Zenaide defende adiamento das eleições

Foto: Divulgação

Em debate do Senado nessa quarta-feira (17), a senadora Zenaide Maia (Pros-RN) defendeu o adiamento das eleições municipais, por causa da pandemia da covid-19. “Como médica, infectologista, eu não acredito que a gente possa fazer essa eleição na data normal, em outubro”, opinou a parlamentar. Zenaide lembrou que as campanhas de prefeitos e vereadores são as que mais envolvem o contato direto do candidato com o eleitor, em eventos públicos que pressupõem aglomerações, o que coloca a população em risco de contaminação pelo Coronavírus: “É a eleição feita corpo-a-corpo, então, o bom senso manda adiar”, opinou Zenaide, que falou pela liderança de seu partido e cuja opinião foi compartilhada por vários parlamentares.

O Congresso analisará propostas de emenda à Constituição sobre a possibilidade de mudar o calendário eleitoral deste ano. No Senado, todas as propostas serão analisadas em conjunto com a PEC 18/2020, que trata do assunto e sugere a transferência do primeiro turno das eleições para o dia 06 de dezembro.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Pois é, a [eleição] dela já está garantida até 2026!

  2. nasto disse:

    Deviam transferir o dinheiro da campanha deste ano para outras prioridades. Fazer eleições gerais em 2022 e acabar com essa negociata de eleição de 2 em 2 anos. Gastar dinheiro nosso a toa. Acabar com esse negócio de ser vereador e querer ser deputado e vice versa. ELEIÇÔES GERAIS em 2022 e estamos conversados . Quem for fraco que se QUEBRE. Com isso poderia voltar um pouco a credibilidade aos políticos. Não aos profissionais.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      E a cereja no bolo seria o fim das nomeações políticas para as cortes superiores de justiça. Ingresso só através de concurso público de provas e títulos (a verdadeira MERITOCRACIA).
      Mas, infelizmente, o Presidente (assim como os seus antecessores) não está interessado nisso, quer manter o mesmo sujo, só que agora com as suas regras.

Maioria no Congresso se manifesta pelo adiamento das eleições municipais

Foto: Reprodução/Twitter

Na reunião com a presença de 18 líderes da Câmara e 8 líderes do Senado, nesta terça-feira(16) com os presidentes das casas do Congresso Nacional, a maioria manifestou-se pelo adiamento das eleições municipais para 15 de Novembro (1ºTurno) e 29 de Novembro (2ºTurno). As informações são do senador Jean Paul Prates, através do microblog Twitter.

‘Não pretendo apoiar prefeito em lugar nenhum’, diz Bolsonaro sobre eleições

Foto: Reprodução/CNN Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (2) que não pretende apoiar prefeitos nas eleições municipais deste ano, previstas para ocorrer em dois turnos, nos dias 4 e 25 de outubro.

O comentário foi feito na portaria do Palácio da Alvorada ao responder a um apoiador que questionou se o presidente endossaria a campanha de algum prefeito.

“Não pretendo apoiar prefeito em lugar nenhum, não pretendo, [vou] deixar bem claro, não pretendo”, afirmou o presidente.

Após insistirem no assunto, ele complementou sua resposta: “Não tenho partido, pra exatamente para não me meter em política este ano. Tenho muito trabalho aqui em Brasília pra entrar em eleições municipais”.

Possibilidade de adiamento

O possível adiamento das eleições municipais deste ano ainda é tema de discussão entre os especialistas e autoridades brasileiras.

O tema está na mesa do novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, e deve ter uma decisão até o fim de junho.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MORO 2022 disse:

    O Deputado Coronel Azevedo hoje está na oposição de Bolsonaro. PSC de Vitzel e Azevedo deverá ter candidatos fortes sem precisar do apoio do presidente.

  2. Danilo disse:

    Doido é quem quer o apoio dele. Ladeira abaixo

  3. Lulao disse:

    Sabe porque ele nao vai apoiar nimguem pq o golpe nao saiu do pensamento dele e nao tera eleiçoes para prefeito … sendo assim ele indicara os militares para assumir as prefeituras.
    Acorda gado mascarado.

  4. Manoel disse:

    Sabe q perdeu o encanto q só consegue actualmente iludir o gado. Nem o centrão q o imbecil apoiando os seus candidatos.

  5. Antonio Turci disse:

    "Esposando" a ala mais podre do Centrão o Presidente logo enfrentará denúncias e comprovações de corrupção no seu Governo. Triste ver o Presidente perdendo adeptos que acreditaram que ele traria uma nova forma de fazer política. Mas o que estamos vendo é o nivelamento, por baixo, do seu governo.

  6. José disse:

    Muito simples: quem ele apoiar , perde . Já está se blindando contra os desgastes . Agora e só ladeira abaixo até o
    Impeachment ou a derrota em 2022.

    • bolsonora junior disse:

      que mundo vc vive?

    • Silva Santos disse:

      Uma coisa são seus desejos. Outra coisa é o que acontece no mundo real. Vejo muitos vivendo num universo paralelo, alheios à realidade que os cerca. E quando os fatos atropelarem seus desejos? O impeachment não acontecendo e Bolsonaro sendo reeleito em 2022?

Unificação das eleições em 2022 traria ‘inferno gerencial’ ao TSE, diz Barroso

Foto: Jorge William / Agência O Globo

Eleito para comandar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a partir do fim deste mês, o ministro Luis Roberto Barroso afirmou hoje que unificar as eleições municipais e nacionais traria um “inferno gerencial” ao TSE. O ministro já afirmou em diversas ocasiões ser contra o adiamento das eleições municipais para 2022, o que coincidiria com o pleito para a escolha de representantes no âmbito nacional.

Segundo Barroso, o consenso no TSE é de evitar prorrogação de mandatos, mas, caso seja necessário adiar as eleições por causa da pandemia do novo coronavírus, que seja pelo “mínimo inevitável”. Durante uma transmissão ao vivo promovida pela Academia Brasileira de Direito Constitucional (ABDConst), o ministro também avaliou que a unificação seria “extremamente confusa” para o eleitor, além de levar a uma sobreposição dos debates nacionais e locais.

– Ou se vão nacionalizar as eleições municipais, ou vice-versa, se vai municipalizar a eleição nacional. Qualquer uma das duas hipóteses é ruim, sem mencionar o inferno gerencial que seria essa coincidência para o TSE. Nós já estimamos 750 mil candidatos para as eleições agora de 2020, somente para as eleições municipais. Se nós somarmos a esse número os milhares de candidatos das eleições para presidente, governador, senador, deputado federal, deputado estadual e vereador nós estaremos criando uma dificuldade muito grande para o processo eleitoral – pontuou o ministro.

Caso as eleições fossem unificadas, o eleitor teria de escolher representantes para oito cargos (presidente da República, governador, senador, prefeito, deputado federal, deputado estadual e vereadores). O ministro também voltou a dizer que qualquer decisão para adiamento das eleições deve passar pelo Congresso, já que seria necessário uma alteração à Constituição, que prevê eleições no primeiro domingo do mês de outubro a cada quatro anos.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlão disse:

    Uma justiça eleitoral que mal trabalha, que poderia ser apenas uma vara na JF, com elasticidade de servidores.
    Brasilzão, atacam a justiça trabalhista e protegem a eleitoral.

  2. Antonio Turci disse:

    Pode ser, sim, desde que o TSE não se reestruture. Seria ótimo se o Ministro Barroso encampasse a ideia da unificação. Assim o país não teria que parar, a cada dois anos.

Em razão da pandemia, Congresso discutirá adiamento de eleições e prorrogação de mandatos

Foto: © Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O debate sobre adiamento das eleições municipais, ainda marcadas para outubro, vai esbarrar em um outro: o de prorrogação dos atuais mandatos.

“Não vejo perspectiva e condições de eleição em outubro deste ano. A atipicidade da situação autoriza pensarmos na prorrogação de mandatos e coincidência de eleições em 2022”, disse a O Antagonista o líder do DEM no Senado, Rodrigo Pacheco.

Como o site noticiou mais cedo aqui, toda essa discussão ficou para ser feita, inicialmente, em junho, quando as lideranças partidárias acreditavam que a pandemia já fosse estar em declínio. Mas hoje, 8 de maio, não há garantia alguma desse prognóstico.

Veneziano Vital do Rêgo, líder no Senado de bloco partidário com PSB, Patriota, Cidadania, Rede, PDT e PSB, defende eleições em dezembro:

“Caso não haja condições de realizarmos as eleições em outubro, transferiremos o pleito para o mês de dezembro. Mas não dá para fazer uma eleição eminentemente virtual, não seria uma eleição plena.”

Nos bastidores, se dá como certo que as eleições não ocorrerão em outubro.

“Se a pandemia não tiver entrado numa curva de declínio, será impossível fazer a eleição em outubro. Vamos esperar a primeira quinzena de junho para ver se a gente tem alguma mudança na curva. O correto seria adiarmos, sempre respeitando os 45 dias para campanha. Sou contrário à prorrogação dos mandatos, as pessoas foram eleitas para quatro anos”, afirmou o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio.

O Cidadania também é contra cogitar prorrogação dos mandatos atuais.

“O Cidadania é contra qualquer prorrogação de mandatos ou qualquer alteração no calendário eleitoral que signifique quebrar a alternância democrática das eleições. O calendário pode ter ajustes, estamos abertos a isso, mas as eleições precisam ser realizadas neste ano”, disse o deputado Arnaldo Jardim, líder da bancada na Câmara.

A senadora Eliziane Gama, líder do Cidadania no Senado, concorda: “Ainda temos tempo. Agora, o momento é de enfrentamento da pandemia. Acho provável o adiamento das eleições, mas prorrogar mandatos é debate que definitivamente não cabe”.

Luís Roberto Barroso, que presidirá o Tribunal Superior Eleitoral durante as eleições, disse que o Congresso é que decidirá sobre o tema. Otto Alencar, líder do PSD no Senado, defende que o TSE tem condições de adiar as eleições.

“Isso aí é decisão do Tribunal Superior Eleitoral. Acho que em novembro e em dezembro estaremos numa fase de mais silêncio epidemiológico. Mas se a pandemia continuar em expansão, terá de ser feito o debate da prorrogação de mandatos que, a meu ver, só poderia ocorrer por meio de nova Assembleia Constituinte. Espero que isso não venha a acontecer”, afirmou.

O senador Alvaro Dias, líder do Podemos, acredita que uma decisão só poderá ser tomada na segunda quinzena de julho.

“Se houver flexibilização do isolamento e a maioria dos brasileiros voltar para o trabalho e para as ruas, não haverá razão para o adiamento. Se ocorrer agravamento da situação, o bom senso certamente recomendará o adiamento.”

O Novo não considera “democrático” falar em prorrogação de mandatos.

“Sou favorável a realizar a eleição neste ano, de forma a garantir que as durações dos mandatos sejam respeitadas. Adiar por um ou dois meses, se necessário, por conta da pandemia, não vejo problema. Agora, prorrogar mandatos não seria democrático”, disse o deputado Paulo Ganime, líder do partido na Câmara.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José disse:

    Vamos aproveitar e acabar com a reeleição para todos os cargos.

  2. Almir Dionísio disse:

    o mais lógico, prorrogar e realizar uma eleição única em 2022, sem possibilidade de reeleição, isto seria o mais lógico e unificar as eleições p evitar esse derrame de dinheiro a cada 2 anos e a mamata de reeleição.
    Lógico q os políticos irão querer que tenha pq é uma chance de usar dinheiro público.
    A população deveria exigir essa unificação e se persistirem em ter, ninguém comparecer as urnas.
    Essa seria uma lição p esses políticos aproveitadores, mais falta consciência da população.

Com a possível transferência das eleições, vencedores tomarão posse sem contas julgadas

Foto: Pedro Kirilos / Agência O Globo

Até o fim de maio, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vão decidir se as eleições municipais serão mantidas para o dia 4 de outubro ou serão adiadas. De acordo com um dos ministros, se o isolamento social se estender por mais tempo, a tendência é transferir o pleito para fim de novembro – provavelmente no último domingo do mês, dia 29 – com o segundo turno marcado para 15 de dezembro. Neste caso, os candidatos serão diplomados antes de terem as contas de campanha julgadas pela Justiça Eleitoral.

O ministro disse que a discussão sobre as alternativas está sendo conduzida pelo presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso. Pelo calendário regular, o candidato, depois da eleição, tem 30 dias para fazer a prestação de contas (se tiver segundo turno, 20 dias a partir desta data). Cumprida a exigência, a Justiça Eleitoral tem que julgar todas as contas dos eleitos (só dos eleitos), para diploma-los. Sem julgar contas, não diploma e não pode dar posse. Com as novas datas, esse processo ficaria comprometido, uma vez que a posse dos prefeitos e vereadores eleitos está prevista para o dia 1º de janeiro.

O ministro garantiu que a possibilidade de adiamento das eleições municipais para 2022, como pleiteiam alguns partidos políticos, está praticamente descartada. Ele disse que seria inconstitucional prorrogar os mandatos dos atuais prefeitos e vereadores. Pela discussão conduzida por Barroso, incluindo os ministros que ainda tomarão posse no TSE antes do pleito, a melhor alternativa é um curto adiamento das eleições, por intermédio de um Projeto de Emenda Constitucional (PEC), ainda que o eleito seja diplomado sem a prestação de contas. “É preferível isso do que adiar para 2022”, disse o ministro.

Pelas regras eleitorais, o Ministério Público, qualquer candidato, partido político ou coligação tem prazo de 15 dias, após o julgamento da prestação de contas dos eleitos, para pedir a impugnação do mandato por falhas no financiamento e nos gastos da campanha. A prestação de contas é apontada como uma base fundamental para colher os elementos de provas nas ações de impugnação com fundamento no art. 30-A da Lei nº 9.504/97 (lei que estabelece as normas para as eleições).

Um experiente membro do Ministério Público eleitoral alega que, se o objetivo é o de transferir o pleito para o final de novembro, é razoável que o TSE também amplie o prazo para a impugnação de candidaturas. O problema é que, ao contrário da transferência de data, feita por intermédio de uma PEC, a mudança dos prazos de impugnação teria de ser feita em legislação ordinária, e os ministros do TSE temem encontrar dificuldade de convencer os parlamentares a fazer essa concessão.

As negociações sobre a transferência de datas envolvem os presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Os ministros estão preocupados porque as datas mais críticas, como o teste das urnas eletrônicas, estão se aproximando. A princípio, ficou acertado que a palavra final não será dada antes de maio.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jr Macedo disse:

    Passando por cima da lei com a desculpa de não adiar as eleições para não infringir a lei.

    #UnificaJa

Parlamentares e dirigentes partidários estimam adiar 1º turno das eleições para 15 de novembro

Imagem: ilustrativa

Parlamentares com trânsito no Palácio do Planalto e dirigentes partidários estimam adiar para o dia 15 de novembro (feriado da Proclamação da República) a realização do primeiro turno das eleições municipais, caso a pandemia do coronavírus não arrefeça até junho, data final para decisão.35

Leia a matéria completa no site Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    Eleição em todos os níveis em 2022 com mandato de 5 anos sem direito a reeleição para o executivo e para reeleição por 2 mandatos para o legislativo. Vamos acabar com essa profissão > POLITICO. ISSO É SONHO !. Mas sonhar não é PRIBIDO

  2. Paleo disse:

    O mundo se acabando e pessoas politizando tudo, nunca pensei que a humanidade daria tao errado.

  3. Ana disse:

    Show de bola

  4. Almir Dionisio disse:

    Melhor seria deixar tudo para 2022, sem reeleição.
    Evitaria gastos e unificaria tudo em uma só eleição.

    • Brunol disse:

      Concordo 100%

    • Arthur disse:

      É isso aí, 2022 sem reeleição!

    • Flauberto Wagner disse:

      Almir, não interessa as eleições unificadas de 2020 juntamente com 2022 para os pretensos concorrentes aos cargos de presidente, governador, senador, deputados federais e estaduais, em razão do desinteresse do eleitor principalmente se ele for do interior, aonde a polarização nas campanhas para prefeito e vereadores é a principal fonte de discussão municipal, tudo em função de direta ou indiretamente alguém tem vínculo com os candidatos.
      Outra coisa, por incrível que pareça os custos bancados pelos candidatos aos cargos fora do eixo municipal se tornaria o dobro do atual, em razão da premente necessidade da inclusão e da vinculação de seus nomes aos postulantes aos cargos municipais, haja vista que ficaria obrigados a custearem as campanhas de perfeitos e vereadores, sem deixar de dizer que os formatos de campanhas são diferentes no que tange aos apoios direcionados e negociados estado afora, sem deixar de falar aqui que muitos dos atuais deputados federais e estaduais não conseguiriam renovações de seus mandatos.
      Tem uma coisinha também a ser levada em conta, os meninos só judiciário sai perdendo, pois vão deixar de ganhar as verbas salariais extras as quais tem direito legal por gestarem o pleito a cada dois anos.
      Só lembrando que no ano de 1982, aconteram eleições para todos os cargos e muitos derrotados se perguntam até hoje o que aconteceu!
      Há única eleição que talvez não sofra qualquer de alteração é presidencial, em função da pouca influência dos candidatos proporcionais na escolha, a bem da verdade a candidatura a presidente é quem soma aos prol das outras candidaturas.
      Agora, sou plenamente a favor da unificação das eleições!

PSDB filia mais de 40 novos vereadores, prefeitos e vice-prefeitos no primeiro dia do prazo partidário

Foto: Divulgação

Após a abertura da janela partidária, o PSDB do Rio Grande do Norte recebeu a adesão de 42 novos vereadores, prefeitos e vice-prefeitos de várias regiões do Estado. A adesão em massa ocorreu na sede do partido, no bairro de Tirol em Natal, e contou com a presença do deputado Ezequiel Ferreira, presidente estadual do PSDB. Os novos filiados são de Canguaretama, Nísia Floresta, Serra Caiada, Bom Jesus, Extremoz, Olho D’água, Tibau, Grossos, Bento Fernandes, Ouro Branco, Lagoa Nova e Boa Saúde.

“O PSDB entrará nas eleições deste ano como o maior partido do Estado e nossa expectativa é que após o pleito o partido esteja ainda maior. Nosso trabalho tem sido sempre no sentido de fortalecer o partido, aproximar a legenda da população e atrair novas lideranças. É com muito prazer que recebemos os novos filiados, sejam todos bem-vindos. Que possamos juntos trabalhar pelo crescimento dos nossos municípios e do Estado”, disse Ezequiel Ferreira, deputado e presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

Em Canguaretama, o PSDB que não possuía nenhum vereador, passa a contar com 9 representantes dos 13 membros da Câmara Municipal da cidade, inclusive com a presidente do Legislativo, Irmã Lila, pré-candidata a prefeita. “É com muita honra que estamos chegando ao PSDB, com a consciência da nossa responsabilidade em representar este partido e buscar continuar lutando por melhorias para Canguaretama”, disse Irmã Lila.

Já de Nísia Floresta, onde o partido já contava com quatro representantes na Câmara, o PSDB recebeu a adesão de mais 5 vereadores. A partir de agora, dos 11 representantes do Legislativo, 9 são tucanos – inclusive a presidente da Câmara Municipal, Polyana Dias. O ato de filiação contou com a presença do prefeito Daniel Marinho (PSDB) e do presidente do partido na cidade, Ricardo Marinho. “Estamos fortalecendo o partido, já tínhamos a maior bancada da Câmara e agora, vamos com certeza avançar ainda mais com o crescimento de Nísia”, disse Daniel.

De Serra Caiada, onde o PSDB também não possuía representação, se filiaram a legenda seis parlamentares além de vários pré-candidatos. O grupo chega ao partido sob a liderança do ex-prefeito Fausto Andrade. Quem também se filiou a legenda foi o pré-candidato a prefeito do município, Joãozinho Furtado. O ato de filiação do grupo contou com a presença do deputado estadual Raimundo Fernandes (PSDB).

Em Bom Jesus, o PSDB conta com a liderança do prefeito Clécio Azevedo, se filiaram ao partido oito vereadores. O gestor agradeceu a Ezequiel pelo apoio recebido concedido a sua administração, que tem recebido alta aprovação popular. O vereador Eduardo Motta, de Extremoz, também oficializou sua entrada no PSDB potiguar. O parlamentar é pré-candidato a prefeito da cidade.

De Olho D’água dos Borges, o PSDB recebeu a adesão da prefeita Maria Helena e de mais seis vereadores, também se tornando a maior bancada do Legislativo municipal. Outro prefeito que se filiou a legenda foi Naldinho, de Tibau, que chega ao partido junto com a vice-prefeita Lidiane, pré-candidata a prefeita e mais três vereadores, compondo agora uma bancada com quatro nomes.

De Grossos assinou ficha de filiação do partido a pré-candidata a prefeita Cinthia Sonali. Já de Bento Fernandes, o vice-prefeito e pré-candidato a Prefeitura, Robenílson Júnior, se filiou ao PSDB. Do município também se integra ao partido um vereador e um ex-vereador.

Já do município de Ouro Branco o PSDB recebeu a filiação de dois novos vereadores que se junto aos 2 já membros do partido que integravam a Câmara da cidade. Também chegam a legenda ex-vereadores e vários pré-candidatos. O empresário Denis Rildon e o vice-prefeito Dr. Araújo são os nomes mais fortes para a majoritária. O ato de filiação contou com a participação do deputado estadual Vivaldo Costa. O PSDB ainda filiou também nesta sexta-feira o vice-prefeito de Lagoa Nova, Iranildo Aciole. O prazo para troca de legenda encerra-se no dia 3 de abril, seis meses antes da realização do primeiro turno do pleito, marcado para 4 de outubro.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eraldo disse:

    Não voto nessa legenda…Amo minha nação….Partidos de centrão não merece o voto do povão… Nós estamos de olho em vocês na Net….A mídia só mostra o que os políticos querem…. Então, na Net temos a verdade…..

  2. Proterald disse:

    Não voto nessa legenda…Sou Brasileiro e amo minha nação….Partidos que usam centrão não merece o voto povão….Estamos de olho na Net….

  3. Cigano Lulu disse:

    A taba de Poti no fundo do poço e os vampiros, dissimulados, sugando sua anêmica hemorragia.

  4. Fábio disse:

    O PSDB vai ocupar o espaço do bolsonarismo muito em breve

  5. Jose Lucio de Azevedo disse:

    As oligarquias dos oportunistas já começam a dar as cartas, onde os corruptos se alojam.

  6. Escroto disse:

    Oh povo feio!

Sem Aliança, Bolsonaro diz que não pretende participar do 1º turno das eleições de 2020, com exceção para “um amigo ou outro” candidato a vereador


Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que pretende não participar do primeiro turno da campanha para nenhuma candidatura nas eleições municipais deste ano, com exceção para “um amigo ou outro” que vier a ser candidato a vereador.

Na chegada ao Palácio da Alvorada, no fim da tarde, ele foi instado a comentar a previsão de que o Aliança pelo Brasil, partido em criação, não será registrado a tempo do pleito de 2020, como admitiu o senador Flávio Bolsonaro (RJ), vice-presidente da sigla. Na sequência, comentou o o fato de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter identificado a assinatura de sete pessoas que já morreram nas fichas de apoiamento para o Aliança.

— Pelo que tudo indica, não dá tempo de sair. A questão de mortos, a manchete, acho que foi do Estado de São Paulo, “Aliança tem…”. São sete mortes. Um, o cara lá assinou a ficha e, na semana seguinte, teve uma acidente de motocicleta. Morreu. Os outros meia dúzia… Só sete, né? De não seis quantos mil, 50 mil. Sete apenas. Era CPF errado, a numeração errada, só isso aí — declarou.

Em seguida, o presidente foi questionado como vai se portar com relação às eleições municipais, diante da ausência do seu partido.

— Pretendo não participar no primeiro turno de qualquer candidatura entre os quase 6 mil municípios do Brasil. No tocante a vereador, eu tenho um amigo ou outro por aí, vou dar uma força para eles nisso aí —declarou.

Mato Grosso

Bolsonaro então comentou que pretende, no entanto, participar da eleição suplementar para o Senado em Mato Grosso — a senadora Juíza Selma (Podemos-MT) foi cassada pelo TSE. O pleito foi marcado para o dia 26 de abril, mas é alvo de disputa judicial. Indagado sobre quem seria apoiado por ele, o presidente disse que não poderia revelar o nome por questões legais.

— Eu não posso falar o nome agora, porque seria propaganda antecipada. Mas como hoje é dia da mulher: será uma mulher.

EXTRA/Agência O GLOBO

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ferreira disse:

    O ANEL FOI UM FRACASSO!
    NÃO ADIANTOU NEM USAR OS EVANGÉLICOS E DEMAIS MILICIANOS…
    O FAKE COMEU NO CENTRO BOTANDO ATÉ GENTE MORTA NA LISTA.
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    MMMMUuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

    • Sandra disse:

      Quem foi que disse isso a vc????
      Ķkkkkkkk
      Ôôô cabecinha ôca.
      Pastel de vento.

Pesquisa da Veja em hipotético cenário com Lula nas eleições em 2022 apresenta derrota de petista para Bolsonaro ou Moro

Foto: (Marcos Corrêa/PR; Cristiano Mariz; Nacho Doce/Reuters)

A Veja/FSB encomendou uma pesquisa sobre a disputa presidencial de 2022. Em um hipotético cenário com Lula no páreo, o petista amargaria derrotas para Bolsonaro e Moro. Confira abaixo:

No primeiro turno, Jair Bolsonaro teria 32% e Lula 29%.

No segundo turno, Bolsonaro derrotaria o petista (na hipótese de que ele pudesse concorrer ou ainda estivesse solto) por 45% a 40%.

A Veja pesquisou a hipótese de Sergio Moro e Lula disputarem o Palácio do Planalto em 2022

No segundo turno, Moro derrotaria o ex-presidente com uma margem mais folgada do que Jair Bolsonaro: 48% a 39%.

No primeiro turno, daria empate em 36%.

O Antagonista, com Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    GENTE , VAMOS ESQUECER LULA. ESSE SR. JÁ ERA . JÁ PASSOU O TEMPO DELE. TORCER QUE SURJA UM NOVO LÍDER NESSA NAÇÃO . O BRASIL NECESSITA DE HOMENS DE BEM , O QUE ESTÁ DIFICIL DE APARECER . LADRÃO, LADRÃO, JÁ BASTA.

  2. AVELINO disse:

    A IMBECILIDADE ANDA SOLTA NO MUNDO ATUAL, SE ESSE FICHA SUJA, AINDA TEN QUE O SIGA É POR QUE O MUNDO REALMENTE TÁ COM PROBLEMAS SOCIAIS SERISSIMOS. QUE DEUS TOME CONTA DE NÓS.

  3. max willamy disse:

    – o pt não é um partido é uma instituição de influenciar o povo pequeno e estudantes com lezeiras e mentiras,confundir o povo com coisas que não existe,MAS O POVO SABE,QUEBRARAM O BRASIL CONSTRUINDO AEROPORTOS,PORTO,RODOVIAS EM ANGOLA,VENEZUELA E CUBA ,ainda querem o quer? o dinheiro do brasil esta nestas construções sem falar da transnordestina cadê o dinheiro lula e dilma?
    – agora o brasil esta crescendo o,5% este ano por causa da casa que conseguimos arrumar,agora vamos próximo ano 2020,dar uma arrumada nos cofres estaduais e municipais,o nordeste vai crescer,vai fazer o cinturão verde,vai fazera produção dos pequenos agricultores produzir mais 2020 é brasil é nordeste!

  4. PAULO disse:

    PESQUISA FEITA PELA VEJA,PRA PASSAR A IMPRESSÃO AO POVO QUE LULADRÃO ESTÁ VIVO POLITICAMENT,É PIADA ,ATE NO NORESTE ELE VAI LEVAR CACÊTE DESSA VEZ…..

  5. Delano disse:

    Parece que a vaza jato, tá igual a carochinha, ninguém acredita. O tiro saiu pela culatra. Rsrsrs

  6. Henrique disse:

    Ainda perdem tempo com esses absurdos…. vou repetir e se continuar , vou desenhar.

    LULA é LADRÃO e está INELEGÍVEL….

  7. Zezim disse:

    Lula Molusco vai disputar as próximas eleições e vai ser derrotado. Isso significará o fim do PT.
    Espere e verás.

  8. Irany Gomes disse:

    Esse verme é um defunto político, acabou com o país, somente os preguiçosos passa- fome do Nordeste votam nesses FDP, porque quem realmente produz e ganha seu pão no dia a dia, já foi enganado por ele, e não cai na conversinha chula deste marginal!

  9. Silva disse:

    Quem foi que disse que esse criminoso tem esse perventual de votos??
    Me engane que eu gosto.

  10. Waldemir disse:

    Gostaria de saber por que o STE deixa fazer pesquisa com quem esta impedido de ser candidato ??????

  11. Anti-Político de Estimação disse:

    Qualquer menino buchudo sabe que Lula é carta fora do baralho e jamais estará apto a disputar eleições no curto ou médio prazo. A pergunta a ser feita é : a quem interessa essa polarização ?????? .
    Esta estratégia já está ficando desgastada.

  12. Mário Pacheco disse:

    Qual a necessidade dessa pesquisa? No que isso vai ajudar o país?
    Partindo do princípio que o ex presidente tem 02 condenações, a veja está dizendo que o ex presidente não está enquadrado na lei da ficha limpa e assim pode participar de eleição?
    Será que a veja está prevendo que o STF vai acabar com a lei da ficha limpa e assim o ex presidente pode participar de eleição?

Eleitores de Ceará-Mirim e Alto do Rodrigues vão às urnas neste domingo

Foto: André Rodrigues/Ilustrativa

As eleições suplementares para os cargos de prefeito e vice-prefeito de Ceará-Mirim e Alto do Rodrigues acontecem neste domingo (01), das 8h às 17h, e a Justiça Eleitoral potiguar já está com tudo encaminhado para que o pleito ocorra conforme o planejado. Ao todo, 62.360 eleitores do RN vão às urnas para escolher os candidatos.

O município de Ceará-Mirim, pertencente à 6ª zona eleitoral, contará com 47 locais de votação, 179 seções eleitorais e 161 urnas eletrônicas para atender à demanda de 51.837 eleitores aptos a votar. Além disso, 644 mesários voluntários atuarão no pleito garantindo a organização. Já em Alto do Rodrigues (47ª zona eleitoral), cujo eleitorado é menor – com apenas 10.523 pessoas aptas a votar, haverá 11 locais de votação, 39 seções e 32 urnas eletrônicas, além dos 128 mesários voluntários.

As novas eleições ocorrem em virtude da cassação e perda de mandato dos antigos prefeitos e vice-prefeitos de ambas as cidades, a partir de recentes decisões do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN).

Dia da votação

Os eleitores devem se dirigir aos seus respectivos locais de votação portando o título de eleitor ou, se preferir, o e-Título, que substitui o título de papel. Embora o Rio Grande do Norte já disponha de 100% da biometria, é recomendado que o cidadão leve também um documento oficial com foto para o caso da digital não ser reconhecida. Além disso, a Justiça Eleitoral recomenda que o eleitor faça uso da cola de papel contendo os dígitos de seus candidatos escolhidos para que o processo de votação se torne mais ágil. Lembrando que não é permitido fazer selfies com as urnas e que os eleitores não poderão entrar na cabide de votação portando smartphones.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chico da Burra disse:

    Em Ceará-Mirim está acontecendo uma situação intrigante. Tem um dos candidatos que teve o registro de candidatura impugnado, sendo que anda dizendo nos quatro cantos da cidade que é candidato, sendo que não é, está impugnado, até expedição em 2ª instância de alguma liminar, coisa que ainda não houve.
    Isso é uma forma de tentar ludibriar as pessoas daquele município, pois, está tentando induzir as pessoas a anularem o voto, com a intenção de recorrer à justiça, posteriormente, e para que a justiça valide seus votos, e que seja ele o mais votado.
    Isso se chama estratégia de pessoa má intencionada.
    Atenção povo de Ceará-Mirim, não vote no candidato que está com a candidatura impugnada, pois irá gerar mais transtornos pra este município tão sofrido.
    Lembrem-se da última armação política que foi feita em vossa cidade, a qual elegeu um candidato que não era o preferido pela maioria e vejam no que deu, o município ficou em situação quase que calamitosa por conta disso.
    Eleição não é brincadeira, não é futebol, não é bebedeira, eleição decide quem vai governar o teu dinheiro, quem vai melhorar a educação para tuas crianças, quem vai gerar emprego pra tu e teus parentes e amigos.
    Resumindo. Não caiam neste golpe. Não existe candidato, se o registro de candidatura for impugnado.
    Escolham entre os outros candidatos que estão legalmente registrados.
    Obrigado BG pelo espaço.

TSE realizará audiências públicas sobre as resoluções das eleições e das finanças e contabilidade dos partidos

Interessados poderão enviar contribuições para os eventos, que ocorrerão de 26 a 28 de novembro. Minutas de resoluções serão disponibilizadas a partir desta sexta (8)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realizará, de 26 a 28 de novembro, um ciclo de audiências públicas para receber contribuições de representantes de partidos políticos, de instituições públicas e privadas, de advogados que atuam na área eleitoral e da sociedade em geral com o objetivo de aperfeiçoar as minutas de resoluções relativas às eleições e às finanças e contabilidade dos partidos políticos.

Para participar dos eventos, os interessados devem enviar sugestões por escrito, mediante o formulário eletrônico que estará disponível no Portal do TSE a partir de 11 de novembro. No formulário, também será possível fazer a inscrição para o uso da palavra no dia da audiência pública.

No dia do evento, que se destina exclusivamente à exposição de sugestões, todas as manifestações serão precedidas de identificação pessoal e respeitarão o prazo improrrogável de cinco minutos.

Estima-se que as audiências durem no máximo duas horas, podendo o tempo ser eventualmente estendido, por decisão do ministro relator. Ocorrendo a inscrição de representantes de mais de um órgão do mesmo partido político, terá eventual preferência o representante do diretório nacional.

Todas as audiências ocorrerão no Auditório I do edifício-sede do Tribunal, em Brasília (DF), e serão transmitidas ao vivo pelo canal da Justiça Eleitoral no YouTube.

Não será necessário credenciamento prévio dos jornalistas interessados em fazer a cobertura do evento.

Resolução sobre finanças e contabilidade dos partidos políticos

A minuta que trata de regulamentação da Lei dos Partidos Políticos foi publicada nesta sexta-feira (8), com vistas à audiência pública marcada para o dia 26, a partir das 15h. O ministro Sérgio Banhos é o relator dessa instrução, que tem como base a regulamentação do disposto no Título III da Lei nº 9.096/1995 – Das Finanças e Contabilidade dos Partidos Políticos.

A regulamentação envolve questões como arrecadação e gastos de recursos pelos partidos políticos (com destaque aos recursos provenientes do Fundo Partidário), além da prestação de contas anuais e seu julgamento pela Justiça Eleitoral.

As sugestões por escrito serão recebidas via formulário eletrônico até as 19h do dia 27 de novembro.

Consulte todas as informações no Portal do TSE.

Resoluções das eleições

Já no dia 11 de novembro, começarão a ser disponibilizadas ao público, no Portal do TSE e no Portal das Eleições, as minutas das instruções que tratam da regulamentação das eleições. A elaboração dessas normas é coordenada pelo vice-presidente do TSE e relator, ministro Luís Roberto Barroso.

As duas primeiras minutas referem-se às audiências públicas que ocorrerão no dia 26 de novembro, a partir das 9h, e tratam da resolução de arrecadação e gastos de recursos, e prestação de contas nas eleições, e da resolução sobre o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).

Em 12 de novembro serão disponibilizadas as minutas que irão a audiência pública em 27 de novembro, a partir das 10h: Propaganda eleitoral, horário gratuito e condutas ilícitas em campanha eleitoral; Procedimentos de fiscalização e auditoria do sistema eletrônico de votação; e Modelos de lacres para as urnas.

No dia 28 de novembro, terceiro e último dia de audiência, a partir das 10h30 serão ouvidas as sugestões sobre quatro minutas de resolução, que serão disponibilizadas ao público em 13 de novembro. São elas: Escolha e registro de candidatos; Representações, reclamações e pedidos de resposta previstos na Lei nº 9.504/1997; Pesquisas eleitorais; e Atos gerais do processo eleitoral.

As sugestões por escrito, a serem enviadas via formulário eletrônico, serão recebidas até as 19h do dia seguinte ao da realização da respectiva audiência.

Calendário

As audiências públicas relacionadas às resoluções das eleições são obrigatórias e ocorrem no segundo semestre do ano anterior ao pleito. A obrigatoriedade das audiências é fixada pelo art. 105 da Lei nº 9.504/1997. As resoluções que regulamentam outros temas da lei eleitoral, a exemplo das contas anuais partidárias, também têm a realização de audiência pública prevista em normas do TSE.

Este ano, o prazo entre a publicação das minutas de resoluções na internet e a realização das audiências públicas foi abreviado pela Resolução TSE nº 23.597/2019, passando a ser de 15 dias. Essa medida visa a aproximar o regulamento da realidade, tendo em vista o exíguo prazo para a elaboração das minutas e a aprovação das resoluções das eleições, que demandam a análise de alterações legislativas e das sugestões submetidas pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e pelos participantes das audiências públicas.

Encerradas as audiências, os relatores das instruções, com o auxílio das unidades técnicas e dos grupos de trabalho responsáveis pela consolidação das minutas, examinarão as contribuições recebidas, acolhendo ou não as sugestões. Em seguida, submeterão as minutas das resoluções, bem como a fundamentação em caso de eventual não acatamento de sugestão apresentada, ao Plenário do TSE para análise em sessões administrativas.

O processo de elaboração de resoluções pelo TSE e a realização de audiências públicas com tal finalidade é regulamentado pela Resolução TSE nº 23.472/2016.

Aprovação

A estimativa é que as resoluções das eleições e da prestação de contas anuais dos partidos sejam examinadas pelo Plenário da Corte ainda em 2019.

EM, MC/JB

“SURPREENDENTE”: Gerente do WhatsApp confirma ‘envios massivos de mensagens’ ilegais nas eleições de 2018

Guerra virtual escancarada e sem freio, de todos os lados, agora surge como “revelação”

O gerente de políticas públicas e eleições globais do WhatsApp, Ben Supple, admitiu hoje que a eleição de 2018 teve uso ilegal de envios massivos de mensagens, informa a Folha.

“Na eleição brasileira do ano passado houve a atuação de empresas fornecedoras de envios massivos de mensagens, que violaram nossos termos de uso para atingir um grande número de pessoas […] Sabemos que eleições podem ser vencidas ou perdidas no WhatsApp.”

Supple reforçou que o uso do WhatsApp para campanhas políticas não infringe as regras. Neste caso, no entanto, a contratação de sistemas de envios massivos por empresas, que é proibida pelo aplicativo, violou os termos de conduta.

“[O uso do aplicativo para campanha política] Não viola desde que se respeitem todos os termos de uso. Todos estão sujeitos aos mesmos critérios, não importa se quem usa é um candidato à Presidência ou um camponês do interior da Índia.”

O Antagonista com Folha de SP

Empresário Caio Fernandes nega categoricamente que seja candidato nas próximas eleições em São Miguel do Gostoso

Após enorme repercussão causada por uma enquete que colocou seu nome como potencial candidato à prefeitura de Gostoso, nas próxima eleições, o empresário do ramo imobiliário, Caio Fernandes, teve o cuidado de redigir uma nota negando categoricamente tal possibilidade. O mesmo se sentiu lisonjeado mas correu para mostrar que os laços entre ele e a cidade é de gratidão por ter sido muito bem acolhido na cidade que hoje ele considera o seu refúgio. O seu “carregador de bateria”, como ele mesmo costuma brincar.

Na carta aberta que viralizou na praia mais badalada do Litoral Norte, Caio conta um pouco de como chegou há 03 anos, em Gostoso, e pede para continuar ajudando como pode os gostosenses, porém, no anonimato e sem comprometimento político eleitoral.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Hulkenberg disse:

    Agora vai!!!

  2. Juvenal disse:

    ÇEY… A conversinha é essa…

Deputado Fábio Faria é favorável à unificação das eleições

Foto: Reprodução/Facebook

“Desde 2007, quando assumi meu primeiro mandato como deputado federal, assinei várias PECs favoráveis à prorrogação de mandato e unificação das eleições. Inclusive já apresentei emendas em relação a isso. Se tiver a votação, votarei a favor, com certeza”, destacou o deputado federal Fábio Faria (PSD/RN).

O assunto foi tema de uma reunião entre prefeitos do Rio Grande do Norte e a Bancada Federal Potiguar. Fábio, que está no quarto mandato na Câmara Federal, afirmou que é a favor do pleito dos gestores municipais e que vai trabalhar para a unificação das eleições nacionais, embora considere difícil a proposta ser pautada ainda este ano, pelo fato de já ser público o posicionamento contrário do presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ), de alterar as regras das eleições no curso dos atuais mandatos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jose Neto disse:

    Excelente idéia, no Brasil quando o ano não é véspera, é ano eleitoral, assim ninguém trabalha, e ficam apenas em seus conchavos.
    Se não for possível essa unificação para termos eleições só de 4 em 4 anos, pelo menos deveriam mudar o formato, um eleição para o executivo e outra para o legislativo!

Netanyahu obtém vitória nas eleições em Israel

Reuters/Nir Elias e Ariel Schalit/Pool via Reuters/Direitos reservados

Com mais de 99% dos 4 milhões de votos apurados em Israel, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, obteve a vitória com 26,27%, enquanto em segundo lugar ficou o general Benny Gantz, ex-ministro da Defesa, que conquistou 25,95%. Nestas releições, 64,6% dos 6,3 milhões de eleitores participaram.

A vitória de Netanyahu o coloca como um recordista no cargo, ocupando-o pela quinta vez. A conquista se deve à coalizão dos partidos religiosos e conservadores com o Likud (partido político de Israel, que congrega o centro-direita e a direita conservadora). “Agradeço aos cidadãos de Israel por sua confiança”, disse nas redes sociais.

O principal opositor do Partido Azul e Branco (cores da bandeira de Israel), de centro, liderado por Gantz, também se considera vitorioso devido à pequena margem de diferença entre ambos.

Os eleitores foram às urnas para escolher os parlamentares do Knesset (Parlamento), que tem 120 lugares.

Nos últimos dias da campanha, Netanyahu se comprometeu a anexar partes da Faixa de Gaza ocupada. A iniciativa encerra a perspectiva de paz com os palestinos.

Agência Brasil