Saúde

RN enfrenta surto de esporotricose: doença transmitida geralmente por gatos, já afeta mais de 130 pessoas no RN, e resultou em um óbito

Reportagem foi destaque no site da UFRN. MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

Especialistas estão preocupados com o crescente número de pacientes e animais infectados com a esporotricose, doença emergente provocada por fungos do gênero Sporothrix. Ao menos 131 pessoas foram diagnosticadas no Rio Grande do Norte, e um óbito foi confirmado. Até recentemente, não havia registro dessa micose por aqui. Hoje, ela se espalha muito rápido por Natal e região metropolitana, principalmente Parnamirim, Extremoz e São Gonçalo do Amarante, mas já foi identificada em Santo Antônio do Salto da Onça.

Epidêmica no Sul, Sudeste e Centro-Oeste, tendo o maior número de casos confirmados no Rio de Janeiro, a esporotricose começou a dar sinais por aqui em 2015, quando o médico veterinário José Flávio Vidal Coutinho, do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Natal, levantou a possibilidade de alguns animais, principalmente gatos, apresentarem ferimentos e sintomas suspeitos.

A confirmação foi feita pelo Instituto de Medicina Tropical (IMT/UFRN), a partir de estudos de pesquisa científica do biomédico Thales Domingos Arantes — atualmente professor no Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública IPTSP/Universidade Federal de Goiás — em colaboração com a bióloga, geneticista e supervisora do Laboratório de Micologia do IMT/RN, Raquel Cordeiro Theodoro, do Departamento de Biologia Celular e Genética do Centro de Biociências da UFRN. Em humanos, o primeiro caso foi diagnosticado pela infectologista Eveline Pipolo Milan, do Departamento de Infectologia da UFRN, em outubro de 2016.

Apesar de não haver registros dessa doença no RN até então, pesquisadores já sabiam que a região Nordeste apresentava aumento no número de casos desde 2013, sendo os estados mais afetados a Bahia, Pernambuco e Paraíba. Embora tenha demorado, a doença chegou aqui com muita força. Até agora, a espécie de fungo mais comum encontrado é a Sporothrix brasiliensis, de perfil zoonótico e associado a surtos de esporotricose.

Os pesquisadores Thales Arantes e Raquel Cordeiro coordenam a pesquisa no IMT. Foto: Cícero Oliveira

Segundo Thales Arantes, por ter maior patogenicidade, essa espécie de fungo causa lesões mais graves e se prolifera em menor tempo quando comparada a outras, principalmente nos animais. “É importante o controle da esporotricose porque com um gato doente no ambiente doméstico, muito provavelmente, você e/ou algum membro da família irão contrair esporotricose também. As chances são de pelo menos 70%. Por isso, quanto mais rápido o diagnóstico e início do tratamento, menor será a dispersão do fungo no ambiente”, afirma o pesquisador.

O problema maior pode estar nos animais abandonados. Estima-se que pelo menos 150 mil felinos vaguem sem dono pelas ruas do estado, e isso é um sinal de que é muito difícil evitar a proliferação dessa micose. Até agora, 117 gatos foram diagnosticados pelo IMT com a doença, de 195 amostras enviadas, mas certamente o número e muitas vezes maior. “O controle da doença está intimamente ligado ao controle dos gatos”, reforçou Eveline Pipolo.

A médica aponta três preocupações em relação ao surto dessa doença. A primeira delas é o desconhecimento. Apesar de não ser nova no Brasil, é muito recente no RN e muitos médicos daqui a desconhecem. A demora no diagnóstico pode, inclusive, ter sido a responsável pela única morte registrada até agora. O período de incubação da esporotricose é variável, de uma semana a um mês, podendo chegar a seis meses após a inoculação, ou seja, entrada do fungo no organismo.

A segunda relaciona-se ao diagnóstico laboratorial dos casos humanos, que, até o momento, tem sido realizado no laboratório do Professor Guilherme Maranhão Chaves, da Faculdade de Farmácia da UFRN, no âmbito de um projeto de pesquisa. Mas o Estado não fornece os insumos necessários para a realização do diagnóstico confirmatório.

Outra preocupação de Eveline é em relação à garantia do tratamento. “A esporotricose é tratada com Itraconazol, medicamento relativamente caro para pessoas em vulnerabilidade social. Seu custo médio é de R$ 80 mensais, com um tempo de tratamento que varia de três a seis meses, podendo se estender por um ano”, explica. Os pacientes, em geral, têm baixa renda e a maioria são mulheres entre 20 e 60 anos, desempregadas e com gatos em casa.

Atualmente, o Departamento de Infectologia da UFRN, que funciona dentro do Hospital Giselda Trigueiro, está conseguindo que o Ministério da Saúde forneça essa medicação, mas Eveline Pipolo não sabe se, com o crescimento do número de casos, será possível manter esse insumo por muito tempo.

Transmissão e cuidados

De acordo com Eveline Pipolo, a maioria dos pacientes que chega a seu consultório apresenta ferimentos visíveis, costumeiramente devido a mordida ou arranhão de gatos. Apesar de não ser a única, essa é a forma clássica de contrair a doença que também se manifesta em cães, mas em número muito inferior em relação aos felinos.

A infecção pode ocorrer também pelo contato do fungo na pele ou mucosa por meio de trauma decorrente de acidentes com espinhos, palha ou lascas de madeira e contato com vegetais em decomposição. Nem sempre é preciso estar com uma lesão visível para ser infectado, basta uma microlesão ou uma simples coçada de olho para o microrganismo se instalar. Porém, é preciso esclarecer que só é possível contrair a doença se o solo ou o animal estiverem contaminados.

Thales Arantes alerta que a esporotricose é parecida com outras doenças, como carcinomas e leishmaniose, por isso precisa de um diagnóstico diferencial. Ele recomenda aos tutores que, ao perceberem lesões na pele dos animais, os levem imediatamente ao médico veterinário, ou em casos extremos ao CCZ do município, para que seja feito o diagnóstico.

Os animais com suspeita da doença não devem ser abandonados. Caso o tutor não tenha condições de tratar o animal, ele deve procurar os CCZs para que lá seja feito o encaminhamento correto. No caso de morte dos animais, não se deve enterrar ou jogar no lixo, pois como algumas espécies de Sporothrix são mais geofílicas, ou seja, têm afinidade pelo solo, elas manterão ativo o ciclo da doença. O correto é a incineração do corpo do animal, de maneira a minimizar a contaminação do meio ambiente.

Animais em tratamento devem ficar isolados, geralmente em caixas ou espaços de contenção para evitar espalhar o fungo. A medicação, além de não ser muito barata, precisa ser administrada via oral, o que, geralmente, acarreta traumas como arranhaduras ou mordidas.

O ambiente onde está ou esteve o animal contaminado também precisa ser desinfetado. Recomenda-se o uso de solução de hipoclorito de sódio a 1%, água sanitária ou álcool 70%. Destaca-se a importância da limpeza de todos os espaços e descartar acolchoados, panos ou similares utilizados pelo animal para dormir, brincar ou descansar.

Raiva

Todo paciente que chega ao consultório da médica Eveline Pipolo com suspeita de esporotricose é submetido também ao protocolo de profilaxia da raiva, que é fatal. Não há nenhuma relação entre as doenças ou algum caso associado, mas o serviço de saúde está em alerta porque, em 2019, foram encontrados morcegos e cães infectados pelo vírus da raiva aqui no Estado e as autoridades estão em alerta.

Mortes humanas

Pesquisa realizada no Instituto Oswaldo Cruz, no entanto, confirmou o óbito de 65 pessoas no Brasil entre 1991 e 2015 por causa da esporotricose, 36 deles só no Rio de Janeiro. O Estado, segundo boletim epidemiológico do município teve uma média superior a mil notificações por ano, até 2018, sendo mulheres a sua maioria.

Nos animais, a esporotricose geralmente evolui para a morte, principalmente com a demora no início do tratamento. Apesar dos números apresentados, em pessoas, a probabilidade de óbito é muito baixa, mas em 2016, uma artesã de Parnamirim, que trabalhava em Natal, morreu em consequência dessa micose. Ela contraiu a forma mais grave da doença, a pulmonar e, devido demora no diagnóstico, não resistiu.

Além de isolado, esse é considerado um caso muito raro, pois a esporotricose tem cura, se tratada logo e, em alguns casos, pode até evoluir para cura espontânea. Além disso, não existe nenhuma comorbidade que favoreça o desenvolvimento dessa doença, nem mesmo em relação à deficiência imunológica ou doenças crônicas.

“Apesar do registro de uma morte, são raros os casos que evoluem a esse ponto. Geralmente, os casos viscerais estão relacionados com pessoas imunodeprimidas que tenham algum fator predisponente em alto grau, como uma Aids descompensada ou um câncer muito avançado. Ainda assim, há registro de pacientes com doenças graves no qual a esporotricose não avança a ponto de causar a morte”, reforçou a Eveline Pipolo.

Gravidez

No caso de gravidez, não há tanta preocupação com o fungo que, dificilmente cai na corrente sanguínea. A maioria dos casos se manifesta abaixo da pele com progressão linfática. A preocupação, nesse caso, é com a medicação que não pode ser administrada em gestantes, sendo necessário um tratamento específico.

Identificação e origem dos fungos

Foto: Cícero Oliveira

Para confirmar a existência desta doença, o Instituto de Medicina Tropical da UFRN em parceria com a Universidade Federal de Goiás, recebe amostras de animais suspeitos, encaminhadas pelos CCZs de Natal e região metropolitana. Esse material é inicialmente recebido pela técnica de laboratório Ingryd Câmara Morais (IMT/RN), na sequência os fungos isolados são avaliados pelo professor Thales Arantes (UFG) com apoio da professora Raquel Theodoro (IMT/UFRN).

O trabalho procede com o estudo de identificação molecular, que aponta qual espécie fúngica está causando a doença. No diagnóstico inicial, por cultura, chega-se até o gênero do fungo. Como a esporotricose é causada por várias espécies de fungos de um mesmo gênero, o gênero Sporothrix, a prova molecular leva à identificação da espécie vinculada à doença.

O próximo passo do estudo, coordenado por Thales Arantes, com financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é identificar a origem dos fungos que causam a esporotricose no RN. A hipótese inicial é que eles tenham sido trazidos no retorno dos migrantes que, em décadas passadas, foram tentar a vida nas regiões Central e Sul do país.

A tarefa começa com o estudo das sequências do DNA desses fungos para que se possa comparar com os bancos de dados disponíveis e identificar as várias espécies do gênero Sporothrix e sua origem em relação a entrada no RN.

Com informações da UFRN

https://www.ufrn.br/imprensa/reportagens-e-saberes/32797/rn-enfrenta-surto-de-esporotricose

Opinião dos leitores

  1. O interessante era saber os sintomas dos gatos infectados para podermos cuidar e nos precaver também…

  2. Tem que cuidar com essa notícia! Muitas pessoas interpretam que os gatos são responsáveis e os mais tratos crescem imensamente! Muito bem colocado que tem cura! Agora dizer que é caro um tratamento de 80 reais por mês, é um tanto de negligência. Para se tratar uma doença, não é muito caro. Remédios muito importantes para diversos tratamentos custam 200,300 por mês.. tem muito médico (veterinário e humano) que nem pergunta a condição ou se a pessoa está disposta a enfrentar esses 80 por mês..
    Eu já presenciei mais de 30 curas de esporotricose em gatos e nenhum humano que aplicou o tratamento foi infectado.
    Os gatos também são vítimas, não são culpados. É um fungo, que como disse a matéria, se encontra em espinhos, lascas de madeira, palha e vegetais em decomposição.
    Assim como a leishmaniose que tem como culpado um mosquito que o humano mal educado ajuda a proliferar e quem leva a culpa são os cachorros.

  3. Manda matar esses gatos vadios que andam perambulando por si, ou manda esses defensores desses animais recolherem os mesmos e levarem para as casas deles, acho que resolve o problema.

    1. Ai Jesus… quanta ignorância… quem é animal mesmo??? Vão estudar um pouco mais sobre a doença antes de colocar a culpa nos gatos…

    2. Você está sendo radical ao extremo. Será que os defensores dos direitos humanos têm que levar os marginais ou deliguentes pra suas. Não é por aí. Isso é um pranto cheio pra quem não gosta de animais até mesmo da sua própria raça (humana)… HUMANOS…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

VÍDEO: Míssil de defesa aérea russo falha, dá meia-volta e explode a própria base de lançamento

Após o lançamento de um míssil de defesa aérea russo, o projétil apresentou mau funcionamento, deu uma volta de 180 graus e explodiu em sua própria base de lançamento – nenhuma baixa foi notificada.

O episódio ocorreu na região de Luhansk na madrugada desta sexta (24), e segundo informações locais o sistema era operado por separatistas pró-russos.

UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Aneel mantém bandeira verde no mês de julho

Foto: R7

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou nesta sexta-feira (24) que manterá a aplicação da bandeira verde para as tarifas de energia no mês de julho. Em vigor desde maio, a tarifa não tem custo adicional ao consumidor.

Foi a 1ª vez que a bandeira verde foi aplicada a todos os consumidores desde a crise hídrica, em 16 de abril de 2021. A expectativa do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) é que fique em vigência até o final de 2022.

A medida sinaliza condições favoráveis de geração de energia elétrica. Para os consumidores beneficiários da tarifa social, a bandeira verde está em vigor desde dezembro de 2021.

A Aneel reajustou as demais bandeiras tarifárias na terça-feira (21), que começariam a valer julho de 2022 a junho de 2023. O aumento foi de 59,5% para a bandeira amarela, 63,7% para a vermelha patamar 1 e 3,2% para a vermelha patamar 2.

Eis os valores aprovados:

  • verde: sem custo adicional;
  • amarela: R$ 2,99 a cada 100 KWh;
  • vermelha patamar 1: R$ 6,50 a cada 100 KWh;
  • vermelha patamar 2: R$ 9,79 a cada 100 KWh.

Poder 360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gastronomia

Papo de Fogão especial de São João recebe o cantor e repentista Placillio Diniz e a Influencer Gastronômica Jeane Nunes

Neste fim de semana teremos mais uma edição do Papo de Fogão Especial de São João, e dessa vez, teremos a presença do cantor e repentista Placillio Diniz. No fogão, Fernando Amaral traz a receita de um Mungunzá Salgado e na dica rápida, a Influencer Gastronômica de Campina Grande/PB, Jeane Nunes, prepara um Escondidinho de Jerimum com Carne Seca Low Carb. Vem que vai tá bom demais!

SÁBADO
Band Nordeste
MARANHÃO, 7h
CEARÁ, 8h
ALAGOAS, 10h

PARAÍBA – VOLTAMOS EM JULHO
TV CORREIO/RECORD – 13h30

DOMINGO⠀
RIO GRANDE DO NORTE – TV Tropical – 10h

Ou no nosso canal do YouTube http://youtube.com/c/PapodeFogao

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Governo federal manda TikTok remover conteúdos impróprios para menores; Rede social tem 72 horas para cumprir a ordem

Foto: AFP

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, determinou que o aplicativo TikTok suspenda a exibição de conteúdos impróprios para menores de 18 anos no Brasil.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (24/6) e assinada pela diretora Laura Postal Tirelli, da Senacon. Conforme estabelecido no despacho, a rede social tem 72 horas para cumprir a ordem.

O prazo começa a contar a partir do momento em que a ByteDance, responsável pelo TikTok, for notificada oficialmente. Em caso de descumprimento, será aplicada multa diária no valor de R$ 1 mil.

Segundo a Senacon, os conteúdos exibidos na rede social englobam “por exemplo — mas não somente —, uso de drogas, sexualização, jogos de azar e violência”.

“[A restrição deve valer] Até que o sistema de segurança da plataforma, que impede o cadastro de menores de 13 anos de idade e limita o acesso a todo o conteúdo por menores de 16 anos, seja aperfeiçoado, de modo que a idade dos usuários seja verificada de maneira eficaz pela representada”, ressalta trecho do despacho.

Além da restrição, o governo solicitou que a plataforma envie um ofício com “informações atualizadas do procedimento” aos seguintes órgãos:

  • Ministério Público Federal de São Paulo (MPF-SP);  
  • Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; e  
  • Agência Nacional de Proteção de Dados.

O que diz o TikTok

Em nota (leia a íntegra abaixo), o TikTok disse que não foi notificado oficialmente. A rede social, no entanto, enfatizou que menores de 13 anos não são permitidos no aplicativo, e destacou que removerá conteúdos que estejam em desacordo com as diretrizes da plataforma.

Leia a íntegra da nota do TikTok

“A segurança da comunidade do TikTok é nossa maior prioridade e temos políticas, processos e tecnologias robustas para ajudar a proteger todos os usuários, principalmente os nossos membros mais jovens. Para garantir um ambiente seguro para todos, nossas diretrizes da comunidade deixam claro os conteúdos que não são permitidos em nossa plataforma, como por exemplo violência e conteúdos explícitos, que serão removidos assim que identificados. Fazemos parceria com especialistas e organizações de segurança para apoiar este trabalho, e dialogamos com líderes do setor para promover medidas de segurança dos jovens no TikTok, entre elas definir contas com menos de 16 anos como privadas, por padrão, e permitir que os pais vinculem suas contas às de seus filhos por meio da sincronização familiar.”

 Metrópoles

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Comitê aprova Caio Paes de Andrade para presidência da Petrobras

Foto: MICHEL JESUS/CÂMARA DOS DEPUTADOS – 26.4.2021

O Comitê de Elegibilidade da Petrobras aprovou, nesta sexta-feira (24), a indicação de Caio Mário Paes de Andrade para assumir a presidência da empresa por maioria. Agora, o Conselho de Administração precisa convocar uma assembleia-geral extraordinária para confirmar o novo presidente.

Andrade é formado em comunicação social pela Universidade Paulista, pós-graduado em administração e gestão pela Universidade Harvard e mestre em administração de empresas pela Universidade Duke. Ele foi escolhido no fim de maio para comandar a Petrobras no lugar de José Mauro Ferreira Coelho, que renunciou ao posto na segunda-feira (20).

O Comitê de Elegibilidade é formado por Francisco Petros e Luiz Henrique Caroli, membros do Conselho de Administração e do Comitê de Pessoas, e por Ana Silvia Matte e Tales Bronzato, membros externos do Comitê de Pessoas. Marcelo Mesquita, eleito pelos acionistas minoritários detentores de ações preferenciais, também participará do processo de análise da indicação.

Enquanto isso, Fernando Borges é o presidente interino da estatal. Ele é diretor-executivo de Exploração e Produção e foi nomeado pelo Conselho de Administração em decorrência da vacância na presidência da companhia.

Em caso de aprovação do nome de Andrade pelo Conselho de Administração, será o quarto presidente da Petrobras na gestão de Jair Bolsonaro. Antes dele, comandaram a estatal: José Mauro Ferreira Coelho, Joaquim Silva e Luna e Roberto Castello Branco.

R7

Opinião dos leitores

  1. A Petrobras é constituída na sua grande maioria por PTralhas concursados. Entenderam agora.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pfizer envia à Anvisa pedido para liberar dose de reforço contra a Covid para jovens de 12 a 17 anos

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu, nesta sexta-feira (24), o pedido da Pfizer para incluir na bula da sua vacina a indicação da dose de reforço para adolescentes de 12 a 17 anos.

Em nota, a agência reguladora afirmou que vai avaliar os dados clínicos apresentados pela farmacêutica e explicou que as informações devem comprovar o benefício da dose adicional para a faixa etária.

Segundo a Anvisa, o prazo de análise para a solicitação é de 30 dias.

A Pfizer já havia solicitado, em 20 de junho, a inclusão da dose de reforço para crianças de 5 a 11 anos. Atualmente, o reforço da vacina já está liberado para maiores de 18 anos, mas a recomendação do Ministério da Saúde contempla a faixa etária acima dos 40 anos.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Idosa foi estuprada antes de morrer espancada no RN, aponta laudo do Itep

Foto: InterTV Cabugi

O Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep-RN) concluiu o laudo de conjunção carnal que comprovou que Adalgisa Fagundes Neves, de 61 anos, foi estuprada antes da morte. O corpo foi encontrado no último dia 23 de maio em Baraúna, mas a idosa só morreu em Mossoró, na Região Oeste do RN, no mesmo dia.

Segundo o delegado Luiz Fernando, responsável pelas investigações, o inquérito foi remetido à Justiça com o indiciamento por homicídio e estupro. O resultado foi divulgado na quinta-feira (23).

“Ela teve um traumatismo craniano pelas agressões. O resultado do laudo foi anexado ao inquérito remetido à Justiça”, afirma Luiz.

O suspeito de cometer o crime é Matheus Mangueira da Silva, de 23 anos, que segue foragido da justiça.

G1 RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

MPF pede que caso de Milton Ribeiro seja encaminhado ao STF para investigação de suposta interferência de Bolsonaro

Foto: Reprodução/ Flickr Ministério da Educação

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça para que o inquérito que apura denúncias de corrupção no Ministério da Educação sob o comando de Milton Ribeiro seja enviado para o Supremo Tribunal Federal (STF).

A medida seria necessária devido a uma possível interferência política na investigação. De acordo com o órgão, em conversas telefônicas de Ribeiro, há indícios de que houve vazamento de informações sobre a operação e possível interferência ilícita do presidente Jair Bolsonaro (PL). O pedido foi aceito pelo juiz Renato Borelli, da 15ª Vara de Justiça Federal de Brasília, e a relatora do caso no STF será a ministra Cármen Lúcia.

“Outrossim, nesta oportunidade, o MPF vem requerer que o auto circunstanciado nº 2/2022, bem como o arquivo de áudio do investigado Milton Ribeiro, que aponta indício de vazamento da operação policial e possível interferência ilícita por parte do residente da República Jair Messias Bolsonaro nas investigações, sejam desentranhados dos autos e remetidos, de maneira apartada e sigilosa, ao Supremo Tribunal Federal”, escreveu o Ministério Público na solicitação.

Ribeiro foi alvo da operação ‘Acesso Pago’ da Polícia Federal e foi detpreso na quarta, 22, embora tenha obtido um habeas corpus na quinta, 23. A operação foi parte de investigação de supostas irregularidades na liberação de recursos do Ministério da Educação, no período entre julho de 2020 e março de 2022, quando Ribeiro comandou a pasta.

Ele é investigado pela PF desde março por suposto esquema de favorecimento a pastores. Os religiosos Gilmar dos Santos e Arilton Moura são apontados como membros de um gabinete paralelo do MEC, sendo responsáveis por intermediar reuniões entre os prefeitos e o ministro Milton Ribeiro e facilitar os pedidos de mandatários de municípios em troca de propinas, que iam de ouro à compra de Bíblias. Os pastores também são alvo de investigação da Polícia Federal e estão entre os que foram presos preventivamente, mas liberados.

Jovem Pan

Opinião dos leitores

  1. Festival de fack News para desqualificar e jogar no lixo a imagem de Bolsonaro.
    Verão que é tudo mentira e esquema dos petralas kkkkkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Brasil registra 334 óbitos e 60 mil casos nas últimas 24h

Foram divulgados os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta sexta-feira (24), de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass):

– O país registrou 334 óbitos nas últimas 24h, totalizando 670.229 mortes;

– Foram 60.384 novos casos de coronavírus registrados, no total 32.023.166;

A média móvel de óbitos nos últimos sete dias é de 188. A a média móvel de novos casos é de 49.970.

O ministério da Saúde calcula que mais de 30,5 milhões de pessoas já se recuperaram da Covid.

Opinião dos leitores

  1. O mequetrefe do Lula disse, ” Ainda bem que a natureza criou esse monstro do coronavírus “.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Emprego

Desemprego cai a 9,4% em abril, menor nível desde outubro de 2015, aponta Ipea

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Um estudo divulgado nesta sexta-feira (24), pelo Instituto de Pesquisa Econômica (Ipea), aponta que a taxa de desemprego recuou em abril e chegou a 9,4%. O dado foi calculado pelo órgão a partir dos números trimestrais da Pesquisa Nacional por Amostral de Domicílios Contínua (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, (IBGE). Esse é o menor nível registrado desde outubro de 2015.

A análise interanual aponta que a taxa de desocupação recuou 4,9% pontos percentuais em relação a 2021. A população ocupada em abril alcançou 97,8 milhões de trabalhadores, o índice mais alto desde o início da PNAD, em 2012. A força de trabalho cresceu 3,7% de janeiro e abril e atingiu 109,1 milhões de pessoas, maior contingente já apurado na pesquisa.

Atualmente, segundo o trabalho, são cerca de 11 milhões de pessoas desempregadas pelo país. A retomada do emprego é classificada como generalizada: ocorre em todas as regiões, segmentos etários, educacionais e atinge todos os setores da economia. No entanto, ela é mais acelerada nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, onde as taxas de desemprego são de 8,5% na primeira e de 11,1% na segunda.

Nacionalmente, os mais jovens foram os mais beneficiados pela redução: a taxa de desemprego neste grupo, que chegou a 30% no primeiro trimestre, caiu para 22,8%. No entanto, ainda é mais que o dobro do índice registrado na população brasileira em geral.

Foram analisados 13 setores econômicos no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado, e seis deles apresentaram crescimento de ocupação superior a 10%. Os destaques foram os segmentos de alojamento e alimentação (32,5%), serviços pessoais (19,5%) e domésticos (19,4%).

O trabalho apontou ainda redução no desalento: classificação utilizada para incluir as pessoas que gostariam de trabalhar, mas desistiram de procurar emprego por acreditar que não seria possível encontrar um posto de trabalho. A proporção de desalentados recuou de 5,1% para 3,7% e representa um total de 4,2 milhões de pessoas. É o menor total desde setembro de 2017.

Cerca de 6,5% da população trabalha menos de 40 horas semanais e gostaria de trabalhar mais. Essa é a classificação de subocupados: eles são 6,4 milhões de pessoas. O dado atual reflete uma queda de 1,7 ponto percentual em relação ao mesmo período de 2021.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Seu louco, porque você não comenta o caso de corrupção, envolvendo o ex ministro Milton Ribeiro e Bolsonaro, o que foi, está comedo. Você de politica não entende nada, é só mais um bolsonarista sem cérebro

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *