MPRN recebe 804 currículos em seleção para assessor jurídico na Grande Natal e filtra 19 para disputa de cargo com remuneração de R$ 5.246,24 mais benefícios

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) divulgou a lista dos 19 candidatos escolhidos para as próximas fases da seleção para o cargo de Assessor Jurídico Ministerial na 1ª Promotoria de Justiça da comarca de Macaíba, de um total de 804 currículos recebidos. Todos os 19 participarão de entrevista nesta quarta-feira (20), a partir das 14h, por ordem de chegada, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ). A entrevista será realizada pela promotora de Justiça demandante do certame e pela diretoria de Gestão de Pessoas.

Os 19 candidatos também farão a prova na sexta-feira (22), das 9h às 12h30min, na sede da PGJ. É permitido consulta à legislação sem comentários. É importante que o candidato dirija-se ao local da prova portando documento de identificação com foto.

A vaga é de provimento em comissão com carga de 40 horas semanais. A remuneração do cargo é de R$ 5.246,24 mais os benefícios de auxílio-alimentação e auxílio-saúde.

No edital do processo seletivo, o MPRN reforça que utiliza as ferramentas de gestão de pessoas, sobretudo a seleção, no sentido da elevação da eficiência e eficácia dos seus serviços e que esse modelo adotado pela Procuradoria-Geral de Justiça é fundamentado nos princípios da impessoalidade e publicidade.

As atribuições do cargo são: realizar atividades de nível superior, fornecendo o suporte jurídico ao exercício das funções dos órgãos do Ministério Público; elaborar minutas de pareceres, despachos e peças jurídicas em processos administrativos e judiciais; manter arquivos, registros e controles dos atos que sejam exarados pelo órgão do Ministério Público, perante o qual oficiar; analisar e pesquisar legislação, doutrina e jurisprudência; realizar a indexação de documentos e atender o público; confeccionar os relatórios que lhe sejam determinados por sua chefia imediata; e desempenhar outras atividades correlatas a sua área que lhe forem delegadas por chefia imediata ou institucional.

O candidato selecionado será encaminhado para nomeação pelo procurador-geral de Justiça, através de resolução a ser publicada no Diário Oficial do Estado (DOE). Como se trata de um cargo de provimento em comissão, ele é de livre nomeação e exoneração.

Confira aqui a lista dos selecionados para as fases de entrevista e prova.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Filgueira disse:

    Seleção só pra simular que há realmente escolha isenta de cargos que são comissionados, e portanto de livre nomeação exoneração.
    Porém, depois de nomeados, mu8tos são simplesmente exonerados sem ma8ores explicações ou mesmo motivos, e são indicados outros que nem ao menos participaram da tal seleção.
    Assim, tudo parece ser O que realmente não é. E os selecionados ficam chupando o dedo sem ter a quem recorrer. Pois os fiscais da lei é que são os que deveriam dar o exemplo, e muitas vezes…

  2. Flavio disse:

    As seleções para preenchimento de vagas de estagiários de pos graduaçao em algumas varas são uma farsa, pois os candidatos se escrevem com boa fé porém as vagas ja são todas de cartas marcadas, onde as reais vagas já são dos estagiários de graduação que iraõ passar automaticamente para exercer as vagas de pós graduaçao, sendo uma concorrencia so de faz de conta e desleal, pois as vagas ja estao asseguradas, (cartas marcadas) e o certame é só para dá um ar de seriedade. Essa é a nossa justiça. Agora entendo porque no STF o jogo é tão sujo, é porque aprrendem logo no inicio da carreira como deverão agir no futuro, promovendo a "justiça cega". Canalhas.
    Parabens ao candidato que ao perceber a manobra suja na hora da prova, levantou-se e retirou-se para nao corroborar com a farsa.

COMENTE AQUI