Trump cria banco de dados de ‘maus policiais’ nos Estados Unidos

Foto: Leah Millis / Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta terça-feira (16) uma ordem executiva que cria um banco de dados com registros de policiais que usarem força excessiva durante suas ações.

A medida surge após os protestos pela morte de George Floyd, homem negro morto por um policial branco em Mineápolis, nos EUA.

Ela também estabelece financiamento para departamentos de polícia que introduzirem programas de boas práticas. Uma forma de responder às manifestações pela brutalidade policial no país.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Thammy disse:

    Eita que se criar esse bancos de dados aqui….hummmm…nao fica um meu irmão….a ignorancia….brutalidade ….violencia…e o chamado nao me toque..sou uma autoridade…simplismente RIDÍCULO…policiais mal treinados…muitas vezes nao sabem se comunicar …sao brutos…grosseiros..imaginem em casa…da do de ver uma sociedade que paga o salario desses cidadaos para muitas vezes receber a sua estupidez

  2. Pedro Henrique disse:

    Se inventarem de fazer isso aqui no Brasil, vai dar tilt nesse banco de dados.

FOTO: Brasileiro é eleito deputado nos Estados Unidos

Foto: Brazilian Times

O brasileiro Danilo Sena, pernambucano, há 20 anos radicado nos EUA, elegeu-se nessa quarta-feira(03) deputado pelo Estado de Massachusetts, pelo Partido Democrata.

Obteve 4.226 votos. Foi eleito por seis distritos, na região polarizada pela cidade de Boston. É a primeira vez que um brasileiro ganha essa posição no Estado.

Coluna Esplanada

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raimundo disse:

    Só foi pelo partido do mimimi

  2. Pedro Henrique disse:

    Coitados dos americanos.

  3. Canhoto potiguar disse:

    Brasil exportando comunista…

Taxa de desemprego dos Estados Unidos tem pior resultado desde a Grande Depressão

Foto: Johannes Eisele/AFP

A economia americana perdeu 20,5 milhões de empregos apenas em abril, a maior destruição de vagas desde a Grande Depressão e o mais consistente indicador do estrago causado pela pandemia do novo coronavírus sobre a economia.

A taxa de desemprego saltou para 14,7%, dos 4,4% registrados em março. Em fevereiro, antes do início da crise, ela era de 3,5%.

O único cenário comparável de desemprego é do período da Grande Depressão, quando não existiam estatísticas oficiais do governo. Em 1933, o desemprego americano teria atingido 25%.

Pela comparação oficial do departamento de Trabalho dos EUA, é o recorde para o período pós Segunda Guerra. O pior indicador por esse recorte era de 10,8% de desemprego, atingido em novembro de 1982.

Economistas consultados pela agência Reuters projetavam um quadro ainda pior: 22 milhões de desempregados e taxa de desemprego de 16%.

Os dados de março também foram revisados: naquele mês, 870 mil pessoas perderam o emprego, ante projeção de 701 mil.

A perda de postos de trabalho é reflexo direto das medidas adotadas por governos para conter a disseminação do novo coronavírus, como o fechamento de serviços considerados não essenciais a partir da segunda quinzena de março.

Essa estatística oficial não mostra, porém, as pessoas que tiveram jornada de trabalho e portanto também a renda reduzida.

Os números sombrios reforçam as projeções de analistas de que a retomada após a pandemia será lenta: o consumo das famílias é um dos motores da economia americana.

No Brasil, a taxa de desemprego mais recente conhecida é a de março e estava em 11,6%. A estatística oficial leva em consideração o trimestre móvel, suavizando o registro da alta do desemprego.

Além disso, o governo ainda não divulgou neste ano os dados do Caged, que mede os empregos com carteira assinada no país. Tampouco há a divulgação sistemática dos pedidos de seguro-desemprego, dificultando a leitura do estrago feito pela pandemia do novo coronavírus sobre o mercado de trabalho brasileiro.

Folha de SP com agências de notícias

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. O rei do gado disse:

    Me lembro de que a três meses atrás, o pai do Bolsonaro, o sr. Donald Trump disse que essa gripe não atingiria o país. E agora Trump? Será mesmo que é uma gripezinha, um resfriadinho?

    • Rodrigo disse:

      Não se esqueça que essa pandemia era algo novo, inclusive não tem nada conclusivo, apenas que é uma doença perigosíssima e que vai dá um baque enorme no planeta, entretanto você deve ser um dos que extirpou o complexo de viralatas tão propagado por luladrão, que priorizavam copa do mundo, olimpíadas e corrupção sistêmica, relevando a saúde a última das prioridades, com isso, potencializou a mortandade dos contaminados por covid, por falta de UTIs e respiradores. Cujos adoradores desse trastes se acham ungidos de intectualidade. O que é uma lástima.

    • Manoel disse:

      O tesão do gado por Lula é algo formidável. E olhe q o cara deixou a presidência com 88% de aprovação. Queria ter 10% desse tesão por minha esposa. Voltaria aos meus 17vanos!

    • Higino disse:

      É, 80% de aprovação pela corrupção sistêmica, onde saquearam mais de trilhões de reais, eleitos através de fraudes com dinheiro sujo da corrupção, bilhões investido em copa do mundo, Olímpiadas e com grande parte do dinheiro desviado, enquanto hoje milhares de brasileiros irão morrer pela falta dessa fortuna roubada e mal aplicada, e que deveria ter sido investido na saúde e em outros setores de enormes nescessidades. Ainda tem a ignorância de chamar outros de gado. É cada uma!

Estados Unidos aprovam segunda fase de testes para vacina contra o coronavírus

Foto: CARL RECINE / Reuters

A Administração de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) deu aval para que um estudo para uma possível vacina contra o coronavírus avance para a segunda fase de testes. A iniciativa é da companhia farmacêutica Moderna e a informação foi compartilhada pela própria empresa em um comunicado divulgado nesta quinta-feira.

Segundo a Moderna, os testes de fase dois devem começar em breve e serão realizados com 600 participantes. A empresa acrescenta que já está finalizando os planos para uma terceira fase nos próximos meses. Caso o produto seja eficaz, poderia ser disponibilizado para o público geral em 2021.

“Estamos acelerando a produção e nossa parceria com a Lonza nos coloca em posição de produzir e distribuir o máximo possível de doses de mRNA-1273, caso isso seja seguro e eficaz”, afirmou o CEO da empresa, Stephane Bancel.

A vacina mRNA-1273 foi a primeira a iniciar os testes nos Estados Unidos. A nova fase do estudo ajudará os pesquisadores a avaliarem se a vacina é mesmo segura, quem produz a resposta imunológica mais forte e qual deve ser a dose eficiente para evitar a doença.

Apesar da aceleração no processo para encontrar algo que possa proteger as pessoas do vírus, autoridades de saúde alertaram que o período mínimo para desenvolver uma vacina varia de 12 a 18 meses, na melhor das hipóteses. E que o tempo médio entre a primeira fase de testes e sua chegada ao mercado é de quase 11 anos, com uma taxa de sucesso de 6%.

Extra – O Globo

 

Trump assina decreto que suspende imigração nos Estados Unidos durante a pandemia de Covid-19

Foto: Agência Reuters

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, assinou nessa quarta-feira (22) decreto que suspende temporariamente a imigração para o país durante a pandemia do novo coronavírus.

“Isso garantirá que norte-americanos desempregados sejam os primeiros na fila para empregos conforme nossa economia abrir”, afirmou Trump na entrevista diária sobre o coronavírus.

Ele disse que assinou o decreto pouco antes da entrevista.

Isolamento

O presidente norte-americano afirmou que o país está começando uma reabertura segura dos negócios, mesmo que algumas autoridades de saúde tenham alertado que afrouxar as medidas de isolamento muito rapidamente poderia desencadear uma nova onda de casos de covid-19.

Um tuíte de Trump, no início da manhã, demonstrou apoio aos governadores de vários estados do Sul, que estão flexibilizando as diretrizes de distanciamento social, que fecharam negócios e confinaram os moradores em suas casas.

“Os estados estão voltando com segurança. Nosso país está começando a abrir para negócios novamente. Cuidados especiais são e sempre serão dados aos nossos amados idosos (exceto eu!)”, escreveu Trump, de 73 anos.

Um desses Estados é a Georgia, que deu sinal verde para a reabertura de academias, salões de beleza, boliches e estúdios de tatuagem a partir de amanhã (24), seguidos de cinemas e restaurantes na próxima semana.

Pesquisa de opinião realizada pela Reuters/Ipsos mostrou que a maioria dos norte-americanos acredita que as ordens de confinamento devem permanecer em vigor até que as autoridades de saúde pública determinem ser seguro suspendê-las, apesar dos danos à economia.

Balanço

As mortes por coronavírus nos Estados Unidos superaram ontem 47 mil, depois de subir em número quase recorde para um único dia na terça, segundo contagem da Reuters.

Um modelo da Universidade de Washington, frequentemente citado pela Casa Branca, projetou um total de quase 66 mil mortes por coronavírus nos EUA até 4 de agosto, uma revisão para cima de sua estimativa anterior, de 60 mil Nas previsões atuais, as mortes no país podem chegar a 50 mil no fim desta semana.

O estado de Nova York, epicentro do surto nos EUA, registrou 474 novas mortes nessa quarta-feira, o menor aumento desde 1º de abril. Alguns estados próximos, como Pensilvânia e New Jersey, tiveram número recorde de mortes em um dia na terça-feira.

Agência Brasil,com Reuters

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ojuara disse:

    Matheus, primeiro os teus.

Nicolás Maduro é indiciado por narcotráfico nos Estados Unidos

Foto: Martial Trezzini/AP

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi indiciado por narcotráfico nos Estados Unidos, após investigação de autoridades federais em Washington, Nova York e Flórida.

O indiciamento contra um chefe de Estado é incomum e marca uma escalada da campanha do governo de Donald Trump para que Maduro deixe o poder.

O secretário de Justiça dos EUA, William Barr, anunciou as acusações nesta quinta-feira em entrevista coletiva, juntamente com o chefe da FDA, a agência americana antidrogas, e promotores federais de Nova York e Miami, segundo o jornal “The New York Times”.

Além de Maduro, foram indiciadas outras autoridades do governo venezuelano, membros da inteligência do país e integrantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O Departamento de Estado dos EUA oferece recompensa de até US$ 15 milhões por informações que levem a Maduro na Venezuela.

Pelo Twitter, o secretário de Estado, Mike Pompeo, disse que as recompensas têm como objetivo levar à Justiça ex-autoridades do governo Maduro envolvidas com tráfico internacional de drogas.

“O povo da #Venezuela merece um governo transparente, responsável e representativo que atenda às necessidades do povo”, escreveu.

Valor

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observador disse:

    Nos EUA, quando algum presidente se sente pressionado por algo, arranjam logo uma guerra. No caso de Trump, agora foi Maduro. Já aqui no Brasil, o presidente ou os filhos falam ou fazem besteiras.

  2. Zanoni disse:

    Gozado mesmo, para não dizer medonho, é Lula, o pai dos idiotas petistas bitolados, aqueles que defendem o "Lula Livre", ser amigo dos governantes mais arrasadores do próprio povo que se tem no Mundo.

  3. Anderson disse:

    Os EUA? Algo que falta aos governos americanos é caráter. Patrocinam golpes em todo o globo para surrupiar as riquezas dos povos que consideram seus servos. E ainda encontram aliados, abutres, entre os explorados. Nada que venha dali merece credibilidade.

  4. Francisco disse:

    Falta os parceiros dele, luladrão, freixo, boulos, gleiser, pimenta,dilmanta…

  5. Jose disse:

    Nos estados unidos…kkkkkkk

Brasil avisa Estados Unidos que Wajngarten contraiu novo coronavírus

O governo brasileiro informou no início da tarde desta quinta-feira que já comunicou às autoridades dos Estados Unidos que o secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, contraiu o novo coronavírus. Ele esteve na viagem oficial à Flórida junto ao presidente Jair Bolsonaro, quando se encontrou com o presidente Donald Trump.

A informação foi divulgada em nota da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República. Segundo o comunicado, o evento foi informado para que o governo americano também adote “as medidas cautelares necessárias”.

“O Serviço Médico da Presidência da República adotou e está adotando todas as medidas preventivas necessárias para preservar a saúde do Presidente da República e de toda comitiva presidencial que o acompanhou em recente viagem oficial aos Estados Unidos, bem como dos servidores do Palácio do Planalto. Isso porque um dos integrantes do grupo, o Secretário de Comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, é portador do novo coronavírus Covid-19, confirmado em contraprova já realizada”, diz a nota.

Ainda segundo a Secom, Wajgarten “está cumprindo todas as recomendações médicas, em quarentena domiciliar, e só retornará ao seu trabalho quando não houver risco de transmissão da doença”.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, disse que terá uma reunião com os responsáveis pela saúde de Bolsonaro e a equipe da Presidência da República. Medidas acerca disso serão anunciadas somente depois do encontro.

— Com a confirmação do Fábio, medidas vão ser tomadas, medidas vão ser esclarecidas em reunião que teremos após esta entrevista coletiva — disse Gabbardo.

Na coletiva, o secretário de Vigilância em Saúde da pasta, Wanderson de Oliveira, destacou que qualquer um pode pegar o vírus.— Pode ser que todos aqui tenhamos corona. É verdade, é como influenza, é como a gripe — disse Wanderson.

O Globo

Quem era o general iraniano morto em ataque dos Estados Unidos

Qassem Soleimani, em foto de 2016 Office of the Iranian Supreme Leader/AP

Qasem Soleimani, general morto em um ataque aéreo americano em Bagdá na noite de quinta (2), era conhecido como um dos homens de maior poder no cenário iraniano. O homem de 62 anos, de baixa estatura e comportamento silencioso, chefiava a unidade Quds, da Guarda Revolucionária, e era apontado como o mentor das estratégias militares do país.

Soleimani era próximo do líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei. Ele sobreviveu a várias tentativas de assassinato nas últimas décadas. Sua morte deve aumentar ainda mais a tensão entre Irã, Iraque e Estados Unidos. Ao estender o alcance militar do país, em conflitos como os da Síria e do Iraque, passou a ser idolatrado por partidários iranianos. Para especialistas na região, ele tinha mais influência diplomática que o ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif.

Na terça-feira, militantes pró-Irã invadiram uma parte da embaixada americana em Bagdá em represália a ataques aéreos dos EUA que deixaram 25 integrantes das milícias paramilitares mortos.

Em abril de 2019, os Estados Unidos designaram a Guarda Revolucionária do Irã como uma organização terrorista. Foi a primeira vez que Washington rotulou formalmente uma unidade militar de outro país como terrorista.

A Guarda Revolucionária Iraniana é uma organização criada após a Revolução Islâmica de 1979.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos disse:

    Ele só executou isso:

    – Irã atacou as refinarias de petróleo sauditas.

    – Irã sequestrou petroleiro britânico.

    – Irã derrubou drone americano de US$220 mi em águas internacionais.

    – irã atacou a embaixada dos EUA no iraque.

    E é Trump que está causando a terceira guerra mundial?

    Trump tem razão.

Jean, do São Paulo, é solto nos Estados Unidos após pagar fiança; em depoimento, goleiro diz que sua mulher o agrediu por ciúmes

Foto: Reprodução/Orange County

O goleiro Jean, do São Paulo, foi solto na tarde desta quinta-feira nos Estados Unidos após pagamento de fiança. Segundo a versão do jogador, a briga entre ele e a esposa Milena Bemfica começou por causa de ciúmes. Milena teria se irritado ao vê-lo conversar com outra mulher ao telefone e o teria agredido primeiro, conforme consta no boletim de ocorrência feito pela polícia de Orlando, nos Estados Unidos, na quarta-feira. No entanto, após o depoimento da sua mulher e das filhas do casal, os policiais levaram Jean preso para a prisão Orange County.

O documento foi anexado pela Justiça americana ao processo em que o goleiro é acusado de violência doméstica. Jean participará de uma audiência nesta quinta-feira na qual o tribunal decidirá se permite sua soltura após pagamento de fiança.

No depoimento, Jean conta que Milena o acertou com uma chapinha de cabelo na cabeça e mordeu uma das suas coxas. Ao ser confrontado pelos policiais de como ela teria dado a mordida naquele local, não soube responder.

Na versão de Milena, que foi corroborada pelas crianças, ela foi agredida com oito socos e puxada pelos cabelos pelo marido no quarto de hotel em Orlando. O casal e as filhas estão de férias na cidade. As autoridades concluíram que ela agiu em legítima defesa.

O São Paulo já se manifestou por meio de notas e vai rescindir o contrato com o jogador. Porém, por questões trabalhistas, só poderá fazê-lo ao fim das férias do atleta.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ronaldo Barros disse:

    Goleiro Jean é solto nos EUA sem pagamento de fiança…O goleiro Jean Fernandes, do São Paulo, foi liberado, sem pagamento de fiança, na tarde desta quinta-feira 19, confirmou a VEJA o sistema prisional da Flórida, nos Estados Unidos…….ALGUÉM PRECISA CHECAR A NOTICIA

Nos Estados Unidos, uma casa pode ser legalmente assombrada

(Witthaya/Getty Images)

Existem dois tipos de pessoas: aquela que escuta um barulho estranho na cozinha e vai conferir o que é, e a que fica quietinha no seu canto e planeja um jeito de fugir. Essa pode ser a diferença entre sobreviver ou não em um filme de terror — mas também pode definir se você compraria ou não uma casa.

Muita gente é fascinada por eventos macabros e considerados “sobrenaturais”. Tanto é que existem até mesmo agentes imobiliários especializados em vender casas mal-assombradas. Mas o que define se uma casa é ou não assombrada? Nos Estados Unidos, isso pode estar até na escritura.

Dependendo dos eventos passados ocorridos na casa, ela pode ser considerada “estigmatizada”. Ou seja, mesmo que não tenha nada de errado fisicamente com a casa, os vendedores ou agentes imobiliários devem avisar que algumas coisas estranhas já aconteceram por ali, o que pode afastar os compradores — ou atraí-los.

Uma mansão famosa do estado de Nova York está a venda por 1,9 milhões de dólares (aproximadamente R$7,6 milhões). Ela é conhecida como a “Casa Fantasma”. Nos anos 1960, uma moradora alegou que a casa era habitada por espíritos que lutaram na Guerra de Independência dos Estados Unidos. Ela afirmava que os espíritos inclusive interagiam com sua família.

A história viralizou nos jornais e revistas. A fama foi tanta que a Suprema Corte de Nova York declarou, em 1991, que a casa era considerada assombrada devido ao estigma criado pelos moradores anteriores. A partir de então, os vendedores são obrigados a avisar sobre a má fama da mansão.

Mas a questão está longe de ser um consenso. Por lá, os estados são mais autônomos para decidir as próprias leis. Na Califórnia, por exemplo, o vendedor é obrigado a informar de quaisquer mortes que tenham se passado na casa nos últimos três anos. Já em Massachusetts, quem vende só é obrigado a falar sobre o passado da casa se os compradores perguntarem.

O fato de a casa ser estigmatizada influencia a decisão do consumidor e até o preço. Segundo uma enquete feita nos Estados Unidos, metade dos moradores não compraria uma casa se ela fosse conhecida por ser assombrada. Por lá, a preocupação é tanta que existe até um site que mostra se alguém já morreu no terreno que você está querendo comprar – se estiver disposto a pagar 11 dólares pelo serviço, claro.

No Brasil, não existe uma regra clara quando se trata de “casas assombradas”. O código civil obriga que os vendedores e compradores ajam de “boa fé”. Se a casa tiver má fama na região, talvez isso possa prejudicar o uso do espaço pelos compradores. Então, esse detalhe deveria ser informado.

“Não existe determinação no código civil sobre quais informações devem ser prestadas ao comprador. Se eu vendesse a minha casa e omitisse que ela é ‘mal assombrada’, pode ser que o comprador tivesse alguns prejuízos com a vizinhança”, disse Uinie Caminha, professora da UFC (Universidade Federal do Ceará) e doutora em direito comercial, em entrevista à SUPER. “Os amigos do filho não vão querer ir brincar na casa ou os entregadores de comida não vão até lá. Nesse caso, eu não deveria ter omitido essa informação porque ela é relevante ao comprador”.

Super Interessante

 

Empresário Arthur Soares, o ‘Rei Arthur’, é preso em Miami, nos Estados Unidos

O empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur, foi preso na manhã desta sexta-feira (25) em Miami, nos Estados Unidos — Foto: Divulgação

O empresário Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, conhecido como Rei Arthur, foi preso em Miami, nos Estados Unidos. Ele estava foragido desde 2017 e constava da lista de procurados da Interpol – a polícia internacional.

A TV Globo confirmou a prisão nesta sexta-feira (25). Ainda não se sabe quando e por que Arthur foi preso, nem se ele será extraditado para o Brasil.

O empresário é acusado de envolvimento na compra de votos para a eleição do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016.

Ele levava uma vida de luxo na cidade americana, como mostrou uma reportagem do Fantástico do dia 18 de agosto.

“Ele é chamado de Rei Arthur porque, ao longo de muitos anos, ele teve os maiores contratos com o Estado do Rio de Janeiro. Isso possibilitou a ele arrecadar um patrimônio milionário, talvez bilionário”, explicou o procurador da República Stanley Valeriano.

Confissão de Cabral

Em depoimento em julho deste ano, o ex-governador Sérgio Cabral admitiu que comprou por US$ 2 milhões os votos que garantiram a escolha do Rio como sede da Olimpíada de 2016.

No processo, Cabral é acusado pelo Ministério Público Federal de envolvimento em um suposto esquema de compra de votos no Comitê Olímpico Internacional (COI).

Os investigadores querem saber se houve fraude na eleição do Rio para receber os Jogos Olímpicos. Arthur Soares é um dos denunciados por corrupção devido à suspeita da compra de votos.

Lamine Diack e o filho dele, Papa, são acusados de intermediar o pagamento deste dinheiro.

Vida de luxo com recursos públicos

Um dos depois da reportagem do Fantástico, o Ministério Público Federal (MPF) se manifestou dizendo que o dinheiro que pagava o luxo com o qual vivia em Miami foi tirado dos cofres públicos do Estado do Rio de Janeiro.

“Nós podemos dizer, com certeza, que ele está usufruindo do dinheiro que ele tirou dos cofres públicos brasileiros, dos cofres públicos da sociedade carioca, e que o cidadão carioca deixou de ter um serviço pra que ele pudesse desfrutar da sua Maserati”, explicou Valeriano.

O carro que Rei Arthur dirige nos Estados Unidos e a que o procurador se refere custa R$ 530 mil no Brasil.

Em um dos momentos de lazer, Arthur Soares foi visto almoçando em um dos melhores restaurantes japoneses de Miami, onde uma refeição custa, em média, o equivalente a R$ 600 por pessoa.

Quando saiu do país, em abril de 2017, Arthur Soares foi morar em uma mansão, na ilha de Key Biscaine, um dos bairros mais caros de Miami. Atualmente, Arthur Soares deixou a mansão de luxo no condomínio fechado onde morava e foi para outra casa, aparentemente mais simples, com acesso direto para rua.

Contratos com o governo Cabral

Durante os dois mandatos de Cabral, Arthur Soares chegou a ter R$ 3 bilhões em contratos com o governo. Suas empresas prestavam serviços a pelo menos 10 secretarias estaduais.

Segundo os procuradores, em troca das vantagens para as suas empresas, Arthur Soares fez pagamentos indevidos a diferentes pessoas da organização criminosa comandada pelo ex-governador, tanto no Brasil como no exterior.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Operações fortes contra o judiciário brasileiro podem surgir a partir da delação desse jovem Sr lá nos EUA. Mas, se for extraditado, quando o avião cruzar a fronteira ele será um homem livre.

  2. Bira disse:

    O quêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêê ????? Prenderam esse minino??? O probre riquinho????
    o minino só fez molhar as mãos e comprar votos… os do Brasil fazem isso em toda eleição e ainda estão soltos….. vamos ver o resultado do STF e deixar o minino solto…. tadinho

  3. nasto disse:

    Devia existir algo superior para prender toda a "CORTE". Esse povo não sabe o mal MAIOR que pode causar ao PAÌS?

  4. paulo disse:

    BG
    São bandidos como este que STF quer soltar. Abaixo os BENGALEIROS.

  5. Chicão disse:

    Um país merda, stf protetor de ladrões e CANALHAS também vai soltar já esse patife.

“RUÍDO” NÃO SIGNIFICOU DESISTÊNCIA: Apoio dos Estados Unidos à entrada do Brasil na OCDE está mantido, informa assessor presidencial

Foto: Twitter/Jair Bolsonaro

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não retirou o apoio à entrada do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e vai oficializá-lo à entidade no momento “correto”, segundo um assessor direto do presidente Jair Bolsonaro, que cuida dessas negociações e disse ter falado com autoridades da Casa Branca sobre o assunto.

De acordo com esse assessor, a carta de apoio dos EUA à entrada de Argentina e Romênia na OCDE, divulgada pela imprensa, gerou ruído, como se a ausência do nome do Brasil no documento significasse uma desistência de Donald Trump de manter a promessa feita diretamente ao presidente Jair Bolsonaro.

“O nome do Brasil não consta porque, neste momento, está se tratando dos processos de ingresso da Argentina e Romênia, que já estavam bem adiantados. Além disso, Trump tem interesse em fortalecer o presidente argentino, Mauricio Macri, que busca a reeleição em seu país. Por isso, a oficialização do apoio aos argentinos neste momento”, afirmou.

Em março, durante a visita de Bolsonaro a Trump na Casa Branca, o presidente americano anunciou que apoiaria a entrada do Brasil na OCDE, apoio oficializado depois em maio.

O ingresso na organização, que reúne países desenvolvidos, faz parte da estratégia da equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, para que o país ganhe o selo de nação com regras rígidas na área fiscal e com normas amigáveis para o investimento externo.

O assessor presidencial disse ainda ao blog, em caráter reservado, que neste momento o governo Trump trava uma disputa com o comando da OCDE.

“O presidente dos Estados Unidos avalia que a atual direção tem beneficiado mais os países europeus e ele quer uma mudança nessa política. A nossa informação é que, tão logo isso se resolva, o governo norte-americano deve enviar a carta de apoio ao Brasil”, acrescentou.

Blog Valdo Cruz – G1

Brasil não faz milagre, cai diante dos Estados Unidos e dá adeus à Copa do Mundo de basquete

Fotos: Divulgação Fiba

O Brasil brigou. Foi um time completamente diferente do que enfrentou a República Tcheca, no último sábado. Mas, contra os Estados Unidos, por mais que eles tenham nesta Copa do Mundo o seu time C, entrega e disposição não são suficientes. Não há espaço para falha. Não dá para fechar os olhos. E o Brasil, apesar dos predicados apresentados, não conseguiu um milagre. Bem na defesa, mas errando no ataque, o time não tirou a invencibilidade dos americanos, agora em 48 jogos (não perdem em Olimpíada e Mundial desde 2006), foi derrotado por 89 a 73 e está eliminado do Mundial da China. A República Tcheca, apesar do revés para a Grécia, é a segunda classificada do Grupo K.

Durante a partida, os atletas reclamaram muito da arbitragem. Ainda no segundo quarto, o técnico croata Aleksandar Petrovic, levou duas faltas técnicas e foi excluído da partida, invadindo a quadra para reclamar. Leandrinho, no último quarto, já com o jogo escapado, fez o mesmo para pedir duas faltas que não foram dadas. Varejão terminou com 14 pontos, sete rebotes e três assistências. Benite, em seu melhor jogo, anotou 21 pontos. Leandrinho fez 14. Nos Estados Unidos, Kemba Walker fez 16, mesmo número que Myles Turner, com oito rebotes. Barnes anotou outros dez.

Por fim, o Brasil termina a Copa do Mundo com três vitórias, sobre Nova Zelândia, Grécia e Montenegro, e derrotas para Estados Unidos e República Tcheca na segunda fase, essa última sim, dolorida. No sábado, se tivesse vencido os tchecos, o Brasil já estaria classificado para as quartas de final. Com a saída da seleção, as duas vagas das Américas via Mundial estão definidas: Estados Unidos e Argentina.

Brasil no Pré-Olímpico

Apesar do revés, o Brasil ainda segue com chances de jogar a Olimpíada de Tóquio. Como ficou entre os 16 melhores da Copa do Mundo, o time está garantido em um dos pré-olímpicos mundiais, em junho do ano que vem. Serão 24 seleções, divididas em quatro grupos de seis. Apenas o campeão de cada torneio se classifica e fica entre os 12 que vão ao Japão.

A derrota para os Estados Unidos e a eliminação da Copa do Mundo deve significar também o fim de um ciclo para alguns dos nomes da seleção brasileira em Mundiais. Anderson Varejão, com 36, Huertas, com 36, Leandrinho, com 37, e Alex, com 39, já citaram, e o tempo mostra que esse é o caminho mais que provável. Antes, contudo, todos devem se colocar à disposição para o ano que vem, no pré-olímpico.

Brasil equilibra por 30 minutos

Pedindo energia ao time desde o domingo, Petrovic começou a partida contra os Estados Unidos com Huertas, Alex, Didi, Caboclo e Felício. A ideia era incomodar os americanos desde a primeira defesa. A defesa do Brasil funcionava bem, mas no ataque, Cristiano Felício errou dois lances simples. Com quatro minutos, os americanos tinham 10 a 7 e Petrovic levou falta técnica. Huertas anotava cinco pontos. Mais acionado no garrafão, Myles Turner tinha seis pontos para os Estados Unidos. Anderson Varejão, no giro em cima de Brook Lopez, trouxe a diferença para apenas uma bola: 15 a 12. Apesar de ter visto os americanos abrirem sete pontos no decorrer do quarto, a seleção conseguiu seu objetivo de manter o duelo em uma posse, perdendo por 21 a 18.

O Brasil não diminuiu a energia na volta. Nos primeiros dois minutos, conseguiu empatar o jogo em 23 a 23 em bola de três de Benite. Com dois minutos e cinquenta segundos do período, Anderson Varejão ia para a cravada quando foi parado por Myles Turner. Pediu falta. Arbitragem não deu. Petrovic reclamou el evou a segunda falta técnica. Foi expulso. E invadiu a quadra para reclamar. Precisou ser contido. A situação não desestabilizou o Brasil. Em gancho de Varejão, a vantagem americana caiu para 30 a 27. Benite, com a mão certeira em duas bolas, empatou em 33 a 33 faltando três minutos para o intervalo. Em duas falhas ofensivas de Felício, os Estados Unidos colocaram 41 a 33. Melhor que os americanos na reta final, o Brasil foi para o vestiário com revés menor, por 43 a 39.

O plano de jogo do Brasil não mudou para o terceiro período. Manter o jogo cadenciado, no cinco contra cinco, e apostar em Benite, com a mão quente. Nos quatro primeiros minutos, o ala chegou aos 18 pontos, mas os Estados Unidos seguiam vencendo por 48 a 44. Caboclo, por queda no início do quarto, parecia mancar. Variando na defesa, e com a bola de três não caindo, o Brasil viu os americanos abrirem sua maior vantagem até então, com 11 pontos: 59 a 48, com Kemba e Turner com 16 e 13 pontos. Aplicado defensivamente, o Brasil esbarrava na forte defesa americana e tinha aproveitamento bem ruim. A marcação, contudo, mantinha a equipe razoavelmente no jogo, apesar da vantagem americana subir para 11 pontos novamente em bola de três de Donovan Mitchell para fazer 67 a 56.

Reclamando demais da arbitragem, em dois ataques seguidos com Leandrinho, o Brasil perdeu o fio do jogo. Faltando oito minutos para o fim, os americanos colocaram 73 a 58 em cravada de Barnes. O Brasil parou o jogo. Na volta, a energia não foi a mesma. A meia-hora de energia não seguiu. O Brasil seguiu correndo, tentando diminuir a vantagem dos americanos, mas talvez a pilha da arbitragem pesou tanto quanto o talento dos rivais. Faltando dois minutos para o fim do duelo, a vitória americana era questão de acompanhar o cronômetro com o placar em 87 a 68. O tempo correu, e os Estados Unidos venceram por 89 a 73.

Globo Esporte

 

Em decisão histórica nos Estados Unidos, Johnson & Johnson é condenada a pagar multa de US$ 572 milhões

Em decisão histórica nos Estados Unidos (EUA), a multinacional americana Johnson & Johnson foi condenada nessa segunda-feira (26) a pagar US$ 572 milhões por danos ao estado de Oklahoma, devido à crise dos opioides.

A decisão pode afetar os rumos de quase mais de 2 mil processos apresentados contra fabricantes de opioides em várias regiões do país. O valor, no entanto, ficou abaixo da expectativa de alguns analistas, que imaginavam que a multa pudesse chegar a US$ 2 bilhões.

O juiz Thad Balkman disse que os promotores demostraram que a J&J promoveu de forma enganosa o uso de analgésicos legais. que são altamente viciantes.

“Essas ações comprometeram a saúde e a segurança de milhares de pessoas em Oklahoma”, disse o juiz.

Balkman afirmou que o laboratório Janssen, a divisão farmacêutica da J&J, adotou práticas de “propaganda enganosa na promoção de opioides”, o que levou a uma crise de dependência desses analgésicos, mortes por overdose e a um aumento das síndromes de abstinência neonatal no estado americano.

“A crise dos opioides devastou Oklahoma e deve ser contida imediatamente”, disse o juiz. Desde 2000, cerca de 6 mil pessoas no estado morreram de overdose de opioides, de acordo com os procuradores do estado.

Os US$ 572 milhões da multa imposta à empresa deverão ser usados para enfrentar a epidemia nos próximos 30 anos, por meio de programas de tratamento e prevenção.

A Janssen distribui o adesivo Duragesic (Fentanil) e os comprimidos Nucynta (Tapentadol), que não são os opioides mais populares do país.

O Oxycontin (Oxicodona), um dos mais populares, pertence ao laboratório Purdue, que fez um acordo de US$ 270 milhões com o estado de Oklahoma, em vez de enfrentar os tribunais.

Ontem, o novo Relatório Mundial sobre Drogas da Organização das Nações Unidas (ONU), apresentado em Viena, apontou a devastação causada pelos opioides.

Segundo a organização, a crise de opioides nos Estados Unidos e no Canadá, pelo abuso de analgésicos sintéticos como o Fentanil – 50 vezes mais potente do que a heroína -, voltou a chamar a atenção dos especialistas da ONU. Estima-se que 4% de todos os americanos adultos tenham consumido algum tipo de opioide, pelo menos uma vez, em 2017. Das 70.237 mortes por overdose registradas nos EUA nesse ano, 47.600 foram por causa do uso de opioides, 13% a mais do que em 2016.

“A overdose de droga na América do Norte realmente alcançou dimensões de epidemia”, ressaltou a chefe da Seção de Estatísticas e Pesquisas do UNODC e autora do relatório, a italiana Angela Me, que alertou que existem indícios de um aumento no consumo de Fentanil na Europa.

Agência Brasil, com Agência pública da Alemanha

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco disse:

    Aqui, uma legião de idiotas iriam bravejar dizendo que era um atentado a centenas de emprego, mesmo a empresa tendo prejudicado os milhões de consumidores e alastrado corrupção e prática nocivas ao país, prejudicando a nação inteira.

Estados Unidos vão financiar projetos de ensino de inglês no Brasil

A embaixada e os consulados dos Estados Unidos (EUA) estão recebendo propostas de organizações educacionais sem fins lucrativos que ensinam a língua inglesa, para criar e implementar projetos do programa Access (acesso, em inglês) em Belém, no Recife, em Brasília, Manaus, Porto Alegre, no Rio de Janeiro, em Salvador, São Luís e São Paulo.

O programa Access oferece aulas de língua inglesa para participantes de áreas economicamente desfavorecidas, após o período escolar e com sessões intensivas. O programa pretende capacitar os estudantes para futuras seleções de intercâmbio e estudos nos EUA..

Nessa edição, o programa é voltado para adolescentes no Rio de Janeiro, em São Luís e São Paulo. Em Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, o Access quer auxiliar professores em início de carreira. Em Belém, Brasília, Manaus, Recife e Salvador o programa prevê qualificação na língua estrangeira.

O prazo para entrega dos projetos é até a meia-noite do dia 1º de setembro de 2019. Todas as propostas devem ser enviadas para: [email protected]

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    Os esquerdopatas, que via de regra odeiam trabalho e estudo, estão reclamando da oportunidade proporcionada pelos EUA. É incrível!

  2. Mansueto Norte disse:

    Agora Vai!….hahahaha a língua pátria nem sabem falar e escrever, imagina a do Tio Sam

  3. Allan Simpson disse:

    Hahahahaha em um país onde os alunos não sabem nem mesno conjugar um verbo corretamente, não conseguem perceber a diferença entre "mais" e "mas" erram de primeira o uso do "mal" e "mau" vão agora aprender a falar e escrever a língua inglesa, vai que acontece um milagre, né ?
    Hahahahaha

    • Nobre Silva disse:

      Rapaz, se aprender a falar já é um avanço grande. Pra viver no Brasil não precisa de gramática, precisa de matemática, tá? Vai na lingüista mesmo, basta ser igualzinho a jogador de futebol, vai pra Holanda , Inglaterra, França, Espanha etc etc por exemplos, chega aqui falando outros idiomas. O maior exemplo disso é o pernanbucano Hernâni, jogador do São Paulo Futebol Club.

  4. Riva disse:

    Babões de americanos, pesquisem sobre a base de Alcântara e descobrirão a que ponto chega a serviencia do mito de vcs.

    • Clóvis disse:

      Babão de gringo… sei!
      Que tal ver a história da refinaria hiper faturada de Abreu e Lima? Quem decidiu sobre ela, quem mandou nela, quem autorizou quase tudo na refinaria?
      É questão de opção, uns gostam dos americanos, outros de países evoluídos, desenvolvidos e economicamente independentes como a Venezuela. Não sei a razão de vocês não irem passar férias por lá

  5. Yankee disse:

    Na realidade o Brazil nunca deixou de ser quintal dos bestados unidos.
    Desde o golpe militar de 1964, quando "caçaram" o nosso presidente como quem caça um animal e entra na casa de mãe joana sem pedir licença, kennedy (o que levou um balaço na cabeça!) com aquela conversinha engana otário fez o que quis e não teve um cabra macho para peitá-lo. Colocaram um fantoche militar na presidencia, e desde então os bestados unidos vem comendo pelas beiradas.
    E agora com esse doido na presidência, o complexo de vira-latas subserviente e lambe botas se manifestou com força!
    Brazil, mostra tua cara…
    Quero ver quem paga, prá gente ficar assim.

    • Gustavo disse:

      Isso mesmo! Viva a revolução bolivariana, o socialismo do séc. XXI! Para o Brasil crescer e se desenvolver!
      Junto com nossos irmãos venezuelanos e o Foro de São Paulo, seremos uma potência a la Cuba!

  6. sergio disse:

    Se fosse alemão ou norueguês, seria um crime contra a soberania do Brasil. Vá entender…

  7. Rinaldo disse:

    Projeto de colonização avança formando um batalhão de Adoradores Fanáticos consumistas dos produtos americanos.
    Essa submissão é doentia.

  8. Jânio disse:

    Dalhe EDUARDO BOLSONARO, nem assumiu já está trabalhando.
    Da lhe Mito!!!

Estados Unidos bloqueiam todos os ativos da Venezuela

Foto: Alan Santos /PR

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ordenou o congelamento de todos os ativos da Venezuela em solo americano. A medida se soma a uma série de punições já aplicadas ao governo do presidente Nicolás Maduro, considerado ilegítimo por Washington.

Em carta enviada à líder da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, Trump disse que adotou a medida em razão da “contínua usurpação de poder” por Maduro e abusos contra os direitos humanos cometidas por forças de segurança leais a ele.

O bloqueio afeta “todos os ativos e interesses em propriedade do governo da Venezuela nos Estados Unidos”, diz a ordem, acrescentando que esses bens “não podem ser transferidos, pagos, exportados, retirados ou manejados”.

Transações com autoridades venezuelanas cujos ativos estão bloqueados também estão proibidas.

Fica vetada a entrega ou recebimento de “qualquer contribuição ou provisão de fundos, bens ou serviços por ou para o benefício de qualquer pessoa cujas propriedades e interesses estejam bloqueados sob esta ordem”.

A medida, porém, exclui “transações relacionadas ao fornecimento de artigos como roupas e medicamentos destinados a ajudar no alívio do sofrimento humano”.

Segundo o Wall Street Journal, a medida foi a primeira dessa magnitude adotada contra um país ocidental em mais de 30 anos, com restrições semelhantes às impostas aos regimes da Coreia do Norte, Irã, Síria e Cuba.

Retaliações

Apesar de poupar o setor privado venezuelano, o bloqueio ameaça com possíveis retaliações do governo americano as entidades estrangeiras que fizerem negócios com a Venezuela.
A ordem, que ficou pouco distante de ser um embargo comercial, se tornou a ação mais decisiva do governo Trump contra o regime de Maduro desde que Washington reconheceu o opositor Juan Guaidó como presidente interino do país, em janeiro deste ano.

Nos últimos dois anos, a Casa Branca vem impondo uma série de sanções contra o governo de Maduro, entre estas, restrições ao comércio de petróleo bruto – a maior fonte de renda do país – através da estatal venezuelana PDVSA. As sanções sobre o comércio de petróleo aceleraram o colapso da produção nacional, iniciado após a eleição de Maduro, em 2013.

As medidas também punem funcionários, familiares e pessoas próximas ao governo venezuelano. Mais de 100 autoridades e indivíduos tiveram seus bens congelados nos EUA e foram proibidos de realizar negócios nos país. Até mesmo um filho e enteados de Maduro também foram alvo de punições.

Guaidó, reconhecido como presidente interino por cerca de 50 países, disse – através do Twitter – que o bloqueio americano “busca proteger os venezuelanos” da “ditadura” de
Maduro, que, segundo diz, se sustenta com “dinheiro saqueado da República”.

“Essa ação é consequência da arrogância de uma usurpação inviável e indolente. Aqueles que a apoiam, beneficiando-se da fome e da dor dos venezuelanos, devem saber que haverá consequências”, disse o líder opositor.

Bloqueio ou uma quarentena à Venezuela

Na semana passada, Trump confirmou que cogita impor um bloqueio ou uma quarentena à Venezuela para pressionar Maduro a deixar o poder. A jornalistas reunidos nos jardins da Casa Branca, ele disse que ambas as hipóteses estão sendo avaliadas.

“O senhor está considerando um bloqueio ou quarentena à Venezuela, diante do grau de envolvimento da Rússia, China e Irã?”, perguntou o jornalista. “Sim, estou”, respondeu Trump. “Sim, estou”, repetiu, sem dar mais detalhes.

“Estamos preparados para qualquer batalha. Este Mar do Caribe é da Venezuela, e o império americano pretende fazer uma quarentena naval da Venezuela. Repudiamos fortemente essa nova tentativa de ameaça”, respondeu Maduro.

O líder venezuelano afirmou ainda que pediu ao embaixador do país na Oreganização das Nações Unidas (ONU), Samuel Moncada, que denuncie essa “ameaça ilegal” ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Apesar da grave recessão, sanções internacionais e dos protestos em massa realizados no país, Maduro vem conseguindo se manter no poder com o apoio das Forças Armadas. Durante seu governo, o país, que possui uma das maiores reservas de petróleo do mundo, caiu na pior crise econômica de sua história.

Segundo a ONU, em torno de 4 milhões de cidadãos emigraram para outros países desde 2015.

Nesta terça-feira, começa em Lima, no Peru, uma conferência de 60 países que buscam uma saída pacífica para a crise política na Venezuela, ainda que sem a presença dos países que apoiam o regime de Maduro. Os EUA prometeram o anúncio de medidas decisivas contra Maduro durante o evento.

Agência Brasil