Deputados se solidarizam com Carlos Augusto no episódio da agressão policial

Todos os parlamentares que apartearam o pronunciamento do deputado Carlos Augusto Maia (PT do B) demonstraram sua solidariedade e indignação com relação ao recente episódio em que foi abordado por agentes da Polícia Rodoviária Federal. A deputada Márcia Maia (PSB) foi a primeira a se pronunciar na sessão desta quarta-feira (5).

“Minha solidariedade é principalmente com o ser humano, com o cidadão. Indignação com o cidadão de bem, o jovem que procura desempenhar bem as suas funções. Foi uma tremenda injustiça o que nós vimos”, disse Márcia. Na avaliação do presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PMDB), essa foi a prova cabal do despreparo de servidores públicos no uso de sua autoridade contra um cidadão de bem. “Não só a sua palavra merece toda a credibilidade da Assembleia, mas os autos da delegacia de policia de Caicó registram que o cidadão Carlos Augusto foi vítima de violência física e moral, pela truculência dos policiais”, disse.

O presidente afirmou que a Mesa Diretora não hesitará no uso de suas prerrogativas institucionais e legais em defesa dos seus membros e tomará todas as medidas jurídicas necessárias para esclarecer o caso e afastar a impunidade. https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

José Dias (PSD) se disse indignado com as imagens exibidas durante a sessão plenária. “Existem momentos em que é difícil falar, até para um deputado de oito mandatos e vivido como eu”. E prosseguiu: “Temos que tentar, mesmo não tendo sofrido diretamente a agressão que vossa excelência sofreu, controlar a indignação. A autoridade se baseia exatamente no exercício da vida pública e não na extrapolação”, finalizou.

O deputado Ricardo Motta (PROS) destacou a humildade demonstrada por Carlos Augusto Maia durante os 17 minutos de vídeo exibido. “Parabenizo o meu colega pela serenidade e pela humildade, ainda pediu desculpas mesmo tendo passado tudo o que passou A polícia é uma instituição séria que ajudou e tem ajudado ao nosso País, mas infelizmente não podemos deixar que maus elementos surjam”, declarou.

Alguns deputados ressaltaram a gravidade da distorção dos fatos. Galeno Torquato (PSD) disse que num primeiro momento até pensou que o colega pudesse ter cometido alguma infração, conforme anunciado pela imprensa. “Em seguida fui esclarecido que Carlos Augusto, como cidadão, foi vítima da truculência desses homens que deveriam nos proteger”, disse.

Seridoense, o deputado Nélter Queiroz (PMDB) citou outras ações equivocadas da atuação policial, uma das quais também foi vítima e destacou o controle emocional do colega, diante das agressões: “Todo o povo do Seridó está indignado. Essa mesma polícia já humilhou o povo de Caicó e não entendo porque eles não fiscalizam a BR, mas ficam dentro da cidade”, afirmou.

Constrangimento

O deputado Fernando Mineiro (PT) afirmou que se tratava de um dos episódios mais constrangedores que já viu na Casa. Mineiro disse que o colega foi corajoso em expor o vídeo, no qual em nenhum momento se apresentou como deputado, “dando carteirada”. Mineiro destacou a importância da divulgação do vídeo a fim de se esclarecer os fatos, uma vez que muitas pessoas não entenderam o episódio.

O uso de algemas foi questionado pelo deputado Jacó Jácome (PMN), que afirmou não haver no País legislação específica regulamentando seu uso. “Abomino qualquer pessoa que esteja querendo explorar isso politicamente, porque o fato expõe uma característica de cidadãos que deveriam ser guardiães da lei. O vídeo fala por si só”, disse.

Ao prestar sua solidariedade, o deputado Vivaldo Costa (PROS) afirmou que Carlos Augusto manteve sua humildade e controle emocional e que a indignação da Casa, dos amigos, do povo potiguar e dos familiares não era símbolo de corporativismo, mas de solidariedade a um homem de bem. “Esperamos punição por essa ação”, afirmou. Na avaliação do deputado Getúlio Rêgo, o episódio revelou uma insistente provocação por parte dos agentes policiais envolvidos. “Ele não poderia ser preso, fiquei impressionado com o seu equilíbrio”, disse.

O deputado Álvaro Dias (PMDB) afirmou que houve, por parte de Carlos Augusto, serenidade durante a abordagem e coragem ao exibir todo o vídeo, a fim de esclarecer as versões que estão circulando. “Vossa Excelência é um deputado educado, atencioso, respeitoso. Sabemos que na polícia, algumas pessoas são preparadas e dão sua contribuição para preservar a qualidade de vida da população. Mas alguns devem ser repreendidos a fim de não continuar com atos de violência”, disse.

Dison Lisboa (PSD) destacou a ascensão política do colega, que entrou para a vida pública como vereador do município de Parnamirim e logo em seguida, se tornou deputado. “Aqueles homens deveriam entender que a farda e as armas não os tornam superiores a ninguém”, disse. Gustavo Fernandes (PMDB) afirmou que ficou constrangido com a forma com que os agentes fizeram a abordagem: “Até sugeri que não divulgasse porque as cenas foram fortes”.

Para Hermano Morais (PMDB), Carlos Augusto foi tratado de forma injusta por quem deveria preservar o cidadão. “Lamento porque a Polícia Rodoviária Federal tem profissionais capacitados. Infelizmente esses tiveram comportamento irreconhecível, que me causou espanto. Eles deveriam estar arrependidos e lhe devem desculpas públicas”. O deputado Souza (PHS) afirmou que o desfecho do episódio não o surpreendia. “Espero que isso não seja uma regra na Polícia Rodoviária Federal, mas uma exceção. Isso precisa ser apurado para que outros cidadãos não sejam vítimas”.

Para Albert Dickson (PROS) a corregedoria da PRF tem que analisar quais estão aptos para o trabalho. “Em todo o momento o deputado se identificou como um cidadão do bem”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcondes disse:

    Não estou acusando ninguém de nenhuma atitude incorreta (PRF e deputado), uma vez que não presenciei os fatos. Porém, tenho as seguintes indagações:
    1 – Se o deputado durante a abordagem agiu de forma correta, então por que divulgou, ainda no sábado, nota pedindo desculpas pelo comportamento inapropriado?
    2 – Aliás, tenho certeza que inúmeros condutores foram abordados naquela noite. Por que só ocorreu o incidente com o deputado?
    Reflitam em relação as essas indagações.

  2. R. Fernando disse:

    PARABÉNS, PRF! Fazendo valer o princípio da isonomia, no artigo 5º da Constituição Federal onde diz:" Somos todos iguais perante a lei". A PRF no momento do policiamento ostensiva representa Estado no sentido amplo e seus cidadões, para cumprir as leis e essas leis são para todos. Por que os deputados e não vem a público prestar solidariedade as vítimas no Walfredo Gurgel que estão nos corredores esperando atendimento, faltando material cirurgico, as famílias que ficam sem suas medicações, ao pessoal do interior do nosso Estado.

  3. Getúlio disse:

    Esses deputados deveriamam se solidarizar com a população. parabéns PRF.

  4. leonardo disse:

    Na Justiça Federal o Deputado vai baixar a crista bem rapidinho. Quero saber se ele vai à público comentar sobre sua condenação na JF?

  5. Ricardo disse:

    Parabéns a PRF.

  6. geraldo disse:

    eu passei uma situação nesse mesmo dia, acho que esses" policiais" estavam trabalhando a força não sei,estava com motorista também e fui parado na mesma blitz as 7:20 da manha e mesmo com motorista o prf ficou dando lição de moral em mim e no motorista ora o trabalho do policial é parar o veiculo dar bom dia verificar o documento do carro,habilitação e ver se o motorista estar alcoolizado só isso,não ficar trocando "farpas"com os ocupantes do veiculo fazendo tumulto passei na pele nao sou deputado,sou um reles estudante e graças a deus não me troquei com aqueles policiais

  7. Zé Ninguém disse:

    1- Vídeo editado na hora que foi algemado. Tem que ter a sequência completa para saber exatamente o que aconteceu.
    2 – Não é possível que o Delegado tenha documentado o que foi dito no Comentário de Eduardo Barros em um post anterior. Lamentável. Será que ele escreveu aquilo mesmo???

  8. Daniel Magnus de Vasconcelos costa disse:

    os fatos tem que serem muito bem apurados . Sabemos que neste Brasil existe muito você sabe com que está falando ?

  9. PEREIRA disse:

    SURGE UM PERGUNTA: SE COM UM DEPUTADO ESTADUAL,QUE É UMA AUTORIDADE CONSTITUÍDA NAS CONSTITUIÇÕES FEDERAL E ESTADUAL,IMAGINA COM UM CIDADÃO TRABALHADOR QUALQUER.

  10. PEREIRA disse:

    OS DEPUTADOS ESTADUAIS DEVERIAM CONVIDAR OS AGENTES DA POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL PARA PRESTAREM DEPOIMENTOS NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA,POIS ELES,OS POLICIAS ABUSARAM DO PODER QUE TÊM.

    • Tomé disse:

      Ridículo seu cometario. Já fui parado diversas vezes por PRF e nunca fui mau tratado, sabe pq? Pq eu os respeito, eles estão ali pra garantir a segurança, você sabe como é deixar sua família em casa e ir para uma blitz onde vc vai abordar diversos tipos de pessoas e podendo até entrar em conflito com bandidos armados. A errado é que muitos acham que pq são isso ou aquilo podem sair banca do os bambambam… com esse Dep que no mínimo quis impedir o motorista de fazer o bafo metro pq estava com pressinha.
      Parabéns a todos os Policiais deste país que tentam fazer e manter a nossa segurança.

COMENTE AQUI