Diversos

Em busca por maior segurança, sancionada lei que permite que ônibus parem fora das paradas durante a noite em Natal

O Diário Oficial desta quarta-feira (26) traz uma importante informação aos usuários de transporte público. Trata-se da lei que institui o projeto Parada Segura no transporte público da capital, sancionada pela Prefeitura do Natal, e que autoriza o desembarque de passageiros fora das paradas obrigatórias depois das 22h. A medida visa garantir a segurança dos trabalhadores da área e dos usuários.

Contudo, a lei não vale para todos os veículos. Antes de uma maior amplitude, deverá ser realizado um estudo para escolha das linhas que mais necessitam de contemplação. Vale frisar que a Parada Segura deve ocorrer exclusivamente ao longo do trajeto original dos ônibus e permissionários, obviamente, sem desvios ou acessos por caminhos diferentes dos estabelecidos pela Semob. A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) será a responsável pela administração.

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Município de Natal (Seturn) considera a nova lei válida, mas destaca que a insegurança no transporte público só será minimizada a partir da eliminação do uso de dinheiro no transporte de passageiros, medida que já vem sendo adotada  em outros lugares do Brasil.

Opinião dos leitores

  1. Essas medidas emergenciais, significam que ficamos órfãos da segurança pública e do seu aparato policial.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Bolsa brasileira e real estão entre os piores desempenhos do mundo em 2024

Foto: Wilton Júnior/Estadão / Estadão

A crescente piora da situação fiscal do Brasil, aliada a incertezas externas, fez a Bolsa do país sair de um patamar recorde para o pior desempenho entre as principais economias do mundo em 2024. Neste ano, o Ibovespa acumula queda de mais de 10%, descolando-se dos índices globais, que, em sua maioria, registram valorização.

O mau desempenho também ocorre no câmbio: o real já acumula baixa de cerca de 10% em relação ao dólar em 2024, saindo de R$ 4,85 no fim do ano passado para R$ 5,38 na última sexta (14). O desempenho da moeda brasileira só não é pior que o do iene japonês.

A deterioração é resultado do aumento da percepção de risco do Brasil entre investidores, em especial após incertezas sobre a condução das políticas econômica e monetária. Desde o início do ano, o risco-país medido pelo CDS de cinco anos acumula alta de 18,67%, sendo um dos únicos, junto com China e Índia, dentre as principais economias a registrar alta no indicador.

O CDS funciona como um termômetro informal da confiança dos investidores em relação às economias, especialmente as emergentes. Se o indicador sobe, é um sinal de que os investidores temem o futuro financeiro do país.

Para compensar o risco, o mercado exige juros cada vez maiores, e as taxas de contratos para dez anos no país ultrapassaram a marca de 12% neste mês. No início do ano, estavam em 10,36%.

Com a persistência dos ruídos fiscais, as condições financeiras devem permanecer apertadas, e não há previsão de melhora no curto prazo.

Folhapress

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Reunião do Copom: maiores bancos privados do país já não preveem mais corte de juros nesta semana

Foto: Arquivo pessoal/g1

Os quatro maiores bancos privados do país, o Itaú, o Bradesco, o Santander e o BTG Pactual, já não apostam mais em corte de juros na próxima quarta-feira (19), quando se reúne o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central — colegiado formado pelo presidente e diretores da instituição.

Com isso, a expectativa das quatro maiores instituições financeiras do Brasil é de que a taxa Selic permaneça no atual patamar de 10,50% ao ano.

A maior parte dos bancos do país, consultados pelo BC na semana passada, ainda não tinha migrado para essa posição. Eles apostavam, em sua maioria, em uma redução da taxa de 0,25 ponto percentual, para 10,25% ao ano, na reunião do Copom da semana que vem.

g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Anderson Silva e Chael Sonnen empatam em luta de exibição

Anderson Silva golpeia Chael Sonnen no Spaten Fight Night — Foto: Wander Roberto/DivulgaçãoLuta entre Anderson Silva e Chael Sonnen no Spaten Fight Night — Foto: Zeca Azevedo

Fotos: Wander Roberto/Divulgação e Zeca Azevedo

Anderson Silva e Chael Sonnen se enfrentaram na luta principal do Spaten Fight Night, que foi realizado neste sábado, em São Paulo. O duelo marcou a despedida do brasileiro dos ringues em seu país, e foi marcado pelo encontro com um de seus mais famosos rivais. O combate, programado como exibição, teve os dois lutadores com os braços erguidos ao fim da luta, deixando-a sem vencedor.

Embalado por Seu Jorge, que cantou a famosa música que embalou Anderson Silva em seus principais combates, o Spider entrou aplaudido pela torcida, enquanto Sonnen o esperava no ringue. A torcida não chegou a hostilizar o lutador americano, mas ecoou o coro de “Uh, vai morrer” para o antigo rival do brasileiro.

Quando o combate começou, Anderson mostrou toda sua habilidade e foi ditando o ritmo do confronto, sem acelerar e levar muito perigo ao lutador americano. Wrestler por natureza, e sem tantas habilidades na trocação, Sonnen foi levando a luta durante os cinco rounds, sem incomodar o brasileiro.

Após cinco rounds de dois minutos, Anderson e Sonnen tiveram seus braços erguidos e o combate terminou sem vencedor.

Combate

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Lula diz ser contra o aborto, porém classifica de ‘insanidade’ PL Antiaborto por Estupro

Foto: Palácio do Planato/Divulgação

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) classificou de “insanidade” o PL Antiaborto por Estupro, que restringe o aborto legal em casos de estupro. O petista se disse pessoalmente contra o aborto, mas afirmou que, como a prática é uma realidade, precisa ser tratada como questão de saúde pública.

Em seu último compromisso na Europa, antes de voltar ao Brasil, neste sábado (15), ele concedeu entrevista a jornalistas na Puglia, no sul da Itália, onde participou da reunião de cúpula do G7.

“Acho uma insanidade alguém querer punir uma mulher com uma pena maior do que a do criminoso que fez o estupro”, disse o presidente. “À distância, não acompanhei os debates intensos no Brasil, mas, quando eu voltar, vou tomar ciência disso. Tenho certeza de que o que tem na lei já garante que a gente haja de forma civilizada para tratar com rigor o estuprador e com respeito a vítima.”

Folha de S. Paulo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Quem escolhe candidato do PL em 2026 é o Bolsonaro, diz Valdemar

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Em vídeo de propaganda eleitoral do PL (Partido Liberal), o presidente da legenda, Valdemar Costa Neto, disse que em escolherá os candidatos para presidente e vice-presidente em 2026 é o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), pois “devemos” isso a ele.

A peça, veiculada na noite de sábado (15.jun.2024), mostra o cacique dizendo que quer ver Bolsonaro concorrendo à Presidência pela legenda, mas caso de estar impossibilitado– sem menção à inelegibilidade até 2030– a escolha é inteiramente do ex-presidente.

Costa Neto então diz que é o ex-chefe do Executivo que “tem os votos” e que “ele e o povo brasileiro fizeram do PL o maior partido do Brasil”.

Poder360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pior semana do governo Lula é marcada por derrotas e ministros sob pressão

Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acumulou derrotas ao longo da semana, com a manutenção da greve de professores universitários, o leilão do arroz anulado e a pressão sobre dois ministros. O chefe do Executivo federal, que passou a maior parte da semana fora de Brasília, retorna da Europa com uma série de assuntos a serem resolvidos.

O primeiro deles é a situação do ministro das Comunicações, Juscelino Filho (União Brasil), que foi indiciado pela Polícia Federal (PF) por participação em organização criminosa e crime de corrupção passiva.

A suspeita envolve desvios de emendas parlamentares em obras custeadas pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), quando ainda era deputado. Juscelino se diz inocente.

Apesar da pressão de alas petistas pela saída do ministro, o governo tem colocado panos quentes sobre o caso. Lula defendeu que Juscelino “tem o direito de provar que é inocente”.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Haddad diz que Brasil é ‘encrenca difícil de administrar’ e que falta dedicação a coisas sérias

Foto: DIOGO ZACARIAS/MF

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, comentou neste sábado (15) que administrar o Brasil não é fácil e que o país é uma “encrenca”. Além disso, ele criticou que “às vezes, quem está numa posição de poder não está fazendo a coisa certa pelo país”. De acordo com o ministro, falta dedicação a “coisas sérias que vão mudar a vida das pessoas”.

Haddad participou de um evento em São Paulo promovido pelo Instituto Conhecimento Liberta. Em determinado momento do discurso, ele pontuou que “o Brasil é uma encrenca, não é?”.

“É um negócio difícil de administrar. A todo o momento você fica apreensivo [em Brasília]. Que lei vão aprovar? O que vão fazer? Que maluquice é esse, o que estão falando? Por que eles não se dedicam a coisas sérias que vão mudar a vida das pessoas?”, questionou o ministro.

“Para que essa espuma toda, para criar cizânia na sociedade, briga na família? Por que a gente não foca naquilo que vai mudar a vida para melhor das pessoas?”, continuou Haddad, dizendo também que “quando vamos para Brasília, não dialogamos com o serviço público propriamente dito”. “Vamos nos defender do que está acontecendo.”

R7

Opinião dos leitores

  1. O congresso e a oposição (inclusive a do PT quando era oposição) so quer saber de criar gastos e tumultuar o governo visando as eleições. Isso não tem como dar certo, pra nenhum governo.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Defesa de Juscelino Filho pede ao STF encerramento de investigação

Foto: José Cruz/Agência Brasil

A defesa do ministro das Comunicações, Juscelino Filho, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o encerramento da investigação que apura suposto desvio de recursos de emendas parlamentares.

Na petição apresentada ao STF na noite desta sexta-feira (14), os advogados criticam as informações repassadas pela Polícia Federal à Corte. Segundo eles, no processo não há “delimitação clara de fato criminoso”, tampouco elementos que mostrem indícios de que o crime foi praticado.

“Em seguida, a autoridade policial iniciou — apesar da ausência de uma hipótese criminal clara e delimitada — ilegal devassa na vida do peticionário”, diz o documento.

A defesa ressalta ainda que houve direcionamento da investigação para envolver o ministro.

Juscelino Filho é suspeito de ter cometido os crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Desaprovação a Lula vai a 47% e iguala pior índice da série histórica, aponta pesquisa Atlas/CNN

Foto: Evaristo Sá/AFP

A desaprovação ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) registrou o índice de 47% em pesquisa CNN/Atlas divulgada neste sábado, 15. A marca iguala o pior resultado desde o início da gestão do petista, registrado em novembro de 2023. Por outro lado, 51% dos entrevistados dizem aprovar o governo Lula e 2% não souberam responder.

O instituto Atlas Intel ouviu 3.601 pessoas entre os dias 7 e 11 de junho. A margem de erro é de um ponto porcentual e o índice de confiança é de 95%.

O índice de entrevistados que avaliam o governo Lula como “ótimo ou bom” é de 42,6%. A marca está em empate técnico com o número de pesquisados que avaliam a gestão do presidente como “ruim ou péssima”: 42,8%.

São 14,3% os que avaliam o desempenho de Lula como “regular” e 0,3% não soube responder.

Aprovação por opção de voto em 2022

A pesquisa do Atlas Intel também indica que a aprovação ou rejeição ao governo Lula está associada à escolha do entrevistado no segundo turno da eleição presidencial, em 2022.

Entre os que votaram em Lula naquela ocasião, a aprovação vai a 95,4%. Já entre os eleitores do então presidente Jair Bolsonaro (PL), há 96,4% de rejeição ao petista.

Quanto aos que não votaram nem em Lula, nem em Bolsonaro, a aprovação ao presidente supera as menções negativas. É o caso dos entrevistados que votaram nulo ou branco (51,4% a 43,7%) ou não foram votar no segundo turno (53% a 32,3%).

Estadão Conteúdo

Opinião dos leitores

  1. Não esperem até 2026, retirem o ex-condenado do Palácio do Planalto… Seu lugar é na prisão!!!

  2. Eu apoio LULADRAO, pois sou comparsa dele e não tenho nada que reclamar desse sem futuro. E todos vocês que também o apoiam, saibam que vocês não passam de um punhado de idiotas ou bandido semelhante a ele, LULADRAO.

  3. 51% é o suficiente.
    É Lula até 2030, boiada imunda…vão ter que engolir a lenda até 2030…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

PESQUISA ATLASINTEL/CNN: Controle de gastos e segurança pública são as áreas com pior avaliação do governo Lula

Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

Responsabilidade fiscal e controle de gastos, segurança pública e moradia e urbanização de favelas: estas são as três áreas mais mal avaliadas do governo Lula (PT).

Os dados fazem parte de pesquisa do instituto AtlasIntel produzida em parceria com a CNN Brasil e divulgada neste sábado (15).

Somando a porcentagem de brasileiros que apontam áreas de atuação do governo como “ruim” ou péssima”, as três alcançam o mesmo índice: 54%.

Quando separadas em ruim ou péssimo, controle de gastos é mais desaprovada, com 48% de avaliação “péssima”. Segurança pública tem 46% de avaliação péssima, e moradia, 42%.

Áreas do governo, por avaliação:

  • Relações internacionais: ótimo/bom (53%); ruim/péssimo (44%); regular (3%);
  • Investimentos, infraestrutura e obras: ótimo/bom (45%); ruim/péssimo (49%); regular (7%);
  • Redução de pobreza e políticas sociais: ótimo/bom (45%); ruim/péssimo (49%); regular (5%);
  • Turismo, cultura e eventos: ótimo/bom (45%); ruim/péssimo (44%); regular (12%);
  • Direitos humanos e igualdade racial: ótimo/bom (44%); ruim/péssimo (42%); regular (14%);
  • Agricultura: ótimo/bom (44%); ruim/péssimo (48%); regular (8%);
  • Educação: ótimo/bom (42%); ruim/péssimo (49%); regular (10%);
  • Meio ambiente: ótimo/bom (42%); ruim/péssimo (48%); regular (10%);
  • Política industrial e energética: ótimo/bom (41%); ruim/péssimo (45%); regular (14%);
  • Responsabilidade fiscal e controle de gastos: ótimo/bom (39%); ruim/péssimo (54%); regular (8%);
  • Facilidades para negócios/carga tributária: ótimo/bom (38%); ruim/péssimo (50%); regular (13%);
  • Justiça e combate à corrupção: ótimo/bom (37%); ruim/péssimo (52%); regular (12%);
  • Saúde: ótimo/bom (34%); ruim/péssimo (46%); regular (20%);
  • Moradia e urbanização de favelas: ótimo/bom (32%); ruim/péssimo (54%); regular (15%);
  • Transportes, estradas e aeroportos: ótimo/bom (29%); ruim/péssimo (46%); regular (26%);
  • Segurança pública: ótimo/bom (27%); ruim/péssimo (54%); regular (20%).

Na outra ponta, a área de relações internacionais é a mais bem avaliada do governo: somando avaliações como “ótima” ou “boa”, chega-se a um indicador de 53%.

Nenhuma outra área alcança uma porcentagem de 51% ou mais de avaliações como “ótima” ou “boa”;

Já no outro lado da balança, a soma de avaliações negativas também alcança ou supera os 51% na área de justiça e combate à corrupção (52%).

A AtlasIntel ouviu 3.601 brasileiros entre os dias 7 e 11 de junho. A pesquisa tem margem de erro de um ponto percentual para mais ou para menos e nível de confiança de 95%.

*A soma de algumas porcentagens pode dar um valor diferente de 100% – 99% ou 101% – devido ao arredondamento dos números, sem comprometer a qualidade dos dados.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Tem alguma área que esteja funcionando? Tem alguém q ainda apoia esse débil? Tem q ser igual ao caráter dele pra apoiar uma criatura dessas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *