Decreto do governo proíbe uso de ’Vossa Excelência’ e ‘doutor’ em órgãos públicos

Um dos decretos assinados pelo presidente Jair Bolsonaro nesta 5ª feira (11.abr.2019) proíbe o uso dos termos “Vossa Excelência”, “doutor” e “excelentíssimo” em comunicados, atos e cerimônias. A partir de agora, funcionários do governo federal vão ser tratados por “senhor” ou “senhora” –tanto em documentos como em eventos públicos.

Leia a íntegra do artigo que estabelece a mudança:

Poder 360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Maria R de Lima disse:

    Virgem Maria!!
    Será que aquele juiz lá de Minas Gerais vai pirar quando alguém lhe chamar de senhor e não de excelência?

  2. Klebão disse:

    Enquanto isso, no mundo real, tropas Russas e Chinesas, bem como forte equipamento bélico chegam à Venezuela como resposta ao discurso de Trump e Bolsonaro, quando este foi ao USA. O Brasil, que desde da segunda grande Gerra não se envolvia na briga de ninguém, pode ter arranjado "sarna pra se coçar"…
    Que Deus nos ajude!

  3. Carlos araujo disse:

    Agora sim, a humanidade jamais será a mesma!

    • Tonho disse:

      Pelo menos os brasileiros não serão os mesmos. Isso era uma forma de apequenar o cidadão comum, e ao mesmo tempo impor uma barreira para não ter acesso a esses canalhas do serviço público, cujo papel de ladrão inviolável e inimputável foi tão bem incorporado pelos Petralhas. E essas nomenclaturas esdrúxulas eram mais um fator para ele se sentir inatingível, pois não se considerava como um cidadão comum. Parabéns mito, por desarticular verdadeiramente mais um mecanismo de opressão, tão bem incutido na sociedade brasileira, como adereços que embelezava a língua portuguesa.

  4. Rômulo disse:

    Que legal! O Excelentíssimo Bozo agora é senhor bozo! Informalidade é tudo!

  5. Jdan disse:

    Pronto! Resolvido todos os problemas!

    • Rick disse:

      Nada pode ser feito mais, já que nada, isoladamente, resolve todos os problemas. Algo só pode ser feito se resolver todos os problemas. Crítica infantil.

  6. JEGUE DEGUE disse:

    Sou professor, tenho Doutorado e ninguém me chama de dotô.

  7. hein? cuma? disse:

    Uma pequena decisão, não muda a realidade do país, mas que HUMANIZA muito quem se acha DEUS!! O tratamento deve ser igual à todos os cidadãos, baseado na reciprocidade do RESPEITO e não pela formação acadêmica ou cargo que exerce. Ponto positivo para o Presidente.

  8. Antonio Turci disse:

    Vale também para os togados??

  9. César disse:

    Até pq o presidente não saberia usar adequadamente cada um deles…

    • hein? cuma? disse:

      Se Bolsonaro é incapaz de utilizar tais termos, imagine o ''LETRADO'' presidiário que você idolatra e defende. Seja BRASILEIRO e não partidário!!

    • LUTEMBERG DE SOUZA PESSOA disse:

      Pois é. Certamente que saberia fazer isso é o presidiário de Curitiba!

    • Rick disse:

      Prove isso.

COMENTE AQUI