Lucro do Banco do Brasil cresce 41% em 2019 e chega a R$ 18,16 bilhões

Foto: Marcelo Brandt/G1

O Banco do Brasil registrou lucro líquido contábil de R$ 18,16 bilhões em 2019. O resultado representa um aumento de 41,2% na comparação com 2018, quando a instituição lucrou R$ 12,86 bilhões.

Já o lucro líquido ajustado do banco, que exclui itens extraordinários, somou R$ 17,84 bilhões no ano passado, valor 32,1% maior se comparado ao mesmo período de 2018.

Segundo o banco, o resultado foi impulsionado pelo aumento da margem financeira bruta, associado à redução da despesa com provisões para calotes e pelo crescimento das receitas com prestação de serviços acima das despesas administrativas.

Somente no 4º trimestre, o lucro líquido foi de R$ 5,69 bilhões, com crescimento de 49,7% na comparação com os últimos 3 meses de 2018 e alta de 33,8% na ante o 3º trimestre, quando o lucro foi de R$ 4,25 bilhões.

Já o lucro líquido ajustado somou R$ 4,62 bilhões no 4º trimestre, alta de 20,3% na comparação com o mesmo período do ano passado.

O retorno sobre patrimônio líquido (RSPL), que mede como o banco remunera o capital de seus acionistas, cresceu para 17,3% em 2019, frente a 13,9% em 2018. Segundo o BB, o resultado reforça “o compromisso de aumento da rentabilidade de forma sustentável”.

As receitas com prestação de serviços e tarifas cresceram 6,4% no comparativo anual e 0,6% em relação ao trimestre anterior.

A percentual de operações de crédito com atraso de mais de 90 dias no pagamento recuou para 3,27% em dezembro, ante 3,47% no final do 3º trimestre. No final de 2018, estava em 2,53%.

Carteira de crédito cai 2,6%

A carteira de crédito ampliada do banco finalizou o ano a R$ 680,7 bilhões, o que representa uma queda de 2,6% na comparação com 2018.

“A redução pode ser explicada principalmente pela dinâmica da carteira atacado, onde tem se observado uma migração para mercado de capitais”, avaliou o banco.

A carteira de crédito das pessoas físicas, porém, cresceu 8,9% na comparação anual (aumento de R$ 17,4 bilhões), impulsionada pelo desempenho do crédito consignado (aumento de R$ 10,2 bilhões) e do empréstimo pessoal (mais R$ 3,3 bilhões).

Já a carteira de crédito de pessoas jurídicas retraiu 10,9% (-R$ 24,1 bilhões) na comparação com o final de 2018, pressionada pelo volume de amortizações no segmento de grandes empresas (-R$ 28,9 bilhões).

Distribuição de lucros para acionistas

O BB também informou que Conselho de Administração do banco aprovou para o exercício de 2020 a manutenção do intervalo de 30% a 40% do lucro líquido a ser distribuído (payout), via dividendos e/ou juros sobre o capital próprio (JCP).

Resultados da concorrência

O maior lucro entre os grandes bancos em 2019 foi o do Itaú, que registrou ganhos de R$ 26,583 bilhões, um crescimento de 6,4% sobre 2018. Foi o maior resultado anual nominal (não ajustado pela inflação) já registrado por bancos brasileiros de capital aberto, segundo dados da provedora de informações financeiras Economatica.

O Bradesco registrou um lucro líquido R$ 22,6 bilhões no ano passado, uma alta de 18,32% na comparação com 2018 (R$ 19,085 bilhões). Já o Santander reportou um lucro de R$ 14,181 bilhões em 2019, alta de 16,6% frente o ano anterior.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Imagine o lucro das outras estatais que o Bozo quer privatizar.
    Ainda vem falar pros manés que defende a soberania do nosso país. Brinca conosco não Bozo.

  2. Cidadão Atento disse:

    E AINDA FALAM EM PRIVATIZAR?

  3. Everton disse:

    Em 2019 os bancos tiveram o maior lucro da história!!! Os banqueiros, militares e agropecuarista exportador estão dando gargalhada do povão…

  4. BOSCO disse:

    Se alguém postar pelo menos um ano em que um balanço do BB apresentou prejuízo ! Voce correntista paga até pra respirar !

  5. Paulo Antero disse:

    Quando são revelados esses números podemos entender o quanto Paulo Quedes é despreparado, não sabe o que faz, como muitos se dão ao papel ridículo de afirmar isso em público. Ajudando com outros números:
    2019 tivemos uma inflação de 3,40%
    2015 a inflação foi de 10,6%
    2019 a taxa de juros foi de 4,5%
    2015 a taxa de juros estava em 14,25%
    2019 o risco Brasil foi de 98
    2015 o risco Brasil foi de 38.000
    2019 o Ibovespa chegou a 116 mil pontos
    2015 o Ibovespa ficou em 38 mil pontos.
    SÓ PARA COMEÇO DE CONVERSA. O CHORO E A REVOLTA SÃO LIVRES

    • Osvaldo disse:

      Vc tem quanto aplicado em bolsa de valores ?
      Isso altera em na nossas vidas . Paulo Guedes é banqueiro. Acorda a corda está chegando no pescoço.

    • Ricardo disse:

      E Herinque Meirelles era o que?

COMENTE AQUI