DELAÇÃO: Fátima diz que jamais tratou com a Camargo Corrêa e Palocci sobre campanha

NOTA

Sobre a delação premiada de Antônio Palocci à Polícia Federal, temos a esclarecer o seguinte:

A empresa Camargo Corrêa não fez doação à campanha da então candidata à deputada federal em 2010, Fátima Bezerra, conforme registrado no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE);

No endereço encurtador.com.br/glxE8 consta os registros de todas as pessoas físicas e jurídicas que doaram à campanha da então candidata em 2010, o que comprova que não há qualquer menção à referida empresa;

As contas foram devidamente aprovadas;

Fátima Bezerra e sua coordenação de campanha jamais trataram com a Camargo Corrêa e com Antônio Palocci, sobre a campanha de 2010 ou qualquer outra, e esperam que as informações sejam devidamente apuradas e esclarecidas.

Assessoria Fátima Bezerra

Veja mais: Palocci diz em delação que campanhas de Gleisi e Fátima Bezerra foram destinatárias de propina para enterrar investigações da Castelo de Areia

Veja também: Em delação, Palocci diz que distribuiu propina para Fátima Bezerra e Gleisi Hoffmann

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fiscalização disse:

    Tem a mesma doença do veio Lula. Cria dele!

    Bora coloca os podres dela pra todos saberem. Senadora foi um fiasco. Se aproveito do governo anterior. 06 secretárias recebebeu. Qd o bicho pegou correu da raia.

  2. Tarcísio Eimar disse:

    Desculpa esfarrapada, como sempre o PT tem dessas coisas. Aliás não somente o PT, mas toda a classe política.

  3. Jorge disse:

    Cadeia para corrupto e corruptores.

  4. Dilma disse:

    Começou a peça teatral do vitimismo, vai reclamar com o papa, depois com a onu

  5. Francisco Alves disse:

    É risível a argumentação, ou melhor, a desculpa da nota. Antônio Palocci afirma que houve dinheiro sujo, recursos derivados de propina para a campanha de Fátima Bezerra e de Gleise (codinome Amante). Palocci não falou que foi a empreiteira ou ele quem repassou o dinheiro sujo para as mãos delas.
    Ora, todo mundo sabe que o PT através do diretório Central é quem repassa os recursos.
    Palocci, conta o que tu sabes do assassinato de Celso Daniel…

  6. Sergio disse:

    Agora é a hora de negar tudo e desfazer do "cumpanheiro" Palocci. Vejamos, Palocci foi homem de confiança de Lula e Dilma, exerceu cargos importantes e sempre foi muito elogiado pelos dois. Então, como bom petista tinha que participar das falcatruas do Petrolão, já que tinha acesso a todos os empresários envolvidos. Ele sabe muito, ocorre que quando foi preso, ele deve ter procurado os "cumpanheiros" e esses devem ter virado as costas. Restou para o mesmo abrir a caixa da corrupção petista, já que todos gritavam "Lula livre" e esqueceram dele. Quem fez parte da alta cúpula petista tem tudo documentado, acredito que não vá falar por falar. Essa afirmação de Fátima deve ter uma verdade e uma mentira, a verdade é que nunca tratou nada com o pessoal da Camargo Correia e a mentira acredito é que com Palocci deve ter cobrado muito dele grana para a campanha. Palocci falou esta falado e ela que vá se defender desse fato.

Palocci diz em delação que campanhas de Gleisi e Fátima Bezerra foram destinatárias de propina para enterrar investigações da Castelo de Areia

Foto: Polícia Federal/Reprodução

O ex-ministro Antonio Palocci implicou a deputada federal e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR) e a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), em sua delação premiada.

Segundo Palocci, as duas aparecem entre os políticos da sigla que se beneficiaram de parte dos R$ 50 milhões de doações realizadas pela empreiteira Camargo Corrêa em campanhas de 2010. O dinheiro era uma contra partida, segundo o ex-ministro, pela atuação da sigla para enterrar as investigações da Castelo de Areia, que mirava a construtora.

As informações estão em um relatório da Operação Appius, que apura o caso. Segundo o documento, Gleisi e Fátima tinham “plena consciência da origem ilícita das doações realizadas pela Camargo Corrêa”.

Em suas duas fases deflagradas em novembro, a Appius mirou o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça, Cesar Asfor Rocha. Em seu acordo, Palocci do que o ex-ministro também teria recebido dinheiro para suspender investigações da Castelo de Areia. Asfor Rocha nega as acusações.

Gleisi Hoffamann disse, por meio de sua assessoria, que “nada que Antonio Palocci diga sobre o PT e seus dirigentes têm qualquer resquício de credibilidade desde que ele negociou com a Polícia Federal, no âmbito da Lava Jato, um pacote de mentiras para escapar da cadeia e usufruir de dezenas de milhões em valores que haviam sido bloqueados”.

A assessoria de imprensa da governadora Fátima Bezerra afirmou que em 2010 não recebeu doações diretamente da Camargo Corrêa, e só via diretório nacional do PT. Ela negou ter conhecimento de qualquer origem ilícita do dinheiro envolvendo a Castelo de Areia.

Veja mais: DELAÇÃO: Fátima diz que jamais tratou com a Camargo Corrêa e Palocci sobre campanha

Bela Megale – O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zé Mané disse:

    Kkkkkkk, é gopi

  2. Zanoni disse:

    Gleise rebateu Palocci dizendo que era tudo mentira e que Palocci queria apenas usufruir de milhões bloqueados pela Justiça. Ora, Palocci teve milhões bloqueados, mas obteve ilicitamente sozinho esses milhões???
    Gleise está de sacanagem novamente.

Em delação, Palocci diz que distribuiu propina para Fátima Bezerra e Gleisi Hoffmann

Foto: Elisa Elise/Assecom

O ex-ministro Antonio Palocci citou a presidente nacional do PT, Gleise Hoffmann e a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, na delação premiada quer fechou com a Polícia Federal.

No documento, a que Crusoé teve sucesso, a PF diz que Palocci admite ter sido o responsável pela distribuição de valores ilícitos pagos pela Camargo Corrêa ao PT, por meio de doações oficiais nas eleições de 2010.

Esses recursos, segundo o ex-ministro, teriam sido direcionados a diversos candidatos do partido. Entre eles, Gleise e Fátima, que se elegeram senadora e deputada federal, respectivamente, naquele ano.

Na delação, Palocci afirma que Gleise, atualmente deputada federal, e Fátima, que se elegeu governadora em 2018, “tinham plena ciência da origem ilícita das doações realizadas pela Camargo Corrêa.”

Procuradas pela Crusoé na manhã desta segunda-feira(02), por meio de suas assessorias de imprensa, ambas ainda não responderam.

Na delação, Palocci chegou a informar que Gleise também recebeu doações extraoficiais pagas pela OAS. Segundo ex-ministro, a petista teria recebido R$ 800 mil reais da empreiteira.

Crusoé

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Pessoa disse:

    MANTRA PETISTA: "cadê as provas"? ah!ah!ah!

  2. giovanni disse:

    Gente honesta não deve de luladrao, Gleice pilantra e nem um outro corrupto do PTeco.
    O Luladrao realmente é um encantador de jumento.
    Diga quem tu defende e direi quem tu és.

  3. Francisco Alves disse:

    No que tange essa quadrilha, digo partido, quanto mais mexer maior a podridão. O mais engraçado é o cinismo das envolvidas! A Narizinho, vulgo Amante, não foi presa juntamente com o marido porque era senadora e foi beneficiada com o foro privilegiado. Mas, cada vez que aparece uma denúncia contra membros dessa quadrilha, digo, desse partido o discurso é sempre o mesmo, ou seja, tentam desqualificar o denunciante. Enquanto as denúncias partiam diretores das empreiteiras, diretores da Petrobrás etc, ainda dava para duvidar, mas quando as denúncias começaram a partir da cozinha do governo petista a coisa ficou feia.
    Contudo, o discurso (a desculpa) é uma só: "Os recursos da minha campanha vieram direto do Partido". Ora, todo mundo sabe de que forma os recursos chegavam as mãos deles e do PT, não é mesmo? Mentir, negar as falcatruas e tentar desacreditar os delatores é uma estratégia de defesa. Fizeram isso com o senador Delcídio do Amaral que era líder do governo Dilma no senado, então, por quê não tentar desacreditar, também, o grande ex-ministro Chefe da Casa Civil Antônio Palocci. O homem sabe demais… Gostaria que ele falasse do caso Celso Daniel…!

  4. Bruno Galioti disse:

    O que mais falta!! para que prendam todos esses corruptos e acabar de vez com esse partido que não vale o que come. Falta o AI 5? Que todos rejeitam mas que será a nossa salvação contra esses vagabundos.

  5. paulo maciel disse:

    ESSE PALOCCI É UM FAFARÃO E MOLEQUE, ELE TEM DIZER E PROVAR, SABER ELE SABE É COLOCAR A TROMBONE VAI MEIO MUNDO DE GENTE PRESO, NESSE DIAS VÃO DÁ ATESTADO DE DOIDO A ELE, PARA
    ELE FICAR DESACREDITADO.

  6. Antonio Turci disse:

    Não é saudável antecipar julgamentos. Mas Palocci, por duas vezes Ministro de governos petistas, pode até não saber de tudo, mas que sabe muito, ahh, isso sabe, sim. Com suas informações, Palocci presta um grande serviço ao Brasil.

  7. Rodolfo disse:

    Tanto as delações acordadas pelo Palocci e pelos demais, para terem validade, não precisam serem apresentadas juntos com as provas? Onde estão? Não tem de falar e provar? Onde estão os documentos que consubstanciam as delações?

  8. Fabio disse:

    Quero que falem sobre o Queiroz e a rachadinha imoral do dinheiro público, porque não investiga o Queiroz? Se investigar suas movimentações financeiras vai aparecer muito dinheiro roubado dos cofres públicos.

    • David disse:

      Se for comprovado, a rachadinha de Queiroz foi uma micharia, aí são bilhões desviados por esses petralhas descarados. O Queiroz ficava apenas com uma parte do dinheiro recebido dos funcionários do gabinete de Flávio, o que se comparar com a roubalheira petralha, é uma gota d'água no oceano Amigo. Evidências tem muitas, se tivesse também uma delação do Queiroz era suficiente pra condenar.

  9. Carlos Bastos disse:

    Crusue, kkkkkkkk a delação desse bandido o MPF não aceitou é tudo fantasia aí fica esses besta criticando a governadora, só digo uma coisa quando vocês forem se aposentar não chore.

  10. vilanir gurgel disse:

    Num acredito!!!!!! A governadora dos trabalhadores e sindicalistas, a governadora que virou a casaca quando assumiu o governo e só da aumento à elite e deixa a classe que a apoiou a ver navios. Pense mininu!!!!!!!

  11. CURITIBA JA disse:

    Calma Ptralhada o STF estar de prontidão para re$olver qualquer problema caso venha a acontecer

  12. Neto disse:

    Fala aí uma novidade kkkkkkkkk não escapa um dessa quadrilha, isso não é um partido, ISSO É UMA QUADRILHA

  13. Ana leticia disse:

    Cadeia para fatao e gleice

  14. Ricardo disse:

    É gopi, é gopi,é gopi e é gopi.

  15. Cassia disse:

    Fala sério quem nunca…

  16. Ivanaldo disse:

    Eu não acredito, isso tudo é mentira.

  17. Junior disse:

    essas meninas são tão limpas quanto o chefe lula…. kkkkk

  18. Escritor disse:

    Caixa 2. Peça desculpas. E ta tudo resolvido.

    • Morohipócrita disse:

      Boa.

    • David disse:

      Ou nomeia ministro do stf como fez luladrão. Stf é um puxadinho da cozinha do sítio de Atibaia, com direito a pedalinho e cachaça.

  19. Evilme disse:

    Boa tarde, BG!

    Será que a máscara da governadora está com os dias contados!? Ou é mais uma mentira do Palocci?

  20. Ems disse:

    "É tudo mentira. O culpado do roubo e corrupção sistêmica no país é Sérgio Moro !!!"

  21. Maria disse:

    Tem alguém que não sabia????

  22. Lima disse:

    Pense numa novidade…kkk

Após delação de Palocci, Lava Jato faz buscas na casa de ex-presidente do STJ, Asfor Rocha

Foto: André Dusek

A Polícia Federal realiza buscas, na manhã desta quinta, 7, no apartamento do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça Cesar Asfor Rocha, em Fortaleza, no âmbito da Operação Appius.

A reportagem apurou que Asfor está fora do Brasil e já iniciou viagem de retorno para o País.

O ex-ministro se aposentou em 2012 e hoje mantém um escritório de advocacia em São Paulo. Ao longo de sua longa carreira na magistratura, jamais admitiu qualquer ilícito.

Asfor foi quem concedeu liminar, em 2010, durante recesso do Judiciário, para suspender a Castelo de Areia. Na época, era presidente do STJ.

A operação, desencadeada em abril 2019, investigava suposto esquema de evasão de divisas, lavagem de dinheiro, crimes financeiros e repasses ilícitos para políticos, não só em épocas eleitorais, envolvendo três executivos da Construtora Camargo Corrêa.

O advogado que representa a empreiteira, Celso Vilardi, reagiu às buscas da Polícia Federal realizadas nesta manhã e disse que ‘o lugar do sr. Palocci é na cadeia’.

Em 2011, a liminar de Asfor foi confirmada pelo STJ, que arquivou o caso sob argumento de que o início do inquérito teve base em denúncia anônima.

Leia reportagem completa aqui no Justiça Potiguar.

Palocci detalha as altas cifras de propina de Lula e ainda “vantagens indevidas”

Foto: Theo Marques – 14.ago.19/Framephoto/Estadão Conteúdo

A Crusoé resumiu um dos anexos de Antonio Palocci:

“O ex-ministro relata que Lula recebia altas cifras de propina através da empresa de palestras LILS e do Instituto Lula e que, além disso, operava uma espécie de mesada em espécie de até 100 mil reais a Lula com dinheiro repassado pela Odebrecht e pelo Banco Safra.

Os pagamentos eram feitos ao ex-presidente por ele ou por seu assessor Branislav Kontic. Palocci também lista as vantagens indevidas que Lula teria recebido da Odebrecht e da OAS por meio do triplex no Guarujá, da reforma do sítio de Atibaia, da aquisição da sede do Instituto Lula em São Paulo e de um apartamento em São Bernardo. Menciona a conta de 300 milhões de reais que a Odebrecht teria disponibilizado ao ex-presidente.”

E ainda há quem diga que a Lava Jato não encontrou a conta de Lula (que foi revelada por O Antagonista, aliás).

Leia aqui a reportagem completa da Crusoé.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. E. costa disse:

    O omi tá preso!! O que as pessoas queriam?Ele vai dizer e afirmar aquilo que poderia prende o objeto de desejo da quadrilha de toga. Agora vamos ver se eles conseguem provas reais e não ficam no achismo

  2. Ivan disse:

    E gópi!! Lulalivre…péra, apaga…Lula Presoooo!!! Ufa, me confundi, foi mal…ainda ganho pão com mortadela? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  3. Osvaldo Delgado disse:

    Como ainda tem mente doente.
    Que pena. Ainda bem que são poucas.

  4. BOSTANARO e MORO NO XILINDRÓ disse:

    Palocci só nao relata as propinas recebidas por ele e muito menos o que vem recebendo para incriminar Lula e deixar o santo do pau OCO SERGIO DESMORONOU INOCENTE DAS INVESTIDAS A LULA…LULA LIVRE SIM. CADEIA PARA BOLSTANARO E MORONOU..ok

    • Manoel disse:

      Meu amigo, você está desatualizado: o novo mantra na seita petista eh LULA PRESO! A alma mais honesta só quer ser solto quando provar que eh inocente… Ou seja, NUNCA!

    • paulo disse:

      ESQUIZOFRENIA pura, querer idolatrar um criminosos só sendo tonto mesmo.

  5. Abel disse:

    Háaaa LADRÃO!!

Negociatas, propinas e a cúpula do PT no “olho do furacão”: confira o que revela a delação de Palocci

Segredos – O ex-ministro Antonio Palocci já redigiu mais de quarenta anexos com suas revelações (Wilson Pedrosa/Estadão Conteúdo)

No acordo de delação premiada que firmou com a Polícia Federal, o ex-ministro Antonio Palocci envolveu 12 políticos e 16 empresas em transações supostamente criminosas que chegam a mais de 330 milhões de reais — boa parte pagamento de propinas ao PT e a parlamentares. O blog Radar teve acesso a um documento de oito páginas do Supremo Tribunal Federal que confere contornos concretos à principal frente da delação de Palocci, que cumpre em casa e com tornezeleira eletrônica sua condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Muitas das revelações presentes no acordo foram antecipadas por VEJA em diferentes reportagens publicadas em 2017. O acordo foi homologado pelo ministro Edson Fachin, relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. Ele determinou o envio de 22 dos 23 anexos da delação de Palocci a quatro estados: São Paulo, Distrito Federal, Paraná e Rio de Janeiro.

A lista de exemplos envolvendo repasses a campanhas petistas e interesses de empresários é grande, como mostra uma série de publicações do blog Radar nesta quarta-feira, 14. A delação de Palocci não deixa dúvidas: todas as eleições de Lula e Dilma foram financiadas com recursos irregulares de empresas — o que a Lava-Jato já comprovou de diversas formas, é verdade.

Desde que a Justiça homologou a delação de Palocci em três frentes – no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, na Justiça Federal de Brasília e no Supremo – os investigadores da Polícia Federal realizam diligências sigilosas e produzem provas para confirmar os relatos do petista, de modo a marcar uma diferença de “qualidade” no trabalho realizado pela PGR em delações anteriores. É por causa disso que, apesar de Fachin delegar aos juízes locais a retirada do sigilo da delação, o conteúdo continua fechado.

Entre os detalhes que o Radar revela, Palocci afirmou que apenas o PT recebeu para suas campanhas eleitorais 270,5 milhões de reais, entre 2002 e 2014. Foram doações, parte declarada e outra não, de grandes grupos e empresas em troca de favores recebidos, afirma o ex-petista. Palocci associa cada doação a um benefício específico que, segundo ele, teria sido alcançado por determinada empresa. Boa parte dessas negociações era realizada por Palocci em sintonia com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari.

O ex-ministro também detalha as negociatas que levaram empresas a destinares recursos a políticos petistas. Nos casos das campanhas presidenciais de Lula e Dilma, são diversos os pedidos dos empresários em troca do apoio financeiro às tentativas de eleições e reeleições da dupla. Para o empresário, o benefício alcançado varia de menor tributação para um setor específico, obtenção de alguma linha de crédito no BNDES para essas empresas a auxílio em fusão de grupos de um mesmo setor a apoio da base governistas a medidas que tramitavam no Congresso.

Há a história bombástica, revelada por VEJA em 2017, de que Lula foi eleito com uma bolada milionária repassada pelo ditador Muamar Kadafi, líder líbio morto em 2011. Segundo o petista, Kadafi deu 1 milhão de dólares, o equivalente a 3,5 milhões de reais à campanha do petista em 2002.

O ex-ministro narra a operação petista, também revelada por VEJA em 2017, para sepultar a Operação Castelo de Areia no Superior Tribunal de Justiça que rendeu 50 milhões de reais em propinas pagas pela Camargo Corrêa na forma de doação eleitoral para Dilma Rousseff em 2010 e políticos petistas, como Gleisi Hoffmann, atual presidente nacional do PT.

Palocci contou que ela recebeu de três empreiteiras 3,8 milhões de reais na campanha de 2010, quando se elegeu senadora pelo Paraná. Como VEJA revelou em 2017, quando o ministro ainda negociava uma possível delação com a força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, a empreiteira Camargo Corrêa repassou 1 milhão de reais a Gleisi como parte de um acordo para sepultar a Operação Castelo de Areia no STJ.

Palocci também contou à Polícia Federal repasses milionários, na forma de doações oficiais e via caixa dois na campanha de 2010, para os petistas Fernando Pimentel e Tião Viana, que governaram Minas Gerais e o Acre, respectivamente, e para o ex-senador Lindbergh Farias.

O ex-ministro ainda detalha como a Odebrecht repassou 50 milhões de reais ao PT em troca de vantagens no Programa de Desenvolvimento de Submarino (Prosub). O episódio já foi narrado por Marcelo Odebrecht na delação da empreiteira. A bolada milionária foi repassada à campanha de Dilma em 2014. O dinheiro era para que as liberações de dinheiro do governo no contrato de construção dos submarinos não parassem.

O Radar também mostra que Palocci confirma o repasse de recursos pela empresa Qualicorp ao PT, ao Instituto Lula e a Touchdown, de Luis Cláudio Lula da Silva, 30 anos, filho caçula do ex-presidente Lula. Os pagamentos, segundo o ex-ministro, teriam sido feitos em troca de “benefícios concedidos pelo governo” à empresa na Agência Nacional de Saúde Suplementar. No trecho obtido pelo Radar, não há, porém, valores descritos.

Em março, a Polícia Federal indiciou Lula e o filho Luís Cláudio pelos crimes de lavagem de dinheiro e tráfico de influência por pagamentos para relacionados à empresa de marketing esportivo. A Touchdown passou a ser investigada em 2017, com as delações da Odebrecht na Lava Jato. A investigação descobriu que, ao longo dos anos, a empresa, que tinha capital social de 1 mil reais, recebeu mais de 10 milhões de reais de patrocinadores.

Sobre a delação de Palocci, a Qualicorp enviou a seguinte nota ao Radar: “A Qualicorp é uma companhia de capital aberto, com milhares de acionistas nacionais e internacionais, e todos os seus contratos são auditados por empresas renomadas. Sua atividade é exclusivamente privada e depende da contratação voluntária de cada cliente de plano de saúde. A empresa nunca pleiteou ou obteve qualquer tipo de benefício público e jamais transgrediu a lei. A companhia não comentará supostas acusações do ex-ministro, que foram rejeitadas pelo Ministério Público Federal por ausência de base fática.” O Radar tenta contato com o filho de Lula.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Só falta a justiça agir.

  2. Walsul disse:

    É o desespero do moro. Criar factoide para sair da linha de tiro. São denúncias apenas para gerar manchetes e manter o único neurônio da bolsoninhada ocupado. Nem o próprio ministério público quis negociar com o Palocci. Ah, ele tá livre e sabe que a única condição para isso é ficar à disposição do moro.

    • Ricardo disse:

      Moro também foi responsável pelos benefícios distintos às empresas citadas, e que renderam alguns milhões em detrimento do prejuízo em dobro pra o erário público, né abobalhado? Vc ficou sem muito serviço público por essas negociatas, desde segurança, saude, educação; o que você vê faltando no dia a dia.

  3. Euzim disse:

    Com a palavra os adoradores de bandidos. Não se trata de conspiração da mídia , dos EUA ou da direita. A delação foi de um dos fundadores do PT, ex-tesoureiro e ex-ministro. Um dos mais próximos a Lula.
    Dissertem sobre isso, fans cegos de bandidos. Zumbis ideológicos.

  4. Getro disse:

    Se soltarem esse homem os petista queimam ele, como fizeram com Celso Daniel, pense nos eleitores, isto é uns devotos doidos.

  5. LEO disse:

    A ESQUERDA VAI ESPERNEAR E DIZER QUE É MENTIRA, QUE PALOCCI, PIOR AINDA SE ACUSA O CHEFE DA QUADRILHA (lula) E SUA PROLE

  6. Nobre disse:

    Um prato cheio pra dr MORO. Pena que não é mais o juiz pra botar na taboca desses caras corruptos.

Em delação, Palocci revela repasses da Qualicorp ao filho de Lula

Foto: Alan Marques/ Folhapress

O ex-ministro petista Antonio Palocci revelou, em delação premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o repasse de recursos do grupo Qualicorp ao PT, ao Instituto Lula e à empresa Touchdown, de Luis Cláudio Lula da Silva, 30 anos, filho caçula do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações foram publicadas nesta quarta-feira (14) pela coluna Radar, da revista Veja.

Os pagamentos, de acordo com a revista, teriam sido feitos em troca de “benefícios concedidos pelo governo” à empresa na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Em março, a Polícia Federal indiciou Lula e o filho Luís Cláudio pelos crimes de lavagem de dinheiro e tráfico de influência. A Touchdown passou a ser investigada em 2017, com as delações da empreiteira Odebrecht na Operação Lava Jato. A empresa teria recebido mais de R$ 10 milhões de patrocinadores.

De acordo com a revista, o acordo firmado pelo ex-ministro no Supremo, ao qual Veja teve acesso, tem 23 anexos, que tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares e ex-parlamentares – além de grandes empresas.

Campanhas eleitorais

Segundo a reportagem, baseada nas declarações de Palocci, o PT recebeu R$ 270,5 milhões para suas campanhas eleitorais de 2002 a 2014. As doações (parte delas não declarada) partiam de grandes grupos e empresas em troca de favores do partido.

O ex-ministro narra o esforço petista para sepultar a Operação Castelo de Areia no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Por esse empenho, a legenda aceitou R$ 50 milhões em propinas pagas pela Camargo Corrêa na forma de doação eleitoral para Dilma em 2010 e para outros políticos petistas, como Gleisi Hoffmann, atual presidente do PT.

Palocci afirmou que Gleisi recebeu de três empreiteiras (Camargo Correa, Odebrecht e OAS) a quantia de R$ 3,8 milhões na campanha de 2010, quando se elegeu senadora pelo Paraná.

De acordo com a reportagem, diversos empresários apoiaram financeiramente as campanhas presidenciais de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff em troca de benefícios, que variavam desde a “menor tributação para um setor específico, obtenção de alguma linha de crédito no BNDES para essas empresas a auxílio em fusão de grupos de um mesmo setor a apoio da base governistas a medidas que tramitavam no Congresso”.

As negociações com os doadores, diz a revista, eram fechadas por Palocci e pelo ex-tesoureiro do PT João Vaccari.

A delação premiada de Palocci foi fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava Jato no STF.

R7

 

Palocci delata Pimentel, Tião Viana e Lindbergh Farias

Foto: Beto Barata/Agência Senado

Em sua delação, Antonio Palocci também revelou repasses aos petistas Fernando Pimentel, Tião Viana e Lindbergh Farias, via caixa 2, na forma de doações oficiais, informa a Veja.

Segundo o ex-ministro de Lula e Dilma, Pimentel recebeu R$ 2 milhões da Camargo Corrêa em 2010. Viana ficou com outros R$ 2 milhões da Odebrecht, no mesmo ano, dos quais R$ 1,5 milhão via caixa 2.

Lindbergh foi quem mais recebeu, segundo Palocci: R$ 3,2 milhões da Odebrecht, também no caixa 2, em 2010.

O Antagonista, com Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    essa facção do PT seita maldita detonaram co. o governo e o Brasil , não ia sobrar nada em 10 anos a mais

  2. Sérgio disse:

    Se eles falarem que estão arrependidos, Moro perdoa!

  3. escritor disse:

    Caixa 2 não é crime. O Ministro da Casa Civil Onyx ja admitiu que recebeu caixa 2. Pediu des culpas. Moro perdoou. O que vale para chico vale para francisco. Ou deixa tudo solto, ou prende tudo.

    • Virgílio disse:

      Vamos desenhar para a criança entender: O caixa 2 foi o meio que a odebrecht usou para repassar dinheiro sujo proveniente de repasses ilícitos que eram moeda de troca por receber obras direcionadas, obras fraudadas, desvio de recurso público – entendeu escritor?????

  4. nasto disse:

    CADEIA nesses meninos inocentes. Lindenbergh sempre foi muito agressivo em seus discursos. Agora provavelmente irão discursar na PAPUDA.

    • Fernando disse:

      Vou rachar de rir, ver ele jogando dama com os chefões do CV e do PCC, facções que ele e o seu chefão (luladrão) tanto incentivaram a propagação desse câncer no Brasil inteiro, e que tanto mal faz ao Brasil… Quando a esquerdalha começou a governar, quase ninguém sabia da existência dessas facções, ao final da devastação que promoveram no país, constatamos mais esse mal que nos deixaram.

DELAÇÃO BOMBA – (Palocci): Empresas pagaram propina a Lula e Dilma em troca de desonerações e crédito

Foto: (Nelson Almeida/AFP)

Na delação premiada, Antonio Palocci detalha que Dilma e Lula receberam propina de empresas em troca de desonerações tributárias, linhas de crédito do BNDES, auxílio em fusões e apoio da base governistas a medidas que tramitavam no Congresso, informa a Veja.

Segunda a revista, houve corrupção no financiamento de todas as campanhas eleitorais, de eleição e reeleição dos ex-presidentes do PT.

O Antagonista, com Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio disse:

    Isso não surpreende a mais ninguém. Essa era a maior quadrilha existente no Brasil. Graças a Deus uma parte já está presa e a outra é questão de tempo.

  2. nasto disse:

    Tudo conversa de Palocci. Esse povo é muito " honesto"

Palocci: PT recebeu 270,5 milhões em propina de diferentes empresas

O ex-tesoureiro petista operava a conta de propina do partido junto com Palocci (Geraldo Bubniak/AFP)

Na delação que fez à Justiça, o ex-ministro Antonio Palocci revela que apenas o PT recebeu para suas campanhas eleitorais 270,5 milhões de reais, entre 2002 e 2014.

Foram doações, parte declarada e outra não, de grandes grupos e empresas em troca de favores recebidos, diz o antigo petista.

Palocci associa cada doação a um benefício específico que, segundo ele, teria sido alcançado por determinada empresa. Boa parte dessas negociações eram realizadas por Palocci em sintonia com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari.

É a primeira vez que um documento do Supremo confere contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro Antonio Palocci fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava-Jato no STF.

A partir desse documento, descobre-se que o acordo firmado pelo ex-ministro no Supremo tem 23 anexos, que tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares e ex-parlamentares – além de grandes empresas.

Robson Bonin – Radar On-Line, Veja

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    silencioooo, é gopi

Palocci relata crimes envolvendo 12 políticos e 16 empresas em delação homologada pelo ministro Edson Fachin

Um documento de oito páginas obtido pelo Radar confere, pela primeira vez, contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro Antonio Palocci fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal.

A partir desse documento, assinado por Fachin em abril deste ano, descobre-se que o acordo firmado pelo ex-ministro no Supremo tem 23 anexos, que tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares e ex-parlamentares.

Há, nas revelações (muitas antecipadas por VEJA em diferentes reportagens publicadas em 2017), farto material sobre supostas relações criminosas envolvendo empresários e pelo menos 16 empresas e instituições financeiras públicas e privadas da República.

Os valores totais citados por Palocci em transações supostamente criminosas chegam a mais de 330 milhões de reais – boa parte pagamento de propinas ao PT e a parlamentares.

Radar On-Line, Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    Gente, isso é tudo "mentira" Esse povo é todo muito honesto.

  2. Cap_Mor disse:

    Camarada Palocci metendo o fumo.

  3. ALEX disse:

    Memimiiiintira…mimimintira!
    Enquanto isso, a ptzada cominha mortandela!

Palocci diz que MP 627, editada por Dilma, é “campeã de propinas”

Antonio Palocci diz que a MP 627 é fonte de muitas propinas em várias áreas.

Segundo ele, “essa MP talvez seja a campeã de propinas na história”.

A medida provisória em questão foi editada por Dilma Rousseff, em 2013, instituía as regras para a cobrança de tributos sobre o lucro que empresas brasileiras tivessem no exterior.

“Se você lê a MP, ela é uma autodenúncia.”

Cristiano Zanin, advogado de Lula, diz que “a narrativa” de Palocci sobre a MP 627 é para que o ex-ministro consiga benefícios em delações.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dilson Eduardo disse:

    Acho que Palocci sabe muito mais do que vem revelando. Ele está poupando muita gente e pode ser até do judiciário, porque não? O tempo que ele vem negociando a delação, deixa margem para montar uma grande estratégia, apontando apenas para as figuras que interessam a ele de forma direta.
    Por exemplo, Marco Aurélio até hoje tem enorme dificuldade em fechar a delação, tem duas razões: Não está falando o que sabe ou falou demais sobre quem não devia.
    São apenas conjecturaras para tentar entender o que vem acontecendo.
    Qual a razão de Eduardo Cunha não fazer uma delação e resolver morrer na cadeia?

    • Ceará-Mundão disse:

      Talvez o Cunha tenha juizo e prefira apodrecer na cadeia do que morrer assim que dela sair. Ou tema pela saúde de sua família. Lembre do Celso Daniel (e das 9 testemunhas do seu caso), do Toninho do PT e de tantos outros. E o Cunha, nos seus àureos tempos, era aliadíssimo do PT, assim como todos os bandidos do PMDB. Alguns nunca deixaram a velha parceria. Vide o Renan Calheiros.

  2. Carlos Bastos disse:

    Eu gostaria de entender uma coisa, porque a PGR não fechou a delação com esse homem

  3. Ceará-Mundão disse:

    Tal afirmação não causa espanto a ninguém. Em se tratando de governos do PT, essa prática era considerada normalíssima.

Palocci relata propinas em dinheiro para Lula dentro de caixas de celular e de whisky

(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Palocci também disse que houve entregas de dinheiro em espécie para Lula, retirados por seu assessor Branislav Kontic na Odebrecht.

“Também se recorda que, dos recursos em espécie recebidos da Odebrecht e retirados por Branislav Kontic, levou em oportunidades diversas cerca de trinta, quarenta, cinqüenta e oitenta mil reais em espécie para o próprio Lula; que esses valores eram demandados pelo próprio Lula com a orientação dada por ele de que não devia o colaborador comentar os pedidos com Paulo Okamotto nem com ninguém”, afirmou o ex-ministro, detalhando informações que já havia dividido anteriormente com os investigadores, durante o processo de negociação para a colaboração premiada.

No depoimento, o ex-responsável pela Fazenda destacou que os pagamentos a Lula envolveram, inclusive, um encontro no avião da presidência da República e que chegou a repassar dinheiro dentro de caixas de celular e de whisky.

“Se recorda que levou valores a Lula em Brasília/DF; que levou valores em espécie a Lula em diversas vezes em São Paulo/SP; que já levou valores em espécie para Lula dentro da aeronave presidencial; que era apenas o colaborador a levar pessoalmente recursos a Lula, entregues em suas mãos; que indagado se existem testemunhas dessas entregas, respondeu que em determinada oportunidade levou 50 mil reais em espécies a Lula no Terminal da Aeronáutica em Brasília/DF, durante a campanha de 2010, dentro de uma caixa de celular na frente do motorista do colaborador, cujo nome era Cláudio Gouveia”, relatou. Palocci prosseguiu: “Em São Paulo, recorda-se de episódio de quando levou dinheiro em espécie a Lula dentro de caixa de whisky até o Aeroporto de Congonhas, sendo que no caminho até o local recebeu constantes chamadas telefônicas de Lula cobrando a entrega”.

Ruptura com Dilma

Palocci relatou ainda o processo de ruptura entre a ex-presidente Dilma Rousseff e o seu antecessor, afirmando que Dilma tomou decisões que retiravam o acesso de Lula a fontes de financiamento eleitoral. Uma dessas decisões foi despedir José Sérgio Gabrielli da presidência da Petrobras. “Durante o crescimento da Operação Lava-Jato, Dilma deu corda para o aprofundamento das investigações, uma vez que isso sufocaria e implicaria Lula”, disse Palocci.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fagner disse:

    Agora é a vez de Queiroz e seus chefes Bolsis. Kkkkkk

  2. Curioso disse:

    As viúvas ficam frenéticas!!!

  3. Waldemir disse:

    Soltaram o lanche e o suco para os
    Petistas kkkkk

  4. Walsul disse:

    É impressão minha ou cada vez que algum político contra o PT está em evidência por alguma falcatrua, aparece logo uma delação contra o Lula? Foi assim com o FHC, com Serra, com Alkmin, com Aécio, com temer e agora com a família B171. Vale lembrar que o MP não aceitou a delação do Palocci por ser frágil, mas a PF aceitou, aliás PF que agora é subordinada ao moro, que já tem um histórico de vazamento contra o Lula e o PT. PF que vazou às vésperas das eleições, mais uma delação do Palocci e que ajudou o bolsodoido a ganhar a eleição. Comentam que ali o Moro garantiu a vaga de ministro. Pelo visto, as denúncias do Palocci só servem para desviar o foco e dar novo choque nos dois neurônios bolsominions.

    • Waldemir disse:

      Kkkk o Lula tá preso banaca e vai continuar preso kkkkk

    • Ricardo disse:

      Não vai sair pesquisas, não tem eleição, Ah tá, então essa é a nova teoria. Será se vai colar?

  5. HSA disse:

    E agora José?
    Dilma mandou investigar Lula?
    É isso mesmo?
    Será verdade?

  6. Carlos Bastos disse:

    Bg Lula está preso e lascado, isso é para tirar a atenção do Queiroz.

Palocci diz que Lula renovou MP em troca de dinheiro para filho

Foto: Reprodução/TV Globo

Em depoimento à Justiça Federal nesta quinta-feira (6), o ex-ministro da Fazenda do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, Antonio Palocci, afirmou que o ex-presidente renovou uma medida provisória em troca de dinheiro para o filho Luís Claudio Lula da Silva.

A compra de medidas provisórias é investigada na Operação Zelotes, deflagrada em 2015, que também apura irregularidades em decisões do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), órgão vinculado ao Ministério da Fazenda que julga processos das empresas envolvendo questões tributárias.

Palocci disse que recebeu o filho do ex-presidente em seu escritório de consultoria entre o final de 2013 e o início de 2014.

Segundo o ex-ministro, ele pediu apoio para fechar o orçamento de um evento que organizaria em 2014. O valor pedido seria em torno de R$ 2 e R$ 3 milhões. “Tenho testemunhas, registro de telefonema dele, agendas”, afirmou o ex-ministro.

Palocci disse que sempre falava com Lula quando alguém o procurava com pedidos. E que, neste caso, Lula disse que já estava resolvido porque já tinha falado com Mauro Marcondes.

Mauro Marcondes era dono da Marcondes e Mautoni que, segundo relatório da Polícia Federal (PF), repassou R$ 2,5 milhões à LFT Marketing Esportivo, empresa de Luís Claudio Lula da Silva, por uma consultoria. Ainda segunda a PF, o conteúdo da consultoria foi copiado da internet. Esse pagamento está sendo investigado na Operação Zelotes.

“Eu fui falar com o ex-presidente Lula para ver se ele me autorizava a fazer isso. Sempre que alguém pedia em nome do ex-presidente Lula eu consultava o ex-presidente Lula. Aí que o presidente Lula me falou que não precisa atender o Luís Claudio, porque eu já resolvi esse problema com o Mauro Marcondes”, explicou Palocci. O empresário chegou a ser preso, em 2016, em uma das fases da Operação Zelotes.

“Aí eu perguntei inclusive: Mas então porque ele me procurou? Ai o ex-presidente disse: porque ele não sabe que eu fiz isso. Mas pode esquecer que eu já resolvi o problema”, completou.

“Aí ele e me contou que foi através da renovação da 471 [medida provisória], que foi feita através de uma emenda parlamentar, na Câmara dos Deputados, que renovou os benefícios da Caowa e da Mitsibushi a partir daquele ano. E que ele tinha pedido uma contribuição, para que o Mauro Marcondes pedisse uma contribuição às empresas, e essa contribuição seria transferida ao filho dele”, concluiu Palocci durante depoimento à Justiça Federal.

Operação Zelotes

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Lula editou a medida provisória para favorecer empresas do setor automotivo em troca de recebimento de propina.

Ele é réu por corrupção passiva nesta ação penal desde setembro de 2017. Também são réus o ex-ministro e chefe do gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, e outras cinco pessoas.

A defesa do ex-presidente afirmou que o petista jamais praticou qualquer ato ilícito e que é alvo de perseguição política.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Agora com os fhos em cana será que vai ter zumbi defendendo esse bandido Lula e o PT? O pessoal zoinho da universidade de mente lavada vai resistir? A resistência que bradam é resistir a realidade e a verdade.

    • Kalina disse:

      Vê lá a reportagem do mini mito..está no Estadão!

    • Edilania disse:

      Sempre vai ter, por isso o nome Alienados, pode passar com o carvão na cara deles e mesmo assim vão dizer que é neve.

Moro nega influência nas eleições ao divulgar delação de Palocci

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, encaminhou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) manifestação em que nega ter tentado influenciar o processo eleitoral ao tornar público o teor da colaboração premiada do ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci.

Parte dos depoimentos foram tornados público por Moro em 1º de outubro, seis dias antes do primeiro turno das eleições. Neles, Palocci acusa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ex-presidente Dilma Rousseff de participação direta no esquema de corrupção na Petrobras, investigado pela Operação Lava Jato.

Juiz Sérgio Moro se explicou ao CNJ por ter divulgado delação de Palocci – Arquivo/Agência Brasil

Moro disse ao corregedor-nacional de Justiça, Humberto Martins, que não teve qualquer intenção de influenciar as eleições ao divulgar os depoimentos, uma vez que o atual candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, não é citado por Palocci. O magistrado acrescentou ainda que não poderia interromper o andamento do processo somente em função do calendário eleitoral.

“Retardar a publicidade do depoimento para depois das eleições poderia ser considerado tão inapropriado como a sua divulgação no período anterior. Se o depoimento, por hipótese, tem alguma influência nas eleições, ocultar a sua existência representa igual interferência a sua divulgação”, argumentou Moro.

Ele desqualificou as duas representações abertas contra ele no CNJ pelos deputados do PT Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira. Para Moro, os procedimentos “inserem-se na linha adotada por alguns agentes do Partido dos Trabalhadores de buscarem criminalizar a atividade jurisdicional”.

Moro afirmou ainda que os deputados petistas “buscam, estes mesmos agentes políticos, através de provocação ao Conselho Nacional de Justiça (cuja composição desejam, aliás, alterar), cercear decisões da Justiça que contrariam os seus interesses partidários, mesmo às custas da aplicação da lei a crimes de corrupção”.

Nas duas representações abertas pelo PT, o partido afirma que Moro “desvirtuou de seu dever de serenidade” ao tornar público o conteúdo da delação a seis dias do primeiro turno das eleições. Segundo o partido, o juiz inflamou a sociedade “a partir de documentos que não passaram pelo crivo do contraditório”.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. realmadriddepiumgenerico disse:

    Fica vermelha cara sem vergonha! Ele suspendeu o depoimento do Lula para depois das eleições para não influenciar no processo eleitoral e a poucos dias da eleição, libera trechos da delação que ele mesmo diz que não irá utilizar. Suspendeu o depoimento porque sabia que o Lula iria falar e qualquer impedimento, seria cercear a defesa. Abriu as delações porque sabia que só havia acusações contra o PT. A justiça agindo como partido." Quando a justiça entra na política, a democracia sai".

    • Waldemir disse:

      Foi a propria defesa de Lula que pediu
      Quando o MP fez as alegações ela quiz ganhar vô grito e não deu senão o processo iria ser empurrado para fevereiro ou março de 2019
      Vá estudar antes de falar bobagem

  2. Chico disse:

    Oxi, eram pra terem dado licença com proibição dele trabalhar. Agora f***

  3. Jessica disse:

    Moro Ministro da Justiça JÁ!!!

Palocci: Dilma participou de reunião para tratar do ‘interesse corrupto’ no pré-sal

No início de 2010, relatou Antonio Palocci em sua delação, houve uma reunião entre ele, Lula, Dilma Rousseff e José Sérgio Gabrielli na biblioteca do Palácio do Alvorada.

No encontro, Lula mandou que o então presidente da Petrobras encomendasse a construção de 40 sondas para “garantir o futuro político do país e do PT com a eleição de Dilma Rousseff, produzindo-se os navios para exploração do pré-sal e recursos para a campanha que se aproximava”.

Palocci destaca que havia “um interesse social e um interesse corrupto com a
nacionalização e desenvolvimento do projeto do pré-sal”.

Com informações de R7 e o Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joao disse:

    nenhuma novidade.. o problema é juntar as provas, e passar 10 anos de recursos especiais em tribunais ate ser presa ou extinto o prazo sendo solta .. CorruPTos sao assim..