FOTOS: Sinte-RN publica imagens de agressão física a coordenador, que teria partido da PM, durante protesto na SEEC

segura na gola e bateSegundo denúncia do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN(Sinte), o coordenador geral, José Teixeira, foi agredido fisicamente por policiais militares enquanto participava de protesto na SEEC. De acordo com nota publicada no site do sindicato, a violência aconteceu no início da tarde dessa segunda-feira (10). Na ocasião, ao tentar sair do Gabinete da Secretária Betânia Ramalho, um policial teria agarrado o professor pela gola e lhe desferiu um soco no rosto que o levou ao chão.

sangueNas publicadas pelo sindicato, Teixeira teve a testa cortada e uma torção no pé. Depois da agressão tanto José Teixeira quanto a coordenadora Fátima Cardoso, foram levados por uma viatura da polícia até a 5ª Delegacia de Polícia de Natal. O coordenador havia ficado trancado após a ocupação da Secretaria, em protesto contra o corte no ponto dos trabalhadores em educação em greve.

Segundo o sindicato, o protesto foi pacífico o tempo todo. No entanto, os representantes do governo Rosalba Ciarlini(DEM) trataram de chamar o aparato policial. Em um primeiro momento chegaram policiais armados com pistolas, logo depois outro grupo desta vez com metralhadoras e finalmente a tropa de choque.

Através de contato telefônico a coordenadora do Sinte-RN desabafou: “Não entendo o porquê disso, nossa manifestação foi totalmente pacífica e estamos sendo tratados como criminosos”.

O fotógrafo da assessoria de comunicação do Sinte-RN, Lenilton Lima, conseguiu registrar o exato momento da agressão e classificou o ato como uma covardia: “Bateram em um professor armado apenas com uma caneta e um apito”, afirmou.

Do Sinte-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Aldeirton Pereira disse:

    Venho de público externar a minha profunda e total solidariedade ao companheiro José Teixeira, cidadã e militante reconhecido pela sua luta em defesa de uma educação de qualidade, vítima de um ato descabido de violência praticada pela polícia da Governadora Rosalba.
    Considero legítimo e próprias da democracia as manifestações populares que ocorrem nesta greve. Lembramos que a Constituição Federal assegura aos brasileiros e brasileiras o direito de livre manifestação.
    Considero que a questão social não é caso de polícia e como tal não deve ser tratada, como ocorreu com o nosso companheiro que estava protestando em devesa de sua categoria. Não se justifica o uso da força contra quem luta por uma vida melhor. O direito à livre manifestação foi conquistado duramente e não podemos permitir que seja ameaçado.
    Entendo, assim, que frente às legítimas reivindicações da categoria, cabe o governo negociar e não usar a força para intimidar os trabalhadores e trabalhadoras.
    Por isso, conclamo o governo a buscar o caminho da mediação, com diálogo e negociação com o sindicato, mas também apurar rigorosamente todos os excessos cometidos pela a polícia da doutora Rosalba. A violência não faz parte de uma sociedade democrática.
    Aldeirton Pereira
    Funcionário de Escola em Mossoró.

  2. Marcelo disse:

    Quem não luta pelos seus direito deixa um exemplo de covardia para seus filhos…

  3. Joaozinho da escolinha disse:

    Se meus professores estivessem na escola eu nao estaria aqui falando besteiras!!! Mas ao analisar a foto em que o sindicalista raivoso alega ter levado o soco, observo que a mao que vai ao rosto é do proprio sindicalista, ou entao o policial tem o dedo mindinho do lado errado e o braço peludo igual ao do peleguista. Mas tambem observo que ha tambem desrespeito ao policial , porque o peleguista tambem está segurando a camisa do policial com força. So mostram o que lhe convem melhor…

  4. caio fábio disse:

    Se tivesse na sala de aula, isso não teria acontecido.

  5. Marcos Aurélio disse:

    Essa é a cara carrada e esculpida da falsa e dissimulada Gestão "Democrática" comandada a mãos de ferro pela Prof. Doutora da UFRN, Betânia Ramalho. Um exemplo de Ditadura, arrogância, Prepotência e autoritarismo que os servidores que convivem internamente com ela tem o desprazer de conhecer e conviver. Quem tiver dúvidas investigue, procurando ouvir o que dizem os servidores da Secretaria de Educação. Que inclusive é levada nas costas por um tal "consultor" cubano chamado Isauro. O faz tudo por trás de Betânia, não se sabe quanto custa e porque tanta lealdade e serventia. Acostumados a oprimir, pressionar e dar gritos nos servidores, nos gabinetes e corredores. Submetendo-os todos a um silencioso ritual de subserviência e covardia no trato com o descaso disfarçado com utilitarismos eletrônicos e planos mirabolantes de propagandas enganosas em cima de tecnologias compradas a peso de ouro da própria UFRN.
    Chamar a Polícia para agredir os profissionais da Educação em luta digna pelo que foi acordado e está sendo descumprido sistematicamente, assim como faz com todas as outras categorias: Profissionais da Saúde, Itep. servidroes da administração, Policiais Civis e até deles, os Policiais agressores…
    Tenho vergonha dessa Secretária…

  6. Fátima Guerra disse:

    Vendo as fotos, não resta dúvida do excesso cometido pelo policial.
    Porém e muito provavelmente, o dirigente deve ter chegado ali, educadamente, pedindo para passar, usando de palavras cordiais, de forma muito tranquila. Então do nada, por pura brutalidade, o policial agrediu o sindicalista.
    Pronto, fotos tiradas, material farto ao pessoal dos direitos humanos cair em cima da polícia. E assim vem se apresentando a população as situações envolvendo policiais.
    Invadir secretaria, acampar na sala do secretário, tirar os servidores do trabalho, tumultuar os ambientes, gritar todo tipo de "palavra" de ordem, tá valendo né???
    Isso é mantar a ordem? Só um lado tem direitos? Só um lado pode?

COMENTE AQUI