Saúde

COVID-19: Tablóide francês publica artigo “O milagre da ivermectina” e faz uma geral dos estudos recentes

Foto: Reprodução/FranceSoir

Artigo do tablóide francês FranceSoir, publicado nesse domingo(28 de fevereiro), fala do “milagre” da ivermectina, apresentando os estudos mais recentes do medicamento no tratamento da covid-19; Veja íntegra abaixo:

A ivermectina, sem dúvida, entrará para a história no pódio das três drogas mais úteis para a humanidade, junto com a penicilina e a aspirina. Em que etapa? Não o primeiro se olharmos para a quantidade, mas certamente o primeiro no que diz respeito ao fator benefício / risco, com sua ampla gama de indicações e praticamente nunca ter matado ninguém, apesar de 4 bilhões de prescrições em humanos desde o seu nascimento. dois vizinhos não desprovidos de riscos, alergias e choque anafilático para penicilina, hemorrágico para Aspirina.

Desde o seu nascimento no final dos anos 1970, tem se mostrado um potente agente antiparasitário, contra uma ampla gama de nematóides internos e externos (vermes) e artrópodes em animais. Em humanos, é usado contra doenças que devastam e desfiguram as populações pobres nos trópicos, como a oncocercose cega dos rios e a filariose, esses vermes finos que entram e circulam em seu corpo. É usado gratuitamente como o único medicamento em campanhas de eliminação dessas duas doenças em nível global.

A ivermectina tem sido amplamente utilizada na medicina veterinária desde 1981, é conhecida por ser ativa contra 183 espécies de nematóides e 129 espécies de insetos e ácaros, listas que aumentam a cada ano. Também é usado em vários vírus, como o pseudo vírus da raiva suína. Assim, a ivermectina trata lombrigas no estômago ou intestino, vermes nos pulmões, ácaros, piolhos, mosca-dos-chifres, carrapatos (que causam enormes danos em bovinos nas regiões tropicais), para piolhos de peixes na aquicultura (mas proibida devido aos efeitos sobre o resto da fauna aquática).

É autorizado em humanos em mais de 100 países, na França é autorizado para anguilulose gastrointestinal, microfilaremia e sarna. Quase 100 milhões de pessoas são tratadas com este produto em todo o mundo a cada ano, e mais de 4 bilhões de doses foram prescritas em 30 anos. Programas estão sendo estabelecidos em alguns países como Nigéria, Burkina Faso e Gana para tratar toda a população, 0,15 mg / kg uma vez por ano sendo suficiente para curar a oncocercose (30 a 40 milhões de casos / ano), mas também a anguilulose intestinal (35 milhões de casos), sarna (300 milhões), leishmaniose, todas as doenças parasitárias da pele, etc.

A ivermectina é uma das poucas moléculas que ganhou o Prêmio Nobel e é o resultado de uma colaboração público-privada internacional. Sua descoberta se deve a Satoshi Ōmura, especialista em antibióticos do Instituto Kitasato de Tóquio, que o confiou a um laboratório privado americano, Merck Sharp e Dohme (MSD), em 1974, para a avaliação in vitro de sua bioatividade. A MSD estava interessada em sua aplicação em humanos já em 1978, antes de ser comercializada em animais. Os primeiros ensaios de fase 1 começaram em 1980, a fase 2 em 1983, e terminaram em 1987 com a primeira autorização mundial, na França, para oncocercose, tendo em vista os resultados em 1.206 pacientes. Hoje, o mesmo órgão que o autorizou, acredita, assim como o Instituto Nacional de Saúde, que mais de 14 mil casos em diferentes estudos não são suficientes para autorizá-lo no caso do Sars-Cov-2. O Prêmio Nobel de Medicina foi concedido em 2015 aos seus descobridores, Satoshi Ömura no Japão e William Campbel nos Estados Unidos.

Além dessa ação sobre os parasitas, a ivermectina tem ação virucida, testada e adotada inicialmente em uma série de infecções virais em animais, como a pseudo-raiva suína causada por um vírus RNA, como o Sars-COV-2. Em humanos, estudos estão em andamento contra diferentes variedades de flavivírus, como dengue, Zika, Chikungunya e o vírus responsável pela infecção do Nilo Ocidental. Os resultados clínicos do Sars-cov-2 são muito promissores.

Inofensividade

Em geral, na medicina, quanto mais eficaz um tratamento, maior a probabilidade de haver efeitos colaterais em outros órgãos, o que faz sentido. Não é para ivermectina, este medicamento é totalmente inofensivo.

Se olharmos para o Vigibase, o banco de dados da OMS que há 30 anos coleta os efeitos colaterais de cada agência de medicamentos em mais de 130 países (incluindo a França), encontramos 175.208 relatórios para Aspirina, 159.824 para Doliprano e 4.614 para Ivermectina. De 4 bilhões de prescrições neste período, isso representa 0,0001% de efeitos colaterais. É difícil atribuir todos esses efeitos apenas à ivermectina, muitos sendo devidos à liberação de resíduos de parasitas mortos e do Covid a medicamentos associados. Desde o início do ano e em 15 de fevereiro, este banco de dados relatou 65.188 notificações para Corminaty (vacina Pfizer), em comparação com 46 para Ivermectina.

Em seu último relatório de 11 de janeiro sobre esses efeitos colaterais no tratamento da Covid, o ANSM relata 0 problemas. Das 15.143 especialidades farmacêuticas reembolsadas na França, certamente é a molécula, ou uma das moléculas que apresenta o menor risco. “A ivermectina é segura e pode ser usada em grande escala”, escreve a OMS. Estudos in vitro e arquivos MA mostram que as doses eficazes são baixas em comparação com as doses potencialmente problemáticas, isso foi testado até mesmo em 10 vezes a dose em humanos, sem reação. Um estudo foi feito até em cães com 30 vezes a dose (10mg / kg), sem problemas.

Só para constar, apenas uma publicação no mundo fala sobre mortalidade por ivermectina, The Lancet, de novo dele. Esta publicação de 1997 descreve 15 mortes em 47 residentes de lares de idosos tratados com ivermectina por um surto de escabiose. The Lancet deve ter notado que um tratamento com lindano e permetrina, inseticidas que matam muitos animais, como gatos, havia sido aplicado como cal antes! Demorou outro post para descobrir. A ivermectina levou anos para se recuperar de um único artigo com conclusões erradas.

Se você tomar 10 comprimidos de Doliprane, recomendados pelas autoridades, você pode morrer de necrose hepática. No entanto, você pode tomar 50 comprimidos de ivermectina 3 dias seguidos e continuar suas atividades diárias sem problemas.

Modo de ação

O primeiro trabalho de MSD focou no bloqueio de neurotransmissores que podem perturbar muito as terminações nervosas de invertebrados, mas também de mamíferos e, portanto, drogas potencialmente perigosas. Posteriormente perceberam que era um erro, e que a ação se dava por meio dos canais de cloreto dependente de glutamato (GluCl), o que abriu perspectivas, pois esses canais, fundamentais em vermes e insetos, estão ausentes em mamíferos, daí a segurança da ivermectina.

A ivermectina causa paralisia e morte em invertebrados pela ativação desses canais nas células nervosas ou musculares. A membrana celular torna-se assim mais permeável aos íons cloreto, causando hiperpolarização da célula nervosa ou muscular, o que leva à paralisia do parasita. Curare de parasitas.

Para os vírus, que não possuem sistema nervoso, o modo de ação é totalmente diferente e vários modos foram descritos. A principal, aceita por todos, é uma ação sobre as proteínas que transportam e penetram o vírus no núcleo, que ele bloqueia, para que o vírus não se reproduza mais. É um inibidor específico do transporte nuclear dependente das importinas α e β, servindo para esse transporte no núcleo.

Para alguns, a ivermectina tem outros benefícios. Esta apresentação do Dr. Paul Marik fornece uma visão geral do estado de conhecimento e hipóteses sobre os modos de ação da Ivermectina. Resumindo, de acordo com Caly L e Druce J, ele se ligaria à proteína Spike. Um estudo de Lehrer S in vivo parece mostrar uma sinergia com macrolídeos para bloquear a entrada do vírus por ação sobre certas proteínas (CL3, RdPd, o nucleocapsídeo e outras), Lenin A e Alvarado Y tendo demonstrado a ligação a CL3. Outras sinergias com macrolídeos também foram observadas no tratamento do lúpus. DiNicolantonio J e McCarty M observam efeitos antiinflamatórios e imunossupressores, e Zhang X e Xinxin Ci mostraram sua ação sobre citocinas inflamatórias, com diminuição significativa na produção de interleucina 1 (proteína utilizada pelo sistema imunológico e leucócitos). Tudo isso explica porque a ivermectina parece ser o único produto ativo em todas as fases da doença, precoce e tardia. Também encontramos um artigo mais recente, no qual a ivermectina inibia a helicase permitindo que o RNA se desenrolasse, impedindo sua replicação.

Contra vermes, insetos e vírus, a ivermectina parece um verdadeiro canivete suíço, com tantas armas diferentes que possui. No entanto, ele nunca foi encontrado para agir sobre as bactérias. Que pena, porque não parece desencadear resistência. Talvez deva ser experimentado em combinação contra germes multirresistentes, visto que suas possibilidades são extensas?

Profilaxia

A ivermectina tem profilaxia notável contra Sars-Cov-2. A baixa taxa de Covid na África, quando no início da epidemia a OMS previa um massacre, talvez não seja alheia ao seu amplo uso (sem falar em todos os tratamentos para malária com Hidroxicloroquina). No International Journal of Antimicrobial Agents, Martin Hellwig et al de Plymouth (EUA), após uma revisão da literatura, descobriram que “os países onde a quimioprofilaxia com ivermectina é administrada em massa têm uma epidemia significativamente menor. “No entanto, se uma ingestão anual é suficiente para muitos parasitas, este não é o caso dos vírus, daí o interesse do trabalho contínuo da empresa Medincell em Montpellier para desenvolver uma forma de ação prolongada.

Atualmente, existem no mundo, apenas no que se refere à profilaxia, 11 estudos sobre o assunto (3ECR), envolvendo mais de 7.000 pacientes, com eficácia média de 89%. Dois exemplos, com 100% de eficiência:

Um estudo na Argentina se concentrou em cerca de 1.200 cuidadores em contato com pacientes Covid, em 4 locais, por 2,5 meses. 788 receberam ivermectina, 407 nada. Resultado: 237 infecções no grupo não tratado, ou 58%, e 0 no grupo tratado. Resultado sem apelo.

Uma segunda publicação, em francês. 121 pessoas de uma casa de repouso (69 residentes, idade média de 90 e 52 funcionários) em Seine et Marne encontraram-se protegidos da Covid, graças ao tratamento de uma epidemia de escabiose no estabelecimento em março de 2020.

Ação terapêutica

Se a ivermectina atue sobre a Covid-19 quando ela ataca, impedindo sua entrada nas células e sua multiplicação, a fortiori, seria totalmente ilógico que o que vemos na profilaxia não se reproduz na terapia. Isso é o que a maioria dos estudos mostra, descrevendo uma melhora muito rápida dos distúrbios, 48 ​​horas, na fase inicial. Também não deixa de ter interesse na fase posterior.

Nenhum estudo no mundo mostra que a ivermectina é ineficaz, nenhum. 2 ou 3 não mostram qualquer diferença, esses estudos (como Chachar em Lahor) cada vez se referem a poucos casos e indivíduos jovens, com menos de 40 anos (23 anos para o mais novo). Como você mostra que um tratamento funciona melhor para uma doença que cura por conta própria nessa idade?

Se é difícil analisar esses estudos, todos diferentes, todos com possíveis imperfeições, é melhor juntá-los, que é o que a OMS está fazendo para avaliar a ivermectina. Existem vários sites que o fazem, e existem estudos de vários médicos, como Drs Marik e Kory nos Estados Unidos e Hill e Lawrie na Inglaterra.

O site c19ivermectin.com lista 41 estudos (incluindo 20 randomizados) feitos por 304 autores em 14.833 pacientes, com resultados de 89% na profilaxia, 83% na fase inicial, mortalidade geral diminuindo em 78%.

Em março de 2020, o professor Paul Marik criou um grupo de especialistas, junto com o Dr. Kory, a Front Line COVID-19 Critical Care Alliance (FLCCC), para reunir e analisar todos os estudos para desenvolver um protocolo de tratamento para COVID-19. Eles descobriram a ivermectina no final do dia. Seu trabalho inclui todos os modos de ação da ivermectina e os resultados de todos os ensaios disponíveis em profilaxia e terapia. Eles detalham cada um dos estudos, sem realizar uma meta-análise, e concluem que a ivermectina é eficaz na profilaxia, terapia e Covids longos. Esses resultados em mais de 7.000 pacientes foram apresentados em 6 de janeiro perante o National Institute of Health.

Andrew Hill, a pedido da OMS / Unitaid, revisou 18 ensaios clínicos randomizados menos questionáveis, envolvendo 2.282 pacientes. Ele notou melhora rápida dos distúrbios, redução da hospitalização e redução de 75% na mortalidade.

Há também o trabalho da Dra. Tess Lawrie. Este médico nascido na África do Sul, pesquisador na Grã-Bretanha, diretor de uma empresa independente de consultoria em medicina baseada em evidências (Evidence-Base Medecine Consultancy Ltd), que rastreia publicações boas e ruins. Seu trabalho com a ivermectina é feito de acordo com os mais altos padrões da Cochrane no campo, como costuma fazer para a OMS em suas recomendações para o mundo. Ele usou as 27 análises do FLCCC, para fazer uma meta-análise incluindo ensaios clínicos randomizados (RCTs) e estudos observacionais controlados (EOC), e excluindo 11 estudos incluindo 5 profiláticos. Os resultados apenas dos estudos menos discutíveis, controlados, relidos e publicados, mostram uma diminuição na mortalidade de 83%. Nos estudos de profilaxia, 88% de eficácia. Tudo está resumido em uma excelente entrevista para ver.

Todos esses estudos, em ambos os lados do Atlântico convergem, todos dão os mesmos resultados, resultados confirmados selecionando apenas os estudos que não podem ser enviesados. Como afirma Tess Lawrie, pode-se argumentar de acordo com estudos sobre o declínio percentual da mortalidade, mas a única coisa que não pode ser discutida é a realidade do declínio indiscutível. A OMS e ANSM, assim como outros países (África do Sul, Inglaterra, ..) estão estudando o dossiê da Ivermectina para rever sua posição. A Índia distribui massivamente (120 milhões de doses vendidas) e tem 3-4 vezes menos mortes do que nós, e a cada mês 2 ou 3 mais países permitem seu uso. Veja o mapa mundial.

O que são estudos malsucedidos? Alguns estudos que são muito pequenos ou pouco representativos (menos de 40 anos, reanimação, …), mas também estudos grandes, porque ainda não foram relidos e publicados, mas os resultados estão aí. Exemplo, um dos maiores da literatura, 3.100 pacientes, realizado na República Dominicana, nos hospitais de Bournigal e Punta Cana. Este país lidou extensivamente com hidroxicloroquina, mas caiu na terceira semana de abril de 2020. Tendo lido que a ivermectina poderia ser usada com vantagem na Covid em um estudo in vitro australiano, seu Comitê de Ética decidiu entre Doliprano e Ivermectina.

Eles então trataram de 1 ° de maio a 10 de agosto (data final do estudo em questão), todos os pacientes que se apresentaram na sala de emergência da Covid, para um total de 3.099 pacientes. De acordo com a importância dos transtornos, eles distinguiram 4 graus.

2.706 pacientes de grau 1 receberam alta e seguidos para casa, com ivermectina. Destes 2.706 pacientes, 16 posteriormente tiveram que ser hospitalizados em unidades Covid, ou seja, 0,6%, 0 óbitos e 2 foram para a terapia intensiva com 1 morte, ou 0,04%. Em nosso país, com Doliprane, 10 a 15% dos pacientes sintomáticos vão ao hospital, 2% morrem.

Os 300 pacientes de grau 2, tratados posteriormente com doenças mais graves, foram hospitalizados em unidades Covid. Média entre o aparecimento de distúrbios e o tratamento: 6,9 dias. Destes pacientes, 3 morreram, ou 1%. Conosco, esse valor está na faixa de 15 a 20%.

Os graus 3 e 4, ainda mais afetados, chegaram mais tarde (7,8 dias após os primeiros sintomas) foram internados em terapia intensiva. 34 mortes, ou 30%, ou como conosco ou mesmo um pouco abaixo.

Conclusões: na fase inicial, a combinação Ivermectina / Azitromicina evita a hospitalização na grande maioria dos casos e reduz a mortalidade para 1 em 2.700 casos (na França, por dois meses, morremos aos 50 para 2.700 Covids (metade dos quais não são -sintomático, enquanto aqui estão todos) Em casos posteriores que requerem hospitalização, a mortalidade é dividida por 10, por outro lado em terapia intensiva, nenhuma diferença.

O viés deste estudo é a não randomização e muitos pacientes sem teste de PCR. Em relação à randomização, 2.700 atendidos no domicílio pressupõe uma coorte de 2.700 casos não tratados, com mortalidade de 50 pacientes, ou 49 sacrifícios no altar de publicação. Este é um estudo observacional, o país não tem como testar tudo como na França e tratou como antes. Nem todos os pacientes são testados, mas todos estão doentes, tendo se apresentado ao pronto-socorro, com sintomas em média 3,6 dias. Na França, há vários anos assistimos a uma deriva: fazemos exames e tratamos o resultado desses exames de acordo com um protocolo, lá tratamos os pacientes, um exame que não altera o diagnóstico ou o tratamento não é necessariamente feito. Temos que nos colocar no contexto do país para julgar, principalmente quando não podemos fazer esses estudos em casa.

Autorização de processamento

Por que a ivermectina ainda não foi oficialmente autorizada? Qualquer medicamento, antes da comercialização, deve passar por uma série de exames para demonstrar sua eficácia e segurança, com uma relação benefício / risco que deve ser favorável. Os estudos para isso são longos e caros, financiados apenas pelos laboratórios, que entregam um dossiê chave na mão às autoridades que emitem o gergelim. Para que um laboratório execute essas etapas, ele deve ter interesse nelas. O problema com a ivermectina é que ela caiu no domínio público, qualquer um pode fazer isso, quem fará esses movimentos para conseguir que outros vendam?

A patente foi detida pelo laboratório Merck. Na França, vende menos de 5% das 11 apresentações comerciais autorizadas, sendo o restante genéricos. Por que ele gastaria alguns milhões para que outros se beneficiassem? A ivermectina é uma molécula “órfã” da qual ninguém mais cuidará. Deve ser papel das autoridades sanitárias lidar com esses casos na defesa do interesse público. Não é só o Covid: olha os piolhos, a ivermectina faz maravilhas com eles, mais do que qualquer outro tratamento, mas como não estava na indicação inicial, não tem quem usar essa pasta que prestaria imensos serviços.

Se a ivermectina pudesse ser comercializada por 1.000 euros por tratamento, você veria muitos laboratórios correndo para a Agência de Medicamentos para obter luz verde. Com 2.000 euros por tratamento, você viu a eficácia do Gilead em obter esse gergelim em pouco tempo, enquanto sua eficácia é zero em comparação com a ivermectina e que também é muito perigosa. Perspectivas financeiras, um bom histórico e algum apoio são mais úteis do que uma boa eficiência!

O segundo problema provavelmente decorre de um poderoso lobby econômico. Imagine que um medicamento que caiu no domínio público, a 1 euro por cápsula (10 cts na Índia), trate todos os covids: bilhões e bilhões perdidos pela indústria farmacêutica.

E ainda tem o Estado, que confiscou remédios dos médicos e que decidiu que não haveria tratamento para Covid fora dos hospitais, bloqueando todos os experimentos que pudessem ser feitos. Vá descobrir o porquê. E depois tem a imprensa que o ajuda a congelar tudo, denegrindo sistematicamente qualquer tratamento. Não encontrando estudo desfavorável, embora haja mais de 60 estudos em humanos, ela buscará um estudo in vitro quando se tratar de pacientes em tratamento e não de placas de Petri. Quanto aos demais estudos, para ocultar os resultados, ela não fala sobre eles, mas apenas fala sobre a qualidade da publicação, nunca mencionando os estudos de profilaxia ou as metanálises. O pico foi atingido recentemente por Prescrire, que para mostrar que a ivermectina não funciona, cita 9 estudos, todos mostrando que funciona. Então, para evitar a busca pela verdade, os jornalistas acabam citando uns aos outros para provar que estão falando a verdade.

Para libertar a ivermectina de todas essas restrições, resposta da OMS e da Agência Nacional de Segurança de Medicamentos (ANSM) em 6 a 8 semanas. Todo mundo vai se esvaindo, se dando a batata quente, ninguém ousa ir primeiro, mas um dia isso vai passar, porque não vai mais ser possível esconder o que está acontecendo aqui e ali e o que está crescendo. A ANSM foi com a primeira autorização na origem da fantástica expansão deste medicamento que conduziu a um Prémio Nobel, esperemos que renove este julgamento que conduziria a um segundo Nobel, por se preocupar apenas com o aspecto sanitário.

A ivermectina já salvou centenas de milhões de vidas, ainda tem um potencial insuspeitado de se desfazer, se nos dermos ao trabalho de procurá-la. Nesse ínterim, a cada mês perdido para ler 40 estudos já lidos dez vezes, são 12.000 mortes a mais aqui.

Dr. Gérard Maudrux – FranceSoir

https://www.francesoir.fr/opinions-tribunes/le-miracle-de-livermectine

Opinião dos leitores

  1. Há nove meses fazemos a profilaxia preventiva com ivermectina + vitaminas D, C + Zinco e estamos superando a pandemia.

  2. Excelente informação sobre a ivermectina e a azitromicina. Agradecemos a todos que usam_nas no tratamento da covid19. Favor repassar internacionalmente para ZERAR o óbito por covid19 em toda a humanidade terrestre.

  3. Desde o inicio que se eeceita ivermectina, cloroquina, cha de boldo, alho, e o resultado estamos vendo com o numero de mortos.

  4. Tai seus esquerdopatas, o remédio de piolho como vocês dizem é o melhor e único medicamento para um tratamento profilático da peste chinesa.
    Tomem mais essa seus negacionistas, do quanto pior melhor.
    Mas uma vitória do nosso Bolsonaro, que abraçou também o resultado das pesquisas no caso dos testes do annita feitos no laboratório nacional de biociência , divulgada pelo nosso ministro Marcos pontes em outubro do ano passado.
    Que também geraram ótimos resultados.

  5. O nosso Presidente Jair, é quem tem razão a medicação para tratamento precoce pelo vírus Covid-19, Ivermectina e Cloroquina estão a disposição de todos, só não toma quem não tem Juízo.

  6. Não duvido das propriedades da ivermectina. O que não pode é politizar a questão e usar esse remédio como desculpa para deixar de comprar vacinas comprovadamente eficazes, que é o que Bozo faz.

  7. E a cloroquina, o gado abandonou? Milhões de unidades se encontram estocadas pelo país, tanto as que Bozo mandou fazer quanto as que Trump mandou.

  8. Tenho 66 anos e fui salvo pela ivermectina nem sequer fui hospitalizado, claro que teve outros remédios associados, acha que se não fosse o tratamento com ivermectina a metade da população já teria ido para o buraco

  9. Tabloide não mostra uma única fonte do que cita…por que será??? A primeira ação para tornar sua informação irrefutável são as fontes. Vamos esperar para que os especialistas mostrem os artigos científicos comprovando a eficiência. Quando mostrar não tem o que se questionar

  10. Negacionismo da Ivermectina chega a dar náuseas. Já tem estudo, pesquisa, comprovação. Vcs são uns fariseus da ciência , querem uma prova do céu mas essa não lhes será dada. Basta uma pesquisada no Duck Duck Go e acha facin

  11. Parabéns Senadora Carla Dickson!! E parabéns Governador Albert!
    O caminho já está pronto para 2022

  12. O Bozo e uma turma de médicos, aqui do Rio Grande do Norte já sabia.
    Kkkkkkkkkkkkkk
    Chama na cloroquina e ivermectina negada.
    Kkkkkkkkkkkkkkkk
    É show papai!!!!

  13. Natal é prova desse milagre. Hospitais vazios e tudo dentro da normalidade. Pra que querem que a governadora abra leitos de UTI? Além de ser uma gripizinha o remédio é milagroso.

    1. O milagre quem faz é cada um, a partir do momento que decide experimentar. O grande problema, é que existe uma grande parcela de negacionista do medicamento, que nem toma e fazem "guerra" para os outros não tomarem e ainda garantem sem prova e sem estudo nenhum, que a Ivermectina é ineficaz. A cada semana, pelo menos dois ou três países do mundo, se rendem ao vermífugo. Como diria um antigo radialista de Natal: "aguardem cartas"!

    1. Claro! Estive em Natal no início do mês e percebi que a maioria das pessoas não usam máscaras e não estão nem aí para o distanciamento.

    2. Ho inteligente. Se não houvesse a ivermectina aqui em natal ai você iria ver o que é uma explosão gente a procura de UTI.
      Ele diminui a carga viral de quem pegou a covid. Ele não impede que o viruz entre no corpo.
      Tem que desenhar para esses idiotas.

  14. Diante dessa controvérsia toda, acho que já deveria ter se aprofundado mais nesse medicamento. Ngm tem consenso em relação a ivermectina, isso no mundo todo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Morre o cantor Dedim Gouveia, vítima de covid-19

Foto: reprodução

A covid-19 fez mais uma vítima no mundo artístico. Morreu na noite desta segunda-feira (19) o cantor José da Silva Gouveia, o Dedim Gouveia. Cearense, natural de Redenção, ele tinha 61 anos e estava internado desde o último dia 11 de abril, no Hospital Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, na Messejana, no Ceará.

Conhecido por muitos como “Rei do xote”, Dedim Gouveia trilhou uma carreira de mais de 30 anos dedicados ao forró. Com seu estilo alegre, de letras irreverentes, fez sucesso nos palcos do Nordeste, com sua companheira inseparável nos palcos: a sanfona.

O cantor Batista Lima, ex-Limão com Mel, informou ao Diário do Nordeste que recebeu a informação da morte de Dedim Gouveia por meio do filho do forrozeiro, Iago Gouveia.

Com informações do Diário do Nordeste

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo e Congresso fecham acordo sobre teto de gastos para destravar o Orçamento

Foto: ADRIANO MACHADO/REUTERS-03/02/2021

O governo federal e o Congresso Nacional fecharam um acordo para destravar o Orçamento de 2021, aprovado em março, mas ainda não sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro por ser considerado inexequível pela equipe econômica. Além do risco de romper o teto de gastos, ele não trazia parte das despesas obrigatórias do governo.

Pelo novo acordo, o teto de gastos será mantido para as despesas correntes. Os parlamentares vão aprovar, no entanto, um projeto de lei que vai liberar R$ 15 bilhões em créditos extraordinários e servirá para destravar a reedição de programas de socorro a empresas e gastos de saúde na pandemia de covid-19. Essas ações ficarão de fora das despesas primárias do Orçamento.

A previsão é que ele seja votado entre esta segunda (19) e terça-feira (20). Logo após a aprovação, o governo deverá publicar medidas provisórias recriando os programas.

A iniciativa vem sendo defendida pelo ministro Paulo Guedes, que não quer a reedição de um Orçamento de Guerra, o que poderia liberar gastos extras para todos os entes federativos.

Com esse acordo, o governo consegue manter as emendas indicadas pelo relator do Orçamento, o senador Márcio Bittar (MDB-AC).

Além do projeto, haverá um dispositivo para permitir o governo remanejar recursos, já que, segundo o Ministério da Econômia, as despesas obrigatórias estavam subestimadas.

Empregos

Entre os programas de socorro a empresas estão o BEm (Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda), que no ano passado possibilitou mais de 20 milhões de acordos para redução de jornadas e salário ou suspensão de contratos, e o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte).

O governo vem sendo pressionado por empresários, especialmente por comerciantes, para a reedição do programa de redução de salários. O projeto que permite sua recriação foi enviado pelo governo ao Congresso no início do mês e prevê a alteração da Lei de Diretrizes Orçamentárias.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Luto

Assembleia Legislativa do RN emite nota de pesar pelo falecimento de servidor

Foto: cedida

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte externa pesar pelo falecimento nesta segunda-feira (19) do servidor Arioston França, 68 anos, vítima de paradas cardiorrespiratórias em decorrência da infecção da Covid-19.

Atencioso, Arioston dedicava seu trabalho no Legislativo no setor de Almoxarifado, na Divisão de Operação e Manutenção da Assembleia. Anos antes, atuou como bancário no extinto Bandern.

O Poder Legislativo, em nome dos 24 deputados estaduais e do presidente Ezequiel Ferreira se solidariza com os familiares, Marylande Coelho Xavier França (esposa) e Jullyana Coelho Xavier França e amigos pelo momento de dor e luto.

Descanse em paz, Arioston.

Palácio José Augusto
Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Brasil registra 1.347 óbitos e 30 mil novos casos nas últimas 24h

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta segunda-feira (19):

– O país registrou 1.347 óbitos nas últimas 24h, totalizando 374.682 mortes;

– Foram 30.624 novos casos de coronavírus registrados, no total 13.973.695 pessoas já foram infectadas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PGR acusa governadores de mau uso de verba na pandemia

A subprocuradora Lindora Araújo, responsável pela Operação Lava Jato na PGR | Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ

A Procuradoria-Geral da República encaminhou ofício a governadores acusando-os de fazer mau uso do dinheiro público. A coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo teve acesso a dois dos documentos enviados, ambos assinados pela subprocuradora Lindora Araújo. Ela afirma à coluna que todos os estados receberam o papel.

O ofício aborda suspeitas que têm sido levantadas pelo presidente Jair Bolsonaro sobre desvios de verbas federais na pandemia. Os documentos foram enviados imediatamente após a criação da CPI da Covid, que teve a abertura determinada pelo Supremo.

A PGR elenca quatro perguntas a serem respondidas e diz que elas têm relação com outro pedido de informação não respondido de forma satisfatória pelos estados.

Em um dos questionamentos, o de número 4, ao pedir esclarecimentos sobre o fechamento de hospitais de campanha, a subprocuradora afirma que a desativação das unidades de saúde teria causado “prejuízo ao erário, não só em relação às vidas com a falta atual de leitos como o decorrente da verba mal utilizada.”

No ofício, Lindora Araújo não indica quais provas possui sobre os prejuízos causados pelo suposto mau uso das verbas públicas utilizadas pelos governadores nos hospitais de campanha.

Já na pergunta 3, a subprocuradora aborda as suposições que têm sido feitas por Bolsonaro sobre o dinheiro federal enviado para o combate à pandemia ter sido utilizado para outros fins pelos governadores.

Em fevereiro, o presidente chegou a publicar nas redes sociais uma lista com valores repassados aos estados e, em entrevistas, apontou para a possibilidade de desvio no uso da verba para a saúde.

Ao programa do Datena, por exemplo, Bolsonaro fez insinuações de cunho obsceno sobre o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB).

“Onde o governador do Rio Grande do Sul, que fala muito manso, muito educadamente, uma pessoa até simpática, mas é um péssimo administrador. Onde ele enfiou essa grana? Eu não vou responder pra ele, mas eu acho que sei onde ele colocou essa grana toda aí, não colocou na saúde”, disse Bolsonaro no programa.

Rio Grande do Norte

Ao governo Rio Grande do Norte, comandado pela petista Fátima Bezerra, Lindora vai no mesmo caminho do presidente e pergunta: “Qual o valor efetivamente investido na saúde, na prevenção de casos e no combate à pandemia? Algum valor destinado à saúde (combate à pandemia) foi realocado para pagamento de outras despesas do Estado?”

A subprocuradora afirma no ofício que as respostas devem ser assinadas “pessoalmente” pelo governador porque “tal responsabilidade não pode ser atribuída a outros órgãos”.

Painel – Folha de S. Paulo

Opinião dos leitores

  1. Parece que a instalação da CPI vai trazer muita coisa a tona da incompetência e corrupção nos governos, prefeituras e presidência! Que se punam todos!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Prefeitura de Ceará-Mirim paga antecipadamente salários dos servidores nesta segunda

Mais uma vez, a Prefeitura de Ceará-Mirim paga de forma antecipada, nesta segunda-feira (19), os salários de todos os servidores referentes ao mês de abril. Os salários começaram a ser depositados a partir das 17h de hoje e se estenderá até amanhã.

Conforme planejamento, receberão os servidores estatutários e comissionados da Administração Direta, servidores da Secretaria de Educação, estatutários e comissionados, além dos agentes de endemias e agentes de saúde da Secretaria Municipal de Saúde.

“Nosso servidor vai passar o feriado de Tiradentes com o salário no bolso. Isso é compromisso com o nosso servidor, mais uma vez a Prefeitura paga os salários de forma antecipada, isso desde que assumimos”, disse o prefeito Júlio César Câmara.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Caso Henry: pai do menino pede com abaixo-assinado aumento da pena para casos como o dele

Foto: Arquivo pessoal/VEJA

Em meio ao luto pela morte de seu único filho, o menino Henry, de 4 anos, o engenheiro Leniel Borel de Almeida, de 37, decidiu não ficar de braços cruzados. Com o intuito de ajudar outras crianças vítimas de violência doméstica e lutar pelo aumento da pena para o assassinato de menores praticados por padrastos e madrastas, ele está frente de um abaixo-assinado que será encaminhado ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. Henry morreu no dia 8 de março quando estava em um apartamento na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, na companhia da mãe, a professora Monique Medeiros, e do padrasto, o vereador e médico Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho. Os dois foram presos no último dia 8, suspeitos de homicídio duplamente qualificado e tortura.

Na mensagem, que está sendo disparada por aplicativos de celular, Leniel destaca as “as desproporções do agravamento de pena entre assassinos de crianças vítimas de homicídio dos assassinos de crianças (meninas) vítimas de feminicídio. Atualmente temos aumento de pena de 1/3 até a metade no caso de crianças (até 14 anos) vítimas de feminicídio.” A proposta é que as punições para casos como o do menino Henry, cujo laudo do Instituto Médico Legal descreve 23 lesões no corpo – entre elas laceração hepática e hemorragia em três partes da cabeça – e a mãe e o padrasto insistiam em acidente doméstico, sejam aumentadas. O abaixo-assinado solicita que o presidente da Câmara dos Deputados “receba e dê celeridade ao trâmite do Projeto de Lei 1386/2021 (Lei Henry Borel), protocolado pelo deputado federal Hélio Lopes”. Nos parágrafos seguintes, explica que o novo documento, também assinado pela população, dá prosseguimento à petição digital que solicitava a criação da Lei Henry Borel, tendo registrado mais de 287 000 assinaturas digitais.

Em outro trecho, o pai do menino ressalta: “A votação deste projeto de lei que leva o nome do meu filho, Lei Henry Borel, não o trará de volta, nem amenizará a dor da sua ausência, mas será um avanço na luta contra o assassinato de crianças pelos seus pais e ou companheiros. E mostrará ao Brasil, que a vida do meu filho, não foi só para tirar esses monstros de circulação (Dr. Jairinho e Monique), mas, sim, para de alguma forma, com penas mais duras, ajudar a prevenir e punir, este tipo de violência inimaginável, que é mais comum no Brasil do que se pensa.”

Ao longo do abaixo-assinado também é lembrado outro crime bárbaro que chocou o país, o caso de Isabella Nardoni, de 5 anos, jogada do sexto andar do Edifício London, em São Paulo, em 2008. Levados a júri popular, o pai da menina, Alexandre Nardoni, e a madrasta, Anna Carolina Jatobá, foram condenados por homicídio doloso qualificado. Na ocasião, o pai recebeu a pena de 31 anos, e a madrasta de 26. O texto do pai de Henry destaca justamente essa parte: “Infelizmente, atualmente não existe uma qualificadora e um aumento de pena para aqueles que assassinam os filhos de seus cônjuges. Um exemplo disso foi o caso Isabella Nardoni que parou o país, tamanho crueldade dos fatos acerca deste crime. Felizmente os criminosos foram presos e cumprem pena até hoje. No entanto, por uma incoerência da Lei, a madrasta de Isabela que, segundo as investigações, foi quem estrangulou a menina, teve pena quase 5 anos menor do que o pai da menina. Visto que existe um agravante no código penal para crimes cometidos por ascendentes das vítimas, ou seja, pais e mães.”

O inquérito que apura a morte do menino Henry, que segundo a versão fantasiosa de Monique e de seu namorado, o vereador Dr. Jairinho, teria caído da cama e sido encontrado gelado e com os olhos revirando, deve ser concluído nos próximos dias pela 16ª DP (Barra da Tijuca). Na última semana foram ouvidas pela segunda vez a babá da criança, Thayna Oliveira Ferreira, que confirmou em depoimento que a mãe de Henry já sabia das agressões praticadas pelo namorado, e a empregada doméstica Leila Rosângela de Souza, que afirmou ter visto o menino com “cara de apavorado” após a sessão de violência praticada por Dr. Jairinho e que a criança pediu para não ter os cabelos penteados porque a “cabeça doía”. No último dia 16, ainda prestou novo depoimento a ex-namorada e amante do parlamentar, Débora Mello Saraiva, que, diferentemente das primeiras declarações feitas à polícia, confirmou que tanto ela quanto o filho menor, na época com 3 anos, foram agredidos mais de uma vez por ele e que tinha medo de morrer nas mãos do vereador. “Peço e imploro a ajuda de todos na assinatura deste abaixo-assinado, a fim de que o Congresso Nacional nos dê uma rápida resposta com a criação desta lei”, conclui o pai de Henry no documento.

Veja

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacinação contra influenza possui postos exclusivos em Natal; veja locais

Foto: Donato Fernandes/Secom

A Prefeitura de Natal está enfrentando um desafio inédito: realizar duas campanhas de vacinação ao mesmo tempo. As vacinas contra a Covid-19 e contra a Influenza estão sendo aplicadas na capital em pontos diferentes, garantindo mais segurança para os cidadãos e evitando longas filas.

Para receber a dose da vacina contra a Influenza, a Secretaria Municipal de Saúde está disponibilizando 20 Unidades Básicas de Saúde (UBS), o drive-thru do portão 03 no Ginásio Nélio Dias e o drive do Palácio dos Esportes (este exclusivamente com a oferta da vacina contra Influenza). A secretaria disponibilizou 58 profissionais especificamente para essa campanha vacinal.

Segundo dados da SMS, até o último domingo (18), foram aplicadas entre 14 mil a 16 mil doses da vacina. O secretário municipal de Saúde, George Antunes, faz um alerta para quem precisa tomar as vacinas contra Influenza e contra Covid-19 em períodos próximos. “Aqueles que forem ser vacinados contra a influenza precisam observar o intervalo de 14 dias entre as aplicações, quando coincidir o público-alvo das etapas, priorizando o esquema vacinal das doses de Coronavac ou Oxford”, explica ele.

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS/Natal) planeja atingir 90% do público de 323.842 pessoas, conforme meta do Ministério da Saúde. De acordo com o planejamento, a SMS deve enviar as doses dos trabalhadores da saúde dos serviços de urgência e emergência para imunização no próprio local de trabalho.

O Ministério da Saúde preconiza que a campanha de Influenza aconteça de 12 de abril a 09 de julho em três fases:

Fase 1 (12/04 à 10/05) – Crianças de seis meses a menores de seis anos de idade, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde;

Fase 2 (11/05 à 8/06) – idosos com 60 anos e mais, professores do ensino básico e superior de escolas públicas e privadas;

Fase 3 (09/06 à 09/07) – doentes crônicos e outras condições clínicas especiais, pessoas com deficiência, forças de segurança e salvamento, forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Confira a lista dos locais de vacinação:

Drive Nélio Dias – Av. Guararapes, s/n. Lagoa Azul (Portão 03).
Drive Palácio dos Esportes – Rua Trairi, 516. Petrópolis (EXCLUSIVO PARA INFLUENZA).

Distrito Sanitário Norte I

USF Vista Verde – Rua Linda Batista, 18 – Pajuçara
USF África – Av. Dr João Medeiros Filho, 02 – Redinha
USF Cidade Praia – Rua São Caetano, 520 -Lagoa Azul
USF José Sarney – Rua dos Lírios, 231 – Lagoa Azul

Distrito Sanitário Norte II

USF Potengi – Av. Itapetinga, 02. Conjunto Santarém
USF Igapó – Rua São Tiago, 01. Igapó
USF Parque dos Coqueiros – Rua das Pedrinhas, s/n. Parque dos Coqueiros
USF Pedra do Sino – Rua Pedra do Sino, s/n. Conjunto Soledade I

Distrito Sanitário Leste

USF Aparecida – Rua Guanabara, 1050 -Mãe Luiza

Distrito Sanitário Oeste

USF Guarapes – Rua Lagoa Seca, 74.
USF Bom Pastor – Rua Augusto Calheiros, 01
UM Felipe Camarão – Rua da Tamarineira, 25
UBS Quintas – Rua dos Paiatis, 1854
UBS Esperança – Av. Pernambuco, 214
USF Novo Horizonte – Rua dos Paiatis, 128
USF Felipe Camarão III – Rua Itamar Maciel, 360

Distrito Sanitário Sul

UBS Ponta Negra – Rua José Medeiros, 01
UBS Pirangi – Av. São Miguel dos Caribes, 650
USF Planalto – Rua Comunidade Shalom, 15
UBS Jiqui – Rua União dos Palmares, 11

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“Um povo que, porventura, vote num cara desse é um povo que merece sofrer”, diz Bolsonaro, sobre Lula

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores na manhã desta segunda-feira, 19, durante conversa em frente ao Palácio da Alvorada, que “um povo que, porventura, vote num cara desse é um povo que merece sofrer”, referindo-se ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva — o petista recuperou os seus direitos políticos após o Supremo Tribunal Federal confirmar na semana passada a anulação de quatro processos da Operação Lava-Jato e, provavelmente, tentará voltar ao Palácio do Planalto na eleição de 2022.

Bolsonaro lembrou que o próximo presidente poderá escolher dois novos ministros do STF, o que pode deixar o perfil da Corte mais progressista do que ele gostaria. “Quem se eleger (em 2022) indica dois para o Supremo no primeiro trimestre de 2023. Se for um cara (ministro) da minha linha, vão ter quatro lá, né?”. afirmou, fazendo referência ao fato de que indicará dois magistrados para a Corte — o primeiro foi Nunes Marques, e o segundo terá de ser indicado até julho, quando se aposenta o ministro Marco Aurélio Mello. No total, o Supremo tem onze componentes.

Segundo o presidente, os eleitores às vezes fazem escolhas equivocadas. “Houve algumas prefeituras que no ano passado deitaram e rolaram no lockdown e (os eleitores) reelegeram o cara (prefeito), vocês querem o quê? Olhem Belo Horizonte”, disse. O prefeito reeleito na capital mineira, Alexandre Kalil (PSD), adotou desde o início da pandemia medidas mais duras de distanciamento social para conter a transmissão da Covid-19.

Bolsonaro comentou que o Aliança pelo Brasil, partido pelo qual pretendia se candidatar em 2022, não poderá ser criado a tempo e disse que espera definir ainda neste mês a qual legenda irá se filiar para disputar a próxima eleição.

Veja

Opinião dos leitores

  1. Pelo visto o povo aqui tem memoria curta. Parece que o presidente trouxe o covid da China. a economia vinha muito bem até aparecer a pandemia. O mundo está pagando uma conta alta. e só quem lucra é a china. Esta desempregado? pergunte ao pessoal do fique em casa e aproveite e peça pra encher sua geladeira.

  2. Estou sofrendo por ter votado em você, Bolsonaro! Esperava muito de sua gestão, mas infelizmente a decepção foi grande.

  3. Esse desqualificado não tem o mínimo de empatia. Além de fazer o povo sofrer ele ainda é responsável por milhares de mortes ocorridas em face dessa pandemia! O futuro te aguarda.

  4. Sou mais vota em lula do que um vagabundo como esse aí que a mais de 30 anos vive das tetas do congresso e ainda achando pouco colocou os ovos da serpente lá também.

    1. Você é lá justo, uma pessoa que diz que vota num ladrão. Chore que o choro é livre, até 2026,

  5. É um facínora de 5ª mesmo.
    115 milhões de pessoas passando fome, 375 mil mortes…
    Qual é o povo que está sofrendo mesmo?
    Variante do inferno.

    1. Vc deve ser um esclerosado que defende Maduro, zumbi esquedopata.

  6. Hô Véio arroxado do cunhão rôxo é Bolsonaro.
    Mitou de novo kķkkk
    Os esquerdopatas piram, esperneiam, relinxam, chorem até 2026 cambada imunda kkkkkkkkkkkkkkk

  7. Botijão de gás é 100 conto, o quilo de carne é 50 conto, a gosolina tá perto de 6 conto, hoje nem ovo o povo comer, tá muito pior hoje que na época de LULA

    1. Impossível é você falando merda todo dia aqui no blog, vá procurar emprego, a moleza acabou kķkkk chore até 2026 seu Zé ruela

  8. Concordo com o MINTO! Mas entre um doido, inepto e cheio de rachadinhas e um ladrão condenado o povo vai ter que decidir… Apesar que eu estou esperando que haja uma terceira via para tirar um desses dois aí do segundo turno!

    1. Você é um lambe botas da esquerda. Chore até 2026 , que o Véio Bolsonaro é duro Kkkk É macho todo e tem aquilo rôxo.

  9. Quem gosta de sofrer é quem vota nessa desgraça, hoje o Brasil tá muito pior, a pobreza aumentou, a classe média acabou e os ricos estão mais ricos. Não tem o mais médicos, minha casa minha vida acabou, ciência sem fronteiras acabou, farmácia popular acabou, fies acabou, ProUni acabou, não temos mais nada

    1. Acho que você é sustentado pelos pais. Vá trabalhar e pare de chorar no blog.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil é o país das Américas com mais mortes por Covid em relação à população

O Brasil passou Estados Unidos, México e Peru nas últimas duas semanas e se tornou o país com mais mortes por Covid-19 do continente americano em relação à sua população, apontam dados do “Our World in Data”.

O Brasil tem atualmente 1.756 óbitos por milhão de habitantes e ultrapassou o México no dia 7 de abril, o Peru no dia 13 e os EUA no dia 14. Os 10 países com mais óbitos proporcionais das Américas são:

Brasil: 1.756 mortes a cada 1 milhão de habitantes

Peru: 1.722

EUA: 1.713

México: 1.646

Panamá: 1.434

Colômbia: 1.342

Chile: 1.317

Argentina: 1.310

Bolívia: 1.083

Equador: 1.003

Em termos absolutos, os EUA são o país com mais vítimas da Covid-19 do mundo (567 mil), seguido de Brasil (373 mil) e México (212 mil).

Na semana passada, com a piora da pandemia na América do Sul, o mundo atingiu a triste marca de 3 milhões de mortes por Covid-19.

A situação tem piorado na região principalmente devido ao Brasil, e a América do Sul é atualmente a região que mais registra mortes causadas pelo novo coronavírus no mundo, à frente da Europa.

Até começo de fevereiro, quando registrava cerca de 1 mil mortes por dia (um terço do que registra atualmente), o Brasil era o 7º do continente em óbitos proporcionais. Além de EUA, México e Peru, o país também estava atrás de Panamá, Colômbia e Argentina.

O país tinha também uma média de novas vítimas da Covid-19 em relação à sua população inferior à de EUA, México, Peru, Panamá e Colômbia.

Com a escalada de mortes no país, que chegou a passar de 4,2 mil em um único dia, o Brasil viu a média de mortes passar de cerca de 5 vítimas do novo coronavírus a cada 1 milhão por dia em meados de fevereiro para cerca de 13 atualmente.

Agora, além de liderar a triste marca nas Américas, o Brasil é também o 13º país com mais mortes proporcionais do mundo. Os 20 países com mais óbitos proporcionais do mundo são:

República Tcheca: 2.654 mortes a cada 1 milhão de habitantes

Hungria: 2.606

San Marino: 2.563

Bósnia e Herzegovina: 2.373

Montenegro: 2.275

Bulgária: 2.186

Macedônia do Norte: 2.132

Bélgica: 2.048

Eslováquia: 2.034

Eslovênia: 2.000

Itália: 1.933

Reino Unido: 1.878

Brasil: 1.756

Peru: 1.722

Estados Unidos: 1.713

Portugal: 1.661

México: 1.646

Espanha: 1.646

Polônia: 1.639

Croácia: 1.598

Desde o começo de fevereiro, o Brasil passou no ranking proporcional diversos países que sofreram com ondas muito fortes de Covid-19, como Portugal, Espanha, França e Suécia.

Recorde semanal de casos

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou nesta segunda-feira (19) que o mundo registrou um recorde de mais de 5,2 milhões novos casos de Covid-19 nos últimos sete dias e as mortes subiram pela quinta semana seguida.

“Números grandes podem nos deixar insensíveis”, disse Ghebreyesus. “Mas cada uma dessas mortes é uma tragédia para famílias, comunidades e nações.”

Tedros relembrou que o primeiro 1 milhão de mortes por Covid-19 aconteceu após nove meses de pandemia, em setembro do ano passado. Foram mais quatro meses para o mundo chegar aos 2 milhões de óbitos, e apenas três meses para atingir a triste contagem de 3 milhões de vítimas.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. É o efeito Bolsonaro que minimiza a proporção da pandemia aliada ao negacionismo constante. País sem política pública de combate a pandemia… Esse é o reflexo.

    1. Verdade. Faltou aos governadores fazer essa política que segundo o STF a eles competiam.

    2. Os números são bem próximos. Entre os países. Não sei se vc viu. Então nada mais determinante. A culpa é exclusivamente do vírus. E veja que tem paises muito mais ricos que o Brasil e com mais mortes.. e não vejo ninguém chamando o primeiro ministro do Reino Unido de genocida

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *