“Se Deus quiser, vou continuar o meu mandato, e, em 2022, o pessoal escolhe”, diz Bolsonaro

Foto: Reprodução

“Se Deus quiser, vou continuar o meu mandato, e, em 2022, o pessoal escolhe”, afirmou na noite dessa quarta-feira (20) o presidente Jair Bolsonaro a apoiadores que o aguardavam chegar ao Palácio da Alvorada.

Bolsonaro deu a declaração em meio à explosão de pedidos de impeachment contra ele. Desde o início do mandato, 61 foram protocolados na Câmara; apenas sete são anteriores a março de 2020, quando teve início a pandemia de coronavírus.

Aos apoiadores, ele disse que tem muita “gente boa” para escolher nas eleições presidenciais do próximo ano e que espera que os “bons” se candidatem para não deixar os “mesmos” no pleito.

Isto É, com Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Giordano grisi disse:

    Não quero mais Bolsonaro como presidente. Mas do PT Deus me livre.

  2. Chimbau disse:

    Cai fora lagartixa

  3. LAMPIÃO disse:

    O QUE DÁ SUBSTÂNCIA A IMPEACHMENT SÃO AS RUAS, É O POVO!!! VAMOS CER SE TÊM CORAGEM DE TIRAR O HOMEM DA PRESIDÊNCIA!!!! QUEM GARANTIA A ESCULHAMBAÇÃO NAS RUAS ERA A GLOBO… SE LASCARAM!!!! O HOMEM É BOM, O HOMEM É ESPETACULAR!!! O BRASIL 🇧🇷 VAI DÁ CERTO! EXPERIMENTEM MEXER COM O PRESIDENTE, BOSOROS SE SATANÁS!!!

  4. Maria Bernardes disse:

    Por mim não precisa esperar 2022, PEDE PRA SAIR zero a esquerda!!!

  5. Arcanjo do bem disse:

    Falou como quem sente que não terá apoio e não deverá ser reeleito.

  6. Tico de Adauto disse:

    O homi agora tá piando kkkkkkk

  7. Jailson disse:

    Deus não vai querer q o satã continue na presidência do Brasil

  8. Antonio Turci disse:

    Curiosida, apenas; as pessoas que chamam o Presidente de marginal têm alguma prova que consubstanciem o que afirmam?

    • Pai do Cacá (Tá tenso) disse:

      Acho muito difícil você ter um assessor do seu filho que paga suas contas e as contas da sua mulher. Mas, se o senhor tiver prezado Antonio, me indique que também estou precisando. Contas acumuladas.

  9. João disse:

    Faz pouco mais de um ano que resolvi ser um leitor do blog do bg, mas não demorou muito pra perceber o tipo de jornalismo q ele tenta fazer, eu não vejo em nenhum momento uma matéria se quer sobre as dificuldades q a população está passando . Não fala absolutamente nada sobre a alta dos preços dos produtos dos alimentos ,dos combustíveis. Do desemprego q tai em grande escala, em fim , me parece mais q ele está mais preocupado em dar pano pro presidente, q na minha humilde opinião é um piores q já existiu, tenho certeza q se fosse outro governo seja lá qual as matérias seriam bem diferentes. Só pra dizer q a população vive uma realidade muito difícil , talvez a mais difícil dos últimos tempos.

    • Fabio disse:

      O pior não é isso, os comentários são selecionados, já escrevi muitas coisas aqui e não foi publicado.

  10. Messias de Barro disse:

    Deus não quer não. Pelo menos o Deus em que acredito.

  11. Naldin disse:

    Eu tô com o vei é não abro, pense num véi diferente. #MITO2022

  12. Maçonaria britânica! disse:

    Parece que Jair Bolsonaro não vai ser reeleito talvez nem termine o seu atual mandato,ele é extremamente exagerado e desmedido no seu comportamento e nos seus atos,com os seus delírios de arrogância e de hostilidade contra as pessoas que fazem oposição ao seu governo,exaltando a violência contra opositores e com o seu lobby absurdo da liberação total das armas de fogo neste país o Brasil onde numericamente mais cidadão matam cidadãos no mundo,principalmente pessoas do sexo masculino se matando entre eles,o presidente da República ainda fica exaltando uma possível revolução armada para se perpetuar no poder executivo federal do Brasil,isso inadmissível.

  13. Vicentt disse:

    Esse nome bom e Bolsonaro.
    Tá reeleito, assim diz as pesquisas.
    Mito.
    2022 ate 2026.
    Para o bem do nosso Brasil.
    Chega de ladrões!

  14. Queiroz disse:

    Não usará o santo nome de Deus em vão. O castigo vem a cavalo .
    FORA BOLSONARO MARGINAL

  15. Henrique disse:

    e a corja de bandidos, ladroes que saquearam o país , clamam por quem ?

  16. Santos disse:

    "SE Deus quiser" e ele tem consciência dessa frase?
    Pois já que tem, se sair antes ou não se reeleger, esperamos que não fique esperniando como fez desde que assumiu o mandato não ou como fez o seu ídolo americano, pois Deus está no controle de tudo. Como diz os irmãos protestantes, não cai uma só folha de uma árvore sem o consentimento de Deus.
    E digo mais, vja o que diz Hebreus 4:13 – Nada, em toda a criação, está oculto aos olhos de Deus. Tudo está descoberto e exposto diante dos olhos a quem havemos de prestar contas.

  17. ZéGado disse:

    Impressionante como essa corja sempre põe Deus em suas sujeiras.

    • Maria disse:

      Porque enganar a evangélico é muito fácil, veja o caso do feijão milagroso, aquele pastor de Brasília que fez o povo doar seus próprios carros e o dinheiro que tinha , então agora que todo o mundo está fragilizado, ele vai usar as igrejas evangélicas para conseguir sua reeleição, mas sou vai ganhar pra síndico do prédio dele e olhe lá.

Governo publica regras para cancelar Bolsa Família de quem doou ou foi candidato nas eleições

O governo federal publicou nesta segunda-feira (4) regras para cancelar o pagamento do Bolsa Família para os beneficiários que tenham feito doações de campanha ou participado como candidatos nas eleições municipais de 2020.

Serão cancelados, já em janeiro de 2021, o pagamento para as famílias que tenham algum membro:

eleito nas eleições municipais

que foi candidato nas eleições e declarou à Justiça Eleitoral patrimônio maior que R$ 300 mil

Em fevereiro, serão cancelados os pagamentos de famílias em que:

um integrante tenha doado para uma campanha valores mensais per capita (por pessoa) iguais ou maiores que dois salários mínimos

um integrante tenha sido prestador de serviço para uma campanha e tenha recebido valores mensais por pessoa iguais ou maiores a dois salários mínimos

Além disso, também em fevereiro, o governo vai fazer o bloqueio temporário do pagamentos para famílias em que:

um membro tiver doado para campanhas eleitorais um valor mensal por pessoa entre meio salário mínimo e dois salários mínimos

um membro tenha sido prestador de serviço em campanha e tenha recebido o valor per capita mensal entre meio e dois salários mínimos.

Nesses dois casos acima, o bloqueio temporário servirá para o governo confirmar as eventuais irregularidades. As famílias terão até maio para atualizar o cadastro e provarem que estão em situação legal. Caso contrário, o pagamento do Bolsa Família será cancelado em junho de 2021.

Todos os beneficiários que tiverem o pagamento cancelado poderão apresentar ao governo, por meio das prefeituras, eventuais esclarecimentos para atestar que ainda mantêm as condições para fazer parte do Bolsa Família.

Para participar do programa, a família deve ter renda mensal por pessoa de até R$ 89,00. Ou então, deve ser uma família com renda mensal por pessoa de até R$ 178, em que haja crianças, adolescentes, mulheres grávidas ou amamentando.

O governo informou que fará os bloqueios e os cancelamentos com base em dados cruzados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Cadastro Único, que reúne informações das famílias aptas a receberem pagamentos de programas sociais.

No fim de dezembro, o TSE informou que 91,5 mil beneficiários do auxílio emergencial ou do Bolsa Família doaram para campanhas eleitorais nas eleições municipais de 2020. Os valores chegam a R$ 77,5 milhões.

G1

 

Possibilidade de irregularidades tumultua eleições no Jiqui Country Club

Deu confusão na eleição do Jiqui Country Club no último domingo (6), vencida pela Chapa 1, de situação, do candidato Flávio Cordeiro. A eleição foi impugnada pela Chapa 2, do candidato Renato Marques, com base no art. 40 do estatuto do clube, pela possível identificação de imparcialidade de componente da mesa diretora, demonstrando apoio à chapa concorrente, bem como a quebra de sigilo por parte do candidato da Chapa 1 durante a apuração dos votos.

A Chapa 2 também elencou outras anormalidades que foram de encontro ao estatuto, como realização de boca de urna e o descumprimento de prazos formais.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Bidê disse:

    Quase um Trump, o cabra

  2. Hideraldo Luiz Santiago disse:

    Felizmente o candidato da chapa 2 levou uma lavagem nas urnas e agora quer tumultuar uma pleito honesto e transparência. Gostaria que você BG antes de divulgar quaisquer dessa pessoa busque a veracidade dos fatos. O Renato não cacife para comandar uma instituição tão séria que é Jiqui Country Club. Tenha cuidado no você pública. É assim que se perde audiência e a credibilidade. Meus sentimentos.

  3. Carlos Brasileiro disse:

    Todo perdedor sempre inventa motivos falsos pra não ficar por baixo.
    Seria mais elegante admitir a derrota parabenizando o adversário.

  4. William disse:

    Não teve nada de irregularidade. Votação tranquila. A chapa que perdeu teve apenas 56 votos e não se conformou com a derrota.

Fábio Faria cita ‘narrativa incorreta’ sobre eleições, e diz que presidente não está virando centrão: “partidos de centro é que têm de abraçar as bandeiras do Bolsonaro”

Foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press

Considerado um articulador do Executivo com os outros Poderes, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, rejeita o título e diz que a imagem surgiu porque chegou ao governo no momento de maior estresse entre as instituições, o que foi resolvido por vontade de todos. Ele diz não ter dúvidas de que, apesar de muitos afirmarem que o presidente Jair Bolsonaro saiu derrotado das eleições municipais, o chefe do Executivo continua forte e sua reeleição é muito provável em 2022.

No entender do ministro, não haverá tempo suficiente para que o grupo de centro-direita que saiu fortalecido das urnas construa uma candidatura com musculatura suficiente para fazer frente a Bolsonaro e a um representante da esquerda. Dos nomes citados como possíveis cabeças de chapa da direita mais moderada, Faria ressalta que o ex-juiz Sergio Moro saiu do jogo político ao migrar para a iniciativa privada e se envolver em conflitos de interesse.

Afirma que o governador de São Paulo, João Doria, desgastou-se por causa de uma sucessão de “traições”. Frisa que Rodrigo Maia é um grande articulador político, mas não tem votos, e acredita que Luciano Huck deve continuar como apresentador de tevê, pois os eleitores não querem se arriscar em uma aventura parecida com a de Wilson Witzel, eleito para o governo do Rio de Janeiro com um discurso contra a corrupção, mas que deve perder o mandato .

O ministro diz, ainda, que o governo tem o direito de apoiar candidatos para as presidências da Câmara e do Senado que defendam a agenda conservadora nos costumes e liberal na economia, hoje interditada. E um bom nome para defender os interesses do Palácio do Planalto é o do deputado Arthur Lira, do PP. Sobre o fortalecimento do Centrão nas urnas, Faria ressalta que isso não significará a volta do toma-lá-dá-cá, por meio de mais vagas no ministério.

Para Faria, a única crise que existe no governo é a “crise de palavras”, que cria uma cortina de fumaça e faz com que as entregas não cheguem na ponta. “Não tem nenhum ponto que desabone o governo. Não há uma denúncia de corrupção. Na pandemia de covid, não faltou dinheiro para estados e municípios, não faltou dinheiro para as empresas, não faltou para os desempregados. Não faltou para nada”, defende.

Sobre a polêmica que envolve o leilão do 5G, com ameaça de restrição aos fornecedores chineses, alvo de nota das operadoras do país, o ministro prefere se manter neutro. Diz apenas que ninguém do Executivo falou sobre isso, que a decisão estará contemplada no relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e que o assunto será avaliado de forma técnica. “Tem muito mais de briga geopolítica nisso do que qualquer outra coisa”, afirma. Veja a seguir os principais trechos da entrevista concedida ontem no Ministério das Comunicações:

Estamos vindo de eleições municipais. Como o senhor viu o resultado das eleições e que recado as urnas deram ao governo?

O governo não recebeu nenhum recado das urnas. O próprio presidente Jair Bolsonaro pediu para que nenhum ministro, nenhum secretário participasse (do pleito). Alguns deputados participaram, mas ele próprio não foi para nenhuma cidade. Ele fez algumas lives, eu acho que quatro, e sinalizou para o eleitor conservador. Nas próprias lives, ele falava que, no máximo, alteraria de 5% a 6%. A narrativa que foi colocada de que houve uma participação e, possivelmente, derrota do presidente Bolsonaro é totalmente incorreta. Porque, se ele quisesse ter participado plenamente das eleições, teria pedido que todo o seu grupo de linha participasse. Isso não houve. Outro ponto, se olhar 2016, Bolsonaro não fez nenhum prefeito. Este ano não tem nem partido. O eleitor de direita, do Bolsonaro, votou em vários candidatos e em vários partidos que estão participando em algumas votações, votando junto com o governo. Muito difícil você ter um recado claro na eleição de 2020.

Como o senhor avalia o resultado? O eleitor não quis os extremos. Optou pelo centro.

Quem foi o candidato de extremo, do Bolsonaro, que perdeu? Russomanno (Celso Russomanno, candidato à prefeitura de São Paulo pelo Republicanos) é moderado. Crivella (Marcello Crivella, candidato à reeleição do Rio de Janeiro) é moderado. É uma leitura que ainda não consegui fazer, essa que a imprensa tentou colocar. Óbvio que, se você lê muitas vezes a mesma coisa, acaba seguindo o caminho. Mas a maioria dos partidos que compõem hoje a base do governo na Câmara e no Senado, muitos migraram e votaram. Pessoalmente, sem ser como ministro, acho que Bolsonaro mostrou que é muito forte, descolado de muita coisa. Bolsonarismo é muito mais o Bolsonaro do que um núcleo maior. Tanto que o presidente não participou. Logo depois das eleições, sai uma pesquisa na qual o presidente tem 40% de ótimo e bom. Ele disse, nas lives, que não tem hoje este poder de transferência. A pessoa vota no candidato. O fator local é muito mais forte do que o nacional. Se o candidato for bom, aquele apoio influencia um pouco, mas não altera a eleição. O principal recado que ele deu foi a sinalização para o eleitor conservador, que foi aquele que votou nele. Não quis passar 2020 batido e retribuiu, dentro do que podia fazer, para mostrar isso para o eleitor.

Mas as forças de centro saíram mais fortalecidas. Como o senhor avalia?

Acho que nada disso influencia. Se for voltar dois anos, em 2018, o Geraldo Alckmin (candidato à Presidência pelo PSDB) fez uma ampla aliança, conseguiu sete minutos de televisão e o Bolsonaro, com sete segundos, venceu. O Alckmin tinha apoio de governadores nos estados e não conseguia ir, porque eles não queriam recebê-lo. Do mesmo jeito que a eleição municipal é descolada da nacional, a presidencial também descola, é paixão. Os candidatos atraem essas paixões. No Nordeste, por exemplo, se o candidato não tiver penetração para poder se comunicar, muitas vezes a base não quer nem receber, porque atrapalha. Por isso, foi muito forte por muito tempo, porque os candidatos não queriam levar outros. O Bolsonaro quebrou isso. Hoje, temos a direita no Nordeste. Antes, ou apoiava alguém da esquerda para fazer coligação, ou fazia eleição simplesmente estadual, nem se falava sobre o presidente da República.

A avaliação que o senhor faz então é que o resultado foi bom para o governo?

O resultado não altera o governo. Esses partidos de centro estão compondo com o governo, eles precisam mostrar resultado. Eu sempre defendi e continuo defendendo. O Bolsonaro não está virando centrão. Os partidos de centro é que têm de abraçar as bandeiras do Bolsonaro, porque ele foi eleito, ele derrotou a esquerda com isso. Bolsonaro conseguiu, sozinho, com o grupo dele, sem apoio de ninguém, ganhar a eleição com a bandeira conservadora, de valores. Com o centro participando da base, o governo vai pedir que apoie essas bandeiras do presidente. Em 2022, a gente não sabe quem vai estar junto. A economia vai ditar muita coisa. Se crescer 3%, 4% no ano que vem, será que alguma frente vai ter tempo de criar outro candidato? Será que as pessoas não vão com Bolsonaro? Ou vão migrar para esquerda? Vejo um cenário muito incerto sobre isso. Até porque o Bolsonaro só seria derrotado se tivesse partido, se tivesse entrado na eleição e se tivesse enfrentado os partidos do centro. Isso não ocorreu.

O fato de o centrão sair mais forte das urnas vai fazer com que cobre um espaço maior do governo, em uma reforma ministerial, mais à frente, para se ver mais bem representado?

Primeiro, o centro se deu bem na eleição, mas o governo avalizou o centro. Começa por aí. Se o centro está compondo a base, foi avalizado pelo governo, que viu que tem 300 parlamentares. Para votar qualquer coisa, precisa do apoio do Congresso. O que precisa é o centro se entender com o governo. Porque, depois de 2018, não vai ter a volta do toma-lá-dá-cá. Isso, mesmo daqui muitos anos, a população não vai aceitar. Isso está precificado. Não acredito que vai ter pedido por ministério. A agenda é outra. Bolsonaro enfrentou isso e votou a (reforma da) Previdência sem dar nenhum ministério a ninguém. As escolhas ministeriais foram todas escolhas pessoais dele. Algumas de frente parlamentar, como a ministra Tereza Cristina (Agricultura). Mas não acredito que haja retrocesso. O centro já era forte. O Bolsonaro se elegeu pelo PSL, não teve alteração no partido. Já iniciou o governo com esses partidos com a mesma força. O que teve foi uma migração. O PSDB diminuiu um pouco. O MDB diminuiu um pouco. O PSD cresceu um pouco. Migração entre os partidos que estão no mesmo espectro. Não houve grande ascensão.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Assis disse:

    So uma pergunta eoe do e ministro porque genro de Silvo santos

  2. Emerson Fonseca disse:

    Olhe com todo respeito ao Amigo BG, o Genro de Sílvio Santos, perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado, o Centrão é que precisa do Bozo, foi a cereja do Bolo… Kkkkk 😂

  3. Antonio Turci disse:

    A falha do Ex-governador Robinson Faria foi não ter podido superar os atrasos. Jamais ele permitiria atraso se houvesse meios de pagar em dia. De resto, foi um bom governador, construiu obras importantes, incentivou atividades produtivas etc.

  4. Fátima disse:

    Esse é outro que temos que mandar pro espaço em 2022

  5. Fernando disse:

    Deveria comentar sobre o governo q o pai fez.

    • Lucia Helena Silva disse:

      Verdade.Deixou o servidor publico com 3 folhas em atraso

  6. Francisco disse:

    Outra desgraça essa governadora. O RN não tem gestão há anos.

  7. Gerson Leandro Chianca disse:

    Sou funcionário PULBLICO do RN, quando vejo esse rapaz dar uma entrevista só me lembro do pai dele que deixou nos sem receber o salário de dezembro 2018 e o Decimo de 2018, mas com a graça de Deus essa governadora vai nos pagar.

    • RMS disse:

      tomara que pague mesmo, que não tenha passado de promessa de campanha.
      embora a conta não seja dela, ela se comprometeu em pagar essa conta.

    • Júlio disse:

      Tb sou funcionária pública, qdo o vejo falando qualquer besteira, acho q ele não pensa no pai e nem o q pensamos dele, é como Se a bonitesa dele ou pelo fato de ser ministro faz com que nos tornamos idiotas e esquecidos até das denúncias que houve de caixa dois.

TSE desmente boato sobre anulação do 1º turno das eleições: “nunca houve constatação de fraude em resultados”

Foto: Adriano Ishibashi / Estadão Conteúdo

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) informou nesta sexta-feira (20) que são falsas mensagens que circulam em redes sociais e afirmam que as eleições do primeiro turno, em 15 de novembro, foram anuladas em algumas cidades por suspeita de fraude na urna eletrônica.

“Nunca houve, desde o início do uso das urnas eletrônicas, em 1996, constatação de fraude em resultados com a utilização do equipamento”, disse o TSE em nota.

O órgão esclarece, também, que a urna não tem conexão à internet ou via bluetooh, possui mais de 30 camadas de segurança encadeadas para dificultar a fraude, há lacres de segurança que mostram qualquer tentativa de violação, resultado da urna é impresso em cinco vias e qualquer cidadão pode ter acesso e que as urnas são expostas, antes das eleições, a hackers e especialistas que queiram testar sua segurança.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marco antonio disse:

    Assim como uma conta corrente no banco é de uso pessoal so mexe nela o correntista, o banco nos lançamentos e os golpistas. Percebo uma vulnerabilidade no manuseio das urnas, eu nao confio. O TSE nao. vai atirar no proprio pé dizendo que o sistema não é confiavél, certamente vai defender seu produto, assim como os bancos dizem que as contas são confiaveis. Então que se PIX.

Kid Bengala é demitido de produtora pornô Brasileirinhas após derrota nas eleições

Foto: Reprodução/Instagram

Kid Bengala estava entre os candidatos a vereador da cidade de São Paulo. O ator pornô se candidatou pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), mas ficou entre as celebridades menos votadas , com apenas 953 votos. Após a derrota nas urnas, ele teve mais uma surpresa desagradável: foi demitido da produtora pornô na qual trabalhava.

O ator pornô era contratado da Brasileirinhas, uma das maiores empresas do ramo no país. Em entrevista ao jornal Extra, Clayton Nunes, o dono da produtora, explicou os motivos que levaram à demissão. “Já não estávamos trabalhando com o Kid há mais de um mês. Ele já não estava mais se dedicando, a cabeça dele já estava na política. Acho que já deu, ele não estava focado. Ele não está nos nossos planos mais não”, disse.

Sem emprego e sem cargo na política, Kid Bengala disse que não pretende deixar o pornô. “Eu nunca vou cuspir no prato que comi. Foi onde eu fiquei famoso. Espero poder continuar atuando”, declarou o ator de filmes adultos.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodrigo disse:

    Despenca mais um gigante kkkkkkkkkkkk

  2. Tarcísio Eimar disse:

    Iniciando o processo brochal

  3. Marcos Benício disse:

    "Ele não está nos nossos planos mais não”. Fala típica de patrões que exploram seus empregados, ganham muito dinheiro às custas deles, depois o dispensam.

  4. Jk disse:

    O Kid levou pau nas urnas e no trabalho… kkkkkk

  5. Pamela da Pampa disse:

    Nem ouse me ligar, seu tarado!!!

  6. Dr. Zebu disse:

    O ídolo de Calígula e Pedroca

  7. Omar Salgado disse:

    Dupla bengalada no Kid Bengala, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Eleições municipais 2020: TSE contratou sem licitação o ‘supercomputador’ que atrasou apuração no domingo

Foto: TSE/Divulgação

 

O contrato do TSE com a Oracle do Brasil Sistemas, responsável pelo serviço, foi realizado com dispensa de licitação. Foi publicado no Diário Oficial da União no dia 25 de março deste ano, com o valor total de R$ 26,2 milhões.

Até agora, a Justiça Eleitoral brasileira empenhou R$ 19.564.473,36 em favor da filial brasileira da Oracle em 2020, segundo dados levantados pela BBC News Brasil usando a ferramenta Siga Brasil, do Senado Federal.

Não é possível dizer, porém, se todos os pagamentos se referem ao mesmo contrato, e nem qual a duração do contrato de R$ 26,2 milhões. O valor de R$ 19,5 milhões inclui empenhos feitos por tribunais regionais eleitorais de alguns Estados, embora a maior parte dos gastos seja do TSE.

No extrato publicado no Diário Oficial, o TSE cita um artigo da Lei de Licitações (de 1993) para justificar a dispensa da licitação. Segundo a norma, a compra ou contrato pode ser feito diretamente, sem licitação, quando só houver uma empresa apta a prestar aquele serviço. Outra hipótese é quando o governo precisa de serviços “de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória especialização”.

Os “supercomputadores” fornecido pela Oracle ao TSE são do modelo Exadata X8 — são aparelhos com capacidade de processamento muito superior a um computador pessoal, e cujo tamanho é um pouco maior que o de uma geladeira ou freezer domésticos.

Contrato do TSE com a Oracle do Brasil Sistemas, responsável pelo serviço. Foto: Reprodução

O peso de cada aparelho varia de 915 a 400 quilos, conforme o manual do produto.

Segundo um profissional da área de tecnologia da informação consultado pela BBC News Brasil, o termo “supercomputador” não é mais usado — hoje, os especialistas da área se referem a este tipo de dispositivo como um serviço dedicado de datacenter.

Falar em “supercomputador” deve ter sido uma forma didática encontrada pela equipe de tecnologia do Tribunal para diferenciar o aparelho de um computador doméstico, diz o profissional, sob condição de anonimato.

Questionado sobre o assunto pela reportagem da BBC News Brasil na noite de domingo (15/11), o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Dutra Janino, disse que o funcionamento do “supercomputador” era de responsabilidade da Oracle.

Ele disse ainda que não se tratava de uma terceirização, e sim de um contrato de prestação de serviço.

“Esse computador é instalado por meio de um serviço. Ele faz justamente esse papel da nuvem computacional. Ou seja, é um supercomputador, que ele é contratado (por meio de) uma empresa, essa empresa é a Oracle; ela instala esse computador e mantém ele em funcionamento. É um serviço justamente, não é uma aquisição. Portanto, a manutenção, a conservação, o suporte, o bom funcionamento do equipamento é de responsabilidade da empresa”, disse ele.

A reportagem da BBC News Brasil procurou tanto a Oracle quanto o Tribunal Superior Eleitoral para comentários na tarde desta segunda-feira (16/11). A empresa disse que não iria comentar o assunto; o tribunal não respondeu ao pedido de informações.

A princípio, não há qualquer irregularidade ou ilegalidade no contrato entre a Oracle e o tribunal.

TSE muda versões sobre ‘supercomputador’

Desde que a lentidão na apuração dos votos foi constatada, na noite de domingo, o TSE forneceu explicações divergentes para o problema.

De início, o ministro Luís Roberto Barroso disse que a lentidão tinha sido causada por uma falha em um dos núcleos de processadores da máquina. Também aventou a hipótese do atraso estar ligado a um “aumento das medidas de segurança” adotados pelo tribunal, que chegou a ser alvo de uma tentativa de ataque hacker na manhã de domingo (15/11).

“Houve um atraso na totalização dos resultados por força de um problema técnico que foi exatamente o seguinte: um dos núcleos de processadores do supercomputador que processa a totalização falhou e foi preciso repará-lo”, disse ele na noite de domingo (15/11).

Já na tarde desta segunda-feira (16/11), o TSE passou a culpar a pandemia do novo coronavírus pela lentidão. Segundo o secretário Giuseppe Janino, o avanço da doença atrasou a entrega do equipamento de março para agosto, impedindo que o equipamento fosse preparado corretamente.

De acordo com Janino, apenas dois dos cinco testes previstos foram feitos no equipamento, já com as configurações de software para uso na eleição. Os outros três testes foram realizados antes, em outros equipamentos.

O efeito prático disso é que o supercomputador demorou para “aprender” como contabilizar um grande volume de votos em um prazo curto, o que fez com que a contagem ficasse lenta e, até mesmo, travasse em alguns momentos.

Em entrevista a jornalistas na tarde desta segunda-feira (16/11), Barroso disse ainda o tribunal cometeu um erro de diagnóstico ao atribuir a falha a um problema em um dos núcleos do supercomputador.

Barroso voltou a minimizar os problemas enfrentados pelo TSE na noite de domingo. Ele frisou o fato de que os resultados das eleições estão corretos e são confiáveis — apesar da demora para serem liberados.

“O único impacto desse problema foi o atraso de pouco menos de três horas na divulgação dos resultados que foi feita ainda na noite do próprio dia da eleição. Poucos países do mundo conseguem realizar essa façanha”, disse o ministro.

Apuração centralizada em Brasília

Estas eleições foram as primeiras em que a totalização (isto é, a contagem) dos votos foi centralizada em Brasília — até então, a tarefa cabia aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) dos Estados, inclusive em eleições gerais. A única disputa cuja totalização era feita em Brasília era a de Presidente da República. Todas as outras ocorriam nos Estados.

Inicialmente, Barroso disse “não ter simpatia” pela mudança. Depois, voltou atrás e defendeu a centralização em Brasília — que seria uma recomendação da própria Polícia Federal, para aumentar a segurança do pleito.

“A centralização no TSE, que, na entrevista coletiva anterior eu observei que não tinha simpatia (…) foi uma recomendação da perícia da Polícia Federal, em nome de se prover maior segurança à totalização (…). Foi uma decisão técnica, decorrente de uma recomendação da PF. E embora eu tenha dito anteriormente que não tinha simpatia pela medida, eu também a teria tomado se tivesse sido sob a minha gestão, porque era a recomendação técnica de um relatório minucioso da Polícia Federal”, disse o presidente do TSE.

Instabilidade e ataque hacker

Além da lentidão na apuração, a Justiça Eleitoral também enfrentou outros problemas relacionados à tecnologia da informação durante as eleições municipais deste ano.

O aplicativo de celular e-Título ficou instável durante o dia, e esteve indisponível para pessoas que tentaram usar a ferramenta para justificar o voto, por exemplo.

“Desculpe! Algo saiu errado com sua solicitação. Pedimos a gentileza de tentar acessar este serviço dentro de alguns minutos. Caso o problema persista, verifique sua conexão com a Internet”, dizia a mensagem de erro do aplicativo.

Finalmente, o atraso na apuração se refletiu na liberação dos dados no Repositório do TSE, onde são disponibilizados os dados completos das eleições. Neste caso, as informações só começaram a ser liberadas por volta das 14h desta segunda-feira (16/11).

Durante o domingo, o tribunal também foi alvo de um ataque hacker do tipo DDoS, no qual um grande número de tentativas de acesso são feitas simultaneamente, com o objetivo de derrubar um determinado site ou serviço. O ataque, no entanto, foi debelado pelo TSE com a ajuda de empresas de telefonia.

Segundo a área de tecnologia do TSE, chegou a ocorrer 436 mil tentativas de conexões por segundo ao sistema da Corte, disparadas de Brasil, Estados Unidos e Nova Zelândia.

Em outra ação, um grupo vazou na manhã de domingo (15/11) dados antigos que tinham sido roubados do tribunal, de modo a fazer parecer que os sistemas da Justiça Eleitoral tinham sido corrompidos no dia da eleição — o que não aconteceu.

“Ao mesmo tempo em que esses dados foram vazados, milícias digitais entraram imediatamente em ação tentando desacreditar o sistema. Há suspeitas de articulação de grupos extremistas que se empenham em desacreditar as instituições”, disse Barroso nesta segunda-feira.

BBC

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Se fosse o JB que contratasse sem licitação, seria pau nele até 2026,.
    Mas como é o TSE , pode.

  2. Josmari de Sales Costa disse:

    Se tivesse botado meu pc velhinho e uma planilha do excel tinha dado o resultado mais cedo.

  3. Zé ruela disse:

    Muita explicação

  4. J.Dantas disse:

    E quem vai fiscalizar o judiciário? Deus ou o Diabo?

VAI SOBRAR PRA QUEM? TSE elege 12 em Extremoz-RN, em pleito com 11 cadeiras na Câmara

A Câmara de Vereadores de Extremoz teve seus representantes escolhidos para os próximos quatro anos na eleição deste domingo. Contudo, o Tribunal Superior Eleitoral(TSE) precisa resolver uma questão. São 11 cadeiras na Câmara Municipal, enquanto no resultado oficial são listados 12. Para quem vai sobrar da lista abaixo?

Foto: Reprodução/TSE(PARA CONFERIR NA ÍNTEGRA CLIQUE AQUI)

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João disse:

    É uma pergunta difícil.
    Antigamente quem tinha menos voto sobrava. Hoje com cotas, quociente, impugnações e ações judiciais, vai sobrar pro mais fraco.

  2. Valbjr disse:

    Sobrou professor fabiano

  3. Minion de Peixeira disse:

    Bota 11 cadeiras em círculo. Toca uma música e corta bruscamente, aí todos correm pra se sentar. Que não conseguiur sai.

  4. Calígula disse:

    Vai sobrar para o contribuinte que tem que sustentar essa casta de políticos e seus privilégios.

LEI SECA: Justiça mantém proibição de venda e consumo de bebida alcoólica das 6h às 18h, no dia das eleições no RN

Foto: Reprodução

O desembargador Vivaldo Pinheiro indeferiu mandado de segurança, com pedido de liminar, impetrado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Seccional/RN (Abrasel), que pedia a decretação da inaplicabilidade da proibição da venda de bebidas alcoólicas, pela Secretaria Estadual da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), das 6h às 18h, do domingo, 15 de novembro, dia das eleições municipais de 2020. Ao julgar e rejeitar o pedido contido no mandado, o desembargador observou questões como a manutenção da ordem pública e a atipicidade do momento, com a ocorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19). A decisão é de hoje, 13 de novembro.

A entidade insurgiu-se contra a Portaria n° 107/2020 – GS/SESED, de 9 de novembro, publicada pelo secretário estadual da Segurança Pública e da Defesa Social, que estabelece a suspensão da comercialização e consumo de bebidas alcóolicas no Estado, durante o período de horas acima mencionado.

A decisão do desembargador Vivaldo Pinheiro chama a atenção de que em alguns Municípios do Estado, com os ânimos acirrados da população, “há o evidente risco da prática de infrações penais, estimuladas pela ingestão de bebidas alcoólicas, razão pela qual, reputo válido o exercício do poder de polícia pela autoridade apontada como coatora, não observando contrariedade ao princípio da legalidade (art. 5º, II, da CF/88), uma vez que deve prevalecer, acima de tudo, a segurança da coletividade”, frisa o desembargador.

Matéria completa AQUI no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Macena disse:

    Parabéns ao Desembargador, Vivaldo Pinheiro. Fez o correto: Indeferiu. João Macena.

Governo vai utilizar mais de 8 mil agentes da segurança pública nas eleições no RN

Fotos: Elisa Elsie

Policiais militares e civis, bombeiros e técnicos do Itep vão atuar em todo o Estado em ações integradas com Forças Armadas, Polícia Federal e Guardas Municipais

O Governo do RN vai empregar mais de 8 mil agentes na operação de segurança para as eleições deste domingo (15). Os agentes de segurança estarão nas ruas nos 167 municípios. O estado tem 1.539 locais de votação e 2,4 milhões de eleitores que terão a segurança garantida pelas forças estaduais, municipais e federais.

“Estaremos em todo o estado com 8.200 mil homens e mulheres da Polícia Militar para garantir a eleição. Deste total cerca de 3 mil estarão em trabalho extraordinário com pagamento de diárias pelo Governo no valor de R$ 2,5 milhões. Este esforço é para garantir o direito da população de exercer a democracia e escolher seus representantes”, afirmou a governadora Fátima Bezerra em entrevista coletiva aos veículos de comunicação na manhã desta sexta-feira, 13, no auditório da Governadoria. “A eleição é um dos momentos mais significativos da democracia, quando a população exerce seu legítimo direito de escolha. Cabe ao estado assegurar os meios e a segurança para isso. Mobilizaremos, inclusive, os mil policiais militares formados nesta semana”, acrescentou a governadora.

O reforço na segurança vai contar com o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) agilizando as informações e ações diante das possíveis ocorrência e necessidade de intervenção. A Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) também vai fiscalizar o cumprimento da Lei Seca, que proíbe a venda e consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos no horário das 6 às 18 horas do domingo, dia15. O secretário estadual de Segurança, Francisco Araújo alertou que quem descumprir a Lei Seca será detido e conduzido à delegacia de polícia. O sistema de segurança do Estado (PM, PC, CBM, Itep e Seap) estará atuando integrado às Guardas Municipais em 30 municípios e às Forças Armadas e Federais em 113 municípios.

O policiamento ordinário e o patrulhamento de rotina estarão mantidos pela Polícia Militar. O comandante da PM, coronel Alarico Azevedo confirmou o emprego de todo o efetivo, sendo 3 mil policiais em trabalho extraordinário. “O policiamento começa hoje, permanece amanhã e domingo. Todo nosso efetivo estará em ação cobrindo todo o estado que é subdividido no policiamento da região metropolitana de Natal, policiamento do interior e policiamento rodoviário estadual”, explicou Alarico.

A Polícia Civil também vai atuar com todo o seu efetivo de 650 agentes. No domingo todas as delegacias estarão abertas para o trabalho ordinário e o extra para a eleição. “As delegacias regionais funcionarão no domingo, assim como todas as delegacias em sede de comarca. Algumas cidades contarão com reforço especial. Vamos atuar em parceria com Polícia Federal em Natal, Mossoró, Caraúbas, Pau dos Ferros, Caicó e João Câmara”, afirmou o delegado geral adjunto da Polícia Civil, Ben-Hur Medeiros.

O Corpo de Bombeiros Militar estará também em prontidão, inclusive disponibilizando viaturas extras para atender possíveis ocorrências em todo o Estado como combate e prevenção a incêndio e pânico, atendimento pré-hospitalar de urgência, salvamento e outras atividades previstas, nos locais de votação ou em quaisquer outras áreas, caso necessário. “Estamos integrados a este esforço determinado pela governadora para garantir a tranquilidade nas eleições”, registrou o comandante da corporação, coronel Luiz Monteiro.

O Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) terá plantões em Natal e Mossoró. O diretor geral Marcos Brandão afirmou que o órgão atuará com equipes de criminalística e perícia para identificação de documentos falsos, possíveis fraudes e irregularidades.

A entrevista coletiva contou ainda com a presença do vice-governador, Antenor Roberto, do secretário de Estado da Administração Penitenciária, Marcos Brandão, comandantes do policiamento da região metropolitana de Natal e do interior, coronéis Raimundo Aribaldo e Castelo Branco, comandante do policiamento rodoviário estadual, coronel Kenedy, além dos diretores de Polícia Civil no interior, delegado Inácio Rodrigues e na Grande Natal, delegado Marcos Geriz.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Tem que ter muita segurança mesmo, afinal estamos elegendo quem vai nos roubar, com algumas exceções é claro .
    Eita Brasil Véio sem jeito.
    O único a dá jeito é o Véio Bolsonaro.

Abrasel entra com mandado de segurança contra a “Lei Seca” no domingo das Eleições no RN

Foto: Pixabay

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/RN) ingressou com mandado de segurança com pedido de liminar no Tribunal de Justiça contra portaria da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesed) que proibiu a comercialização de bebidas alcoólicas no horário das 6h às 18h, a conhecida “Lei Seca” em virtude do domingo das Eleições Municipais, no próximo dia 15.

A entidade argumenta que “cumpre dizer que tal proibição, ausente de amparo legal, fere tanto a validade da resolução, quanto a competência coerente para criação da criminalização da ação. Primeiramente, pelo fato de não existir nenhuma disposição legal, seja no Código Eleitoral ou Lei de Eleição, seja no Código Penal que atue proibindo tal atuação, acarretando como reflexo a total incoerência do estabelecimento de uma resolução, tendo em vista que esta tem como função exemplificar e complementar uma lei já existente”, diz a peça.

O mandado de segurança, que foi distribuído por sorteio ao desembargador Vivaldo Pinheiro, requer a ilegalidade da proibição, uma vez que se trata de atos inconstitucionais e desamparados pela norma jurídica.

Número do Processo: 0810007-88.2020.8.20.0000
Justiça Potiguar

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    Agora está escancarado…

    Querem acabar com as leis desse país e desmoralizar a nação!

    Só faltam pedir fim das penalidades dos pedófilos, drogas e aborto…

    O julgamento do Criador dos Céus e da Terra será justíssimo…a maldade que ele permitirá cair no povo!

UTILIDADE PÚBLICA: Itep amplia horário de atendimento para atender demanda às vésperas das eleições

Foto: Divulgação

O Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (ITEP/RN) está com o horário de atendimento estendido nesta quarta (11), quinta (12) e sexta-feira (13) para atender ao grande fluxo de pessoas que procuram o órgão para solicitar a emissão de carteiras de identidade, principalmente em razão das eleições municipais que acontecem no domingo (15).

Excepcionalmente para estes dias que antecedem à eleição, foram ampliados de 8h às 18h os atendimentos presenciais na sede do Itep, em Natal, que funciona no bairro da Ribeira, e nas Centrais do Cidadão das cidades de Mossoró e Pau dos Ferros, além da Regional do Itep, em Caicó. Somente para estes locais, e em razão do mutirão que está sendo realizado, não é necessário fazer agendamento prévio.

Em dias normais e em outros locais que não os citados acima, o atendimento funciona de 8h às 13h, com a necessidade de agendamento no site do órgão.

Para se ter ideia de como a procura pelo serviço aumentou nestes últimos dias, foram emitidos entre o período de 1º a 10 deste mês, mais de 9 mil Registros Gerais (RGs), como são chamadas as carteiras de identidade. Ou seja, em 10 dias, foram feitas mais de 60% da quantidade de RGs emitidos ao longo de todo o mês de outubro, que totalizou cerca de 15 mil identidades.

A direção do Instituto de Identificação do Itep orienta às pessoas que, ao se dirigirem a um posto de atendimento do órgão, prestem a atenção se estão levando toda da documentação exigida para a emissão de uma carteira de identidade, que é a seguinte: Certidão de Nascimento ou Casamento (original); Duas fotos 3×4 e CPF.

O que fazer e onde ir para emitir uma carteira de identidade

Qualquer cidadão brasileiro, nato, pode solicitar uma carteira de identidade (1ª, 2ª ou 3ª via). Basta agendar o atendimento, que é feito pela internet diariamente a partir das 12h (central.rn.gov.br).

Após o agendamento, o sistema irá direcionar o solicitante a um dos postos de atendimento do Itep, que funcionam nas Centrais do Cidadão. São 20 em todo o Rio Grande do Norte. As Câmaras Municipais de Vereadores também oferecem o serviço.

Secretário de Estado de Trump fala em ‘segundo mandato’ do presidente e tensão cresce nos EUA

Donald Trump, acompanhado de seu secretário de Justiça, Mike Pompeo, no Salão Oval Foto: ALEX EDELMAN / AFP

A vitória de Joe Biden foi confirmada segundo projeções há quatro dias e, até agora, não há sinais de que Donald Trump pretenda reconhecer sua derrota, deixando os Estados Unidos à beira de um impasse.

Nesta terça, em entrevista coletiva, o secretário de Estado, Mike Pompeo, se tornou a pessoa com mais alto cargo, além de Trump, a pôr em dúvida a vitória do democrata, afirmando que haverá um segundo mandato do republicano.

— Haverá uma transição tranquila para um segundo governo Trump — disse Pompeo em entrevista coletiva.

A tensão política cresceu na noite de segunda-feira, após o Departamento de Justiça autorizar inquéritos federais para apurar supostas fraudes eleitorais denunciadas pelo presidente, mesmo sem quaisquer provas de sua existência.

A decisão de William Barr, o secretário de Justiça, gerou repúdio dentro de seu próprio departamento. O diretor do braço responsável por crimes eleitorais, Richard Pulge, pediu demissão e, em um e-mail para colegas, afirmou que a conduta do secretário “revoga uma política de não interferência de 49 anos para investigações de fraudes eleitorais”, que são apuradas primeiro pelos tribunais estaduais.

Enquanto a alta cúpula republicana no Congresso apoia a cruzada jurídica do presidente, outros grupos dentro do partido começam a repudiar a conduta do presidente e de Barr. Quatro ex-secretários de Segurança Nacional dos governos de George W. Bush e Barack Obama assinaram um comunicado afirmando que as eleições foram justas e que as tentativas de Trump de questionar o resultado da eleição não devem impedir a transição.

Em outro comunicado, ex-funcionários do Departamento de Justiça, entre eles o ex-conselheiro de Segurança Nacional de George W. Bush, Ken Wainstein, lembraram que “os eleitores decidem a eleição, não o secretário de Justiça”.

“Não vimos absolutamente quaisquer evidências de nada que possa impedir a certificação dos resultados, que é algo que cabe aos estados, não ao governo federal”, afirmaram. “O povo americano falou claramente, e agora o país precisa se mover em direção a uma transição pacífica de poder.”

Nos próprios escritórios de advocacia que representam Trump, diz o New York Times, há preocupações sobre os riscos do comportamento do presidente. Em duas das maiores firmas do país, a Jones Day e a Porter, Wright, Morris & Arthur, houve reuniões internas sobre o assunto. Ao menos um advogado se demitiu em protesto.

Apoio republicano

Se nos anos 1970, conforme ficava claro que Watergate custaria o mandato de Richard Nixon, uma série de parlamentares e lideranças republicanas foram à Casa Branca afirmar que não apoiariam o presidente, desta vez o cenário é outro na alta cúpula republicana no Congresso. As principais figuras do partido não fazem quaisquer esforços públicos para convencer o presidente a admitir a derrota e espalham a desinformação.

Enquanto reconhecem como legais os resultados na Câmara e no Senado, onde os republicanos tiveram ganhos, questionam a vitória de Biden na disputa pela Presidência. O poderoso líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, disse nesta terça que o comportamento do presidente “não é motivo de alarme”:

— Não é incomum, não deveria ser alarmante — ele afirmou, em entrevista coletiva. — Em algum momento, nós saberemos, finalmente, quem foi certificado vencedor em cada um destes estados, o Colégio Eleitoral determinará o vencedor e esta pessoa tomará posse em 20 de janeiro. Não há razão para alarme.

Parte desta retórica deve-se a tentativas de manter a base mobilizada até as eleições especiais na Geórgia, que determinarão qual partido terá a maioria no Senado. Como nenhum candidato obteve mais da metade dos votos, haverá um novo pleito em 5 de janeiro.

Kelly Loeffler e David Perdue, os dois pleiteantes republicanos, vieram a público demandar a saída do secretário de Estado local, o republicano Brad Raffensperger, após ele defender a integridade da eleição. Biden lidera no estado sulista, um antigo reduto republicano, por uma margem pequena de votos — resultado de um esforço do Partido Democrata para registrar mais eleitores negros e diminuir a supressão de votos.

Raras vozes dissonantes dentro da sigla, como o senador Mitt Romney, afirmam que é necessário convencer Trump a recuar, visando a saúde da democracia americana, mas o presidente não dá quaisquer sinais de que pretende mudar de posição. Pelo contrário, a chefe da agência responsável por liberar as verbas para que a transição de governo possa começar oficialmente, Emily Murphy, ainda sequer o fez.

Processos judiciais

Trump já se declarava vencedor antes mesmo do resultado oficial ser anunciado, retórica que só endureceu após a confirmação da vitória de Biden. Ao se recusar a admitir a vitória do adversário, o presidente põe em xeque princípios básicos de uma democracia saudável, argumentou o comentarista político do site Vox, Ezra Klein. Para o jornalista, autor do livro “Por que estamos polarizados?”, Trump tem poucas chances de ter sucesso em seus avanços, mas isto não significa que eles não sejam perigosos.

“Milhões acreditarão em Trump, verão as eleições como roubadas”, ele disse. “É a construção de uma realidade alternativa confusa, em que a eleição foi roubada de Trump e republicanos fracos estão deixando os ladrões escaparem.”

Trump lança mão de uma série de processos judiciais, até o momento mal-sucedidos, tentando convencer tribunais a deslegitimar votos favoráveis a Biden nos estados-chave e pedir recontagens. Em paralelo, seus advogados fazem pressão no sistema Judiciário, onde o presidente realizou uma revolução conservadora nos últimos três anos e meio — nos EUA, juízes federais são nomeados pela Casa Branca.

Eles miram os votos pelo correio, que tiveram adesão maciça entre os democratas neste ano, diante das limitações impostas pela pandemia. Diante do recorde de 65 milhões de votos por esta modalidade, vários estados estenderam o limite para a entrega de votos postados dentro do prazo pré-estabelecido, evitando que atrasos nos correios impedissem sua aferição. São estes os votos que Trump falsamente diz serem “ilegais”.

As cédulas nestas condições, no entanto, seriam insuficientes para reverter a margem de Biden. Em 2016, Trump ganhou os estados de Michigan, Pensilvânia e Wisconsin por um total de 80 mil votos somados. Neste ano, Biden já soma uma vantagem que ultrapassa 214 mil votos nestes estados. Nos outros três estados em que ainda não é possível projetar o vencedor, Biden lidera no Arizona e na Geórgia, e Trump apenas na Carolina do Norte.

2020 não é 2000

Haverá recontagem ao menos em Wisconsin e na Geórgia, onde a margem entre os candidatos é pequena. Grandes mudanças, no entanto, são improváveis: segundo a agência Associated Press, houve ao menos 31 recontagens estaduais desde 2000. Delas, apenas três mudaram o resultado da eleição, todas elas com margens inferiores a 300 votos. Em ambos os estados, a diferença entre os candidatos é superior a 10 mil votos. Na Pensilvânia, os republicanos demandam uma auditoria. Lá, a diferença entre os candidatos é superior a 45 mil votos.

A situação também é diferente da de 2000, quando a disputa acabou sendo decidida só em dezembro. Naquele ano, a vitória no Colégio Eleitoral do republicano George W. Bush ou do democrata Al Gore ficou dependendo do resultado apenas de um estado, a Flórida. Na época, a Suprema Corte determinou em 12 de dezembro a suspensão da recontagem no estado, onde Bush ganhou por apenas 500 votos, o que lhe garantiu a Presidência com 271 votos no Colégio Eleitoral, contra 266 de Gore. Agora, Biden já tem garantidos 279 votos no Colégio Eleitoral, nove a mais do que os necessários para a vitória.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. BurroMinion disse:

    Iludindo os Minions de lá…kkkkkkk
    Mas é bom pra gente sorrir…se entrega não Donald…se amarra na escada, chora, esperneia, grita…
    (Ah, e prepara os bolsos, são 900 milhões de dólares pra pagar em impostos atrasados)..
    😂😂😂😂😂😂😂

    • Chico 200 disse:

      O jogo vai virar. A alegria dos comunas vai acabar kkk.
      Globo é globo, CNN, a Globo americana. Só sai globo e CNN.

  2. José Macedo disse:

    Bg coloque reportagem de canais que defendem a recontagem e as provas que eles indicam.
    Sugiro ser mais democrático,

    • Rômulo© disse:

      Colocar o quê? As fakenews que você recebe pelo Gabinete do Ódio? Se está curioso, e não confia na imprensa nacional, vá colher na fonte! Procure fontes de informação dos EUA!

  3. Zé ruela disse:

    O Globo não tem isenção. Essa narrativa tenta induzir as pessoas a criticarem um direito legítimo do atual presidente. Por que não apurar? Por que o medo? Por que o medo da transparência?

  4. #Bolsonaro tem razão disse:

    Hô Galegão invocado, Hô homão corajoso, Hô Galegão brabo.
    Donald Trump presidente.

  5. Luladrão Mor da Silva disse:

    Como diz a DesGovernadora Fátima Bezerra PT, é gopi

  6. João Juca Jr disse:

    Quando os democratas contestaram o resultado das eleições em 2000, não houve essa confusão toda. Se a legislação permite a recontagem dos votos, qual é o problema?

  7. Edison Cunha disse:

    Aguardemos os resultados das investigações do FBI.

  8. Severino disse:

    BG, se possível, coloque um reportagem que mostre o lado favorável ao posicionamento de Trump. Há vários
    relatos e denúncias de fraudes, inclusive com mortos votando. Sabemos que a Globo é pró-Biden.

  9. Manoel disse:

    Fascistas, golpistas e essa turma da direita são assim.

    • Marcelo Dantas disse:

      Por isso que seu nome é Manoel kkkkkk burro demais…. Deve ser português

Candidato a prefeito de Extremoz, Eduardo Motta visita Guararapes e reforça compromisso com a capacitação e a geração de emprego

Indústria consolidada no segmento têxtil nacional, o Complexo Industrial da Guararapes, localizado no Distrito Industrial de Extremoz, que atualmente emprega mais de 800 trabalhadores da cidade, recebeu nesta segunda-feira, 09, a visita do candidato a prefeito, Eduardo Motta (PSDB). O candidato foi recebido pelo diretor industrial Jairo Amorim.

“A Guararapes é um patrimônio do Rio Grande do Norte”, destacou Eduardo Motta, lembrando que a empresa também caminha na mesma direção do seu plano de gestão. Através da criação do Pró-Extremoz, um programa de desenvolvimento econômico e social, Eduardo Motta pretende gerar mais empregos, estimulando a implantação de facções na área de confecções no município.

“A fábrica da Guararapes gera em torno de 10 mil empregos no Estado e vamos crescer juntos. O nosso governo irá promover a capacitação e a profissionalização dos trabalhadores, ampliando o acesso ao mercado de trabalho, tirando centenas de jovens do subemprego, principalmente”, concluiu Eduardo Motta, que esteve na indústria ao lado do seu vice-prefeito, Neto (MDB).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eleição disse:

    É Jussara, a futura prefeita de Extremoz!!

Eleições nos EUA: Biden passa Trump na Pensilvânia e se aproxima de vitória

Foto: Carlos Barria / Reuters; Jonathan Ernst / Reuters

O candidato democrata Joe Biden passou o presidente Donald Trump na Pensilvânia nesta sexta-feira (6). Caso Biden vença neste estado, vai ultrapassar os 270 votos necessários para ser eleito presidente dos Estados Unidos no Colégio Eleitoral.

A virada na Pensilvânia ocorre em meio a uma série de processos impetrados na Justiça pela campanha de Trump para interromper a apuração em alguns estados e até mesmo recontar votos.

De acordo com as apurações parciais em estados-chave, além de cálculos estatísticos e demográficos sobre a proporção de urnas ainda não apuradas, já não é mais possível para Trump chegar a 270 delegados no Colégio Eleitoral.

A demora na apuração e a virada de Biden em alguns estados é explicada pela votação por correio. Boa parte dos eleitores republicanos foi às urnas presencialmente e, por isso, tiveram votos computados primeiro. Já os eleitores de Biden votaram massivamente pelo correio, o que atrasou a computação dos votos.

Conforme eles iam sendo contabilizados, Biden virou o jogo, primeiro em Michigan e em Wisconsin, na quarta-feira (4), e na Pensilvânia, nesta sexta.

A apuração, no entanto, continua. Biden ainda lidera em Nevada e no Arizona e está tecnicamente empatado com Trump na Geórgia. O presidente lidera no Alasca e na Carolina do Norte.

Caso essa tendência se confirme, o democrata pode ampliar sua vantagem no Colégio Eleitoral. Isso enfraqueceria politicamente a estratégia de Trump de contestar o resultado das eleições na Justiça. Nessa quinta, juízes de Michigan, Geórgia e Filadélfia rejeitaram pedidos da campanha republicana para paralisar a apuração.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jd disse:

    Já já os bolsonaros vão dizer q são amicíssimos do novo Presidente! E os idiotas vão acreditar…..

  2. Ana disse:

    Caiu o pai da mentira, o filho (Bozo) será o próximo…
    Vá de retro, satanás!

  3. Rancho Americano 🇺🇸 Do Açoite disse:

    Tic tac…

  4. Priscilla Moraes disse:

    Queria ver a cara do Bolso vendo a inspiração dele ser vencida… rs

    • Edilson disse:

      Biden novo presidente

      Passe a régua e traga a conta

    • Fernando disse:

      Só espero que agora não queira ser amigo dos ditadores maduro, sandinistas da Nicarágua, de cuba, todos do continente africano, e empreste o dinheiro do trabalhador brasileiro como fizeram os petralhas, e ainda leve um calote deles. Aí vou dizer que não é pouco burro como a esquerdalha

ELEIÇÕES NOS EUA: ‘Acho que vamos ter uma ótima noite’, diz Trump

(Foto: Saul Loeb/AFP)

Trump fez um discurso otimista no comitê nacional do Partido Republicano, na Virgínia, na tarde desta terça (3).

“Ouvi dizer que estamos indo muito bem na Flórida e no Arizona. Estamos indo muito bem no Texas. Estou ouvindo que estamos indo bem “, disse Trump. “Acho que teremos uma ótima noite.”

Mais cedo, Trump disse à Fox News que só vai declarar vitória “quando houver vitória”.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PEDRO VERDADEIRO. disse:

    Não senhor, quem tem sonhos eróticos com Nove Dedos é Pixuleco, Touro Tungao e Manoel Mané, ninguém rouba isso deles.

  2. JonPiti disse:

    Esse Trampi é bixo doido da bobônica, quem num quisé cai que s deite, o galego sarará vem cum a mulesta dos 🐕

  3. Val Lima disse:

    A noite reserva "surpresas" para Donald…

  4. Calígula disse:

    Hô Galegão invocado, ele é o cara e Lula continua sendo um ladrão condenado.

    • Boiadeiro disse:

      Fala a verdade, a noite vc tem sonhos eróticos com o Lula?

    • Aluísio Valença disse:

      Nos sonhos ele mostra pro Lula aonde foi parar o dedo que ele perdeu.