Até quando? Vidas de crianças interrompidas na Grande Natal na volta da padaria, em passeio de bicicleta e no carro com a família

Cleiton Osório Mendes dos Santos (10 anos), feito de escudo humano em confronto de bandidos, e morto a tiros no dia 12 de dezembro do ano passado, no bairro Campo de Santa Cruz, em Macaíba, quando voltava de uma padaria. A criança retornava para sua residência e morreu segurando o saco com pães.

Vitor Batista da Silva (8 anos), morto por atropelamento junto com seu pai na noite dessa terça-feira(15), durante fuga de bandidos na cidade de São José do Mipibu. A criança estava na bicicleta com seu pai e ainda uma irmã.

Letícia Marcelino (6 anos), vítima de disparo de arma de fogo na noite dessa terça-feira(25), não resistindo a gravidade da bala que atravessou a sua cabeça, e morreu na tarde dessa quarta-feira(16). Ela estava com seus pais durante uma tentativa de  assalto em Parnamirim. Na ocasião, o motorista estava com sua família no veículo,quando foi abordado, empreendeu fuga, mas os marginais ignoraram qualquer risco e efetuaram disparos. Um deles atingiu a menor.

Três inocentes que tiveram suas vidas interrompidas precocemente em municípios da Grande Natal, em decorrência da falta de estrutura na segurança pública no Estado. Se o Blog for parar para citar casos semelhantes, como já ocorreram, por exemplo, em Mossoró, ou de adultos, como de esportistas assassinados recentemente, em circunstâncias ainda misteriosas, em Cidade Satélite e Nova Parnamirim, passaríamos o dia listando e lamentando os crimes.

A pausa para reflexão é no crescimento de inocentes vítimas da marginalidade. Embora a grande maioria dos crimes de homicídio no RN e por todo território nacional tenha relação com envolvimento com drogas, os três assassinatos nos últimos três meses de crianças com toda uma vida pela frente revolta.

Hoje em dia se pensa duas vezes em sair com sua família e fazer um lanche no trailer da esquina. Hoje em dia você abre o portão de casa e tem que olhar para os lados, com medo de ser surpreendido por bandidos. Da mesma forma o retorno para o seu lar. Hoje em dia não se pode mais andar de bicicleta ou papear com amigos na praça. Hoje em dia um inocente sai para comprar pão e corre risco de ser vítima de assalto, ou mesmo, entrar num fogo cruzado e morrer de graça, como o caso do menino Cleiton Osório Mendes dos Santos.

Por fim, hoje em dia tem viatura “no prego” no caminho de uma ocorrência ou solicitação de um popular por falta de gasolina ou por veículos sucateados. Qual será a próxima tragédia? Só nos resta rezar!

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nemesis disse:

    fácil ..fácil.. de resolver , em outubro no dia eleger a corja de bandidos basta apertar 00 ou 00000 e confirmar porque se 51% da população que se diz revoltada e quer protestar fizer isso ai a coisa muda rapidinho meu amigo. Duvida? faz um teste pra tu vê…em outubro é nulo meu filho..entre vc também nesta campanha por um RN melhor