‘Aliança pode sair da mão de Vélez e ir para a gaveta’, diz Bolsonaro sobre possível demissão de ministro da Educação

Foto: Valter Campanato

Em café da manhã com jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro indicou que pode demitir o ministro da Educação, Ricardo Vélez , no início da próxima semana. Se a saída do ministro for confirmada, ele será o segundo a ser exonerado por Bolsonaro desde a posse. Em fevereiro, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, foi o primeiro.

— Está bastante claro que não está dando certo o ministro Vélez. Na segunda-feira, vamos tirar a aliança da mão direita, ou vai para a esquerda ou vai para a gaveta – disse o presidente, acrescentando que a decisão já está tomada.

O ministério de Vélez enfrenta uma crise desde o início do governo, com uma série de demissões e de problemas administrativos.

Em meio à disputa de poder dentro do Ministério da Educação (MEC), pelo menos 16 pessoas do alto escalão já foram demitidas em menos de três meses de gestão. E essa crise emperra programas importantes da pasta, prejudicando o sistema educacional brasileiro.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Odin disse:

    Uma sequência de erros na política externa causa danos à imagem internacional do Brasil, queimando um capital político construído ao longo de décadas. Bolsonaro em apenas 90 dias de governo causou prejuízos econômicos concretos ao país, aumentando o desemprego e desestruturando cadeias produtivas exportadoras, como a de proteína animal. Pobre Brasil.

  2. Antônio disse:

    Ao menos uma atitude sensata, o senhor não tem a menor capacidade para estar a frente da educação. O estrago já está feito para agenda deste e do próximo ano, mas ao menos se estanca a sangria.

    • Jorge Lobo disse:

      Temos que tirar quem o colocou na pasta, esse sim o verdadeiro problema do Brasil!!!