Paulo Guedes se enrola e não diz concretamente quando vai pagar os R$ 600 dos informais

Foto: reprodução

Paulo Guedes rebateu hoje as críticas que apontam que os R$ 600 do coronavoucher ainda não foram repassados a trabalhadores informais — a transferência ainda depende da sanção de Jair Bolsonaro do projeto aprovado ontem pelo Congresso.

“Eu sugiro inclusive o seguinte: estamos com um problema técnico de fontes. E o presidente Rodrigo Maia pode nos ajudar muito. Se ele encaminhar e aprovar em 24 horas uma PEC emergencial que regularize isso, o dinheiro sai em 24 horas, por exemplo, pode sair rapidíssimo, se ele aprovar isso lá…”, disse.

“Eu não digo 24 horas, porque a implementação tem que ser nos períodos corretos. Por exemplo: a Caixa paga o Bolsa Família numa determinada data, dia 18. Se não receber a gente pode dizer que atrasou muito. Há toda uma logística, o dinheiro não cai do céu”, afirmou.

As fontes de receita para o pagamento, explicou depois, estão previstas na PEC emergencial.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Vamos parar para pensar, o governo não vai pagar para 38 pessoas e sim para cerca de 38 milhões, imaginem é a população do estado do Rio mais a de Minas, pagar os do bolsa família é fácil já estão cadastrados e os restantes, não tem local físico para o cadastro, vai ser virtual e quantos saberão fazer o cadastro, e as fraudes como diminuir? E se der muitos casos de fraudes a mídia e a esquerda irão cair de pau cima, chamando o Bolsonaro de incompetente.
    Sei que a fome não espera mas a prudência é bem vinda, como o confinamento x trabalho.

  2. Lucas disse:

    Engraçado… A liberação dos recursos para os bancos foi viabilizado em tempo recorde. Como disse o representante do Contas Aberta, as desculpas do governo e indefinição de uma data para a liberação do recurso é pura balela!

  3. Marcelo disse:

    ….enrolou, enrolou, enrolou e enrolou…..

COMENTE AQUI