MAIS DE 600 QUE RECEBEM SEM TRABALHAR: MP recebe auditoria feita na folha de pagamento da prefeitura de Mossoró

Os promotores de Justiça do Patrimônio Público de Mossoró receberam do prefeito do município, Francisco José Júnior, documentos referentes à auditoria realizada na folha de pagamento do Executivo.

O titular da 7ª Promotoria de Justiça e Promotor Eleitoral, Fábio de Weimar Thé, disse que o MPRN analisará o relatório, e se forem identificadas irregularidades, serão tomadas providências para garantir uma atuação lícita da Prefeitura de Mossoró. O representante ministerial também informou que o caso ficará sob a responsabilidade da 11ª Promotoria de Justiça.

Veja mais: GRAVE: Prefeitura de Mossoró descobre mais de 600 funcionários que recebem sem trabalhar; MP entra no caso

A auditoria foi realizada pela equipe técnica da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern). A ação resultou em um relatório que foi apresentado à imprensa na última segunda-feira (01).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Leonardo Oliveira disse:

    Mais uma vez o MINISTÉRIO PÚBLICO do RN estará atuante, a fim de desmascarar os fanfarrões, acabar com a farra do dinheiro público em Mossoró. Parabenizo também ao novo prefeito, pela seriedade com que conduz a missão que a população mossoroense lhe confiou.

  2. Felipe Godeiro disse:

    A denúncia contra os cargos fantasmas na CMN foi encaminhada para o MP, vamos aguardar o que vai acontecer. Foi noticiado em muitos blogs e jornais, o presidente da CMN vereador Albert Dikson, faz mais de um ano que tenta esconder e não divulga a lista de todos os cargos comissionados, com suas lotações e respectivas indicações. Não sei o pq de tanto mistério. Já descobriram que existem vários cargos ocupados por pastores conhecidos da cidade, alguns nem na capital moram, até na rádio câmara (que não existe) tem cargos fantasmas. É um absurdo, farra do dinheiro público!

  3. Madruga disse:

    Na Câmara de Natal deve ter uns 1.000.
    Assembleia Legislativa uns 1.500.
    O MP deveria investigar.

  4. Clóvis disse:

    Imagina se o MP resolve investigar a folha do Estado.
    Numa Prefeitura de Mossoró são 600, por aqui seriam quantos?
    Seria esse um dos motivos na dificuldade em pagar o funcionalismo? Se é que de fato essa dificuldade existe?

COMENTE AQUI