Diversos

Mínimo para sustentar uma família atinge menor valor do ano em setembro, aponta pesquisa do Dieese

Família: de quanto o brasileiro precisa para sustentar uma família de 4 pessoas? (PeopleImages/Getty Images)

O salário mínimo necessário para sustentar uma família de quatro pessoas atingiu R$ 3.980,82 em setembro, o menor menor valor do ano, segundo pesquisa mensal feita pelo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Apesar da queda, esse número ainda equivale a 3,99 vezes o mínimo vigente, de R$ 998.

O cálculo é feito com base no valor da cesta básica e cobriria, em tese, todos os gastos necessários com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

A teoria econômica sugere, no entanto, que um aumento súbito do mínimo para este patamar causaria desemprego em massa e impacto devastador sobre as contas públicas.

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019 mostra que cada R$ 1 de aumento no salário mínimo tem impacto de cerca de R$ 300 milhões em gastos nos benefícios previdenciários.

Histórico

Em agosto de 2019, o piso mínimo necessário era de R$ 4.044,58, ou 4,05 vezes o mínimo vigente. Já em setembro de 2018, o valor necessário foi de R$ 3.658,39, ou 3,83 vezes o salário mínimo, que era de R$ 954.

O Dieese destaca que, entre agosto e setembro de 2019, o custo do conjunto de alimentos essenciais seguiu em queda e foi menor em 16 cidades, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo departamento em 17 capitais.

As diminuições mais expressivas foram identificadas em Fortaleza (-4,63%), Curitiba (-3,73%) e Brasília (-3,10%). A única alta foi registrada em Recife (1,53%).

O Dieese calcula ainda que o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em setembro, 43,68% do seu orçamento para adquirir os produtos essenciais da cesta básica de alimentos. Esse cálculo é feito já levando em consideração o desconto referente à contribuição à Previdência Social.

No mês anterior, esse percentual ficou maior, em 44,66%. Em setembro de 2018, quando o salário mínimo valia R$ 954, a compra demandava 42,29% do montante líquido recebido, segundo o Instituto.

São Paulo teve a cesta mais cara em setembro, cujo preço médio foi de R$ 473,85, queda de 1,58% em relação ao valor de agosto. No estado, o Dieese calcula que o trabalhador teve de comprometer 51,61% de sua renda para comprar os produtos da cesta básica.

Sem aumento real

O governo Bolsonaro prevê aumento do salário mínimo dos atuais R$ 998 para R$ 1.040 no próximo ano. O reajuste será feito com base apenas pela inflação.

O valor é o resultado do piso atual, mais a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), estimada para encerrar este ano em 4,2%.

Mesmo com a ligeira redução, o salário mínimo do ano que vem vai ultrapassar a faixa R$ 1 mil pela primeira vez na história. O reajuste representa uma alta de um pouco mais de 4% em relação ao valor atual.

A ideia de não dar aumento real ao piso salarial foi enviada ao Congresso em abril, na proposta orçamentária do Executivo, e aprovada na quarta-feira (8), pela Comissão Mista de Orçamento (CMO).

O governo nega que esta seja uma nova política permanente para o mínimo, o que só seria definido em dezembro.

Instituída no governo Dilma Rousseff em 2011, a política de reajuste do mínimo previa correção dos salários com base na inflação do ano anterior somada à variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Entre 2005 e 2019, o valor do salário mínimo no Brasil subiu 283,8% enquanto que a inflação medida pelo INPC avançou 120,2%.

Exame

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

A voz do povo é a voz de Deus’, diz Bolsonaro ao ouvir multidão gritar ‘Renan vagabundo’

O presidente Jair Bolsonaro reagiu com o dito popular “a voz do povo é a voz de Deus”, quando ouviu a multidão que assistia ao seu discurso, na cidade de Russas (CE), gritar em coro “Renan vagabundo”, numa referência ao relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Ele voltou a lembrar seu posicionamento contrário ao fechamento de atividades, durante a pandemia, e criticou os que defendiam a ideia “criminosa” de que “fiquem em casa que a economia a gente vê depois.

Bolsonaro pediu que na multidão levassem o braço as pessoas que foram acometidas de covid-19 e, destas, quantas tomaram cloroquina e ivermectina.

Diário do Poder

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

CLASSIFICADO: ABC faz 4 a 2 no Jacuipense-BA e avança na pré-Copa do Nordeste

Foto: Andrei Torres/ABC FC

O ABC venceu a Jacuipense-BA por 4 a 2 na noite desta terça-feira (19) no Frasqueirão e avançou na pré-Copa do Nordeste.

O Mais Querido saiu na frente com gols de Negueba e Wallyson, de pênalti. Mas o time baiano conseguiu o empate ainda no primeiro tempo com Danilo Rios, também de pênalti, e Jeam. O ABC garantiu a classificação na segunda etapa, 8 minutos do segundo tempo, Wallyson marcou o 3º gol e Negueba, de cabeça, fechou o placar após cruzamento de Wallyson, aos 34 minutos.

Na próxima fase, o alvinegro vai encarar o Sousa-PB em partidas de ida e volta na luta por uma vaga na fase de grupos da Copa do Nordeste 2022. As datas dos confrontos serão definidas em breve.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Câmara rejeita PEC que muda composição do Conselho do MP

Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados rejeitou, nesta quarta-feira (20), o texto apresentado pelo relator, deputado Paulo Magalhães (PSD-BA), referente a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 5/21, que altera a composição do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A proposta é vista pelos procuradores como uma interferência direta na autonomia do órgão.

Foram 297 votos favoráveis, 182 contra e 4 abstenções, faltando 11 votos para aprovação. Agora, os deputados devem analisar o texto original da proposta, do deputado Paulo Teixeira (PT-SP).

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), decidiu não colocar em votação hoje o texto original do projeto.

O deputado relator da matéria apresentou uma nova versão do seu parecer à PEC, que entrou em pauta na sessão desta quarta.

De acordo com o texto, o CNMP passará a ter 17 integrantes — hoje são 14. O relatório atual defende ainda que sejam indicados pela Câmara dos Deputados e Senado cinco membros do CNMP. Anteriormente, o número previa quatro indicações do Congresso.

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), no entanto, são contrárias ao texto.

Segundo as entidades, a matéria apresentada “viola a autonomia institucional do Ministério Público e a independência funcional de seus membros”. Procuradores defendem ainda que o tema seja mais debatido e analisado “de maneira serena”.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), no entanto, vem tentando votar a matéria desde a semana passada, quando o relator apresentou as mudanças no texto. Ele alegou que as instituições do MP e dos procuradores não cumpriram acordo para a aprovação da matéria.

Em comunicado, as associações que representam o Ministério Público negam terem feito um acordo com a Câmara sobre a PEC.

Em entrevista divulgada pela revista Veja nesta segunda-feira (18), Lira disse que é necessário que haja um controle do Ministério Público.

“Quem apura erros do Ministério Público, quem controla o Ministério Público no Brasil? Qual é o controle externo do Ministério Público? Ele sequer tem um Código de Ética”, indagou Lira. Segundo ele, o debate será feito no Plenário da Câmara com “absoluta transparência e normalidade”.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Flávio Bolsonaro diz que vai pedir ao MP para investigar Renan Calheiros pelo cometimento de 20 crimes enquanto relator da CPI da Covid

Foto: reprodução/Instagram

O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) informou que vai enviar ao Ministério Público Federal um documento pedindo a investigação do senador Renan Calheiros (MDB-AL) pelo cometimento de pelo menos 20 crimes enquanto relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19.

Segundo o filho do presidente Bolsonaro, Renan Calheiros cometeu abuso de autoridade, calúnia, difamação, injúria, perseguição, estelionato e desrespeitou o direito dos advogados que acompanharam interrogados na CPI, entre outros crimes. O senador também apontou que o relator fez comunicação falsa de crime e usou violência ou ameaça a fim de interesse próprio.

A informação foi dada em uma transmissão em vídeo feita na tarde desta quarta-feira (20), após o fim da sessão da apresentação do relatório final na comissão. Na live, Flávio Bolsonaro não economizou nas críticas ao presidente e usou palavras de baixo calão por pelo menos dez vezes ao se referir ao relator da CPI.

Em tom de provocação, Flávio Bolsonaro afirmou que Renan pode se defender usando um artigo do Código Penal que isenta da pena “o agente que, por doença mental ou desenvolvimento mental incompleto ou retardado, era, ao tempo da ação ou da omissão, inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato”.

“Fica a dica de advogado para você, Renan. De repente, se você alegar isso aqui, você vai acabar se safando desses vários crimes que podem ser imputados a você no curso da CPI”, debochou.

Para Flávio, “tudo o que ele [Renan] mais fez foi inventar procedimentos ao longo da CPI desrespeitando jurisprudência, desrespeitando legislação, inovando para tentar atingir aquele objetivo pessoal que ele queria que era atingir o presidente Bolsonaro”.

O filho do presidente da República também chamou de “maluquices” o que colocado por Renan Calheiros no parecer. “É uma aberração, é uma alucinação que o senador deve estar tendo sem nenhum nexo jurídico em um relatório como esse. O Instituto que Renan usa é o anti-news, aquelas narrativas criadas completamente descoladas da realidade para tentar causar uma espécie de loucura a quem tem acesso a elas. Acho que o renan inaugura a modalidade de anti-news”, afirmou.

Flávio Bolsonaro também disse que o relator da CPI tem uma “história nebulosa” ao lembrar dos processos judiciais em que é envolvido. Atualmente, ele é investigado em dez inquéritos. “A ficha corrida do Renan Calheiros é longa”, frisou, além de acusar o senador alagoano de antecipar o período eleitoral. “Não suba no caixão das mais de 600 mil vítimas para antecipar a campanha de 2022”, disse.

Flávio Bolsonaro também as citações ao presidente Jair Bolsonaro no relatório final da comissão de inquérito são “sem pé nem cabeça”. Ele disse que o presidente da República não prevaricou no combate à pandemia e levantou que a CPI decidiu retirar o crime de genocídio atribuído a ele porque concluiu ser um crime incabível. “O Brasil já vacinou mais de 80% da população indígena em aldeia de forma completa, com duas doses ou dose única da vacina.

Na avaliação do senador, a “CPI foi o maior atestado de idoneidade do governo Bolsonaro”.

“Com toda essa devassa que foi feita, todas essas ilegalidades, abusos de autoridade, absolutamente nada foi encontrado com relação à corrupção no uso do dinheiro público em relação à pandemia. A coisa que eles acham de mais grave é acusar o presidente Bolsonaro de ser corrupto por causa de uma vacina que não foi comprada”, concluiu, citando o caso da vacina indiana Covaxin, que teve o contrato de R$ 1,6 bilhão cancelado após denúncias de irregularidades.

O Tempo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Guedes diz que auxílio de R$ 400 é temporário e que parte do valor pode ficar fora do teto de gastos

Foto: Antonio Molina/Fortoarena/Estadão Conteúdo – 02/09/2021

O ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou nesta quarta-feira, 20, que as parcelas de R$ 400 do Auxílio Brasil terão caráter temporário e que parte do valor para inflar o substituto do Bolsa Família pode ficar fora do teto de gastos, a regra que limita as despesas da União ao Orçamento do ano anterior, mais a inflação.

Segundo o chefe da equipe econômica, a trava da reforma do Imposto de Renda no Senado obriga o lançamento de um “componente transitório” para turbinar as parcelas em meio ao aumento do custo de vida causado pela alta da inflação.

“Os cidadãos com mais recursos seriam tributados, e esses recursos seriam reciclados para um programa de renda básica familiar de bases permanentes”, afirmou o ministro. “Nós não conseguimos isso porque a reforma não avançou no Senado, embora tenha sido aprovada pela Câmara dos Deputados. E nós, então, temos esses componentes transitórios, essa camada de proteção temporária, para ajudar as famílias brasileiras a comprarem o gás, que ficou mais caro”, disse Guedes em participação em evento promovido pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

Guedes afirmou que o financiamento do novo benefício ainda não está decidido e que a equipe econômica estuda duas formas para arcar com os recursos. Uma das opções seria a antecipação do prazo de revisão do teto de gastos, atualmente previsto para o ano de 2026. Outra alternativa seria excluir da regra fiscal cerca de R$ 30 bilhões.

“Como queremos aumentar um pouco essa camada de proteção aos mais frágeis, nós pediríamos que isso viesse um como um waiver [renúncia] para atenuar o impacto socioeconômico da pandemia. Estamos ainda finalizando se conseguimos compatibilizar isso”, afirmou o chefe da equipe econômica. Guedes também afirmou que o ministério estuda sincronizar os índices de despesas do governo.

Em diversas oportunidades o ministro citou que a estratégia da equipe econômica era custear o Auxílio Brasil com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, para abrir espaço no Orçamento, com verbas carimbadas pela reforma do Imposto de Renda, que tramita no Senado. O ministro também afirmou que o governo busca ser reformista e popular, e não populista. “Continuaremos lutando por reformas. Quem dá o timming das reformas é a política. Se a política quisesse, ela faria a reforma do Imposto de Renda e nos daria um programa permanente. Como a política não entregou no Senado a reforma do Imposto de Renda, nós temos que fazer o mesmo olhar de solidariedade aos mais frágeis, só que não conseguimos o mesmo nível permanente, tem que ter um componente transitório”, disse.

O ministro ainda afirmou que o programa estava previsto para entregar R$ 300, mas que a alta da inflação levou ao acréscimo temporário. “Ele nos leva justamente até dezembro do ano que vem, ou seja, enquanto nós sofrermos esses impactos trazidos pela calamidade da pandemia.”

Jovem Pan

Opinião dos leitores

  1. Querem enganar o povo até a eleição. Só que ninguém mais suporta esse governo. Tá bem pertinho de acabar

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Ação do MPRN cobra restauração de rodovias estaduais na região do Vale do Assu no prazo de 6 meses

Trecho entre Porto do Mangue e Bela Vista, comunidade de Carnaubais – RN 404 | Foto: MPRN

Foi ajuizada pela 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Assu, uma Ação Civil Pública – ACP (veja aqui) para que o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) seja obrigado a, no prazo máximo de seis meses, iniciar e concluir dentro do prazo contratual, as obras destinadas à restauração total das Rodovias Estaduais nos trechos entre Assu e Carnaubais e entre Carnaubais e Porto do Mangue, todos na região do Vale do Assu.

A atuação do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da referida Promotoria de Justiça, foi deflagrada após particulares formularem representação acompanhada de fotografias e abaixo assinado contendo mais de 100 assinaturas, relatando que as rodovias da região encontravam-se esburacadas.

Diante disso, a 1ª Promotoria de Justiça de Assu instaurou procedimento de investigação ministerial visando à apuração da representação e, após diligências pertinentes, foi verificado, depois de algumas respostas do Demandado, acompanhadas de documentos, que havia o contrato entre o DER/RN e uma empresa visando a prestação de serviços de conservação da malha rodoviária estadual (tapa buraco) do I Distrito Rodoviário. Em inspeção visual nas citadas rodovias, o Oficial Ministerial reforçou a presença de buracos em trechos das vias, além da falta de sinalização em praticamente todas as estradas.

Trecho da comunidade Fazenda Nova, Assu – RN 016 | Foto: MPRN

Na ação judicial, o MPRN destacou ainda que “(…) resta claro que a realização de serviços de “tapa-buracos” nas rodovias estaduais 016 (Assu/Carnaubais) e 404 (Carnaubais/Porto do Mangue) se mostrou insuficiente, o que se comprova pelas imagens anexadas aos autos, além dos seguidos relatos, feitos pelo denunciante, da persistência dos problemas, e da própria afirmação do Requerido de que as sobrecitadas vias possuem um estado de conservação ruim e que, por fim, se constatou “a necessidade de restauração total”.

Na ACP, o Ministério Público do Rio Grande do Norte, por meio da referida Promotoria de Justiça, requer ainda a sinalização horizontal e vertical, dentre outros serviços necessários para tornarem as vias completamente seguras, dentro das normas técnicas aplicáveis.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

FOTOS: Acidente entre trem e carro deixa motorista ferida, em Dix-Sept Rosado, Zona Oeste de Natal

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Uma mulher de 25 aos ficou ferida em uma batida entre um carro e um trem, em Dix-Sept Rosado, na Zona Oeste de Natal. O acidente aconteceu na passagem de nível entre a Rua Sampaio Correio e a Avenida Nascimento de Castro, na tarde desta quarta-feira (19).

Testemunhas contaram que a motorista estancou o carro em cima da linha e não conseguiu sair a tempo de evitar a colisão. O veículo ainda foi arrastado pelo trem por alguns metros.

Reclamando de dores na cabeça e na coluna, a condutora do veículo foi socorrida pelo Samu e levada ao hospital.

O acidente causou um atraso na viagem entre as estações Parnamirim e Ribeira, segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). A companhia também informou que o sinal sonoro do trem estava funcionando normalmente e que ele é programado para trafegar com velocidade entre 20 e 30km/h no trecho urbano.

Com informações de g1-RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil divulga detalhes da ‘Operação Sinaloa’ que terminou com a morte de irmãos da prefeita do município de João Dias

Foto: Polícia Civil

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR), em ação conjunta à Polícia Civil da Bahia (PCBA) – por meio do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado/BA (DRACO/BA) e Coordenação de Apoio Técnico à Investigação/BA (CATI/BA), deflagraram, nesta terça-feira (19), a Operação “Sinaloa”, nas cidades de Vitória da Conquista e Barras, interior do estado da Bahia. O objetivo da operação é o combate à atuação de narcotraficantes no Nordeste.

No primeiro momento, no município de Vitória da Conquista/BA, Romeu Jacome de Oliveira, 35 anos, foi detido dentro de um shopping. Em seu desfavor, existia um mandado de prisão em aberto, decorrente da prática dos crimes de: tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa. O processo tramitou na Justiça Federal, no âmbito da Superintendência Regional do Paraná.

Já na zona rural do município de Barras/BA, as equipes visavam cumprir os mandados de prisão preventiva em desfavor de Francisco Deus Amor Jacome de Oliveira e Leidjan Jacome de Oliveira, decorrente dos crimes de: tráfico de drogas internacional, associação ao tráfico e organização criminosa. Entretanto, no momento em que as equipes policiais chegaram ao local, os suspeitos efetuaram diversos disparos de arma de fogo; ocasião que provocou confronto, em reação à injusta agressão. Os dois suspeitos foram atingidos, socorridos ao hospital, mas não resistiram e foram a óbito.

Em posse de Francisco Deus Amor e Leidjan Jacome, foram apreendidos: um veículo de luxo, duas pistolas e munições. Os suspeitos são apontados como os principais fornecedores de drogas no Nordeste, chegando a comercializar, durante os meses de investigação, mais de trinta milhões de reais em maconha. Além disso, a dupla atuava como uma empresa, com divisões de tarefas e filiais dentro e fora do país.

Foto: Polícia Civil

Em setembro de 2020, a DEICOR/PCRN deflagrou a primeira operação de combate ao tráfico de drogas, onde foram detidos o pai dos suspeitos Laete Jácome de Oliveira, atual vereador e presidente da Câmara de Vereadores, a irmã Damaria Jácome de Oliveira, atual prefeita, todos vinculados à cidade de João Dias, interior do Rio Grande do Norte (RN), e além deles, o cunhado Carlos André Freire da Silva, também foragido internacional. Já no dia 24 de junho, a DEICOR/PCRN deflagrou a segunda fase da operação e prendeu Samuel Jacome de Oliveira, outro irmão dos suspeitos, também envolvido com a prática do tráfico de drogas.

Os nomes dos quatro irmãos integravam parte da lista dos procurados pela Organização Internacional de Polícia Criminal (INTERPOL) e, há anos, estavam foragidos da Justiça, vivendo uma vida confortável, a partir de rendimentos oriundos da venda de drogas. Romeu Jacome foi detido e recambiado ao RN, onde permanecerá à disposição da Justiça.

A operação integra o Projeto Mosaico, que visa à integração das Polícias Judiciárias, por meio do Ministério da Justiça e Segurança Pública, com a troca de informações e diligências investigativas nos estados envolvidos. A Secretaria de Operações Integradas (Seopi) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) criou o Projeto Cangalha, com objetivo de reprimir o tráfico de drogas no Nordeste.

A operação contou com a integração de diversos órgãos de segurança: das Polícias Civis da Bahia, de Sergipe, de Alagoas, da Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio Grande do Norte, da Superintendência Regional da Polícia Rodoviária no RN e em AL, além do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN).

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações, de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181, ou por meio do Disque DEICOR, no número: (84) 3232-2862, além do aplicativo WhatsApp: (84) 98135-6796.

Operação Sinaloa

O nome da operação faz referência à cidade de Sinaloa, localizada no oeste do México, utilizada como ponto estratégico de atuação do cartel para a prática do tráfico de drogas, comercializando para dentro e fora do país.

Opinião dos leitores

  1. PARABÉNS À DEICOR!

    DE qual partido são os políticos da família dos envolvidos???? Será que são do PT???? Parece que não……Qual será o partido???? Tem ligação política com quais lideranças estaduais????

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

BG tem 123 mil páginas visualizadas com publicação de pesquisa realizada nos supermercados de Natal

A publicação da pesquisa BG SUPERMERCADOS fez o Blog do BG bombar na terça-feira (19).

Foram 123.525 páginas visualizadas e 87 mil acessos. Ao todo 36.469 pessoas acessaram o Blog do BG somente no dia da publicação da pesquisa.

A pesquisa mostrou onde é mais barato e mais caro para adquirir produtos de higiene e limpeza, açougue, mercearia, hortifruti, além dos produtos da cesta básica e estabelecimentos onde se tem mais opções de compra. O levantamento foi feito em 12 supermercados, em todas as regiões de Natal.

Nosso muito obrigado! E vem mais por aí!

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Supermercado Extra é notificado pelo Procon por entrega de bandeja de carne vazia até que pagamento seja concluído

Foto: Aldieres Batista/Arquivo pessoal e Reprodução/Facebook

O Procon notificou nesta terça-feira (19) a rede de supermercado Extra por entregar bandejas de carne vazias até que pagamento seja comprovado.

Os esclarecimentos foram pedidos após uma cliente da unidade do Jardim Ângela, na Zona Sul de São Paulo, denunciar o caso nas redes sociais.

Na segunda (18), a reportagem do g1 verificou que a prática também ocorria na unidade do Cambuci, na região central. Funcionárias das duas lojas disseram que a estratégia era usada para evitar roubos.

VEJA MAIS: Extra entrega bandeja de carne vazia até a comprovação de pagamento no caixa, reclamam clientes

Em nota, o Extra admitiu a ‘falha de procedimento’. Nesta terça (19), a prática já tinha sido suspensa nas unidades.

Segundo o diretor do Procon, Fernando Capez, se for comprovado que o procedimento era adotado por unidades de determinados bairros, a autuação poderá ser feita com base no faturamento global e chegar a R$ 10,9 milhões.

“Vai ser apurado e pode ser que a multa seja aplicada com base no faturamento global, e a empresa que vá se defender depois”, disse Capez ao g1 por telefone.

“É inaceitável critérios de discriminação, em razão do local ou porque qualquer outro critério. Se em outros estabelecimentos, em outros bairros, não existe esse tipo de exigência, não se justifica que a população do Jardim Ângela seja submetida a um vexame”, disse o diretor em um vídeo divulgado pelo Procon.

Caso tenha sido uma determinação do gerente da unidade, o valor será aplicado com base no faturamento da loja.

Em nota, a empresa admitiu que a prática não é pontual, mas declarou que não “não faz parte de sua política de atendimento” e que se trata de “uma falha de procedimento”. O Extra declarou ainda que toda a rede “tomou providências para que a prática fosse imediatamente descontinuada”.
g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *