Falta de estratégia do governo me deixa perplexo, diz presidente da CCJ

A confusão da base governista tem irritado um dos principais aliados do Planalto na tramitação da reforma da Previdência: o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR).

Membro do partido do presidente, o deputado afirmou nesta segunda-feira (15) estar perplexo com a falta de estratégia do governo para a aprovação da proposta.

Além disso, criticou a posição da sigla de votar contra si própria para evitar que o fato de a PEC do Orçamento impositivo ter sido colocada primeiro para votação fosse caracterizada como uma derrota.

“O que me deixa perplexo é essa falta de estratégia mesmo”, disse o presidente. Francischini deixou a sessão brevemente para marcar presença do plenário da Casa.

Durante todo o dia, porém, demonstrou irritação —mais com o governo, de quem é aliado, que com a oposição, que tenta obstruir a votação da Previdência.

“É mais uma questão de insatisfação porque a gente poderia estar tendo uma tropa de choque”, afirmou.

“O que eu estou irritado é que me cobram uma postura, e não vêm defender na comissão. Eu estou tomando tiro toda hora e ninguém defende, ninguém contradita questão de ordem”, disse.

Francischini chegou a desabafar com deputados da comissão que sente que está sendo cobrado para agir como líder do governo. Depois de um entrevero com a deputada Maria do Rosário (PT-RS) e um deputado da base, ele chegou a deixar a mesa para a vice-presidente, Bia Kicis (PSL-DF).

A deputada petista se inscreveu para falar contra a PEC do Orçamento —foi interpelada pelo presidente, uma vez que a parlamentar é declaradamente favorável à votação. A manobra se tratava de parte da estratégia da oposição de discursar ao máximo para alongar o trâmite.

Rosário argumentou que iria fazer uma “reflexão contrária”. Francischini debatia com ela, quando um deputado da base argumentou: “é que se for falar a favor, tem outros na frente.”

O presidente da CCJ se irritou: “Se o governo não se incomoda com as etapas da comissão, está com a palavra, deputada”, disse por fim, levantando-se da mesa.

Francischini disse nesta segunda que é o governo que tem de ser responsável pela contagem de votos, e que apenas irá pautá-la. Ele também não quis se comprometer com o cronograma do Planalto, que pretende encerrar a etapa da comissão até quarta (17).

Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Bastos disse:

    Ceará deixe de falar besteira, deixe de olhar pelo retrovisor, faz mais de três meses que e doido é presidente e o país parado, sem projetos o país está mais perdido que cego em tiroteio.

    • Rick disse:

      Como sem projetos? Esse Governo manda um projeto de Emenda pra estancar o crescimento exponencial dos gasto público e, com isso, atrair investimentos e gerar empregos, e o Presidente não tem projetos? Querem que se faça "articulação" nos moldes petistas? O Congresso que veja em que devastação estão lançando o País se continuarem a fazer muito c doce. Vai se abrindo espaço desde para uma quartelada ou pra psolentos tomarem o poder.

    • Ceará-Mundão disse:

      E vc deixe de ficar repetindo o que escuta dos outros. Tenha personalidade e ao menos crie seus próprios termos. Ninguém deve esquecer a porcaria que o seu PT fez com o nosso Brasil. Pois foram esses (des) governos que nos trouxeram a essa situação, demandando tanto o que fazer. Aliás, sua governadora também está "olhando no retrovisor". O que vc diz disso, "cumpanhero"? Tenha juízo e entenda que tantos anos de desmandos não podem ser remediados em 100 anos de governo. E ainda com a oposição irresponsável de gente como vc e seus heróis bandidos. Não fossem vcs, certamente Bolsonaro já teria conseguido aprovar as reformas necessárias ao país, que já estão no Congresso, sofrendo a obstrução criminosa dos seus eleitos "vermelhos". Tente ser brasileiro, ao menos, e deixe de torcer contra o Brasil.

    • Ceará-Mundão disse:

      O tal "retrovisor" é imprescindível. Foram os catastróficos governo do PT que nos trouxeram todos os problemas que estamos vivendo. É por causa desses (des) governos que temos tanto o que fazer e não será em 100 dias de governo Bolsonaro que lograremos êxito. Até porque os esquerdistas não se conformam com a perda da eleição (e de suas "boquinhas") e fazem oposição irresponsável ao governo federal, mesmo sabendo que isso irá prejudicar todo o país, incluindo os estados em que o PT ainda está no poder, como o RN. A propósito, a governadora daqui está justificando sua apatia com o tal "retrovisor". Enveredou numa pendenga com o ex governador que "faria", mas não fez, SEU ALIADO (o PT costuma "esquecer" seus parceiros e suas malfeitorias). Da minha parte, "cumpanhero", não esquecerei. Mude seu discurso.

  2. Álvaro disse:

    Esqueçam o PT e o ladrão de 9 dedos, o PT já tá fora e o Lula preso, temos que pensar no presente e no futuro e esse presidente, até agora, se mostra despreparado. Esse discurso de o PT era isso, a Dilma era aquilo, Luladrão roubava, deixa isso pra lá, parece discurso de esquerda. Ceará-Mundão, debata sobre a atualidade, não venha com discurso de esquerda.

    • Ceará-Mundão disse:

      A "atualidade" é exatamente o fruto dos enormes desmandos dos governos do PT. A "atualidade" é um país à beira da falência e sofrendo a oposição irresponsável de uma corja que ó pensa em voltar ao poder e que é capaz de qualquer coisa para isso. A "atualidade" mostra um RN também quebrado e cuja governo, ao invés de tentar resolver a triste situação em que o estado se encontra, está preocupado com um tal "Lula livre" (a petezada não esquece seu "grande líder", por que nós deveríamos?) e em atacar o governo federal, sua única fonte de salvação). Não se preocupe, no que depender de mim, nunca esqueceremos o mal que essa quadrilha fez ao nosso país.

  3. Ceará-Mundão disse:

    Afinal, qual o "preparo" que o presidiário e a ensacadora de vento tinham?

    • Antônio Barbosa Sobrinho disse:

      Nisso você tem toda razão, ao contrário dos últimos 03 presidentes do Brasil, Bolsonaro não sabe aRRR$$$ticular e vem recebendo pressão de todos os lados e setores.
      Embora saibamos de Lula tinha doutorado em economia, português, educação, saúde e segurança, enquanto Dilma era catedrática em economia e dominava as áreas da educação, segurança e saúde como ninguém nesse mundo. Por outro lado eles sabiam fazer aRRR$$$ticulações como poucos nesse país, tanto que tivemos 03 provas incontestáveis disso, jamdas de mensalão, petrolão e lava jato.

  4. Gagaça disse:

    Extrategia=cargos, privilégios, acesso a verbas, corrupção. Melhor deixar o congresso acabar o país, depois será cobrado e o governo não se renderá. Aprovo o mito por não entregar o país a esses ratos, diferente do que fizeram os petralhas, fhc e outros. Ao não se entregar aos ratos do congresso, o governo contribuirá pra que o povo vote democráticamente, pois os deputados não irão às eleições impulsionados pelo dinheiro da corrupção. E o resultado das urnas serão mais fiéis aos anseios da sociedade brasileira.

  5. Junin disse:

    Falta tudo e sobra despreparo…!!!

    • Ceará-Mundão disse:

      Falta despreparo prá roubar e lotear a administração pública com políticos corruptos, como foi feito largamente nos governos do PT. Por isso, aliás, o chefão da ORCRIM e muitos de seus "cumpanhero" já foram condenados.

COMENTE AQUI