Finanças

Em decisão histórica nos Estados Unidos, Johnson & Johnson é condenada a pagar multa de US$ 572 milhões

Em decisão histórica nos Estados Unidos (EUA), a multinacional americana Johnson & Johnson foi condenada nessa segunda-feira (26) a pagar US$ 572 milhões por danos ao estado de Oklahoma, devido à crise dos opioides.

A decisão pode afetar os rumos de quase mais de 2 mil processos apresentados contra fabricantes de opioides em várias regiões do país. O valor, no entanto, ficou abaixo da expectativa de alguns analistas, que imaginavam que a multa pudesse chegar a US$ 2 bilhões.

O juiz Thad Balkman disse que os promotores demostraram que a J&J promoveu de forma enganosa o uso de analgésicos legais. que são altamente viciantes.

“Essas ações comprometeram a saúde e a segurança de milhares de pessoas em Oklahoma”, disse o juiz.

Balkman afirmou que o laboratório Janssen, a divisão farmacêutica da J&J, adotou práticas de “propaganda enganosa na promoção de opioides”, o que levou a uma crise de dependência desses analgésicos, mortes por overdose e a um aumento das síndromes de abstinência neonatal no estado americano.

“A crise dos opioides devastou Oklahoma e deve ser contida imediatamente”, disse o juiz. Desde 2000, cerca de 6 mil pessoas no estado morreram de overdose de opioides, de acordo com os procuradores do estado.

Os US$ 572 milhões da multa imposta à empresa deverão ser usados para enfrentar a epidemia nos próximos 30 anos, por meio de programas de tratamento e prevenção.

A Janssen distribui o adesivo Duragesic (Fentanil) e os comprimidos Nucynta (Tapentadol), que não são os opioides mais populares do país.

O Oxycontin (Oxicodona), um dos mais populares, pertence ao laboratório Purdue, que fez um acordo de US$ 270 milhões com o estado de Oklahoma, em vez de enfrentar os tribunais.

Ontem, o novo Relatório Mundial sobre Drogas da Organização das Nações Unidas (ONU), apresentado em Viena, apontou a devastação causada pelos opioides.

Segundo a organização, a crise de opioides nos Estados Unidos e no Canadá, pelo abuso de analgésicos sintéticos como o Fentanil – 50 vezes mais potente do que a heroína -, voltou a chamar a atenção dos especialistas da ONU. Estima-se que 4% de todos os americanos adultos tenham consumido algum tipo de opioide, pelo menos uma vez, em 2017. Das 70.237 mortes por overdose registradas nos EUA nesse ano, 47.600 foram por causa do uso de opioides, 13% a mais do que em 2016.

“A overdose de droga na América do Norte realmente alcançou dimensões de epidemia”, ressaltou a chefe da Seção de Estatísticas e Pesquisas do UNODC e autora do relatório, a italiana Angela Me, que alertou que existem indícios de um aumento no consumo de Fentanil na Europa.

Agência Brasil, com Agência pública da Alemanha

 

Opinião dos leitores

  1. Aqui, uma legião de idiotas iriam bravejar dizendo que era um atentado a centenas de emprego, mesmo a empresa tendo prejudicado os milhões de consumidores e alastrado corrupção e prática nocivas ao país, prejudicando a nação inteira.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

STF forma maioria para manter prisão de Daniel Silveira

Foto: Pablo Valadares / Câmara dos Deputados

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) formaram maioria na manhã desta sexta-feira (22) para manter a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ).

Votaram pela manutenção da prisão do parlamentar o relator, ministro Luís Roberto Barroso, e os ministros Rosa Weber, Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia, Dias Tóffoli e Edson Fachin.

O ministro Alexandre de Moraes se declarou impedido de votar – o julgamento questiona a decisão do próprio ministro, que determinou a prisão do deputado.

O julgamento é feito no plenário virtual da Corte e os ministros apenas depositam o voto, sem debates sobre o tema.

Nesta quarta-feira (20), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, negou um pedido da defesa do deputado para afastar o ministro Alexandre de Moraes dos processos aos quais responde.

No pedido pelo afastamento de Moraes, Silveira alega que foi cerceado ao direito constitucional de ampla defesa desde 23 de março.

Em 8 de outubro, a Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu a condenação de Silveira por cometer abusos ao ofender o STF e os ministros da Corte, citando ainda que a liberdade de expressão “não é absoluta”.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

‘Caminhoneiros não querem esmolas’, diz associação em nota, sobre ajuda de R$ 400

Foto: Rodolfo Buhrer / Reuters

A Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), que reúne categoria de caminhoneiros no País, criticou o anúncio de ajuda do governo federal para compensar o aumento do preço do diesel. “Os caminhoneiros autônomos brasileiros não querem esmolas. Auxílio no valor de R$ 400 não supre em nada as necessidades e demandas da categoria”, destaca a nota assinada pelo presidente do órgão, Wallace Landim “Chorão”.

O texto também reforça o “estado de greve” da categoria anunciado no último fim de semana e destaca a paralisação mantida para o próximo dia 1º. Nesta quinta-feira (21), durante transmissão semanal ao vivo, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que o benefício prometido será de R$ 400 e atenderá 750 mil caminhoneiros. “Uma proposta que não resolve nada e é mais um ‘balão apagado’ para a categoria colecionar de promessas do governo que ajudou a eleger”, rebate o texto.

Segundo cálculos da associação, o valor corresponde a 3,15% das despesas mensais de combustível considerando, como exemplo, um trecho semanal trivial entre Catalão (GO) – Anápolis (GO) – Araguari (MG) e rendimento médio de um quilômetro por litro de diesel. Entretanto, segundo Chorão, em média é possível que um caminhão carregado faça 2 km/l, trazendo o valor a 6,3% para o cenário calculado.

Para a associação, o auxílio não supre em nada as necessidades e demandas da categoria. “Queremos estabilidade dos preços dos combustíveis, um fundo de colchão para amenizar volatilidade, mudança na política de preços da Petrobras, aposentadoria especial a partir dos vinte e cinco anos de contribuição e, acima de tudo, queremos respeito e cumprimento da Lei do Piso Mínimo de Frete”, comunica o texto. “Não há razão para que o governo federal não atenda as reivindicações de quem não deixou o país para trás e trabalhou para que nada faltasse a nenhum brasileiro”, completa.

Estadão Conteúdo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Quem era Halyna Hutchins, diretora morta por Alec Baldwin durante filmagem de ‘Rust’

Foto: Reprodução / halynahutchins / Instragram

A diretora de fotografia Halyna Hutchins, que foi morta pelo ator e produtor Alec Baldwin durante as filmagens de “Rust”, no Novo México, nos EUA, tinha 42 anos.

Ela tinha créditos em curtas, produções na TV e em filmes desde 2012, segundo o site IMDb.

De acordo com seu site profissional, Hutchins nasceu na Ucrânia e cresceu em uma base militar soviética no Circulo Polar Ártico. Ela estudou jornalismo na Universidade Nacional de Kiev, no seu país, e cinema, em Los Angeles, nos EUA. Hutchins chegou a trabalhar como jornalista investigativa em produções documentais na Europa.

Como diretora de fotografia, listava trabalhos em filmes como “Archenemy” (2020), com Joe Manganiello, “Blindfire” (2020) e “The Mad Hatter” (2021).

Na terça-feira (19), dois dias antes do incidente, ela publicou um vídeo em seu perfil no Instagram falando sobre o trabalho em “Rust”.

“Um dos benefícios de gravar um filme de velho oeste é que você pode andar a cavalo na sua folga”, escreveu.

Morte

O ator Alec Baldwin disparou a arma cenográfica que matou Halyna Hutchins, nesta quinta-feira (21). Hutchins chegou a ser levada de helicóptero a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

O diretor Joel Souza, de 48 anos, também foi baleado por Baldwin, mas sobreviveu.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Alec Baldwin mata diretora de fotografia com arma cenográfica durante gravações do filme ‘Rust’

O ator Alec Baldwin disparou a arma cenográfica que matou uma mulher e deixou um ferido no set do filme “Rust” nesta quinta-feira (21) no estado americano do Novo México, informou o gabinete do xerife do condado de Santa Fé.

“O gabinete confirma que os dois indivíduos baleados no set de ‘Rust’ foram a diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42, e o diretor do filme, Joel Souza, 48, atingidos quando uma arma cenográfica foi disparada pelo ator e produtor Alec Baldwin”, diz o comunicado.

Hutchins chegou a ser levada de helicóptero a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Souza foi atingido no ombro, segundo o site especializado Deadline. A atriz Frances Fischer afirmou em uma rede social que o diretor já deixou o hospital.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Nova rede de transporte público de Natal recebe 1,3 mil sugestões

Terça Feira, 19 de Outubro de 2021/
Parada de ônibus no Natal Shopping
Repórter Leticia Medeiros
Foto.Magnus Nascimento
Dois meses após apresentar o projeto da nova rede de transporte público, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) continua realizando consultas com a população natalense. Ainda neste ano, as mudanças devem ocorrer em pontos específicos da cidade, antes mesmo do processo licitatório dos transportes ser lançado. Ao todo, a STTU já recebeu mais de 1,3 mil sugestões do público.

Até a primeira semana de novembro, a Secretaria continuará o ciclo de apresentação do novo desenho do transporte público, que irá nortear o processo de licitação. Onze encontros já foram conduzidos presencialmente por membros da equipe técnica, e através do site da instituição, e mais de 1300 sugestões foram recebidas.

Leia a notícia completa aqui na Tribuna do Norte.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

ELEIÇÕES 2022: Vereadores do PSDB de Natal declaram apoio a Doria nas prévias tucanas

Um dos coordenadores da campanha do governador de São Paulo, João Doria, a presidente na disputa interna do PSDB, o economista Sérgio Silva, esteve em Natal nesta quinta-feira (21). Na capital, ele se reuniu com filiados do partido na sede da legenda. Os vereadores Kleber Fernandes e Chagas Catarino, que integram a bancada tucana prestigiaram o encontro.

“Estamos defendendo o nome de Doria nas prévias, por entender que ele é o melhor. Vamos mobilizar os filiados e militantes em Natal nessas prévias”, frisou Kleber, que foi o vereador mais votado da capital.

“Estou empenhado nessa campanha das prévias e falo do trabalho de João Dória, que tem feito muito em São Paulo. É fácil falar de Doria, do trabalho e tenho certeza que ele vai ganhar essa eleição”, afirmou Chagas Catarino, que cumpre seu quarto mandato na Câmara do Natal.

“O RN é o maior colégio do Nordeste nessas prévias. Tem um peso muito importante no PSDB nacional. Dória saberá reconhecer essa força Potiguar”, frisou Sérgio Silva.

Na semana passada, Sérgio Silva foi recebido por prefeitos em Caicó (Dr Tadeu) e Parelhas (Dr. Tiago Almeida); conversando com lideranças tucanas do Seridó. Sérgio Silva tem experiência quando fala de estratégias políticas. Foi responsável por coordenar campanhas vitoriosas do PSDB nacionalmente e também foi dirigente do Instituto Teotônio Vilela (ITV), além de ter sido secretário Executivo do PSDB Nacional.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Eudiane nega ter dito que Benes desistiu de candidatura ao Governo e fala em “tendência”

Foto: João Gilberto/ALRN
A deputada estadual Eudiane Macedo negou que tenha dito que o deputado Benes Leocádio tenha desistido de ser candidato a governador nas eleições do próximo ano. Por meio de nota, ela explicou que falou em “tendência”, afirmando que a “tendência era ele não ser candidato”.

Confira nota na íntegra

O deputado federal Benes Leocádio é mais do que o presidente do meu partido, é um parceiro do nosso mandato e um amigo. Em entrevista ao jornal Agora RN, em resposta à pergunta sobre quem eu apoiaria para o governo do Estado, declarei (por escrito) que diante da tendência de Benes não ser candidato a governador, e sendo eu uma deputada da base da governadora Fátima Bezerra, minha tendência seria de apoiar a reeleição da governadora. Falei em tendência, que pode ou não vir a se confirmar. Assim como o deputado declarou a pré-candidatura, caberá exclusivamente a ele afirmar o seu futuro político.

Deputada estadual Eudiane Macedo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Moraes cita vínculo com invasor do Capitólio ao mandar prender bolsonarista Allan dos Santos

Ministro Alexandre de Moraes em Brasília
6/2/2017 REUTERS/Adriano Machado
O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), citou um trecho de representação da Polícia Federal que aponta vínculo entre Allan dos Santos e um invasor do Capitólio para embasar a ordem de prisão do blogueiro bolsonarista.

A PF afirmou que Santos se mudou para os Estados Unidos recentemente e aderiu à tese de que houve fraude nas eleições dos Estados Unidos de 2020, quando Donald Trump, aliado do presidente Jair Bolsonaro, perdeu a disputa pela reeleição.

A detenção foi determinada a pedido da corporação. A PGR (Procuradoria-Geral da República), por sua vez, foi contrária à medida.

Folhapress

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Bolsonaro chama mercado de “nervosinho” e diz que combustíveis vão aumentar: “Não vou negar”

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta 5ª feira (21.out.2021) que o preço dos combustíveis no Brasil “está mais barato” do que em outros países e terá “outro aumento” nas próximas semanas –sem especificar a data.

Segundo o chefe do Executivo, o mercado financeiro está “nervosinho” e poderá sair prejudicado caso “exploda a economia do Brasil”. Para o presidente, a inflação que o país enfrenta é “péssima“, mas evita o desabastecimento de outros insumos básicos, como a gasolina, o diesel e os alimentos.

“Temos como vencer essa crise. Vai ter novo aumento de combustível? Certamente teremos. Não vou negar isso daí. Estou buscando solução. […] Aí fica o mercado nervosinho. Se vocês explodirem a economia do Brasil, pessoal do mercado, vocês vão ser prejudicados também. Querem acreditar na minha palavra ou na da Miriam Leitão?“, afirmou em transmissão ao vivo nas redes sociais.

Poder 360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

FOGO-AMIGO: Ministro contesta Guedes: “Dinheiro para os R$400 sairá do orçamento”

O ministro da Cidadania, João Roma, contraria o ministro da Economia, Paulo Guedes, ao afirmar que o governo Bolsonaro busca soluções dentro do orçamento para financiar o Auxílio Brasil, que vai substituir o Bolsa Família.

O mercado financeiro reagiu ao anúncio feito pelo Ministro da Economia de que seria necessário “furar o teto de gastos” para bancar o programa, que prevê pagamento mensal de R$ 400 aos beneficiários.

João Roma negou isso. Ele afirmou que as fontes de renda do programa social estarão dentro do orçamento. “Estamos buscando dentro do orçamento do governo, como tem sido desde o princípio, fazer com que se aponte nossa meta governamental as fontes para o pagamento e o fortalecimento do programa social. Essa solução virá entre o entendimento do governo com o Congresso Nacional”, afirmou.

“O surgimento das novas fontes estava também atrelado a reforma do imposto de renda, que atrasou. Com isso, estamos fazendo um exercício para que dentro do orçamento se encontre espaços para que possa fazer não apenas o fortalecimento e incremento do programa permanente, como um benefício transitório, que vai até dezembro do próximo ano. Que nessa saída da pandemia nenhum beneficiário receba menos de R$ 400”, disse.

Diário do Poder

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *