‘Passar fome no Brasil é uma grande mentira’, diz Bolsonaro

Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Em café da manhã com jornalistas, Jair Bolsonaro afirmou que ninguém passa fome no Brasil.

Questionado sobre os planos do governo federal para a erradicação da fome e a diminuição da pobreza, o presidente destacou que “não se vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético”.

“O Brasil é um país rico para praticamente qualquer plantio. Fora que passar fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não come bem, aí eu concordo. Agora, passar fome, não. Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético, como a gente vê em outros países pelo mundo.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Eita gentinha mau intencionada, pegaram uma frase fora do contexto do nosso Herói Messias, só para virar notícia negativa.
    Não cola mais de 60 ./. conhece o nosso Herói e sabe que ele vai acabar aí sim com a fome deixada pelos governos anteriores.

  2. Luana Delgado disse:

    Meu Deus, é um desatino atrás de outro, onde vamos parar? como esse homem consegue falar tantas besteiras, tontices e bobagens. Chega a cansar pois é todo santo dia.

  3. Zé Cuia disse:

    GRANDE MENTIRA é tudo q sai da boca deste presidente. Ele próprio foi eleito por meio de mentiras.

  4. Bozo-Vacilão disse:

    Esse Bozo é uma piada.

  5. B.B Trenó disse:

    Isso é uma grande verdade, Mito!!
    É discurso de sindicalistas.

    • NEIDE disse:

      PORQUE VC DEVE TER O QUE COMER TODOS OS DIAS. QUANDO A DOR NÃO DÓI NA GENTE PARECE QUE NÃO EXISTE, NÃO É MESMO?

    • Marlos Lima disse:

      Deve dividir 1 ovo cozido com a família em todas as refeições e pinta de bacana

“Se existe um telefone grampeado no Brasil, é o meu”, diz Bolsonaro em café da manhã com jornalistas

Em café da manhã com jornalistas nesta manhã, no Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro afirmou acreditar que o seu telefone celular possa estar grampeado.

“Se existe um telefone grampeado no Brasil, esse telefone é o meu”, afirmou o presidente.

‘Se existe um telefone grampeado no Brasil é o meu’, diz Bolsonaro

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. marcus disse:

    kkkkkkkkk esse romulo é muito engraçado kkkkkkkkkk

  2. Rômulo disse:

    Com certeza é grampeado! Os americanos da NSA devem morrer de rir do presidente mais idiota de todos os tempos!

    • Luladrão disse:

      Acredito que eles riam mais do analfabeto que governava o nosso Brasil. Além de ser o chefe da maior quadrilha de roubo ao dinheiro público na história mundial.

    • Fernando disse:

      A unica certeza romulo, é que lula ta preso. kkkkkk E mesmo solto, continuará ser um bandido cumprindo em semi-aberto.

    • Tuca disse:

      Rômulo, pula fora dessa barca furada homi.
      Lula tá preso babaca.

“Quem defende fechamento do STF e do Congresso está na manifestação errada”, diz Bolsonaro

Em café da manhã com jornalistas, Jair Bolsonaro disse o seguinte ao comentar as manifestações convocadas para domingo.

“Quem defende o fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional está na manifestação errada.”

Segundo o presidente, “essa pauta está mais para Maduro”.

O registro é da Band News.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. André Fortes disse:

    Está certo o mito. Parabéns pra ele pela sensatez na fala.

“Só o amor constrói”, diz Bolsonaro no Twitter ao exibir comentários de ódio e desejo por morte a Silvio Santos após o apresentador receber o presidente

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro gravou nessa quinta-feira(02) uma entrevista ao Programa Silvio Santos, do SBT. A participação será transmitida no domingo(05). Em seu Twitter, o presidente chamou Silvio Santos de “maior comunicador deste país”. Segundo Bolsonaro, no programa, ele irá falar sobre “assuntos de interesse de todos os brasileiros, incluindo a Nova Previdência”.

Ainda no microblog Twitter, Bolsonaro mostrou nesta sexta-feira(03) mensagens de ódio em redes sociais contra o apresentador e dono do SBT, após ter dado espaço ao presidente com gravação, conforme noticiários, repleta de bom humor e bom relacionamento da dupla. “Só o amor constrói”, disse o capitão sobre os comentários desrespeitosos a Silvio Santos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Leonardo disse:

    Quem é mesmo que vomita ódio contra seus opositores?
    Quem é mesmo que deseja o mal as pessoas só porque tem ligação com opositor político?
    Quem é mesmo que não sabe dialogar?
    Quem é mesmo que não sabe ser oposição de forma civilizada e construtiva?
    Quem é mesmo que dá apoio a corrupto e a libertinagem como forma de vida?
    Muito bom essas reações públicas, revelando de forma incontestável o caráter da oposição que julga, culpa e acusa os outros daquilo que ele é!
    Caiu a máscara! Estamos testemunhando a verdadeira face da esquerda.

    • Edilberto disse:

      Pode desistir de povo Leonardo, não tem cura!!! E não podemos nem dá atenção ao q eles falam. Continuo achando que vai faltar psiquiatra pra cuidar dessa gente. Isso mesmo, gente.
      Humanos eles não são.

“Briga aqui é só para ver quem vai lavar a louça”, diz Bolsonaro, sobre atritos entre Carlos e Mourão

Foto: Marcos Côrrea / Presidência

Há pouco, durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro tentou mais uma vez baixar a bola dos ataques de seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro , contra o vice-presidente, Hamilton Mourão. Perguntado o que achava da sucessão de tuítes publicados pelo “02” criticando o general, ele se valeu de uma metáfora curiosa. “Não tem atrito . Estamos dormindo todo dia juntos, dando beijinho a noite toda. Briga aqui é só para ver quem vai lavar a louça”, disse rindo aos presentes. A seu lado, Mourão completou: “Ou para ver quem vai cortar a grama”.

Durante uma hora, Bolsonaro foi perguntado sete vezes sobre o assunto. Em todas, negou desavenças. Também deu a palavra a Mourão para que ele próprio desse seu parecer sobre os ataques públicos que vem sofrendo do filho do presidente — que já insinuou, inclusive, que o vice deseja dar um golpe. “Cada um tem direito de falar o que quiser”, disse.

Quando o presidente comentava pela quinta o vez o assunto, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, pediu a palavra. Disse que a imprensa tinha “obsessão” em criar um mal-estar entre núcleos do governo. “Tentar plantar essa discórdia é batalha perdida. Parem”, disse aos jornalistas.

“Parem com essa coisinha para encher coluna social. Isso apequena o país”. Também afirmou não haver qualquer desentendimento da chamada “ala militar” (reforçando que o termo era equivocado por não haver uma “ala militar” no governo. “Ala que não se reúne não é ala”, disse). “É dar muito espaço para coisas que não são importantes. O que é importante é que estamos desfazendo mais do que fazendo nesse momento. Isso dá trabalho e toma tempo”, falou Augusto Heleno.

Época

“Sem reforma, nós vamos ficar como a Argentina”, diz Bolsonaro

Bolsonaro reafirmou importância de aprovar reforma da Previdência. Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (25) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, aceita até o limite de R$ 800 bilhões em economia com a reforma da Previdência em dez anos. O ministro vem, desde a apresentação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma da Previdência, defendendo um mínimo de economia de R$ 1 trilhão. Mas, segundo Bolsonaro, para aprovar a reforma, com os ajustes defendidos no Congresso, ele aceita baixar esse valor até esse limite.

“Se a reforma da Previdência não der certo, o caos vai se instalar. Sem a reforma, ninguém mais vai confiar no Brasil”, disse o presidente, durante café da manhã com jornalistas, do qual o Estado de S. Paulo participou. “Uma economia abaixo de R$ 1 trilhão, nós vamos ficar como a Argentina. O Paulo Guedes diz que o limite é R$ 800 bilhões”, completou.

Bolsonaro disse que o placar da aprovação da PEC na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara o “surpreendeu positivamente”, mas se queixou sobre o mercado ainda ver incerteza mesmo depois da aprovação do texto na comissão.

Na quarta-feira (24), o dólar não deu trégua e fechou na maior cotação desde 1º de outubro de 2018. A moeda americana terminou o pregão da quarta-feira cotada a R$ 3,9864, com alta de 1,64%. A admissibilidade do texto foi aprovada no colegiado na noite de terça-feira (23), por 48 a 18 votos.

Ainda sobre a reforma, o presidente voltou a dizer que “a bola está com o Parlamento”, mas que tem gente que acha que o governo deve interferir. “Vamos mapear os parlamentares e fazer um trabalho em cima deles”, comentou.

Durante o café, o presidente aproveitou para elogiar, mais uma vez, o seu comandante da Economia. Bolsonaro disse que Guedes é a “rainha do tabuleiro de xadrez”, numa referência à capacidade de liderança e articulação do ministro.

O ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, também presente ao café com jornalistas, rebateu críticas sobre a paralisia do governo e disse que o Congresso irá aprovar a reforma. “Estamos mais desfazendo do que fazendo”, disse, comentando sobre a atuação do governo nesses primeiros meses. “Vai baixar uma crise patriótica no Congresso e vamos aprovar a reforma”, concluiu.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsolão disse:

    Lembrando que a Argentina fez a reforma da previdência em 2017. Além disso, o homem é liberal e amigo do Bozo! Então…..kkkkkk

  2. Manoel disse:

    O certo mesmo é deixar tudo como está e seguir o exemplo do RN: atrasar pensões, salários, comprometer as receitas só pagando salários e pensões, deixar a saúde, educação e segurança sem investimentos! O RN é rico! O Brasil é rico! Não precisa de reforma nenhuma! (ironia)

  3. JACKSON disse:

    Com ela o povo vai ficar lascado igual aos chilenos. Quem vai ganhar são os banqueiros.

    • Anti-político de estimação disse:

      ……e os mexicanos também. O que mais temo nessa reforma são duas coisas : a reforma light dos militares, o que gerará uma necessidade de outra reforma em breve pois neles reside o maior rombo previdenciário e a tal capitalização, que será um filé para o mercado financeiro e trará miséria e sofrimento para o cidadão comum.

‘Não sou economista’, diz Bolsonaro sobre decisão de intervir na Petrobras e cancelar aumento do diesel

Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Um dia após a Petrobras desistir de aumentar o preço do diesel, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não defende práticas “intervencionistas” nos preços da estatal, mas pediu uma justificativa baseada em números. Bolsonaro disse que telefonou para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

“Liguei pro presidente, sim. Me surpreendi com o reajuste de 5,7%. Não vou ser intervencionista e fazer práticas que fizeram no passado, mas quero os números da Petrobras, tanto é que na terça-feira convoquei todos da Petrobras para me esclarecer por que 5,7% de reajuste, quando a inflação desse ano tá projetada para menos de 5%”, afirmou o presidente nesta sexta-feira (12), durante inauguração do novo terminal de passageiros no Aeroporto Internacional de Macapá.

“Se me convencerem, tudo bem, se não me convencerem tudo bem. Não é resposta adequada para vocês, não sou economista, já falei. Quem entendia de economia afundou o Brasil, tá certo? Os entendidos afundaram o Brasil”, completou Bolsonaro.

O presidente declarou que está preocupado com os caminhoneiros, que em maio do ano passado mantiveram bloqueios em rodovias por todo o país e causaram uma série de problemas de abastecimento. O principal motivo para a paralisação foi a alta do diesel.

“Estou preocupado com o transporte de cargas, com os caminhoneiros, são pessoas que fazem o transporte de cargas, de riquezas, Norte a Sul, Leste a Oeste e tem que ser tratado com o maior carinho e consideração (sic). Nós queremos um reajuste, reajuste não, um preço justo para o óleo diesel”, afirmou Bolsonaro.

Ele disse ainda que quer conversar com a Petrobras sobre a política de preços.

“Nós sabemos que a Petrobras não é minha, é do povo brasileiro. E eu quero conversar com eles sobre a política de preços, quanto custa o barril de petróleo tirado no Brasil, quanto custa lá fora, onde nós refinamos, com que preço, a que custo.”

Bolsonaro também criticou os impostos estaduais e disse que é preciso “mostrar à população que o ICMS é altíssimo, tem que cobrar de governador também, não só do presidente da República”.

“Então, essa política, de cada vez impostos mais altos, para tirar cada vez mais do posto de combustível, nós temos que ver, porque o Brasil não pode continuar nessa política de preços altos, mas não pelo ‘canetaço’ ou por imposição do chefe do Executivo.”

Recuo por decisão do presidente

Nesta quinta-feira (11), a Petrobras anunciou que aumentaria em 5,74% o preço do diesel nas refinarias, que passaria de R$ 2,1432 para R$ 2,2662 no dia seguinte. Ainda na quinta, a estatal recuou da decisão por determinação de Bolsonaro. O valor de R$ 2,1432 é o mesmo praticado desde 22 de março.

Em comunicado, a companhia informou que “em consonância com sua estratégia para os reajustes dos preços do diesel divulgada em 25/3/2019, revisitou sua posição de hedge e avaliou ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel”.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse na quinta que o diesel é importante para os caminhoneiros e afirmou que um reajuste maior seria um “solavanco” na economia.

Reajuste mais longo

Em 26 de março, a Petrobras anunciou que os preços do diesel passariam a ser reajustados por períodos não inferiores a 15 dias. Com isso, a companhia abandonou, somente para o diesel, o formato usado desde 3 de julho de 2017, que previa reajustes com maior periodicidade – inclusive diariamente.

No fim de 2018, o governo anunciou o fim do programa de subsídios lançado após a greve dos caminhoneiros. A proposta tinha sido criada como uma resposta ao movimento grevista.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    É isso mesmo? Os PTralhas estão defendendo aumento do Diesel, só pra serem contra a Bolsonaro!
    Canalhas.

  2. Antonio Turci disse:

    Interessante. Brasileiros elegeram um tal de FHC que logo depois de eleito mandou que esquecessem o que ele escreveu; depois elegeram outro troço chamado Luiz da Silva, apelidado de Lula e, em seguida uma senhora totalmente desequilibrada e de pouco trato. Agora a maioria dos brasileiros elegeu um cidadão patriota, que não é nenhum gênio, mas tem boa vontade e amor ao país. Aí vem tudo que é esquerdista botar defeito. Pessoal, não existe ser humano perfeito. Deixemos o Presidente governar em paz e vamos critica-lo quando realmente houver necessidade.

  3. Rafael disse:

    Alguem ai assistiu a entrevista? O título é o famoso pega trouxa.

  4. Lauro disse:

    Socorro perdi 20 mil hoje com merda de Bolsonaro na Petrobrás. Se continuar assim Presidente, vc vai me quebrar.

  5. Jório disse:

    A Petrobrás tem muitos privilégios como Estatal. O pais não pode ficar inteiramente seu refém. Se não fosse o dinheiro do BNDES ela teria falido. Assim, em nome do interesse público do País, pode adiar a aplicação de um reajuste sobre o diesel. Até porque, até hoje, o País ainda se recupera dos efeitos da greve dos caminhoneiros. E uma das principais funções dos gestores é evitar crises que possam prejudicar o País.

  6. IBMendonca disse:

    Hammmm….conte uma novidade!!!
    Para quem não iria interferir na Petrobras….começou cedo!!!

  7. Fagner disse:

    Que situação meu Deus. Essa anta foi eleito presidente?

    • Rômulo disse:

      Haja feno!

      Mourão! Socorrooo!

    • Marcel disse:

      Inteligente mesmo na sua opinião devia ser a Dilma, né? Um ser incapaz de organizar uma oração simples pra expressar o seu raciocínio (se é que ela possuía essa faculdade mental).

    • #Lula na cadeia disse:

      Cala a boca vagabundo seu ladrao preferido está na cadeia….vocês preferem ROUBAR A PETROBRAS VERMES PTRALHAS

    • Edilberto disse:

      Essa anta, não rouba, já as antas que vc votou ,além de tudo ,rouba, mente, enganar pessoas como vc.

‘Aliança pode sair da mão de Vélez e ir para a gaveta’, diz Bolsonaro sobre possível demissão de ministro da Educação

Foto: Valter Campanato

Em café da manhã com jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro indicou que pode demitir o ministro da Educação, Ricardo Vélez , no início da próxima semana. Se a saída do ministro for confirmada, ele será o segundo a ser exonerado por Bolsonaro desde a posse. Em fevereiro, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, foi o primeiro.

— Está bastante claro que não está dando certo o ministro Vélez. Na segunda-feira, vamos tirar a aliança da mão direita, ou vai para a esquerda ou vai para a gaveta – disse o presidente, acrescentando que a decisão já está tomada.

O ministério de Vélez enfrenta uma crise desde o início do governo, com uma série de demissões e de problemas administrativos.

Em meio à disputa de poder dentro do Ministério da Educação (MEC), pelo menos 16 pessoas do alto escalão já foram demitidas em menos de três meses de gestão. E essa crise emperra programas importantes da pasta, prejudicando o sistema educacional brasileiro.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Odin disse:

    Uma sequência de erros na política externa causa danos à imagem internacional do Brasil, queimando um capital político construído ao longo de décadas. Bolsonaro em apenas 90 dias de governo causou prejuízos econômicos concretos ao país, aumentando o desemprego e desestruturando cadeias produtivas exportadoras, como a de proteína animal. Pobre Brasil.

  2. Antônio disse:

    Ao menos uma atitude sensata, o senhor não tem a menor capacidade para estar a frente da educação. O estrago já está feito para agenda deste e do próximo ano, mas ao menos se estanca a sangria.

    • Jorge Lobo disse:

      Temos que tirar quem o colocou na pasta, esse sim o verdadeiro problema do Brasil!!!

Governo libera R$ 82 milhões para obras da Adutora do Agreste; empreendimento usa o projeto de transposição do rio São Francisco para levar água a regiões de seca no Nordeste

Nessa quarta-feira (20), o Ministério do Desenvolvimento Regional anunciou a liberação de R$ 82 milhões para obras da Adutora do Agreste. O empreendimento usa o projeto de transposição do rio São Francisco para levar água a regiões de seca no Nordeste.

O presidente Jair Bolsonaro elogiou a ação nesta quinta-feira, reproduzindo a notícia através das redes sociais. O ministro Gustavo Canuto deu mais detalhes sobre a liberação da verba. Ela será destinada à construção de aquedutos que partem do rio e desviam parte de sua corrente para cidades afastadas.

– Em pré-operação, a Adutora do Agreste leva as águas do Eixo Leste do Projeto São Francisco para quase 400 mil pessoas no interior do estado de Pernambuco. Ao todo, o Eixo Leste do Projeto São Francisco já garante o abastecimento regular de água para um milhão de pernambucanos e paraibanos – defendeu o ministro.

Com acréscimo de informações do Jornal do Comércio

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. sonia disse:

    Sempre confie nesse governo do Bolsonaro. 🙂 Estamos lutando juntos por um Brasil melhor. Voces de todo Ceara, vamos Fazer um Brasil melhor para todos. Apoiando o Presiente Bolsonaro. No inicio vai ser dificil mas precisamos da confianca de todos brasileiros. Ja tem o meu apoio. 🙂

  2. Ceará-Mundão disse:

    Governo Bolsonaro se comportando de forma republicana. A oposição de esquerda deveria agir da mesma forma, pensando no melhor para o Brasil ao invés de buscar apenas seu favorecimento político. Quando é que essa gente "vermelha" vai ao menos fingir ser brasileira? Não torçam pelo pior, "cumpanheros", até porque estamos todos no mesmo barco. Criem juízo.

  3. Escritor disse:

    E para o RN chega quando?

  4. David disse:

    Esse governo é sensível com os nordestinos, com a economia e com a violência, tá aí as atitudes pra todos comprovar. Obrigado mito!

Reforma é fundamental para Previdência não quebrar e será ‘justa e para todos’, diz Bolsonaro em pronunciamento; veja íntegra

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em um pronunciamento exibido nesta quarta-feira (20) na TV que a reforma da Previdência Social é fundamental para o sistema não quebrar. Disse também que a mudança será “justa” e “para todos”.

Mais cedo, nesta quarta, Bolsonaro entregou ao Congresso Nacional a proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata das mudanças no sistema previdenciário.

“Hoje, iniciamos o processo de criação de uma nova Previdência. É fundamental equilibrarmos as contas do país para que o sistema não quebre, como já aconteceu com outros países e em alguns estados brasileiros”, afirmou.

Entre outros pontos, a PEC prevê:

De acordo com o presidente, é preciso garantir que todos recebam a aposentadoria “em dia” e que o governo consiga ampliar a capacidade de investir na melhoria da qualidade de vida da população.

“A nova Previdência será justa e para todos, sem privilégios”, destacou.

Tramitação

Entregue ao Congresso nesta quarta, a proposta começará a tramitar na Câmara dos Deputados.

Pelas regras regimentais, o texto passará primeiro pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que analisará se a proposta fere algum princípio constitucional. Nessa etapa, não é analisado o mérito da reforma.

Em seguida, se a CCJ aprovar a constitucionalidade, será criada uma comissão especial de deputados para discutir, então, o mérito da proposta.

Se for aprovada na comissão especial, a PEC seguirá para votação no plenário da Câmara, onde precisará do apoio mínimo de três quintos dos deputados (308 dos 513), em dois turnos de votação.

Se for aprovada, a PEC seguirá para análise do Senado.

Íntegra
Leia abaixo a íntegra do pronunciamento do presidente:

Boa noite!

Estamos determinados a mudar o rumo do nosso país. Nossos objetivos são claros: resgatar a nossa segurança, fazer a economia crescer e servir a quem realmente manda no país, a população brasileira. Sendo assim, ontem encaminhamos ao Congresso um pacote anticrime.

E hoje iniciamos o processo de criação de uma nova Previdência. É fundamental equilibrarmos as contas do país para que o sistema não quebre, como já aconteceu com outros países e em alguns estados brasileiros.

Precisamos garantir que, hoje e sempre, todos receberão seus benefícios em dia e o governo tenha recursos para ampliar investimentos na melhoria de vida da população e na geração de empregos. A nova Previdência será justa e para todos. Sem privilégios.

Ricos e pobres, servidores públicos, políticos ou trabalhadores privados, todos seguirão as mesmas regras de idade e tempo de contribuição. Também haverá a reforma dos sistemas de proteção social dos militares.

Respeitaremos as diferenças, mas não excluiremos ninguém. E com justiça: quem ganha mais, contribuirá com mais, quem ganha menos, contribuirá com menos ainda.

Quero lembrar que, hoje, os homens mais pobres já se aposentam com 65 anos e as mulheres com 60, enquanto isso, os mais ricos se aposentam sem idade mínima. isso vai mudar.

A nova Previdência fará a equiparação e as pessoas de todas as classes vão se aposentar com a mesma idade. Mas isso não ocorrerá do dia para a noite. Estão previstas regras de transição para que todos possam se adaptar ao novo modelo.

No tocante aos direitos adquiridos, todos estão garantidos, seja para quem já está aposentado ou para quem já completou os requisitos para se aposentar.

Também fazem parte da nova Previdência o combate às fraudes e medidas de cobrança aos devedores da Previdência.

Os projetos seguiram hoje ao Congresso Nacional para um amplo debate social sob o comando dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre.

Nós sabemos que a nova Previdência exigirá um pouco mais de cada um de nós. Porém, é para uma causa comum: o futuro do nosso Brasil e das próximas gerações.

Estou convicto que nós temos um pacto pelo país, e que juntos, cada um com sua parcela de contribuição, mudaremos nossa história, com mais investimentos, desenvolvimento e mais empregos.

Meu muito obrigado!

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junin disse:

    E é sempre assim na política brasileira, uma coisa se sobrepondo a outra para o povo esquecer….!!!!

Patrocínios da Petrobras estão sob revisão, diz Bolsonaro

Twitter/Bolsonaro/Direitos reservados

O presidente Jair Bolsonaro informou, pelo Twitter, que os patrocínios concedidos pela Petrobras estão sendo revistos.

“Para maior transparência e melhor empregabilidade do dinheiro público, informamos que todos os patrocínios da Petrobras estão sob revisão, objetivando enfoque principal dos recursos para a educação infantil e manutenção do empregado à Orquestra Petrobras”, escreveu o presidente.

Bolsonaro permanece internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista, mas pode receber alta ainda esta semana. Para esta quarta-feira (13), não estão previstos compromissos oficiais em sua agenda. As visitas continuam restritas.

Segundo último boletim médico, de ontem à noite, o presidente mantém boa evolução clínica, está afebril, sem dor abdominal e com o quadro pulmonar em resolução.

Ele permanece uma dieta leve e com suplemento nutricional. Bolsonaro está internado desde o dia 27 de janeiro, para a retirada a bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Andinho disse:

    Decisão acertada, chega de farra com dinheiro público.
    Empresa públicas ou de capital misto, como petrobras, Banco do Brasil, caixa, entre outras, não deveriam visar lucro, e sim, simplesmente oferecer os serviços pelo menor custo possível.

    • Arthur disse:

      Se não houver lucro, as Empresas Públicas terão que usar nossos impostos para fornecer produtos/serviços para a população.
      Sociedade de Economia Mista sem lucro??? kkkkkk Pode isso, Arnaldo?
      Patrocínios compõem o investimento em cultura, educação, esporte e lazer de todas as grandes organizações, devem ser revisados, mas nunca extintos.

  2. Euzim disse:

    COrretíssimo. A farra tem que acabar. Pra isso ele foi eleito.

  3. Carlos Bastos disse:

    Ele deveria rever os laranjas do partido dele. Será que no RN não teve laranja também.

Ministros estão “mapeando” problemas pelo Brasil, diz Bolsonaro

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (22), no Twitter, que ministros e representantes do governo estão viajando pelo Brasil para levantar os problemas de responsabilidade da administração pública. Bolsonaro está em Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial.

“Ministros e outros representantes do governo estão percorrendo o Brasil nestes primeiros dias para mapear e procuramos sanar muitos problemas de responsabilidade da administração pública e como derivaremos nos próximos passos, como mostrados neste e em tweets anteriores!”, escreveu na rede social.

Na mensagem, Bolsonaro divulgou um vídeo do ministro da Saúde, Luiz Mandetta, no Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista, ao lado da equipe de plantão. Mandetta integrou uma comitiva interministerial que esteve na semana passada no estado para verificar as ações de assistência aos refugiados venezuelanos no âmbito da Operação Acolhida do governo federal.

“Hospital público com muita dificuldade, gestão clínica insuficiente, muita gente na maca, muita gente esperando exame, índice de mortalidade alto. Este é o típico hospital que a gente vai ter que trabalhar muito para reverter. Fica aqui o meu respeito ao corpo clínico que está trabalhando em condições não corretas de trabalho e também aqui o meu respeito à população que não está tendo atendimento na altura do que ela merecia”, disse o ministro no vídeo.

“Vamos trabalhar para ver se a gente transforma essa realidade. Hoje, a visita surpresa foi aqui em Boa Vista, Roraima. Que isso sirva para todos os hospitais brasileiros. Daqui a pouco eu passo aí no seu”, completou Mandetta.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    Kkkkkkkk cheio de piadas o homi kkkkkk

Contratos serão desfeitos e expostos, diz Bolsonaro

Na manhã desta segunda-feira, 7, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que as “caixas-pretas” de diversos órgãos do governo estão sendo “levantadas e serão divulgadas”. Pelo Twitter, Bolsonaro escreveu: “Muitos contratos foram desfeitos e serão expostos”.

Fazer pente-fino nos órgãos e ministérios foi uma das determinações de Bolsonaro ainda durante o período de transição.


BR18

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. François Cevert disse:

    E o Queiroz???

    • Pingo disse:

      Me responda com letras garrafas.
      O que o presidente jair Messias Bolsonaro, tem haver com a conta bancária do ex assessor do filho dele?? Responda!! Mas bote a cabecinha pra pensar antes de escrever besteira tá?? Vai!! Escreva, denuncie e prove, é um direito seu.

  2. JACIARA GOMES disse:

    OS ROUBOS DOS PTISTAS VÃO SER EXPOSTOS E POR ISSO FICAM CRITICANDO….VÃO TRABALHAR! ACEITA QUE DOÍ MENOS…… KKKKKKKKKK

  3. Santo Antônio do Pinote da Onça disse:

    O CARA QUER MORALIZAR O SERVIÇO PÚBLICO, AÍ ESSES PTISTAS JÁ FICAM CRITICANDO….VÃO TRABALHAR!

  4. Walsul disse:

    Onde esse desequilibrado acha que vai chegar governando pelo Twitter e wattszap? Quero que apresente medidas de combate ao desemprego, a violência, pobreza, desigualdades, etc. Deixe os órgãos de fiscalização trabalharem e não colocar isso como um pano para encobrir sua incompetência e irresponsabilidade.

    • Ricardo Carvalho disse:

      Vai tornar público os roubos do partido que virou bando, sob o comando do seu bandido de estimação!

    • Mito disse:

      Chora, neném! kkkkkkkk

    • FELIPE ANANIAS disse:

      Medidas contra a violência? Lei do abate já tá de bom tamanho. Bandido bom é bandido morto. Pare de mi mi mi, vai chorar na cama que é quentinha e macia

  5. Fagner disse:

    Doindin o homi!

Congresso começa a votar Previdência em 6 meses, diz Bolsonaro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), durante entrevista nesta quarta-feira (5), em Brasília — Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou nesta quarta-feira (5) que a reforma da Previdência começará a ser votada no Congresso o “mais rápido possível”, ainda nos seis primeiros meses do seu governo.

Bolsonaro conversou com jornalistas após encontro e solenidade no Exército onde recebeu uma medalha. O presidente foi condecorado pelo comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, por ter salvo, em 1978, um soldado de um afogamento.

“O mais rápido possível, né? No primeiro mês é impossível. Nos primeiros seis meses com toda certeza o Congresso começará a votar estas propostas”, disse Bolsonaro sobre a votação da reforma da Previdência.

O presidente eleito voltou a falar que o ponto inicial da reforma será a idade mínima para aposentadoria. “O que mais interessa é idade mínima. Pode mudar ate lá. Não significa que houve recuo, mas sim negociação”, disse.

Ele reforçou a importância da reforma. “Se nós continuarmos sem fazer reforma, daqui a pouco estaremos como a Grécia”, afirmou.

Nesta terça-feira (4), Bolsonaro afirmou que pretende apresentar ao Congresso uma proposta fatiada de reforma da Previdência Social. Segundo ele, o primeiro tema que deve ser apresentado ao parlamento é a proposta de definição de uma idade mínima para aposentadoria.

A reforma da Previdência é considerada fundamental para equilibrar as contas públicas do país. O governo do presidente Michel Temer chegou a enviar ao Legislativo uma proposta de alteração das regras previdenciárias, porém, desistiu da reforma em fevereiro após perder apoio no Congresso em razão de denúncias de corrupção.

Com informações do G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Chibata no lombo do povo.

POR BEM OU POR MAL, AO MENOS UM CRITÉRIO: Ministro que virar réu sairá do governo, diz Bolsonaro

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quarta-feira (14), em entrevista exclusiva à RecordTV, que o futuro ministro da Casa Civil, o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), “está ciente” de que ninguém que se tornar réu em processo criminal continuará no governo.

Bolsonaro comentou a suspeita da Procuradoria-Geral da República de que Lorenzoni tenha recebido mais dinheiro via caixa 2 da JBS em campanhas do que inicialmente havia admitido.

Segundo o futuro presidente, os problemas considerados menores, serão “absorvidos”.

“Uma vez uma denúncia tornando-se robusta, transformando aquela pessoa em réu, nós vamos tomar alguma providência. […] O Onyx está ciente disso, entre outros que nós temos conversado também. Mas é muito difícil hoje em dia você pegar alguém que não tenha alguns problemas, por menores que sejam.”

Sobre as inconsistências na prestação de contas de campanha encontradas por técnicos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Bolsonaro disse que tudo “está na mão” do ex-presidente do PSL Gustavo Bebianno.

“Ele [Bebianno] me relatou que alguns documentos estão faltando sim e que será cumprido o prazo de entrega.”

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João disse:

    Temer prometeu a mesma coisa….
    Depois, malas voaram pra todos os lados…
    Trouxinhas vcs….kkkkkkk

Trabalho vai manter status de ministério, diz Bolsonaro

Reprodução: G1

O presidente eleito Jair Bolsonaro informou nesta terça-feira (13) que a pasta do Trabalho manterá status de ministério e não se tornará uma secretaria.

Bolsonaro deu a declaração numa entrevista coletiva em Brasília, após ser questionado sobre o assunto.

Na semana passada, o presidente eleito havia dito que pasta do Trabalho perderia status ministerial e seria incorporada a algum ministério.

“O Trabalho vai continuar com status de ministério. Não vai ser secretaria, não”, afirmou.

Questionado se o ministério irá incorporar alguma pasta, respondeu:

“Vai ser ministério disso, disso e Trabalho. É igual o Ministério da Indústria e Comércio, é tudo junto, está certo? O que vale é o status”.

Na avaliação do presidente eleito, “ninguém está menosprezando” o Ministério do Trabalho.

Na semana passada, após Bolsonaro dizer que o Ministério do Trabalho seria incorporado a outra pasta, servidores protestaram na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e deram um abraço simbólico no prédio onde funciona o órgão. Nesta terça houve um novo protesto.

Segundo o presidente eleito, a meta atual é reduzir o número de ministérios de 29 para 17, mas pode chegar a 18 – inicialmente, Bolsonaro havia dito que seriam “no máximo” 15 pastas.

“Se tiver que aumentar mais um ou dois, que aumente. A gente não pode é prejudicar administrar da nação por fixar o número 15. Está em 17, e talvez seja 18”, disse.

MDIC

O presidente eleito não informou qual pasta poderá ser fundida com o Ministério do Trabalho.

Sobre uma eventual fusão com a pasta da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Bolsonaro disse que a estrutura ficará sob responsabilidade do Ministério da Economia.

“Botar mais o Ministério do Trabalho acho que fica um pouco pesado”, ressaltou.

Encontro do G20

Bolsonaro também informou nesta terça-feira que por questões de saúde não deve viajar com o presidente Michel Temer para o encontro do G20, em Buenos Aires (Argentina) – o grupo reúne as 20 principais economias do mundo.

Na última semana, Temer informou ter convidado o presidente eleito para as viagens internacionais que fará até o fim do ano.

“A princípio, não [irá à viagem]. Estou com problemas de saúde, tenho que evitar viagem mais longa e tem o problema da minha saúde. Talvez não vá”, afirmou o presidente eleito.

Reajuste para o STF

Bolsonaro foi perguntado sobre o reajuste em 16% os salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do procurador-geral da República. O projeto aguarda a sanção ou veto do atual presidente Michel Temer.

“Está nas mãos do Michel Temer. Logicamente é motivo de preocupação, já estamos com um deficit enorme para o ano que vem e é mais um problema que vamos ter”, disse Bolsonaro.

Comissionados

O presidente eleito declarou aubda que pretende diminuir o número de cargos de confiança em estatais, ministérios e nos bancos públicos.

“Não posso falar o percentual, no mínimo, aí, 30% a gente vai cortar, no mínimo. Há um exagero dos comissionados nos ministérios”, declarou.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Martins disse:

    Pense um doido. Mas desnorteado q cego em tiroteio.