Sesap divulga nota técnica sobre as meningites no RN; surto está descartado

De acordo com a nota, dos 10 casos de doença meningocócica confirmados no Rio Grande do Norte em 2014, quatro são residentes em Natal, dois em Macaíba, um em Pureza, um em Parnamirim, um em Nísia Floresta e um em Ielmo Marinho. Até o presente momento não houve correlação entre eles.

Com a nota técnica a Suvige descarta a ocorrência de surto de meningite no estado.

NOTA TÉCNICA Nº 05/ 2014

Assunto: Situação Epidemiológica das Meningites no Rio Grande do Norte

1. Entre Janeiro e maio de 2014, a Secretaria de Estado da Saúde Publica do Rio Grande do Norte – SESAP/RN recebeu 48 notificações de casos suspeitos de meningites, destes 26 foram confirmados sendo, dois para meningite meningocócica, seis meningococemia, duas meningite meningocócica com meningococemia, 10 meningite bacteriana, uma Meningite não especificada, duas meningite viral meningite por outra etiologia, tabela 1.

Tabela 1 – Casos de meningite confirmado segundo classificação etiológica e ano de ocorrência, Rio Grande do Norte, 2007 a 2014*
Untitled-1Fonte: SINAN-SUVIGE/CPS/SESAP-RN
*Dados até a SE nº 22 (terminada em 31/05/2014), sujeito a alteração

2. Dos 167 municípios do RN, 22 notificaram casos suspeitos de meningite Os municípios que notificaram mais de um caso foram: Natal (14 casos), Parnamirim (seis casos), Mossoró (cinco casos), Tenente Laurentino (dois casos), Passa e Fica (dois casos) e Nova Cruz (dois casos), Figura 1.

Figura 1 – Distribuição espacial dos casos confirmados de meningite por município de residência, Rio Grande do Norte,2014

Untitled-2Fonte: SINAN-SUVIGE/CPS/SESAP-RN

*Dados até a SE nº 22 (terminada em 31/05/2014), sujeito a alteração

3. As ações de controle frente às notificações foram desencadeadas oportunamente pelas Secretarias Municipais de Saúde, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde. As medidas adotadas incluem: assistência médica, hospitalização imediata, com ênfase no diagnóstico precoce e tratamento adequado. A ação de controle mais importante para a proteção da população, que previne efetivamente o aparecimento dos casos novos, é a quimioprofilaxia dos contatos próximos (moradores do mesmo domicilio, indivíduos que compartilham o mesmo dormitório, comunicantes de creche e pessoas diretamente expostas às secreções do paciente).

4. No Brasil, a doença meningocócica (Meningite meningocócica, meningococcemia e meningite meningocócica com meningococcemia) é considerada uma doença endêmica. A ocorrência de casos é esperada ao longo de todo o ano, principalmente no inverno.

5. Abaixo está colocada a distribuição de casos e óbitos confirmados por doença meningocócica ocorridos no Rio Grande do Norte nos anos de 2012 a 2014, considerando apenas as semanas epidemiológicas de 01 a 22.

Gráfico 01 – Casos e óbitos confirmados de Doença Meningocócica por semana epidemiológica, Rio Grande do Norte, semanas epidemiológicas de 01 a 22 nos anos de 2012 a 2014*.

Untitled-3Fonte: SINAN-SUVIGE/CPS/SESAP-RN

*Dados até a SE nº 22 (terminada em 31/05/2014), sujeito a alteração

6. Dos 10 casos de doença meningocócica confirmados no Rio Grande do Norte em 2014, quatro são residentes em Natal, dois em Macaíba, um em Pureza, um em Parnamirim, um em Nísia Floresta e um em Ielmo Marinho. Até o presente momento não houve correlação entre eles, reforçando a oportunidade nas medidas de controle realizadas, após a notificação dos mesmos. (Gráfico 2)

Gráfico 02 – Casos Confirmados de Doença Meningocócica por semana epidemiológica,

Rio Grande do Norte,

2014*.

Untitled-4Fonte: SINAN-SUVIGE/CPS/SESAP-RN

*Dados até a SE nº 22 (terminada em 31/05/2014), sujeito a alteração

7. Os 4 óbitos de doença meningocócica eram de residentes nos municípios de Nísia Floresta

(1caso), Macaíba (2 casos) e Natal (1 caso)

8. Surto é definido como a ocorrência de casos além do que é esperado para a população ou determinado grupo de indivíduos em um período específico. Os surtos de Doença Meningocócica precisam ser distinguidos de um aumento de casos esporádicos e de casos epidemiologicamente não relacionados.

9. A meningite pode ser causada por vírus ou bactérias e as vacinas disponíveis são específicas para cada agente etiológico, não existe uma vacina que proteja contra todos os tipos de meningites. Algumas destas vacinas já estão disponíveis no calendário básico de vacinação das crianças, são elas: Pentavalente (DTP+Hib+Hep. B), Pneumocócica 10-valente (conjugada), BCG-ID e Vacina Meningocócica C.

10. Em reunião técnica realizada na SESAP/RN e baseado nas informações acima citadas, a Vigilância epidemiológica chegou à conclusão que não há surto de meningite no Estado.