Servidores estaduais terão ato e paralisação nesta quinta

Sindicatos cobram pagamento em dia e retirada de mensagem da Assembleia Legislativa

O funcionalismo público do RN terá uma paralisação nesta quinta-feira (18), com um ato público a partir das 09h, em frente à Governadoria. O objetivo é cobrar do governo o atendimento de uma pauta unificada, que tem como principal ponto o pagamento em dia dos salários. Os sindicatos e entidades que compõem o Fórum dos Servidores Estaduais protocolaram um pedido de audiência e esperam ser recebidos pelo governador Robinson Faria.

Os servidores estão insatisfeitos com o atraso constante e a ausência de um calendário de pagamento. No Nordeste, apenas o Rio Grande do Norte e Sergipe continuam atrasando o pagamento de servidores e aposentados. Sendo que o RN é o único a não divulgar a data de pagamento até o início do mês.

O funcionalismo pede ainda a reposição salarial, para recuperar o poder de compra dos salários. Os servidores da saúde, por exemplo, estão há sete anos com o salário-base congelado e pedem um reajuste de 32,06%.

Outro ponto a retirada da mensagem 118 da Assembleia Legislativa, que prevê o aumento de 3% na contribuição previdenciária dos servidores ao IPERN, e o combate ao assédio moral e o desmonte do serviço público.

Ato público – Funcionalismo estadual
Quinta, 18 de maio
09h – Governadoria

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santiago disse:

    Governantes populistas no passado foram alimentando gradativamente o crescimento da máquina pública, com inchaço e assimetria na distribuição de servidores públicos, além de atendimento de pleitos de algumas castas privilegiadas com super salários. Não deu outra – Estado atolado em dívidas e com serviços ruins e ineficientes.
    Em qualquer lugar civilizado, a maior parte do custeio do Estado serve para manter os custos de funcionamento dos serviços. Já no Brasil, a arrecadação serve para custear remunerações dos servidores e dos comissionados. Um magistrado no Brasil custa três a quatro vezes um equivalente na Suécia.

  2. Teresa castro disse:

    Não vai adiantar em nada. Tem que fazer uma greve. Ficar la dentro igual aos funcionários da prefeitura.

  3. Sérgio cunha disse:

    Os auditores mostrarão que Estado tem dinheiro o problema é falta de gestão

  4. Assis Porto mirim disse:

    Sandro Alves e só vc estudar para passar no concurso

  5. Assis Porto mirim disse:

    Paga salário em dia na dar 10%

  6. Sandro Alves disse:

    Outra fórmula fácil, deixa de pagar os deputados, juízes e desembargadores por três meses. Tudo se resolve.

  7. Sandro Alves disse:

    Acredito numa solução fácil. Quem não aguenta pede pra sair. Tem muitos querendo receber parcelado, pois não tem nem salários.

  8. paulo martins disse:

    Os servidores do Ipern constituem hoje uma casta privilegiada. Conquista da gestão Paulo Linhares.
    Portanto, se tiverem um mínimo de independência, bom senso e espírito público, os "nobres" deputados devem manter intacta a mensagem 118.
    E não se fala mais nisso – né, sindicalha?

    • Klebson Silva disse:

      Verdade, tem muita gente por lá faturando acima dos R$ 15 mil / mês, só não sei como foi essa mágica, já que os demais servidores público do executivo não conseguem chegar perto disso.

    • Frasqueirino disse:

      Alguns salários do IPERN são imorais. Mas segundo a justiça que os concedeu são legais!

  9. FRASQUEIRINO disse:

    Se alguém tem uma solução para colocar o pagamento dos servidores em dia que leve para a plenária que vai acontecer amanha. Nas reuniões que acontece com o Fórum dos Servidores os Secretários que fazem parte da área econômica teem aberto as contas do Governo e mostrado a caótica situação do nosso RN. Alguém acha que Governador ou Prefeito vai atrasar salários tendo dinheiro em caixa? Claro que não.

    • joacy disse:

      Simples, deixar de mentir e pagar o pessoal em dias, ou ainda tem gente que acredita nessa "crise'.

  10. Assis Porto mirim disse:

    Esse governador tá matando de fome o servidor e sua família

    • M. D. R. disse:

      Sem dúvidas, sequência de atrasos o que sobra para os servidores são pagamentos de juros do cheque especial, juros nos cartões de créditos e etc. O que resta para o funcionalismo, é segurar essa mala até o fim do mandato.

COMENTE AQUI