Palocci relata propinas em dinheiro para Lula dentro de caixas de celular e de whisky

(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Palocci também disse que houve entregas de dinheiro em espécie para Lula, retirados por seu assessor Branislav Kontic na Odebrecht.

“Também se recorda que, dos recursos em espécie recebidos da Odebrecht e retirados por Branislav Kontic, levou em oportunidades diversas cerca de trinta, quarenta, cinqüenta e oitenta mil reais em espécie para o próprio Lula; que esses valores eram demandados pelo próprio Lula com a orientação dada por ele de que não devia o colaborador comentar os pedidos com Paulo Okamotto nem com ninguém”, afirmou o ex-ministro, detalhando informações que já havia dividido anteriormente com os investigadores, durante o processo de negociação para a colaboração premiada.

No depoimento, o ex-responsável pela Fazenda destacou que os pagamentos a Lula envolveram, inclusive, um encontro no avião da presidência da República e que chegou a repassar dinheiro dentro de caixas de celular e de whisky.

“Se recorda que levou valores a Lula em Brasília/DF; que levou valores em espécie a Lula em diversas vezes em São Paulo/SP; que já levou valores em espécie para Lula dentro da aeronave presidencial; que era apenas o colaborador a levar pessoalmente recursos a Lula, entregues em suas mãos; que indagado se existem testemunhas dessas entregas, respondeu que em determinada oportunidade levou 50 mil reais em espécies a Lula no Terminal da Aeronáutica em Brasília/DF, durante a campanha de 2010, dentro de uma caixa de celular na frente do motorista do colaborador, cujo nome era Cláudio Gouveia”, relatou. Palocci prosseguiu: “Em São Paulo, recorda-se de episódio de quando levou dinheiro em espécie a Lula dentro de caixa de whisky até o Aeroporto de Congonhas, sendo que no caminho até o local recebeu constantes chamadas telefônicas de Lula cobrando a entrega”.

Ruptura com Dilma

Palocci relatou ainda o processo de ruptura entre a ex-presidente Dilma Rousseff e o seu antecessor, afirmando que Dilma tomou decisões que retiravam o acesso de Lula a fontes de financiamento eleitoral. Uma dessas decisões foi despedir José Sérgio Gabrielli da presidência da Petrobras. “Durante o crescimento da Operação Lava-Jato, Dilma deu corda para o aprofundamento das investigações, uma vez que isso sufocaria e implicaria Lula”, disse Palocci.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fagner disse:

    Agora é a vez de Queiroz e seus chefes Bolsis. Kkkkkk

  2. Curioso disse:

    As viúvas ficam frenéticas!!!

  3. Waldemir disse:

    Soltaram o lanche e o suco para os
    Petistas kkkkk

  4. Walsul disse:

    É impressão minha ou cada vez que algum político contra o PT está em evidência por alguma falcatrua, aparece logo uma delação contra o Lula? Foi assim com o FHC, com Serra, com Alkmin, com Aécio, com temer e agora com a família B171. Vale lembrar que o MP não aceitou a delação do Palocci por ser frágil, mas a PF aceitou, aliás PF que agora é subordinada ao moro, que já tem um histórico de vazamento contra o Lula e o PT. PF que vazou às vésperas das eleições, mais uma delação do Palocci e que ajudou o bolsodoido a ganhar a eleição. Comentam que ali o Moro garantiu a vaga de ministro. Pelo visto, as denúncias do Palocci só servem para desviar o foco e dar novo choque nos dois neurônios bolsominions.

    • Waldemir disse:

      Kkkk o Lula tá preso banaca e vai continuar preso kkkkk

    • Ricardo disse:

      Não vai sair pesquisas, não tem eleição, Ah tá, então essa é a nova teoria. Será se vai colar?

  5. HSA disse:

    E agora José?
    Dilma mandou investigar Lula?
    É isso mesmo?
    Será verdade?

  6. Carlos Bastos disse:

    Bg Lula está preso e lascado, isso é para tirar a atenção do Queiroz.

COMENTE AQUI