Chile convoca reservistas das Forças Armadas para conter manifestações

FOTO: JOSE LUIS SAAVEDRA

Militares da reserva das Forças Armadas do Chile foram convocados para reforçar o trabalho durante protestos que ocorrem em Santiago desde a semana passada. O decreto que autoriza a convocação de reservistas foi publicado ontem (23) pelo deputado do partido de oposição Frente Amplio Miguel Crispi, em sua conta no Twitter. O ministro do Interior, Andrés Chadwick, confirmou a veracidade do documento.

Para Miguel Crispi, o documento é preocupante e delicado. Ele disse que o país não está em guerra e que o governo deve dar explicações sobre o incremento de militares nas ruas.

O decreto, da Subsecretaria de Forças Armadas, permite a possibilidade de prolongar o estado de emergência por até 13 dias e a convocação de reservistas.

O ministro Andrés Chadwick disse que a decisão é das próprias Forças Armadas. “As Forças Armadas podem chamar as suas reservas, não apenas para reforçar, mas também deve-se entender que as jornadas têm sido muito longas, muito duras, e que o pessoal [mobilizado] necessita ter seu devido descanso, e por isso, eu imagino, o chefe [da Defesa Nacional] terá que explicar as suas razões”.

O jornal chileno La Tercera informou que fontes do Exército disseram que a convocação dos reservistas foi pensada para “estar nas unidades militares com trabalho administrativo e de apoio logístico para não atrasar a papelada e para funcionar bem no dia a dia”. A mesma fonte informou que não foi convocada toda a reserva, mas apenas algumas pessoas, de maneira progressiva. O objetivo do decreto seria enviar militares do serviço ativo das Forças Armadas para agir na segurança das ruas, enquanto os reservistas assumiriam o trabalho administrativo.

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, afirmou que “o governo, em conversas com os chefes da Defesa Nacional, está trabalhando em um plano de normalização na vida de nossos compatriotas, que está em marcha e se traduz em ir reduzindo os períodos afetados pelos toques de recolher. Queremos terminar com o toque de recolher e suspender o estado de emergência”.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Evan Jegue disse:

    Exército era para ser somente contra ameaças estrangeiras, pena que os governantes ameacem o povo com eles. Se tivesse mandando os militares contra os caminhoneiros, duvido que eles tivessem tido a mesma atitude com o governo atual.

  2. Alaca disse:

    Viva o povo Chileno e Equatoriano, foram para ruas por causa de aumentos de combustíveis , impostos e sacanagem desses políticos safados, coisa que muitos Brasileiros não tem coragem de fazer.

    • joaozinho da escola disse:

      Quebrar tudo por causa de uma bala de hortela?? bem que o valor de uma bala de confeito é maior que o reajuste de 16 centavos de real da passagem, apos 10 anos de congelamento. Tem cheiro de ideologia bandida financiada por bandidos. Aqui fizeram a mesma coisa na era petista, por causa de 20 centavos. Quem tem interesse em derrubar governos na AL?

    • Eu mesmo disse:

      Joãozinho faltou a escola e fez juz as piadas que contam dele. Não tem um pingo de visão além do nariz. Ninguém saiu às ruas pra protestar por uma bala de hortelã. Engole você essas balas: 50% dos aposentados com menos de 700 reais por mês, taxas educacionais impagáveis, 0 de saúde pública. Há de se desconfiar de ideologias bandidas em qualquer movimento, nesse, assim como no de 2013, a ideologia que se apoderou foi a que levou o estorvo a presidência.

COMENTE AQUI