Protesto dos fornecedores do aeroporto Aluízio Alves acontece na manhã desta terça

Protesto dos fornecedores do aeroporto Aluízio Alves que a Inframérica não pagou será realizado a partir das 9h desta terça-feira(30). Na ocasião será feita panfletagem e serão espalhadas faixas em locais estratégicos.

Confira na ÍNTEGRA o texto com título “Informe à sociedade”:

Este Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante – Aeroporto Aluísio Alves é uma concessão pública para uma empresa privada (Consórcio Inframérica, composto por Corporación América da Argentina e Infravix), à qual foi adjudicada a responsabilidade de finalizar a construção do equipamento público, recebendo em contrapartida o direito de explorar seu funcionamento por 28 anos.

Os recursos para sua construção devem vir de aporte de recursos próprios da concessionária e neste caso contou com complemento sendo viabilizado mediante financiamento público através do BNDES, que concedeu – em condições especiais – financiamento inicial da ordem de R$ 329,3 milhões ao consórcio para a execução das obras.

Empresas locais do Rio Grande do Norte locais de pequeno e médio porte foram chamadas a oferecer seus esforços e dedicação para prestarem serviços e fornecerem materiais para esta construção, de modo a permitir a conclusão e assegurar seu funcionamento para uso durante a Copa de Mundo de Futebol ocorrida entre junho e julho de 2014. Assim fizeram consumindo suas próprias reservas de capitais e muitas recorrendo a empréstimos no mercado financeiro para atender ao chamamento de “voto de confiança” no empreendimento impulsionador do desenvolvimento do nosso Estado.

Desde março/abril deste ano os pagamentos aos fornecedores e prestadores de serviços vêm sendo postergados, sendo submetidos a sucessivos adiamentos que terminaram por uma total ruptura e completa inadimplência do Consórcio Inframérica junto a estas empresas, que são responsáveis desde a portas, janelas, pisos, arborização, limpeza, refrigeração, etc. Em suma, em cada espaço e em cada estrutura desta existe dívida a uma empresa local.

Hoje, empresas e trabalhadores estão sem receber pelos serviços prestados e materiais fornecidos, atravessando sérias dificuldades e correndo risco de fecharem suas portas com falência generalizada e demissão de funcionários.

Nestas circunstâncias o “Fórum de Credores da Inframérica no RN” vem chamar a atenção da sociedade, especialmente dos usuários deste aeroporto, para a gravidade da situação, à medida que a concessionária da exploração de um aeroporto INTERNACIONAL deixa de cumprir obrigações financeiras assumidas.

Vê-se, portanto, que a própria Inframérica nos leva a questionar a credibilidade e idoneidade econômico-financeira (que a empresa teria que ter comprovado ainda na licitação) para levar adiante a concessão do serviço público da tamanha relevância como é a administração de um aeroporto que tem interesse estratégico para o país, sendo urgente que as autoridades constituídas adotem de imediato medidas protetivas em favor da sociedade em face do descalabro vivenciado.

Texto proposto para distribuição amanhã.