Apenas ministros titulares podem utilizar avião da FAB, diz Bolsonaro

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira(6) que apenas os ministros titulares do governo poderão utilizar as aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB). “Suplente, ministro interino, não usa avião, a não ser que tenha uma coisa gravíssima para resolver e, assim mesmo, vai ter que chegar no meu conhecimento”, disse ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta quinta-feira.

A decisão veio depois que o ex-secretário executivo da Casa Civil, Vicente Santini, usou um avião da FAB para ir de Davos, na Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial, para Nova Delhi, durante visita de Bolsonaro à Índia. Na ocasião, Santini substituía o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, no cargo. Ao retornar ao Brasil, o presidente exonerou o secretário.

De acordo com o presidente, entretanto, não haverá mudança nas normas que tratam do uso das aeronaves oficiais. “Vale a conscientização”, disse ele, destacando que várias vezes a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e mesmo o ministro da Economia, Paulo Guedes, já viajaram em companhias aéreas comerciais para fora do país.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Esse realmente só dá orgulho a Nação Brasileira.
    Parabéns Presidente Jair Messias bolsonaro.
    Enquanto isso teve um que levava até a amante no aerolulamotel. E ainda quer que o respeitem.
    JMB 2022 2026 2030 2034 2038 2042 ………….

  2. TIAGO disse:

    EU VOTEI E VOTO NESSE CARA, DÁ LHE MITO.

  3. PAULO disse:

    BG
    Tem que se acabar de uma vêz por toda essa FARRA com o dinheiro público, arrancado do Cidadão para financiar vagabundos fazendo turismo e politica nos estados, enquanto os hospitais se encontram sem nada para atender a população. O presidente deveria determinar leilão de 90% da frota de aviões que geram um custo altíssimo.

  4. Sidney disse:

    Arrochaaaaaaaaaa presidente ,😂😂😂😂😂😂😂😂.

Combustíveis: Bolsonaro reafirma que quer diminuir valor, e diz que proposta para ICMS está pronta, nas mãos de ministro; presidente ainda defende fim do monopólio do gás

FOTO: GLEDSTON TAVARES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da República, Jair Bolsonaro, reconheceu que os governadores devem dificultar a tramitação de projeto para mudar as regras do ICMS, mas que está disposto a enviá-lo ao Congresso mesmo assim. Ele afirmou que a proposta está pronta com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e que ele ainda mantém reuniões com o setor para ajustes.

“Eu falei para ele Bento que sabemos que vai ter uma pressão enorme dos governadores e que os parlamentares os ouvem. Se o projeto vai para frente ou não, eu faço o que posso. Não posso viver só de vitórias e achar que o que estou fazendo está certo. Vai ter pressão lá no Parlamento. E o Parlamento existe para dizer sim ou não”, disse Bolsonaro nesta quinta-feira (6) ao deixar o Palácio da Alvorada.

Bolsonaro voltou a defender a alteração da cobrança do ICMS que incide sobre a gasolina e o diesel. Ele citou que hoje houve nova redução do preço do combustível na refinaria, mas que não acredita que terá impacto para os consumidores na bomba.

‘Papel de trouxa’

“Gasolina baixou na refinaria hoje e quanto acham que vai baixar na bomba? Zero. Estou fazendo papel de trouxa aqui”, reclamou o presidente da República. “Não pode diminuir mais o preço na refinaria, porque não chega para o consumidor. E se não chega estamos dando varada na água”, reforçou. Em outro momento, ele afirmou que não interfere diretamente na Petrobras.

Ele afirmou que os parlamentares não devem se preocupar apenas com o desgaste junto aos governadores e seus respectivos Estados pois “é momento de todo mundo buscar solução”. “O que eu quero não é diminuir o valor do ICMS, é que incida no preço da refinaria”, defendeu. “Eu sei que os Estados estão em seriíssima dificuldade, agora mais dificuldade que o Estado é o povo que não aguenta mais pagar R$ 5,50 o litro da gasolina e o caminhoneiro pagar R$ 4,00 o litro do óleo diesel.”

Botijão de gás

Bolsonaro também reclamou do valor do preço do botijão de gás e disse que é preciso acabar com o monopólio do setor. Segundo Bolsonaro, o ministro Paulo Guedes tem sido cobrado após fazer promessa sobre o tema.

“É igual à história do gás. O gás… também se for ver a composição do que… o valor do bujão de gás vai para cada consumidor é um absurdo”, disse o presidente. “Adianta a gente explorar gás natural se chega aqui e tem monopólio? Temos que acabar com esse monopólio, ‘pô’, pressão tem de qualquer maneira. Cada vez que eu peito um problema desses eu acho um montão de inimigos.”

Desafio

Durante a entrevista, Bolsonaro retirou o “desafio” lançado aos governadores sobre ICMS por alguns minutos, mas, minutos depois, relançou. “Não desafiei governadores ontem como foi publicado pela imprensa”, disse Bolsonaro inicialmente.

Segundo ele, o “desafio” só foi lançado porque ele acreditou na pergunta de jornalistas sobre o fato de governadores terem cobrado o governo federal pela redução de impostos. Em seguida, diante da informação de que um grupo de 23 governadores assinou uma carta com a demanda, ele afirmou que o desafio estava mantido.

“Vocês imprensa falaram que os governadores queriam que eu baixasse os impostos federais, acreditando na informação de vocês eu falei que ‘topo baixar os impostos federais se os governadores baixarem o ICMS'”, disse. “Se eles falaram que queriam baixar impostos federais então pode ser desafio, pode ser”, corrigiu.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo disse:

    BG
    Pra governo não há dinheiro que chegue, no passado o governo Federal cobrava a TRU Taxa rodovia ria unica sobre os veículos anualmente, que foi repassados pros estados, depois se transformou em em IPVA e nunca se resolve os problemas financeiros das viúvas estaduais, se fizer dinheiro de barro não dá tempo de enxugar. Gastos sem controle o tempo todo.

  2. Cidadão disse:

    Na época de Dilma gasolina era 2,60 c a mesma tributação, ou seja, é incompetência de Bolsonaro mesmo.

  3. Fernando disse:

    Brasileiros que moram fazendo fronteiras com outros países, ultrapassam as fronteiras e vão abastecer com combustíveis desse países fronteirísso. Sabem porque? É q esse paises mesmo sem produzir uma gota de petróleo, sabem o qto é benefico para o povo, combustíveis baratos com tarifas mínimas de impostos. E é exatamente isso o que Bolsonaro tá propondo, mas os do contra não querem algo que beneficie a população. Se Bolsonaro conseguir isso, irá impulsionar de vez nossa economia.

    • Santos disse:

      Países com gasolina realmente barata na América do Sul: Venezuela, Bolívia e Equador. Na Venezuela, país que tem as maiores reservas de Petróleo do mundo, o combustível e forte e estupidamente subsidiado, assim como a Bolívia, quando era administrada pelo Evo Morales, porque agora que liberais estão no comando a coisa mudou. Com o Equador, como você sabe, o Brasil não faz fronteira então nem compensa ir lá. Paraguai, Uruguai, Argentina, Colômbia e Chile a diferença para os preços do Brasil não chega a 10% para mais ou para menos.

    • Greg disse:

      países como a Venezuela você quis dizer, que o combustível é vendidos em centavos?

    • Fernando disse:

      O Paraguai compra gasolina brasileira e vende mais barato, coisa de 3,80. Procure se informar, tem época em que contrabando fica tão intenso, que o Brasil reforsa a fronteira pra combater esse descaminho.

  4. Santos disse:

    Rapaz… diferentemente da PIS/COFINS e da CIDE que têm valores fixados, o ICMS é proporcional, ou seja é um percentual do valor cobrado, então se baixar o valor do combustível, proporcionalmente, baixa o valor do ICMS e se aumentar tb aumenta.
    Digamos que o ICMS seja de 30%.
    Então se a gasolina for R$5, 00, então o ICMS será R$1,50. Agora se baixar pra R$4,00 os o valor arrecadado será a R$1,20. E vice e versa.
    Então não é assim?
    Quer dizer então que os donos de postos não querem baixar o preço pra que o Estado não perca arrecadação?
    Pq essa lotora todos os dias?
    Nam…

  5. Nando disse:

    Conversa de botequim: Tá difícil conviver com a prepotência de Fernando Mineiro

  6. Nando disse:

    Conversa de botequim! Tá difícil conviver c a prepotência de Mineiro.

  7. Nando disse:

    Não sai nada. Entendi

  8. Nando disse:

    João bobão caiu na panela do feijão.

  9. joão carlos disse:

    duvido que todos os governadores aceitem, pode ser que 1 ou 2 aceite, mas o resto não vai aceitar e a coisa não vai andar. Nada nesse país anda!

    • M.D.R. disse:

      Quero vê esses pilantras da ESQUERDA aceita. Por que objetivo deles chamar RECEITAS.

AGU recorrerá da decisão do STF sobre Dpvat, diz Bolsonaro

Foto: Arquivo Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (3) que respeita decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), mas antecipou que a Advocacia Geral da União (AGU) vai recorrer da decisão do presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, de suspender a redução dos valores a serem pagos na contratação do seguro obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Dpvat).

“No momento, essa questão está judicializada. A AGU vai recorrer porque está aí para defender o governo. Conversei com André Mendonça [advogado-geral da União], que vai questionar essa questão no Supremo”, disse hoje Bolsonaro ao deixar o Palácio do Alvorada.

Por meio da Medida Provisória 904/2019, editada em novembro do ano passado, o governo federal tentou, em um primeiro momento, extinguir o pagamento do Seguro Dpvat, contribuição obrigatória destinada a cobrir gastos de acidentes causados por veículos.

A MP foi então alvo de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 6.262) proposta pela Rede, sob o argumento de que os recursos são utilizados para proteção social de vítimas de acidentes de trânsito no Sistema Único de Saúde (SUS). O partido também alegou que não há urgência e relevância na matéria para justificar a edição por meio de medida provisória. Por 6 votos a 3, a maioria dos ministros do STF decidiu, no dia 19 de dezembro, suspender a MP.

O governo adotou o Plano B de reduzir o Dpvat, em vez de extingui-lo.O Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), então, aprovou uma redução de 67,7% e de 85,4% no valor do DPVAT de 2020 para carros e motos, respectivamente.

No dia 31, em nova decisão, o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, suspendeu também a redução dos valores a serem pagos na contratação do seguro, que tinha previsão de vigorar a partir de 1º de janeiro.

Agência Brasil

Problemas de governança desestimulam carreira política, diz Bolsonaro

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta quinta-feira(28), que os problemas burocráticos e de governança desestimulam os cidadãos a entrar na carreira política e a disputar cargos eletivos no Executivo. “O que leva ao desestímulo da carreira política, no caso o Executivo, são problemas que advém depois do mandato. Vejo colegas que de boa fé exerceram seus mandatos, mas não por devido zelo e, muitas vezes, por desconhecimento se veem enrolados com a Justiça e alguns levam 10, 15 até 20 anos para voltar a ter paz”, disse.

Bolsonaro participou, nesta quinta-feira (28), do 3º Fórum Nacional de Controle, organizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Também estiveram presentes o procurador-geral da República, Augusto Aras, e o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. O evento acontece até amanhã (29), no Instituto Serzedello Corrêa, em Brasília.

Coordenado pelo ministro do TCU Augusto Nardes, o fórum tem o objetivo de integrar as instituições de controle externo e interno da União, estados e municípios, das três esferas de poder, por meio de ações de capacitação e controle; elaboração de minutas de legislação sobre governança; compartilhamento de informações; e da disseminação de boas práticas de governança entre os entes federados.

Para o presidente Bolsonaro, o TCU é um dos órgãos mais importantes para a governança e integridade da máquina pública. “Eu encaro o que se faz aqui, essa reunião, essa busca de uniformizar procedimentos, como aliado nosso, nós temos que encarar isso tudo como pessoas de bem, com conhecimento de que a administração pública não é fácil. Todo dia são dezenas de novas normas, novas recomendações, que é praticamente impossível tomar pé de tudo e poder governar dessa maneira”, disse.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, destacou a importância desse diálogo interinstitucional e permanente entre os órgãos de fiscalização e controle para melhorar a gestão pública. “Esta é a grande novidade que nós promovemos, seja no Ministério Público brasileiro, seja como visto aqui, a vontade presente nos órgão que participam desse evento compreende a beleza e a importância desse dialogo interinstitucional como única forma de sobrevivência da democracia, pujante, sem temer as tensões permanentes que lhe são inerentes”, disse.

Troca da guarda presidencial

Após a abertura do fórum do TCU, o presidente Jair Bolsonaro participou da troca da guarda presidencial, que acontece a cada seis meses, no Palácio do Planalto. Pela tradição, a guarda funciona em sistema de revezamento entre o Batalhão da Guarda Presidencial e o 1º Regimento de Cavalaria de Guardas, mais conhecido como Dragões da Independência.

Nesta quinta-feira (28), os Dragões da Independência assumiram a guarda dos palácios do Planalto, Alvorada e Jaburu e da Granja do Torto.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anti-Político de Estimação disse:

    A família toda socada na política e ainda é candidato à reeleição . Imagine se estimulasse, rsrsrsrsrsrs.

“O povo vai decidir”, diz Bolsonaro, sobre fusão de municípios

FOTO: RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Jair Bolsonaro disse a apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, que “o povo vai decidir” sobre a proposta de fusão de municípios com baixa sustentabilidade financeira.

Com base no pacto federativo apresentado ontem ao Congresso, o governo quer acabar com os municípios com menos de 5 mil habitantes e com arrecadação própria menor que 10% da receita total.

Bolsonaro comentou:

“Abusaram no passado. Tem município que vive graças a fundo de participação de município, não tem renda, não tem nada.”

Segundo o presidente, “a população vai ter de concordar, ninguém vai impor nada não”. Ele não detalhou como seria feita essa consulta à população.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. S vericio disse:

    Juca não é 8 e 9 Vereadores sem fazer nada.

  2. nasto disse:

    Além de acabar com municípios , Tem que acabar com essa mamata e diminuir o numero de vereadores, dep. estadual. dep. federal vice, senadores em 30%.

  3. Ana Célia Barbosa disse:

    Com certeza a população consciente vai apoiar. esses municípios são um descalabro com o dinheiro público.

    • Juca disse:

      Pois é. Quer um exemplo: município de Viçosa/RN pouco mais de 1.700 habitantes, possuem 8 vereadores, prefeito e vice e várias secretarias e cargos comissionados. Pode isso Arnaldo???

Arábia Saudita convidou o Brasil para entrar na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), diz Bolsonaro

Foto: FAYEZ NURELDINE / FAYEZ NURELDINE/AFP

A Arábia Saudita convidou informalmente o Brasil para se juntar à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) , disse o presidente Jair Bolsonaro . O convite seria um sinal da crescente importância do país como produtor de petróleo e do desafio que impõe à influência do grupo de produtores nos mercados de petróleo.

Bolsonaro recebeu o convite nesta quarta-feira, após realizar reuniões esta semana com autoridades sauditas, incluindo o príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman , disse o presidente brasileiro, ao participar da conferência da Iniciativa de Investimento Futuro, em Riad. Na terça-feira, o governo anunciou que a Arábia Saudita investirá até US$ 10 bi em projetos no Brasil .

— É o primeiro passo para talvez implementar essa política no Brasil — disse Bolsonaro.

O presidente acrescentou porém que precisaria consultar a equipe econômica e o Ministério de Minas e Energia antes de concordar em participar. Ele disse em um painel de discussão na conferência que estava ansioso pelo Brasil aceitar o convite.

— Podemos conversar sobre isso. Eu teria que ouvir o meu ministro da Economia e meu ministro também das Minas e Energia para que, uma vez eu anunciando algo nesse sentido, a palavra seja cumprida lá na frente. Eu costumo sempre conversar com os ministros antes de tomar uma decisão. Afinal de contas, é a melhor maneira que nós temos de manter a nossa credibilidade. Mas, particularmente, gostaríamos que integrássemos a Opep. Sim. Temos potencial para isso. Temos reservas de óleo maiores que alguns países que já integram a Opep —, afirmou Bolsonaro, que fez menção ao lmegaleilão de pré-sal, durante seminário de parecerias econômicas.

O Brasil se prepara para se tornar um grande produtor de petróleo, com a entrada em produção de áreas do pré-sal. Na próxima quarta-feira, será realizado o megaleilão de cessão onerosa e, segundo estimativas da Agência Nacional do Petróleo (ANP), a arrecadação de União, estados e municípios com royalties e impostos vai dobrar .

Se ingressar, o Brasil poderá se tornar o terceiro maior produtor da Opep, depois da Arábia Saudita e do Iraque. A crescente produção brasileira está dificultando o esforço da Opep em manter os preços do petróleo no atual patamar diante da crescente oferta dos campos de petróleo não-convencial dos EUA e do enfraquecimento da economia global.

As reservas de petróleo do Brasil são maiores do que as de vários membros da OPEP, disse Bolsonaro. O Brasil e a OPEP poderiam formar “uma grande parceria” ajudando uns aos outros a estabilizar os preços globais de combustíveis fósseis, afirmou o presidente.

O Brasil produziu 2,71 milhões de barris por dia em 2018, segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), que prevê que a produção média do país chegue a 2,9 milhões este ano e 3,22 milhões em 2020.

A produção brasileira em agosto subiu 220 mil barris por dia para um recorde de 3,1 milhões, a AIE disse em seu relatório mais recente.

Flerte com Opep

Criada em 1960 em Bagdá, no Iraque, a Opep busca coordenar a oferta de petróleo por países produtores para sustentar preços.

O grupo, que é liderado na prática pela Arábia Saudita e tem 14 membros, incluindo países como Irã, Kuweit e Venezuela, está no momento implementando um pacto de cortes de produção em associação com outros produtores não associados, como a Rússia, em aliança conhecida como Opep+.

O Brasil flertou com o grupo de produtores em algumas ocasiões desde a descoberta de enormes reservas de petróleo em áreas de pré-sal, na década passada.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a afirmar em entrevistas que desejava ver o Brasil como membro da Opep, mas o movimento não se concretizou mesmo após um convite formal do Irã em 2008.

Mais recentemente, no governo de Michel Temer, o Brasil se descolou do discurso da Opep, ao defender uma rápida expansão da produção local em momento em que o cartel buscava aliados para conter a oferta global e sustentar os preços do petróleo.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    O Brasil tendo o reconhecimento que merece !!!

  2. Ivan disse:

    Enquanto isso, no Brasil, com o apoio da Globo/CBN (desesperada por verba oficial), tentam vincular sua imagem a tudo de ruim…A bola da vez é o caso Mariele…Sabatagem chula, porém, antes disso, já tentaram até matá-lo…

Brasil não pode aceitar “ataques” de Macron, diz Bolsonaro

Reprodução

Jair Bolsonaro acaba de publicar mensagens no Twitter em que volta a criticar Emmanuel Macron.

Bolsonaro relata que teve uma conversa com Iván Duque, presidente da Colômbia, em que trataram de um plano conjunto para a questão da Amazônia.

Em seguida, ele tuitou:

“Não podemos aceitar que um presidente, Macron, dispare ataques descabidos e gratuitos à Amazônia, nem que disfarce suas intenções atrás da ideia de uma ‘aliança’ dos países do G-7 para ‘salvar’ a Amazônia, como se fôssemos uma colônia ou uma terra de ninguém.”

Em outra postagem, Bolsonaro escreveu:

“Outros chefes de estado se solidarizaram com o Brasil. Afinal, respeito à soberania de qualquer país é o mínimo que se pode esperar num mundo civilizado.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. WMedeiros disse:

    Dilma falava uma merda violenta, e Bolsonaro em pouco tempo tá fazendo pior. Conseguiram falar um pouco os poucos dos filhos dele, deveriam fazer o mesmo com ele também.

  2. JUNIN disse:

    FALA DEMAIS…. AÇAO QUE É BOM NADA !!!!!

  3. Marcelo disse:

    Bolsonaro é quem deve se comportar como Presidente do Brasil, e não como garoto do ensino médio, entrando na onda de internautas sem noção, ao criticar a primeira dama francesa.

  4. Dilmanta disse:

    Quem faz, leva !!!

“Eu achar que meu telefone não estava sendo monitorado seria muita infantilidade. Sempre tomei cuidado nas informações estratégicas. Não vão encontrar nada que comprometa’, diz Bolsonaro após ação de hackers

Foto: Reprodução/TV Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (25) que eventuais ações de hackers em seu aparelho celular “não vão encontrar nada que comprometa”.

Bolsonaro foi questionado, durante entrevista coletiva em Manaus, sobre o Ministério da Justiça e Segurança Pública ter divulgado que foi comunicado pela Polícia Federal que celulares usados por Bolsonaro foram alvo de invasão dos supostos hackers presos na última terça-feira (23).

“Eu achar que meu telefone não estava sendo monitorado por alguém seria muita infantilidade. Não apenas por eu ser capitão do Exército, conhecedor da questão da inteligência. Sempre tomei cuidado nas informações estratégicas, essas não são passadas via telefone. Então, não estou nenhum um pouco preocupado se porventura algo vazar aqui no meu telefone. Não vão encontrar nada que comprometa. […]. Perderam tempo comigo”, declarou.

Bolsonaro explicou que discute apenas pessoalmente, no gabinete, questões tratadas com outros chefes de estado, como “no tocante à Venezuela” e “questões estratégicas para o Brasil”.

Em junho, quando começaram a ser divulgadas pelo site The Intercept conversas do ministro Sergio Moro pelo aplicativo de mensagens Telegram, Bolsonaro disse não seguir recomendação do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) de utilizar um celular protegido com um programa de criptografia para se comunicar. Ele afirmou, naquela ocasião, não ter “nada a esconder”.

Quatro presos pela PF por interceptações

A informação sobre a interceptação do aparelho de Bolsonaro foi divulgada pelo governo após a prisão, na última terça-feira (23) pela Polícia Federal, de quatro pessoas na Operação Spoofing, que apura a ação de hackers nos celulares do ministro da Justiça, Sergio Moro, e outras autoridades.

Aparelhos telefônicos do desembargador federal Abel Gomes, do juiz federal Flávio Gomes, do delegado da PF de São Paulo Rafael Fernandes e do delegado da PF em Campinas Flávio Reis também foram interceptados.

Os presos pela PF na terça-feira são Walter Delgatti Neto (conhecido como “Vermelho”), o DJ Gustavo Henrique Elias Santos, Danilo Cristiano Marques e Suelen Priscila de Oliveira. Todos os homens têm passagem pela polícia.

Segundo o advogado Ariovaldo Moreira, que faz a defesa do DJ Gustavo Henrique Elias Santos, seu cliente disse em depoimento à Polícia Federal que Delgatti Neto, apontado como o hacker que invadiu os celulares, queria vender ao PT as mensagens que obteve.

Moreira deu as declarações depois dos depoimentos prestados por Gustavo Santos e por Suelen Priscila de Oliveira na Superintendência da Polícia Federal em Brasília, onde estão presos.

Com informações do G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gaius Baltar disse:

    Não existe isso de “achar ou não achar”. O presidente da república e outras autoridades têm a obrigação de utilizar apenas meios de comunicação criptografados, fornecidos pelas agências de inteligência. O problema é que temos presidentes ignorantes como Lula, Dilma e Bolsonaro, que não guiam-se pelas indicações de especialistas e sim pela cabeça de vento deles. O presidente ainda não percebeu a importância do cargo que ocupa. Ele não foi alçado ao cargo pela divina providência e sim por eleição direta e tem o dever de preservar o sigilo das informações presidenciais utilizando um telefone criptografado.

  2. Ed. disse:

    Falou o poço de inteligência.

    • Luis disse:

      Chegar a capitão de exército não é pra qualquer um, agora su ladrão de estimação não ter terminado nem o 1o grau, e ainda mais, usar o que DEUS lhe deu, somente para o mal, roubar, desviar, corrupção é seu forte. Lamentável.

‘Passar fome no Brasil é uma grande mentira’, diz Bolsonaro

Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Em café da manhã com jornalistas, Jair Bolsonaro afirmou que ninguém passa fome no Brasil.

Questionado sobre os planos do governo federal para a erradicação da fome e a diminuição da pobreza, o presidente destacou que “não se vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético”.

“O Brasil é um país rico para praticamente qualquer plantio. Fora que passar fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não come bem, aí eu concordo. Agora, passar fome, não. Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético, como a gente vê em outros países pelo mundo.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Eita gentinha mau intencionada, pegaram uma frase fora do contexto do nosso Herói Messias, só para virar notícia negativa.
    Não cola mais de 60 ./. conhece o nosso Herói e sabe que ele vai acabar aí sim com a fome deixada pelos governos anteriores.

  2. Luana Delgado disse:

    Meu Deus, é um desatino atrás de outro, onde vamos parar? como esse homem consegue falar tantas besteiras, tontices e bobagens. Chega a cansar pois é todo santo dia.

  3. Zé Cuia disse:

    GRANDE MENTIRA é tudo q sai da boca deste presidente. Ele próprio foi eleito por meio de mentiras.

  4. Bozo-Vacilão disse:

    Esse Bozo é uma piada.

  5. B.B Trenó disse:

    Isso é uma grande verdade, Mito!!
    É discurso de sindicalistas.

    • NEIDE disse:

      PORQUE VC DEVE TER O QUE COMER TODOS OS DIAS. QUANDO A DOR NÃO DÓI NA GENTE PARECE QUE NÃO EXISTE, NÃO É MESMO?

    • Marlos Lima disse:

      Deve dividir 1 ovo cozido com a família em todas as refeições e pinta de bacana

“Se existe um telefone grampeado no Brasil, é o meu”, diz Bolsonaro em café da manhã com jornalistas

Em café da manhã com jornalistas nesta manhã, no Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro afirmou acreditar que o seu telefone celular possa estar grampeado.

“Se existe um telefone grampeado no Brasil, esse telefone é o meu”, afirmou o presidente.

‘Se existe um telefone grampeado no Brasil é o meu’, diz Bolsonaro

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. marcus disse:

    kkkkkkkkk esse romulo é muito engraçado kkkkkkkkkk

  2. Rômulo disse:

    Com certeza é grampeado! Os americanos da NSA devem morrer de rir do presidente mais idiota de todos os tempos!

    • Luladrão disse:

      Acredito que eles riam mais do analfabeto que governava o nosso Brasil. Além de ser o chefe da maior quadrilha de roubo ao dinheiro público na história mundial.

    • Fernando disse:

      A unica certeza romulo, é que lula ta preso. kkkkkk E mesmo solto, continuará ser um bandido cumprindo em semi-aberto.

    • Tuca disse:

      Rômulo, pula fora dessa barca furada homi.
      Lula tá preso babaca.

“Quem defende fechamento do STF e do Congresso está na manifestação errada”, diz Bolsonaro

Em café da manhã com jornalistas, Jair Bolsonaro disse o seguinte ao comentar as manifestações convocadas para domingo.

“Quem defende o fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional está na manifestação errada.”

Segundo o presidente, “essa pauta está mais para Maduro”.

O registro é da Band News.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. André Fortes disse:

    Está certo o mito. Parabéns pra ele pela sensatez na fala.

“Só o amor constrói”, diz Bolsonaro no Twitter ao exibir comentários de ódio e desejo por morte a Silvio Santos após o apresentador receber o presidente

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro gravou nessa quinta-feira(02) uma entrevista ao Programa Silvio Santos, do SBT. A participação será transmitida no domingo(05). Em seu Twitter, o presidente chamou Silvio Santos de “maior comunicador deste país”. Segundo Bolsonaro, no programa, ele irá falar sobre “assuntos de interesse de todos os brasileiros, incluindo a Nova Previdência”.

Ainda no microblog Twitter, Bolsonaro mostrou nesta sexta-feira(03) mensagens de ódio em redes sociais contra o apresentador e dono do SBT, após ter dado espaço ao presidente com gravação, conforme noticiários, repleta de bom humor e bom relacionamento da dupla. “Só o amor constrói”, disse o capitão sobre os comentários desrespeitosos a Silvio Santos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Leonardo disse:

    Quem é mesmo que vomita ódio contra seus opositores?
    Quem é mesmo que deseja o mal as pessoas só porque tem ligação com opositor político?
    Quem é mesmo que não sabe dialogar?
    Quem é mesmo que não sabe ser oposição de forma civilizada e construtiva?
    Quem é mesmo que dá apoio a corrupto e a libertinagem como forma de vida?
    Muito bom essas reações públicas, revelando de forma incontestável o caráter da oposição que julga, culpa e acusa os outros daquilo que ele é!
    Caiu a máscara! Estamos testemunhando a verdadeira face da esquerda.

    • Edilberto disse:

      Pode desistir de povo Leonardo, não tem cura!!! E não podemos nem dá atenção ao q eles falam. Continuo achando que vai faltar psiquiatra pra cuidar dessa gente. Isso mesmo, gente.
      Humanos eles não são.

“Briga aqui é só para ver quem vai lavar a louça”, diz Bolsonaro, sobre atritos entre Carlos e Mourão

Foto: Marcos Côrrea / Presidência

Há pouco, durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro tentou mais uma vez baixar a bola dos ataques de seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro , contra o vice-presidente, Hamilton Mourão. Perguntado o que achava da sucessão de tuítes publicados pelo “02” criticando o general, ele se valeu de uma metáfora curiosa. “Não tem atrito . Estamos dormindo todo dia juntos, dando beijinho a noite toda. Briga aqui é só para ver quem vai lavar a louça”, disse rindo aos presentes. A seu lado, Mourão completou: “Ou para ver quem vai cortar a grama”.

Durante uma hora, Bolsonaro foi perguntado sete vezes sobre o assunto. Em todas, negou desavenças. Também deu a palavra a Mourão para que ele próprio desse seu parecer sobre os ataques públicos que vem sofrendo do filho do presidente — que já insinuou, inclusive, que o vice deseja dar um golpe. “Cada um tem direito de falar o que quiser”, disse.

Quando o presidente comentava pela quinta o vez o assunto, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, pediu a palavra. Disse que a imprensa tinha “obsessão” em criar um mal-estar entre núcleos do governo. “Tentar plantar essa discórdia é batalha perdida. Parem”, disse aos jornalistas.

“Parem com essa coisinha para encher coluna social. Isso apequena o país”. Também afirmou não haver qualquer desentendimento da chamada “ala militar” (reforçando que o termo era equivocado por não haver uma “ala militar” no governo. “Ala que não se reúne não é ala”, disse). “É dar muito espaço para coisas que não são importantes. O que é importante é que estamos desfazendo mais do que fazendo nesse momento. Isso dá trabalho e toma tempo”, falou Augusto Heleno.

Época

“Sem reforma, nós vamos ficar como a Argentina”, diz Bolsonaro

Bolsonaro reafirmou importância de aprovar reforma da Previdência. Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (25) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, aceita até o limite de R$ 800 bilhões em economia com a reforma da Previdência em dez anos. O ministro vem, desde a apresentação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma da Previdência, defendendo um mínimo de economia de R$ 1 trilhão. Mas, segundo Bolsonaro, para aprovar a reforma, com os ajustes defendidos no Congresso, ele aceita baixar esse valor até esse limite.

“Se a reforma da Previdência não der certo, o caos vai se instalar. Sem a reforma, ninguém mais vai confiar no Brasil”, disse o presidente, durante café da manhã com jornalistas, do qual o Estado de S. Paulo participou. “Uma economia abaixo de R$ 1 trilhão, nós vamos ficar como a Argentina. O Paulo Guedes diz que o limite é R$ 800 bilhões”, completou.

Bolsonaro disse que o placar da aprovação da PEC na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara o “surpreendeu positivamente”, mas se queixou sobre o mercado ainda ver incerteza mesmo depois da aprovação do texto na comissão.

Na quarta-feira (24), o dólar não deu trégua e fechou na maior cotação desde 1º de outubro de 2018. A moeda americana terminou o pregão da quarta-feira cotada a R$ 3,9864, com alta de 1,64%. A admissibilidade do texto foi aprovada no colegiado na noite de terça-feira (23), por 48 a 18 votos.

Ainda sobre a reforma, o presidente voltou a dizer que “a bola está com o Parlamento”, mas que tem gente que acha que o governo deve interferir. “Vamos mapear os parlamentares e fazer um trabalho em cima deles”, comentou.

Durante o café, o presidente aproveitou para elogiar, mais uma vez, o seu comandante da Economia. Bolsonaro disse que Guedes é a “rainha do tabuleiro de xadrez”, numa referência à capacidade de liderança e articulação do ministro.

O ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, também presente ao café com jornalistas, rebateu críticas sobre a paralisia do governo e disse que o Congresso irá aprovar a reforma. “Estamos mais desfazendo do que fazendo”, disse, comentando sobre a atuação do governo nesses primeiros meses. “Vai baixar uma crise patriótica no Congresso e vamos aprovar a reforma”, concluiu.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsolão disse:

    Lembrando que a Argentina fez a reforma da previdência em 2017. Além disso, o homem é liberal e amigo do Bozo! Então…..kkkkkk

  2. Manoel disse:

    O certo mesmo é deixar tudo como está e seguir o exemplo do RN: atrasar pensões, salários, comprometer as receitas só pagando salários e pensões, deixar a saúde, educação e segurança sem investimentos! O RN é rico! O Brasil é rico! Não precisa de reforma nenhuma! (ironia)

  3. JACKSON disse:

    Com ela o povo vai ficar lascado igual aos chilenos. Quem vai ganhar são os banqueiros.

    • Anti-político de estimação disse:

      ……e os mexicanos também. O que mais temo nessa reforma são duas coisas : a reforma light dos militares, o que gerará uma necessidade de outra reforma em breve pois neles reside o maior rombo previdenciário e a tal capitalização, que será um filé para o mercado financeiro e trará miséria e sofrimento para o cidadão comum.

‘Não sou economista’, diz Bolsonaro sobre decisão de intervir na Petrobras e cancelar aumento do diesel

Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Um dia após a Petrobras desistir de aumentar o preço do diesel, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não defende práticas “intervencionistas” nos preços da estatal, mas pediu uma justificativa baseada em números. Bolsonaro disse que telefonou para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

“Liguei pro presidente, sim. Me surpreendi com o reajuste de 5,7%. Não vou ser intervencionista e fazer práticas que fizeram no passado, mas quero os números da Petrobras, tanto é que na terça-feira convoquei todos da Petrobras para me esclarecer por que 5,7% de reajuste, quando a inflação desse ano tá projetada para menos de 5%”, afirmou o presidente nesta sexta-feira (12), durante inauguração do novo terminal de passageiros no Aeroporto Internacional de Macapá.

“Se me convencerem, tudo bem, se não me convencerem tudo bem. Não é resposta adequada para vocês, não sou economista, já falei. Quem entendia de economia afundou o Brasil, tá certo? Os entendidos afundaram o Brasil”, completou Bolsonaro.

O presidente declarou que está preocupado com os caminhoneiros, que em maio do ano passado mantiveram bloqueios em rodovias por todo o país e causaram uma série de problemas de abastecimento. O principal motivo para a paralisação foi a alta do diesel.

“Estou preocupado com o transporte de cargas, com os caminhoneiros, são pessoas que fazem o transporte de cargas, de riquezas, Norte a Sul, Leste a Oeste e tem que ser tratado com o maior carinho e consideração (sic). Nós queremos um reajuste, reajuste não, um preço justo para o óleo diesel”, afirmou Bolsonaro.

Ele disse ainda que quer conversar com a Petrobras sobre a política de preços.

“Nós sabemos que a Petrobras não é minha, é do povo brasileiro. E eu quero conversar com eles sobre a política de preços, quanto custa o barril de petróleo tirado no Brasil, quanto custa lá fora, onde nós refinamos, com que preço, a que custo.”

Bolsonaro também criticou os impostos estaduais e disse que é preciso “mostrar à população que o ICMS é altíssimo, tem que cobrar de governador também, não só do presidente da República”.

“Então, essa política, de cada vez impostos mais altos, para tirar cada vez mais do posto de combustível, nós temos que ver, porque o Brasil não pode continuar nessa política de preços altos, mas não pelo ‘canetaço’ ou por imposição do chefe do Executivo.”

Recuo por decisão do presidente

Nesta quinta-feira (11), a Petrobras anunciou que aumentaria em 5,74% o preço do diesel nas refinarias, que passaria de R$ 2,1432 para R$ 2,2662 no dia seguinte. Ainda na quinta, a estatal recuou da decisão por determinação de Bolsonaro. O valor de R$ 2,1432 é o mesmo praticado desde 22 de março.

Em comunicado, a companhia informou que “em consonância com sua estratégia para os reajustes dos preços do diesel divulgada em 25/3/2019, revisitou sua posição de hedge e avaliou ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel”.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse na quinta que o diesel é importante para os caminhoneiros e afirmou que um reajuste maior seria um “solavanco” na economia.

Reajuste mais longo

Em 26 de março, a Petrobras anunciou que os preços do diesel passariam a ser reajustados por períodos não inferiores a 15 dias. Com isso, a companhia abandonou, somente para o diesel, o formato usado desde 3 de julho de 2017, que previa reajustes com maior periodicidade – inclusive diariamente.

No fim de 2018, o governo anunciou o fim do programa de subsídios lançado após a greve dos caminhoneiros. A proposta tinha sido criada como uma resposta ao movimento grevista.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    É isso mesmo? Os PTralhas estão defendendo aumento do Diesel, só pra serem contra a Bolsonaro!
    Canalhas.

  2. Antonio Turci disse:

    Interessante. Brasileiros elegeram um tal de FHC que logo depois de eleito mandou que esquecessem o que ele escreveu; depois elegeram outro troço chamado Luiz da Silva, apelidado de Lula e, em seguida uma senhora totalmente desequilibrada e de pouco trato. Agora a maioria dos brasileiros elegeu um cidadão patriota, que não é nenhum gênio, mas tem boa vontade e amor ao país. Aí vem tudo que é esquerdista botar defeito. Pessoal, não existe ser humano perfeito. Deixemos o Presidente governar em paz e vamos critica-lo quando realmente houver necessidade.

  3. Rafael disse:

    Alguem ai assistiu a entrevista? O título é o famoso pega trouxa.

  4. Lauro disse:

    Socorro perdi 20 mil hoje com merda de Bolsonaro na Petrobrás. Se continuar assim Presidente, vc vai me quebrar.

  5. Jório disse:

    A Petrobrás tem muitos privilégios como Estatal. O pais não pode ficar inteiramente seu refém. Se não fosse o dinheiro do BNDES ela teria falido. Assim, em nome do interesse público do País, pode adiar a aplicação de um reajuste sobre o diesel. Até porque, até hoje, o País ainda se recupera dos efeitos da greve dos caminhoneiros. E uma das principais funções dos gestores é evitar crises que possam prejudicar o País.

  6. IBMendonca disse:

    Hammmm….conte uma novidade!!!
    Para quem não iria interferir na Petrobras….começou cedo!!!

  7. Fagner disse:

    Que situação meu Deus. Essa anta foi eleito presidente?

    • Rômulo disse:

      Haja feno!

      Mourão! Socorrooo!

    • Marcel disse:

      Inteligente mesmo na sua opinião devia ser a Dilma, né? Um ser incapaz de organizar uma oração simples pra expressar o seu raciocínio (se é que ela possuía essa faculdade mental).

    • #Lula na cadeia disse:

      Cala a boca vagabundo seu ladrao preferido está na cadeia….vocês preferem ROUBAR A PETROBRAS VERMES PTRALHAS

    • Edilberto disse:

      Essa anta, não rouba, já as antas que vc votou ,além de tudo ,rouba, mente, enganar pessoas como vc.

‘Aliança pode sair da mão de Vélez e ir para a gaveta’, diz Bolsonaro sobre possível demissão de ministro da Educação

Foto: Valter Campanato

Em café da manhã com jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro indicou que pode demitir o ministro da Educação, Ricardo Vélez , no início da próxima semana. Se a saída do ministro for confirmada, ele será o segundo a ser exonerado por Bolsonaro desde a posse. Em fevereiro, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, foi o primeiro.

— Está bastante claro que não está dando certo o ministro Vélez. Na segunda-feira, vamos tirar a aliança da mão direita, ou vai para a esquerda ou vai para a gaveta – disse o presidente, acrescentando que a decisão já está tomada.

O ministério de Vélez enfrenta uma crise desde o início do governo, com uma série de demissões e de problemas administrativos.

Em meio à disputa de poder dentro do Ministério da Educação (MEC), pelo menos 16 pessoas do alto escalão já foram demitidas em menos de três meses de gestão. E essa crise emperra programas importantes da pasta, prejudicando o sistema educacional brasileiro.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Odin disse:

    Uma sequência de erros na política externa causa danos à imagem internacional do Brasil, queimando um capital político construído ao longo de décadas. Bolsonaro em apenas 90 dias de governo causou prejuízos econômicos concretos ao país, aumentando o desemprego e desestruturando cadeias produtivas exportadoras, como a de proteína animal. Pobre Brasil.

  2. Antônio disse:

    Ao menos uma atitude sensata, o senhor não tem a menor capacidade para estar a frente da educação. O estrago já está feito para agenda deste e do próximo ano, mas ao menos se estanca a sangria.

    • Jorge Lobo disse:

      Temos que tirar quem o colocou na pasta, esse sim o verdadeiro problema do Brasil!!!