Sesap emite nota sobre macas "presas" do SAMU

A Secretaria de Estado da Saúde Publica reconhece que apesar dos esforços para organizar os corredores do Politrauma dos Hospitais de Referencia do Estado, as unidades ainda continuam superlotadas com pacientes clínicos. Isso faz com setores críticos dos Hospitais Estaduais atinjam sua capacidade máxima diante da insuficiência dos serviços de baixa e media complexidade da capital e dos municípios do interior.

A Sesap esclarece ainda que a Capital do Estado doRio Grande do Norte que conta com quase 900 mil habitantes deveria possuir 4 Unidades de Pronto Atendimento, como preconiza o Ministério da Saude, e possui apenas uma em funcionamento.

Esse déficit faz com que as únicas portas do Serviço Móvel de Urgência sejam os pronto socorros estaduais que acabam atendendo toda a demanda oriunda dos municípios.

No caso das ambulâncias de Suporte Avançado do Samu, retidas no Hospital Walfredo Gurgel no momento do chamado, ocorreu em função dos pacientes, com quadro clinico grave, estarem em processo de estabilização naquele momento.