Prêmio de R$ 23 milhões da Mega-Sena não retirado está prescrito, diz Caixa

O prêmio de R$ 23 milhões da Mega-Sena, sorteado em 10 de junho, cujo ganhador não apareceu até agora para retirar, está prescrito, segundo informou o gerente nacional de Loterias de Caixa, Edilson Carrogi. “O prêmio está prescrito.”

As seis dezenas sorteadas na ocasião foram: 01 – 08 – 17 – 44 – 46 – 53. A lei determina que o vencedor do concurso retire o dinheiro em até 90 dias. Em função das greves dos bancos, que terminou na última sexta-feira (11), a Caixa permitiu ao ganhador que retirasse a bolada na segunda-feira (14), mas ele não apareceu.

Segundo Carrogi, há uma norma da Caixa que prevê esta situação, mas determina que, nos casos de greve, o prêmio seja retirado imediatamente após o fim da paralisação, sem especificar o prazo. Como o ganhador dos R$ 23 milhões não apareceu, o prêmio não será mais entregue.

“Ele teria que retirar no dia útil seguinte [à greve], que foi o dia 15. Se ele se apresentasse até o final do dia 15 com o bilhete, retiraria o prêmio. Se ele aparecer agora, pela Caixa não retira. Caso eventualmente haja uma ordem judicial, aí a Caixa vai entregar”, afirmou o gerente.

Com a ausência do ganhador, os R$ 23 milhões irão para o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), programa do Ministério da Educação destinado a financiar cursos de graduação em educação superior.

Desde que a notícia de que o ganhador da Mega-Sena de R$ 23 milhões, sorteada em 10 de julho deste ano, não apareceu para retirar o prêmio, vários apostadores apareceram na lotérica Big Sorte, na praça Barão do Rio Branco, centro de Ponta Grossa (114 km de Curitiba), e tentaram retirar a bolada, conforme conta a gerente do estabelecimento, Valquiria Kubisch, 30. “Já vieram umas dez pessoas tentando se passar pelo ganhador.”

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosaldo disse:

    Eu lembro que, quando foi criado a Loteria Esportiva, tinhamos que colocar o nome e endereço do jogador. Não se perdia prêmio para a CEF. Acho que se fosse obrigado a colocar o CPF, não haveria perdas para o apostador e haveria mais TRANSPARÊNCIA, sobre os ganhadores, não levantando suspeitas sobre estes jogos. Lembro que, no início, era muito comum haver mais de um ganhador dividindo o prêmio. Hoje, apesar o número de jogadores ser muito maior, poucos jogos saem para mais de uma pessoa. ESTRANHO.

  2. Nelio Wanderley disse:

    Alô Banco Central e Polícia Federal, em tempo de tanta busca de transparência e fim da impunidade , não ter o CPF no jogo legal parece que beneficia a alguém… Quem será? O Governo que além dos altos impostos, ainda fica com os casos perdidos? Ou a quem quer lavar dinheiro comprando jogos ganhos?

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Todos os jogos da CAIXA deveriam ter o CPF do apostador, alem de evitar a venda do bilhete premiado (para os politicos esquentarem dinheiro), a Receita Federal tambem controlaria quem joga fortunas nas apostas (com muitas possibilidades de ganhar e consequentemente esquentar o dinheiro), alem de como num caso deste localizar o ganhador. Fica aqui a sugestao!

COMENTE AQUI