Rodrigo Gomes no Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia.

A pesquisa, que é coordenada pelo professor Felipe Nalon, do Departamento de Fisiologia da UFRN, tem como meta contribuir para uma melhor compreensão científica das transgeneridades com foco na saúde psicológica das pessoas trans.

Os pesquisadores buscam a participação de pessoas transgêneras, transexuais ou travestis com idade a partir de 18 anos que estejam ou não em processo de hormonização e que tenham ou não passado por processo cirúrgico de redesignação sexual e, para fins comparativos, homens e mulheres heterossexuais. Para participar da pesquisa o interessado deve enviar uma mensagem, até o dia 1º de maio, para o e-mail [email protected] para agendar um horário.

A pesquisa será realizada entre os meses de abril e agosto e funciona por meio de aplicação de questionário presencial no LECH, com duração média de 20 minutos. Dentre os instrumentos aplicados estão uma escala de autoestima e um levantamento sociodemográfico, além de outros específicos. Todos os dados fornecidos são tratados de forma anônima.

O objetivo do estudo é contribuir para o aprofundamento do conhecimento sobre a população de pessoas transgêneras através da investigação de como se dão as relações românticas e quais as características preferidas em um parceiro entre pessoas transgêneras. A ideia é entender as estratégias sexuais sob a perspectiva evolucionista do estudo do comportamento e os critérios de preferência na escolha de parceiros.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Helio Mota disse:

    Se na UFRN não estudarem alguma coisa relacionada a gays e afins ou não é na UFRN ou não quer ser.

Alunos da UFRN planejam levar filhos para salas de aula em protesto contra humilhação de colega por professor

Após o caso da estudante Waleska Maria Lopes, impedida de assistir aula com sua filha de cinco anos na UFRN, vir a público em reportagem do G1, alunos da universidade reportaram ao BlogdoBG que estão organizando um protesto.

De acordo com os relatos, os estudantes estão programando levar seus filhos para as salas de aulas em solidariedade à estudante, que se viu em situação de humilhação. Ela informou ao G1 que vai prestar boletim de ocorrência por agressão moral e constrangimento.

O fato aconteceu na terça-feira (6) durante a aula de Introdução à Sociologia do curso de Ciências Sociais da UFRN. “Me senti muito mal. Minha filha perguntou se não podia mais assistir às minhas aulas. Se era por causa dela. É uma grande humilhação. A única família dela sou eu. Ela só tem a mim. Foi terrível”, relatou a aluna ao G1.

O professor que provocou os eventos, Alípio Sousa Filho, afirmou que a criança interrompe o andamento da aula. Após a saída da aluna, ele foi gravado pelos demais alunos dizendo o seguinte:

“Ela encontre uma rede de solidariedade para cuidar da criança. Não consegue essa rede de solidariedade? Repense sua vida. Não tem que estar fazendo Ciências Sociais, não tem que estar estudando na universidade. Você só faz isso se tiver condições. Agora não vai impôr à instituição coisas que não são assimiladas pela instituição (…) ‘ah, eu sou pobre, não tenho’. Problema seu, a universidade não tem problema com isso, se vire”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Se fosse num curso de ciências exatas, que requer alto nível de concentração a turma já tinha expulsado a aluna.

  2. Felipe disse:

    curso de ciencias sociais, se for ver a concorrencia, realmente só entra em sua maioria gente que estudou pouco p/ estar la. Aí da nisso aí. Tem filho e nao precisa estudar muito p/ entrar no curso. Olhaí no que deu. Agora vai ver se ela com essa filha se ela teria tempo p/ estudar p/ passar no curso de direito. Eu duvido meu amigo. Aí pronto, acha que depois que entrou no curso de ciencias sociais na moleza, aí acha que tambem vai terminar o curso na moleza, so no Brasil mesmo

    • Tatiana disse:

      Meu pai estudou direito na São Francisco, dita a melhor em direito no Brasil. Ele conta que tinha uma colega que sempre levava a filha, desde o início até o final do curso, e ninguém se incomodava. Aí é que está, lugar de gente esclarecida.

      Pra falar merda, é melhor ficar quieto. Ou você é mais um dos frustradinhos da vida que não aguenta ver diferenças sociais?

  3. Felipe disse:

    se eu fosse professor, e esses pseudo-estudantes levassem seus filhos p/ assistir aula, eu simplesmente parava de dar aula e ia informar os orgaos competentes o motivo por ter parado a aula. Simples assim. Alias, era o mais prudente que esse professor deveria ter feito. Ele tem o direito de dar a aula dele sem ninguem fazendo barulho, ali ne cabaré nao, é uma instituiição que merece respeito por parte dos alunos.

    • Tatiana disse:

      Representando o professor machista, elitista? Está com tempo extra pra comentar por aqui? Esse professor merece ser exonerado por não saber aplicar na prática o que "ensina" na teoria. Zero pra ele, e zero pra você!

  4. Felipe disse:

    Sinceramente, se eu fosse aluno da UFRN e alguma colega minha de classe levasse a filha dela pequena p/ ficar gritando alto, chorando ou falando alto (sim, porque crianças pequenas normalmente são assim), eu é quem iria denunciar essa situação aos orgaos competentes, porque, eu como aluno, tenho o direito de assistir aula sem nenhum barulho. Que egoismo enorme o das pessoas que nao se importam se seus colegas vao se sentir incomodados ou nao com o barulho de uma quase-bebê. 5 anos é uma quase-bebe. Meu povo, solidariedade tem limites tambem. Sala de aula nao é creche nao! Pelo amor de Deus. Ja pensou se uma sala de aula vira um berçario? aí eu digo, 24 anos, nova, inventa de ter filho sem condições, é no minimo uma irresponsavel que pensa que criança nao é algo sério, nao é um brinquedo nao, minha jovem, uma criança é um ser humano que demanda ate mais cuidados do que com um adulto, ou seja, so tenha se tiver tempo e dinheiro. Agora se a criança estiver quietinha, realmente nao vejo motivos. Sala de aula é p/ aprender, ne um lugar de brincadeira nao, apesar de alguns alunos acharem que ali é uma bagunça liberal onde se pode tudo, quem sabe ate ir de sunga assistir aula, so falta isso. Falta de bom senso total dessa mae. Friso que eu sendo aluno da UFRN TENHO O DIREITO DE ASSISTIR AULA SEM SER IMPORTUNADO PELO BARULHO QUE A FILHA DESTA JOVEM ESTIVER CAUSANDO P/ ATRAPALHAR MINHA CONCENTRAÇÃO. ALI NAO É UMA CRECHE. BOTOU FILHA NO MUNDO, SE VIRA NOS 30. SE FOSSE RESPONSAVEL NAO ESTAVA AÍ NESSA SITUAÇÃO. O direito dela vai até onde começa o meu. Tolerancia tem limite porque todo jogo tem suas regras de bom senso. Porque essa jovem tem mais direito do que eu? por que tenho que suportar a filha dela fazer barulho enquanto assisto aula? peraí tambem ne, por isso que o Brasil é esse pais que ninguem leva a serio, é essa esculhambação onde nao existem regras. Brasil sil sil sil!

  5. Bill Ganjica disse:

    Como dizia o deputado mais honesto do Brasil, Roberto Penisvaldo: “esse é o típico fascista, taxista, é o típico espertinho, estribado, raparigueiro e filantropa, é o típico perfil da escoria da nossa sociedade pós-capitalista moderna. Você, amigo leitor, se fudera no pretérito mais que perfeito, não estão entendendo oque estou falando né? quem mandou não estudar!?!?!?”

  6. Paula disse:

    O professor esta correto.Se essa moda pega todas as maes levando seus filhos pra aula.Quem aguentaria tanta bagunça e choro de crianca?

    • Ivete Bezerra disse:

      Eu não quero dizer quem está certo ou errado neste episódio.
      Apenas vou tecer comentários sobre a vida presente.
      Eu quero citar que o aparelho celular é usado maciçamente por praticamente toda a população urbana no Brasil. Dito isto, lembro que em todos os recintos onde há plateia para assistir alguma apresentação, palestra, aula, filme, há a recomendação expressa para que desliguemos os aparelhos celulares, visando "o não importunamento de quem assiste".
      Dito isso, eu fico aqui com os meus botões: Se o som de uma ligação de celular causa tanto incomodo e até desconcentração da plateia, o que acontece quando há a presença de uma criança de cinco anos numa aula de um curso superior, no turno noturno?

  7. Ricardo disse:

    Esse energúmeno deve ser afastado e, quiça, demitido a bem do serviço público!

  8. Arthur disse:

    Nesse Brasilzão de hoje, o certo é errado; e o errado é certo…PQP

  9. Marcio Brand disse:

    Se ele está certo ou errado não importa, mas esse professor se esconde atrás da instituição para promover seu discurso elitista e preconceituoso, já presenciei algumas vezes situações parecidas que foram acolhidas por nobres professores. A formas e formas de lidar com a situação e a desse infeliz foi a de um canalha. Se pesquisarem vão ver que tem outras atitudes assim desse narcisista que se acha o dono da verdade e de humanidade não tem nada! Quem defende esse sujeito, defende o individualismo e a situação que país se encontra.. só reclamam e não agem!

  10. Waldemir disse:

    Lugar de crianças é em creches não na FACULDADE
    Ponto final

  11. Nasto disse:

    Ceará-Mundão Falou e Disse. Está coberto de razão no seu comentário. Concordo toalmente

  12. Ceará-Mundão disse:

    Quanta asneira se lê por ai. Aqueles que estão escrachando o professor com certeza pertencem ao grupo "inimigo" de estudo, de trabalho, de esforço em geral. Alguém que ao menos um dia já estudou está cansado de saber que é impossível alguém conseguir assistir a uma aula ou mesmo estudar e cuidar de uma criança ao mesmo tempo. Uma criança numa sala de aula com toda certeza irá atrapalhar o andamento da mesma, prejudicando a todos os alunos, inclusive aqueles que estão lá para aprender e não para "passear" ou "arrumar namoro". Mas essa gente está perdoada pois não sabem o que é estudar. Nunca tentaram de verdade fazer isso. Serão eternos adolescentes, pessoas que nunca assumirão responsabilidades na vida e nunca saberão cumprir normas e respeitar o direito alheio. Por que os demais alunos precisam se sujeitar a terem suas aulas prejudicadas por alguma condição particular de alguém? O professor pode até não ter sido muito "polido" no que disse mas ele disse o certo e agiu corretamente. E tome mimimi.

  13. lopes disse:

    E fácil jogar pedra no professor ..menino é igual a peido.. você só aguenta o seu…vamos para com isso..por que alguém que é contra o professor não se oferece pra ficar com a criança

    • Felipe disse:

      ja apareceu alguem sim! Uma creche aí particular, bolsa 100%. Aí ainda tem gente achando que foi somente solidariedade? digo mais, agora a creche ficou conhecida, marketing puro e estará recebendo mais clientes, só que as proximas terao que pagar, acredito eu. Aí sim o tratamento é desigual. Uns pagam outros nao. Enfim, a não ser que todas aquelas sem condições tenham o mesmo tratamento de receberem a bolsa 100%. O capitalismo é selvagem so digo isso. E estamos todos dentro dele, querendo ou nao, o mundo bom só existe nas telinhas nos filmes de mentirinha. O mundo é mau e cada um que lute p/ sobreviver. O sistema é um caos em tudo.

  14. Silva disse:

    Em qualquer circunstância estou com o mestre.
    Mestre e mestre e acabou.

  15. Aparecida disse:

    Concordo com o professor. Que a universidade possibilite creche para as crianças enquanto as mães estudam.

  16. Netanias disse:

    Professor mal educado!essas palavras proferidas por não condizem com um educador.Mal exemplo.

  17. Alyson disse:

    Talvez esse professor tenha se expressado com muita dureza, mas sala de aula não é creche. Se mais 1 ou 2 mães também resolvem levar seus filhos, como seria essa aula? Até por questões de conforto e bem estar dessa criança. Mas só sabe onde o sapato aperta quem calça.

    • Felipe disse:

      essa jovem é uma egoista. Devia era trancar o curso p/ cuidar da filha dela, isso sim. Ela ta sendo egoista ate com a propria filha dela nessa hora, pois como podera se dedicar a cuidar da filha assistindo aula? ou uma coisa ou outra. Uma irresponsavel precisando de ajuda urgente.

  18. Almir Dionisio disse:

    As pessoas confundem a situação e radicalizam.É correto uma criança de apenas 05 anos de idade que já passa o dia todo em uma creche e a noite acompanhar a sua mãe uma jornada de 04 hs de aulas – ficando no mesmo ambiente sentada em uma cadeira.
    Por outro lado, é correto privar a mãe de realizar o seu projeto de estudar.
    É algo complexo e que necessita de uma análise e solução sem se chegar a um extremo de encher uma sala de aula de crianças como forma de protesto.
    Talvez o caso tenha repercutido de uma forma em grande proporção pela forma como foi conduzido pelo professor/aluna e que no auge da discussão ganhou o apoio dos demais alunos, sem pensar em como buscar soluções.
    A criança tem o direito de brincar de descansar, não sendo uma prática comum acompanhar a mãe em sala de aula em um horário noturno.
    Acho que a questão precisa ser repensada pela mãe e buscar uma solução que acomode melhor essa criança.

    • Tatiana disse:

      Melhor estar com a mãe que atirada numa creche. Sem contar a qualidade das creches no Brasil, lugar de morte de muitas crianças, onde as mesmas sofrem diversos tipos de abusos, inclusive sexuais. Melhor é ficar com a mãe, criança gosta é de estar com a mãe, não atirada a própria sorte enquanto a mãe, já em situação vulnerável, luta contra todas as adversidades para um dia ser capaz de oferecer uma vida um pouco melhor à filha.

  19. Ricardo disse:

    Sala de aula não é creche nem jardim de infância, na UFRN existe um Núcleo específico para receber crianças, o NEI, a distinta universitária pode procurar a possibilidade de matrícular sua criança no Nei.
    Não conheço os moldes em que o mestre da disciplina argumentou contra a presença da criança, mas entendo que lugar de criança não é em sala de aula de Universidade.

  20. DeSacoCheio disse:

    O problema da sociedade hoje é que só querem os bônus de suas decisões, os ônus não. Na hora de fazer a criança achou bom mas na hora de ser mãe não. Seus direitos acabam quando começam os dos outros, no caso, os outros alunos que querem assistir aula e são prejudicados pela criança que quer ser só criança (correr, pular, brincar, chorar). Se no final do semestre os alunos reprovados na disciplina forem se queixar por que o professor não teve pulso para solucionar o problema e se disserem prejudicados? Quem manda na sala é o professor e acredito que este teve bom senso sim. O mundo tá ficando chato e errado aceitando MiMiMi de quem não assume os custos de suas opções.

    • LEITOR disse:

      Concordo, assuma as responsabilidades, a vitimização é execravel !!!

    • Felipe disse:

      concordo, ela que tranque o curso dela, p/ cuidar da filha, é ônus e bônus, meu amigo, falou e disse. Ou os brasileiros acham que a gente deve continuar sendo esse pais esculhambado sem regras? e sem "penalidades" p/ quem pretende burlar as "regras" de convivencia academica? Tem o bonus de ter uma filha, agora pegue os ônus tb, ou ta achando que é só coisa boa ter filho? é pepino que nao acaba mais. Mas vale a pena, mas tem que se preparar que as reponsabilidades sao muitas. Disponha logo de bastante tempo do seu dia, senao nem tenha filho, porque vc estara sendo uma verdadeira egoista. Quem pensa no proprio filho de verdade, dedica bastante tempo ao mesmo. Mas p/ dedicar tempo, vc precisa de tempo, é obvio, entao antes de ter, tenha a certeza de que tera tempo disponivel ao mesmo e nao seja mais uma egoista e irresponsavel nesse mundo louco

  21. Thiago disse:

    Na minha opinião, levar a criança eventualmente, devido às circunstâncias, ainda é aceitável, mas para todas as aulas não acho. Definitivamente não é o ambiente adequado. Muita gente olhando para os lados aluna/professor e esquecendo a criança. O pior que acho é a ideia de usar os próprios filhos como instrumento (para não dizer objeto) de um protesto. Há formas mais inteligentes de se protestar e resolver essa situação.

  22. Meg disse:

    Se essa aluna for para a balada, vai levar a criança também? Se o professor foi rude, eu não sei, mas sala de aula não é creche. Ademais, as universidades também viraram lanchonete, loja de roupa etc. Imaginem numa aula de penal , o professor falando sobre o crime de eestupro ou homicídio . Então a aluna teria direito de levar uma criança para ouvir na sala de aula o professor explicar esses crimes?

    • Maria Helena disse:

      Excelente argumento. A resposta é NÃO, ela não levará. Irá deixar a criança com algum parente ou amigo. O professor está coberto de razão.

  23. Hermínio Sobrinho disse:

    Deveria ser punido. Mau exemplo.

  24. vilanir gurgel disse:

    pronto!!! era o que faltava

  25. Igor disse:

    Se brincar, a criança é quem tem mais maturidade dentre os envolvidos.

  26. Ricardo disse:

    As universidades serão futuramente um jardim de infância.

  27. RN Desgovernado disse:

    Que exagero nesse caso, em todos os aspectos. Esta aí um tipico caso onde todos os envolvidos estão errados: o professor pela rudeza ao tratar o caso, a aluna pela insensibilidade ao levar a criança ao ambiente de educação para adultos e o excesso de vitimização, e a UFRN pela inexistência de uma política definida para tratar o caso. O que falta é razoabilidade para todos. Crucificar o professor com ingresso de queixa é lamentável, nada mas é que uma transferência de responsabilidade, mas como hoje em dia vemos as autoridades educacionais sendo desrespeitadas, não é de se estranhar quem apoie esse levante contra os professores.

  28. Ems disse:

    É preciso bom censo da aluna !!!

  29. joao disse:

    Deviam privatizar.. ou começar a pagar.. quando acham que é de graça, fazem isso. O prejuizo é para aqueles que querem um futuro atraves do conhecimento. Sala de aula nao é creche.

  30. Tomaz disse:

    NENHUMA MÃE A MENOS!

    À Universidade Federal do Rio Grande do Norte

    As e os estudantes da UFRN vem por meio desta nota repudiar a agressão do professor Alípio de Sousa Filho (DCS/UFRN) contra a estudante do curso de ciências sociais e mãe Waleska Lopes ao impedi-la de assistir aula acompanhada da sua filha de 5 anos. Não é a primeira vez que o professor constrange estudantes adotando uma postura opressora e autoritária dentro de sala de aula. Tal caso não é um fato isolado, mas é a reprodução do modelo de sociedade machista que nega às mulheres os espaços de conhecimento, bem como sua permanência enquanto mãe e trabalhadora.

    Diante do contexto de democratização do ensino público superior nos últimos anos faz-se necessário que a instituição se adapte ao novo perfil de estudantes que ingressam nas universidades, garantindo a permanência das mães estudantes que precisam levar suas filha/os para a aula por não ter com quem deixar.

    Reafirmamos que além de machista, Alípio sustenta um discurso onde o preconceito de classe prevalece ao afirmar que “só vai (pra universidade) quem tem condições” e enaltece seus títulos acadêmicos no exterior. Comprovando, assim, que apesar de seu currículo não tem nenhuma capacidade de estar em sala de aula e lidar com as diferentes realidades sociais.

    Nesse sentido, reivindicamos:

    Afastamento do professor de suas atividades acadêmicas;
    Incluir na utilização dos recursos do PNAES a construção e manutenção de uma creche dentro do campus que funcione nos turnos matutino, vespertino e noturno.

    Em plenária na noite de ontem (07/03), as e os estudantes do curso de Ciências Sociais deliberaram uma agenda para discutir a pauta na segunda-feira (12/03), sendo:

    8h40: Assembléia Estudantil na pracinha dos CAs do setor 2.
    18h45: Aula pública sobre gênero e opressões na pracinha dos CAs do setor 2.

    #SomosTodasWaleska
    #PeloDireitodeSerMãeEstudante

    • Juvenal disse:

      MiMiMiMiMiMiMiMiMiMi

    • Realista disse:

      Coitado do professor será tratado agora como torturador, facista, neonazista, corrupto, opressor, ditador e genocida…É uma vergonha o que Lemos no texto desse pseudorevolucionário incitando um levante contra a classe educadora. #respeiteoprofessor

    • Maria Lima disse:

      Minha nossa… 🤦‍♂️

    • Acorda Brasil disse:

      A qualidade do ser humano está baixa… Aaahhh geração fraca!

    • Salve o Brasil disse:

      Esse chamamento ilustra bem a desmoralização da figura da Classe Educadora. As pessoas querem transferir para os outros suas responsabilidades, não querem seguir as regras da sociedade e desejam que as regras se adequem aos seus anseios sem se preocupar com as demais pessoas que serão afetadas. É preciso a Reitoria ter pulso e criar soluções para situações como essa. É justo a aluna ficar sem educação…não. É justo transferir para os outros alunos e professores também não, portanto, a instituição deve avaliar o caso sob o julgo da responsabilidade. Agora um chamamento para um protesto como esse é ridículo. Isso explica o comportamento e pensamento deturpados de uma ala de alunos com doutrinação revolucionária e anarquista.

    • Hebert disse:

      Meu Deus!!

    • ipm disse:

      UFRN tá um lixo !!!! quero saber na hora q a cidadã tava virando os olhos se ela chamou o professor !

    • Jomar Ribeiro disse:

      Onde está o Conselho Tutelar para defender os direitos da criança?
      Ou será que está correto a criança passar a noite, até às 22 horas, dentro de sala de aula?

    • Maria Helena disse:

      Certamente vc que escreve é um militante e não um estudante. Se assim o fosse, saberia que o professor está certo. Se todos decidirem levar seus filhos, a finalidade das IES se resumirá a ser creche, e não Universidade.

    • Ems disse:

      É muito mimimi !!! Produzir que é bom…

    • Arthur disse:

      Ridículo!! Só poderia mesmo vir de uma universidade envenenada como a UFRN… Tenho certeza que a maioria dos professores que lá atuam passaram por muitas dificuldades pra estudar e nem por isso levaram seus filhos pra aula, atrapalhando o aprendizado dos demais… "Movimento estudantil" com viés político! podem procurar o idealizador desse lixo e ver seus objetivos…