Haddad defende o impeachment, diz que Bolsonaro cultiva a ditadura, que o presidente será competitivo em 2022 e que falta comprovação nas acusações de Moro

O ex-ministro da Educação, ex-prefeito de São Paulo e candidato à Presidência em 2018, Fernando Haddad (PT-SP), 57 anos, afirma que o presidente Jair Bolsonaro deverá ser competitivo numa eventual disputa pela reeleição em 2022, caso permaneça no cargo até lá.

Haddad analisa que uma parte da população brasileira simpatiza com regimes autoritários. Essa fatia, que o petista diz acreditar estar ao redor de 20%, identifica-se com Bolsonaro.

O petista deu entrevista ao jornalista Fernando Rodrigues, apresentador do programa Poder em Foco, uma parceria editorial do SBT com o jornal digital Poder360. Por causa da pandemia, Haddad participou por videoconferência.

Na conversa, o ex-ministro também fala sobre a atitude do governo federal ante a crise do coronavírus. Diz que falta comprovação às acusações de Sergio Moro contra o presidente. E afirma que talvez seja necessário dar dinheiro a pequenos empresários para atravessarem a pandemia, numa espécie de versão empresarial do auxílio emergencial de R$ 600 já concedido a pessoas de baixa renda.

Perguntado se o atual presidente da República será competitivo nas eleições de 2020, Haddad responde: “Acredito que sim. Se fizer uma pesquisa no Brasil de quantas pessoas querem a volta da ditadura, vai ver que esse número quase nunca foi inferior a 20%”, afirma o ex-prefeito.

“E o Bolsonaro de alguma maneira representa esse anseio. Quem vota no Bolsonaro de certa maneira tem a esperança de que ele venha a fechar o regime. Fechar o Congresso, cassar a oposição, fechar o Supremo. Acho que existe da parte de 15%, 20% da população uma má-compreensão do que é a democracia”, diz Fernando Haddad.

“Existe 1 contingente de brasileiros que apoia regimes de força. É uma coisa antiga. Se você rememorar nossa história republicana, a quantidade de vezes em que a violência foi adotada para resolver problemas é muito frequente. Tem no imaginário das pessoas a ideia de que a força, a violência, vai resolver os problemas econômicos e sociais do país”, declara o ex-ministro. 

“Eu tenho a convicção de que ele [Bolsonaro] vai exercer o poder absoluto, se puder. Ele não é 1 democrata”, afirma. Em diversas ocasiões Jair Bolsonaro já demonstrou seu apreço pelo regime militar instaurado com o golpe de 1964 e que durou até 1985. “Ele cultiva a ditadura”, afirma Haddad.

O presidente da República tem participado de atos com viés autoritário em Brasília. Ele nega, porém, que queira fechar Congresso ou STF (Supremo Tribunal Federal), alvos contumazes das manifestações.

O partido do ex-prefeito, o PT, aderiu à tese do impeachment do presidente. Assinou pedido na Câmara com outras entidades para retirar Bolsonaro do cargo. Quem decide se o processo anda ou não é Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Casa. No cenário de hoje, é improvável que Maia inicie a tramitação do caso.

“Independentemente de ser possível ou não o impeachment do Bolsonaro, sou plenamente favorável ao afastamento em virtude dos crimes de responsabilidade que ele já cometeu”, diz o ex-ministro.

Para assistir a entrevista completa é só clicar aqui: https://www.poder360.com.br/poder-em-foco/haddad-diz-que-bolsonaro-cultiva-a-ditadura-e-sera-competitivo-em-2022/

PODER 360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Patrícia disse:

    O poste quer ibope kkķkk

  2. Wilson disse:

    É interessante o marxista admirador do genocida Stálin falar em democracia. Só pode ser piada pronta.

  3. Cigano Lulu disse:

    Mirem-se no exemplo da Teoria do Domínio do Fato, usada por Joaquim Barbosa para condenar José Dirceu por crime de corrupção ativa. Elaleite a condenação sem provas. Portanto, todo cuidado é pouco quando se cutuca o STF com vara curta.

  4. 7Arnaldo Lopes disse:

    Se fosse No Irã, vc não tava nem falando.A história já lhe sepultou. Falta só esse último.

  5. Marcos Benício disse:

    O professor Haddad foi bem eloquente na sua entrevista, porém discordo dele na questão do impeachment do Bozo.
    Quem vai tirar esse capiroto da presidência é o voto do povo!

  6. LEO disse:

    Um Poste como esse Hadad,menino de recado de Luladrão,foi derrotado para reeleição de prefeito de SP,perdeu em todas as urnas da cidade,vem falar de Administração,vai se catar,Incompetente,nao se candidata a nada pq sabe que perde feio,como todo essa escumalha petista.

  7. Justus disse:

    Não sói fã de Bolsonaro, mas se ele é ditador, por que nunca censurou a imprensa, como faz o STF? Por que nunca mandou prender como os governadores estão fazendo? Por que nunca tramou um golpe como a gangue de RM está fazendo? Essa briga esquerdista-direitista é uma vergonha, ao lado do moderador deste blog, que deixa rolar um desrespeito sem fim. Enquanto cães e gatos brigam, ratos destroem a casa.

  8. Ivan disse:

    Cala a boca corruPTo!!!!!!!!!!!!!!

  9. Braulio Pinto disse:

    As pessoas de bem desse país, os honestos minimamente esclarecidos, os verdadeiros "patriotas fieis" repudiam veementemente todos os crimes dos governos anteriores mas também repudiam o baixíssimo nível do Bolsola, seu autoritarismo com tendências ditatoriais, a substituição de medidas em prol do povo por ideologismo barato de caserna, a inexperiência, a falta de visão e sensibilidade desse governo, o estelionato político, afrouxamento no combate à corrupção e crimes ambientais, associação com os políticos envolvidos em crimes do centrão, os militares/milicianos no governo e a venezuelização do país. É preciso acabar com essa polarização entre "direita" e "esquerda" num país com tantos problemas e com essa quantidade enorme de partidos políticos. Apesar de aparentemente impossível é preciso buscar nas próximas eleições alternativas além das oferecidas por essas duas seitas, facções criminosas que se completam nos seus projetos de poder, onde o povo é o que menos importa. Não adianta a crítica a só um dos lados se fecharmos os olhos aos crimes cometidos pelo adversário. Os extremos nunca serão a melhor solução.

  10. Zé Povinho disse:

    "Diz que falta comprovação às acusações de Sergio Moro contra o presidente"… então, se falta comprovação, em quê esse ridículo quer basear um impeachment?
    Mesma premissa que ele até hoje bate, de que não há provas, para defender seu barbudo preferido…
    É um idiota inútil mesmo…

  11. Lucasvif disse:

    Isso é um coitado!!

    Se haddad for a 2022, podem esperar Bolsonaro reeleito!!

    Unica chance do PT é aliança com PDT de ciro, ou algo do tipo, fora isso é Bolsonaro de novo!!

    Haddad não tem chances!!

    Acorda pra vida PT!!!! Esquece esse projeto de poder!!!!!

    Ciro gomes é mil vezes melhor que PT de Haddad!!!

    Ainda tem alucinado que vota no PT!!! Deus nos abençoe !!!!!

  12. Pedro disse:

    Esse idiota que tanto defendeu e defende nove dedos e a anta, falar em temer uma ditadura é uma graça. Logo eles que se espelhava nas piores ditaduras do mundo, a escória de Cuba, Venezuela, e por aí vai, melhor seria. Se esse imbecil olhasse para o rabo. Além de tudo defensor de um bando de ladrões, esses com certeza, os brasileiros realmente não querem no poder.

  13. Ze disse:

    Resta alguma coisa pra Haddad esse lixo falar?

COMENTE AQUI