Parlamentares e dirigentes partidários estimam adiar 1º turno das eleições para 15 de novembro

Imagem: ilustrativa

Parlamentares com trânsito no Palácio do Planalto e dirigentes partidários estimam adiar para o dia 15 de novembro (feriado da Proclamação da República) a realização do primeiro turno das eleições municipais, caso a pandemia do coronavírus não arrefeça até junho, data final para decisão.35

Leia a matéria completa no site Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    Eleição em todos os níveis em 2022 com mandato de 5 anos sem direito a reeleição para o executivo e para reeleição por 2 mandatos para o legislativo. Vamos acabar com essa profissão > POLITICO. ISSO É SONHO !. Mas sonhar não é PRIBIDO

  2. Paleo disse:

    O mundo se acabando e pessoas politizando tudo, nunca pensei que a humanidade daria tao errado.

  3. Ana disse:

    Show de bola

  4. Almir Dionisio disse:

    Melhor seria deixar tudo para 2022, sem reeleição.
    Evitaria gastos e unificaria tudo em uma só eleição.

    • Brunol disse:

      Concordo 100%

    • Arthur disse:

      É isso aí, 2022 sem reeleição!

    • Flauberto Wagner disse:

      Almir, não interessa as eleições unificadas de 2020 juntamente com 2022 para os pretensos concorrentes aos cargos de presidente, governador, senador, deputados federais e estaduais, em razão do desinteresse do eleitor principalmente se ele for do interior, aonde a polarização nas campanhas para prefeito e vereadores é a principal fonte de discussão municipal, tudo em função de direta ou indiretamente alguém tem vínculo com os candidatos.
      Outra coisa, por incrível que pareça os custos bancados pelos candidatos aos cargos fora do eixo municipal se tornaria o dobro do atual, em razão da premente necessidade da inclusão e da vinculação de seus nomes aos postulantes aos cargos municipais, haja vista que ficaria obrigados a custearem as campanhas de perfeitos e vereadores, sem deixar de dizer que os formatos de campanhas são diferentes no que tange aos apoios direcionados e negociados estado afora, sem deixar de falar aqui que muitos dos atuais deputados federais e estaduais não conseguiriam renovações de seus mandatos.
      Tem uma coisinha também a ser levada em conta, os meninos só judiciário sai perdendo, pois vão deixar de ganhar as verbas salariais extras as quais tem direito legal por gestarem o pleito a cada dois anos.
      Só lembrando que no ano de 1982, aconteram eleições para todos os cargos e muitos derrotados se perguntam até hoje o que aconteceu!
      Há única eleição que talvez não sofra qualquer de alteração é presidencial, em função da pouca influência dos candidatos proporcionais na escolha, a bem da verdade a candidatura a presidente é quem soma aos prol das outras candidaturas.
      Agora, sou plenamente a favor da unificação das eleições!

COMENTE AQUI