E-mail mostra que Lulinha tentou esconder vida de rico até do porteiro

Lulinha, filho do ex-presidente Lula.| Foto: Juca Varella/AE/Arquivo

Um e-mail de 13 de novembro de 2007, incluído pela Lava-Jato na representação que fundamentou as buscas da operação desta terça-feira, revela muito sobre como funcionava a rede de proteção que mantinha – não com muito sucesso, diga-se – a vida de luxos de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, no anonimato.

Na mensagem batizada de “Mocó dos Pica-Pau”, endereçada a Kalil Bittar e Jonas Suassuna, Lulinha relata suas preocupações em relação ao apartamentão que ele estava prestes a alugar em São Paulo por 7.000 reais.

Lulinha pede na mensagem para que todas as contas relacionadas ao imóvel sejam registradas no nome da Gol, empresa de Jonas Suassuna. Para justificar o repasse da conta, Lulinha usa os porteiros do prédio.

“Como eu disse ao Jonas, na semana passada, acho ruim tudo relacionado ao apartamento ficar em meu nome. Não é nada demais, mesmo porque eu atualmente tenho condições de arcar com os custos do mesmo, mas quando as contas começam a chegar em meu nome, em menos de uma semana os porteiros se comunicam, que contam para as empregadas, que contam para os vizinhos, que estudam em frente, que contam para deus e o mundo, ou seja, vai ser um inferno”, escreve Lulinha.

Na mesma mensagem, Lulinha deixa claro que “o Jonas concordou comigo que podemos fazer tudo em nome da Gol”.

A Lava-Jato separa um capítulo da investigação para detalhar quantas mordomias semelhantes ao apartamento foram bancadas pelo sócio de Lulinha. Compras de toda natureza estão listadas na investigação. “A percepção de benefícios por Fábio Luís, assumidos e pagos por Jonas Suassuna, remonta o ano 2007. E-mails apreendidos comprovam que desde esta época Jonas, com o auxílio de Kalil Bittar, foi responsável por custear despesas de locação em imóvel ocupado por Fábio Luís, da ordem de 7.000 reais por mês”, registram os investigadores.

A mensagem, por reveladora, mostra que Lulinha só conseguiu dinheiro depois do milagre da Gamecorp. Mostra também que não era só Lula que usava amigos para esconder a vida de bacana em São Paulo.

Radar- Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ALBERTO disse:

    Poderia ter sido um grande estadista se não tivesse se lambuzado ao experimentar o mel. Para se manter no poder roubou e corrompeu muita gente. Hoje não convence mais ninguem, a não ser seus fieis escudeiros. Seu partido está dividido. Outros partidos de esquerda que o apoiavam tiraram o time. Hoje lula não passa de um arremedo de politico fadado ao ostracismo.

  2. ALBERTO disse:

    Lula poderia ter sido um grande estadista, com o prestigio que teve. Todavia, ao experimentar o mel, lambuzou-se. Esforça-se tentando convencer o povo de que não praticou mal feitos ele, seu partido e a malta que o apoiava. Contudo, hoje não passa de uma caricatura, caindo cada vez mais em desgraça. Infelizmente, atualmente só acreditam em suas falácias seus fieis escudeiros.

  3. Manoel disse:

    Esse puxou mesmo o pai

  4. Robério Mauricio da Silva disse:

    Lulinha devia falar com os advogados dos milicianos cariocas para barrarem as investigações. Um oi para os bandidos travestidos de homens de bem.

  5. Luciana Morais Gama disse:

    Enquanto isso a maioria da população que votou nessa quadrilha sofre nos corredores dos hospitais públicos. São vítimas do próprio veneno.

  6. Manoel disse:

    Esse puxa mesmo ao pai! Além deles se acharem as almas mais honestas, tem que "parecer" que são humildes tb! A boiada acredita que eh uma beleza…

  7. Zanoni disse:

    Um OI para os esquerdinhas apaixonados.

  8. Cesar disse:

    Nada demais nessa mensagem

COMENTE AQUI